25 setembro, 2020


[Resenha] Samantha Sweet, Executiva do Lar - Sophie Kinsella


Ficha Técnica 

Título: Samantha Sweet, Executiva do Lar
Título Original: The Undomestic Goddess
Autor: Sophie Kinsella
ISBN: 978-85-01-07674-8
Páginas: 514
Ano: 2009
Tradutor: Ivanir Alves Calado
Editora: Record
Meu nome é Samantha, tenho 29 anos. Nunca assei um pão na vida. Não sei pregar botão. O que sei é reestruturar um contrato financeiro e economizar 30 milhões de libras para meu cliente.
Samantha Sweet é uma advogada poderosa em Londres. Trabalha dia e noite, não tem vida social e só se preocupa em ser aceita como a nova sócia do escritório. Ela está acostumada a trabalhar sob pressão, sentindo a adrenalina correr pelas veias. Até que um dia... comete uma grande mancada. Um erro tão gigantesco que pode destruir sua carreira. Samantha desmorona, foge do escritório, entra no primeiro trem que vê e vai parar no meio do nada. Ao pedir informação em uma linda mansão, é confundida com uma candidata a doméstica e lhe oferecem o emprego. Os patrões não fazem ideia de que contrataram uma advogada formada em Cambridge, com QI de 158, e que não tem a menor noção de como ligar um forno! O caos se instala quando Samantha luta com a máquina de lavar... a tábua de passar roupa... e tenta fazer cordon bleu para o jantar... Mas talvez não seja tão incapaz como doméstica quanto imagina. Talvez, com alguma ajuda, ela possa até fingir. Será que seus patrões descobrirão que sua empregada é de fato uma advogada de alto nível? Será que a antiga vida de Samantha irá alcançá-la? E, mesmo se isso acontecer, será que ela vai querer de volta? A história de uma mulher que precisa diminuir o ritmo. Encontrar-se. Apaixonar-se. E descobrir para que serve um ferro de passar.

Resenha


Ler os livros da Sophie Kinsella é garantia de relaxar e era exatamente isso que eu estava precisando esta semana; por isso não tive dúvidas e peguei este livro que já estava há algum tempo aqui esperando o momento ideal para ser lido.

Quando li a sinopse de Samantha Sweet, Executiva do Lar confesso que me intrigou e fiquei me perguntando como seria essa história e simplesmente amei. Samantha vem de uma família de pessoas que trabalham muito e vivem no extremo. Sua mãe é advogada nos tribunais superiores, abriu a própria empresa, ganhou o prêmio Mulheres do Direito; Daniel, o irmão mais velho, é diretor de investimentos e muito prestigiado no centro financeiro de Londres; o outro irmão, Peter, teve um colapso de tanto trabalhar e agora mora na França, ensina inglês e tem uma secretária eletrônica; e o pai mora na África do Sul desde que ela tinha 3 anos, por isso não é alguém que ela veja muito — na verdade, ela mal vê os dois que moram em Londres. Para a família é tão surreal não estar se matando de trabalhar que mal sabemos sobre Peter e no que ele trabalhava antes do tal colapso...
(...) — Enquanto diz as palavras, seus olhos parecem se cravar mais profundamente nos meus.
Ou então só estão embriagados depois de uma noite sem dormir. Nunca fui boa em ler os sinais.
Deveria ter tirado diploma nisso, em vez de em direito. Seria muito mais útil. Bacharel (com Honras) em Saber Quando os Homens Estão a Fim da Gente e Quando Só Estão Sendo Amigáveis.
P. 33
Samantha é advogada de direito bancário em um dos melhores escritórios de advocacia de Londres e seu objetivo é tornar-se sócia. Para isso, trabalha constantemente, sem noites, sem fins de semana, sua casa é uma zona, assim como sua vida pessoal — que não existe. Não há tempo para descobrir um leiteiro que entregue no seu apartamento; não há tempo para descobrir como seu forno funciona, mas isso é o de menos, porque ela não cozinha absolutamente nada. Mas certamente todo esse esforço será recompensado quando ela conseguir a sociedade, e falta pouco para isso.

Samantha só não esperava descobrir que havia cometido um erro gigantesco. Ela não erra, muito menos um erro de principiante como aquele, que custaria cinquenta milhões de libras. Completamente desnorteada com a situação, Samantha se vê em um trem sem saber sequer o destino dele e acaba em Cotswolds, muito, muito distante da agitação de Londres. Ainda desorientada, pede ajuda em uma casa e é confundida com uma das candidatas a empregada doméstica, logo ela que não sabe nada de casa.
— Sem dúvida! — digo agarrando-me com alívio a essa desculpa. — Claro! Estou muito mais acostumada a trabalhar com uma... uma... Nimbus 2000.
Tris me olha surpresa.
— Essa não é a vassoura do Harry Potter?
Porra.
Eu sabia que tinha ouvido em algum lugar.
— É. É — digo finlmente, com o rosto em chamas. — E também uma conhecida marca de tábua de passar roupa. Na verdade acho que o nome da vassoura foi dado... ah... por causa da tábua de passar.
P. 179
Por mais louco que possa parecer, Samantha resolve ficar ali, ainda que seja por pouco tempo, até que as coisas em Londres se acalmem, é claro. Contando com uma super ajuda secreta, Samantha começará a aprender a cozinhar, passar roupa, limpar a casa e tudo mais que precisa ser feito e que não acaba nunca — sério, você mal termina uma parte e já tem lá alguma coisa a ser feita. 

Os dias vão passando e Samantha vai desacelerando. Vendo as coisas ao seu redor, não se importando com o celular; o BlackBerry que ficou no escritório nem é mais lembrado; as cobranças da mãe ficaram para trás. Mesmo com todas as excentricidades de seus patrões, dá para perceber que eles realmente gostam de Samantha, mesmo que não saibam que tudo que ela disse como referência é mentira. Outro ponto positivo foi conhecer o outro funcionário da casa, Nathaniel, o jardineiro. Na verdade, ele é a única pessoa que sabe que ela não entende nada de cuidar de uma casa e por isso a mãe dele está ajudando Samantha a aprender tudo que precisa. Mas não é só isso, né gente? Hahahaha
Fantástico. Fantástico mesmo. Bastou uma olhada no seu corpo e estou com uma paixonite completa.
Honestamente eu achava que era uma pessoa um pouco mais profunda do que isso.
P. 222
Samantha é outra pessoa em Cotswolds: braços torneados das atividades que têm feito, bronzeada, relaxada. Mas sabem como é, né? Quando a gente está se afastando, lá vem o passado e dizer que ainda há coisas não resolvidas que precisam ser encaradas de frente. Fugir não é a solução adequada e por isso Samantha precisará resolver de uma vez por todas a confusão que ficou em Londres.
Se aprendi uma coisa com tudo que  me aconteceu, é que não existe essa coisa de maior erro da existência. Não existe essa coisa de arruinar a vida. Por acaso a vida é uma coisa muito resistente.
P. 424
Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉 
Comentários
0
Compartilhe

18 setembro, 2020


[Opinando] Sessão Nostalgia - Desenhos Animados


Recentemente comentei aqui no blog como tenho revisitado minha infância com certa frequência e como isso mexeu comigo, tanto que escrevi o post sobre programas infantis que fizeram parte da minha vida.

Como era muita coisa, resolvi dividir o post entre programas infantis e outro com os desenhos animados que eu adorava assistir. Alguns deles são das décadas de 1980, 1990 e 2000, mas outros são de décadas anteriores ao meu nascimento, mas ainda assim ainda eram transmitidos aqui no Brasil. Claro que eu continuo assistindo desenhos até hoje e amo, não nego, mas não tenho mais o mesmo tempo e para mim a maioria dos desenhos não são mais a mesma coisa, até porque, muito do que era transmitido nessas décadas hoje são considerados inadequados ou algo próximo disso.

Como são muitos desenhos, vou colocar apenas alguns dos meus favoritos, combinado? Quem sabe depois não faço outro post com mais dos meus queridinhos?! Hehehe


Os Flinstones viviam na pré-histórica Bedrock e eu adorava que eles tinham vários utensilios "atuais" em versão rocha, como lava-louças, carro e elevador e sem falar com o pet de estimação da família Flinston é nada menos que um dinossauro.


Do mesmo estúdio de Os Flinstones, Os Jetson são uma família do futuro (aproximadamente 2062), que vivem em Orbit City, uma cidade suspensa, com carros voadores, robôs, esteiras para evitar andar, todas as atividades automatizadas e funcionando por botões e comandos robóticos. Eu sempre amei o caçula da família, Elroy, e o cachorro deles, Astro, que por sinal, falava hahaha.




She-ra: A Princesa do Poder era um xodó para mim, assistia no Xou da Xuxa e depois passei a assistir na TV Colosso e no Xuxa Park. Simplesmente eu queria ter o poder da She-Ra, tão forte e guerreira... Tinha o desenho do He-Man também (gêmeo de She-Ra), que foi produzido antes, mas quando ela chegou, para mim tomou o lugar - nova, mas já queria as mulheres no poder hahaha. Eu amava ficar procurando o Geninho pelo episódio, mas eu nunca encontrava - mas depois de adulta, quando assisti novamente, eu sempre achei 😂😂. A história se passa no planeta Etéria, que encontra-se em uma terrível ditadura e os rebeldes tentarão a todo custo libertar o planeta. Acontece que no início Adora estava enfeitiçada, trabalhava com os vilões, não sabia que era uma princesa do planeta Etérnia e que tinha um irmão gêmeo. Depois, ela passa a lutar com os rebeldes com os "poderes de Grayskull".




Cavalo de Fogo era magnífico, aquele cavalo forte, imponente místico que falava e que salvou a princesa Sara das garras da bruxa Diabolyn e a levou para Montana? Cara, ele atravessava os mundos ❤️, como não amar? Quando completa 13 anos, a garota percebe o brilho de seu medalhão e descobre que é princesa de um planeta em outra dimensão e precisa lutar contra a bruxa que quer dominar tudo.


Com a destruição do planeta Thundera, os Thunderianos precisam fugir de seu planeta natal, mas, em meio a fuga, os mutantes de Plun-Darr destruíruam várias naves, exceto a nave-mãe, onde estão os ThunderCats, que eram uma espécie de nobreza do planeta, e a lendária Espada Justiceira, que possui o Olho Místico de Thundera, fonte do poder dos ThunderCats.
Porém, mesmo com toda a tecnologia que têm a bordo, os ThunderCats passam décadas nessa viagem interestelar e, quando enfim chegam Lion-O percebe que é uma criança em um corpo de adulto e precisa, junto com os outros, lutar contra o vilão Mumm-Ra, que ainda os segue.


DuckTales: Os Caçadores de Aventuras era outro desenho que eu adorava assistir. Dos estúdios Wall Disney, o desenho era baseado nas revistas em quadrinhos e trazia várias aventuras do Tio Patinhas com Huguinho, Zezinho e Luizinho, os sobrinhos do Pato Donalds. Logo que os meninos chegam à mansão, Tio Patinhas os trata com frieza, como faz com todo mundo, mas logo percebe como as crianças são inteligente e curiosas, assim eles encaram várias missões com o objetivo de aumentar ainda mais a fortuna do já milionário pato e também enfrentam vilões que tentam roubar seus tesouros. Além deles, também aparecem muitos outros personagens, como os empregados do milionário, que estão sempre por ali.


Os Ursinhos Gummi, também da Disney, trazia a história de uma raça de ursos já considerada extinta por terem sido caçados pelos humanos, mas o que ninguém sabia é que seis deles ainda resistiam e viviam escondidos em uma floresta. Mas um garoto humano descobre o segredo, entretanto, promete não revelá-lo. Assim, esses amigos irão redescobrir a cultura Gummi, inclusive o poderoso suco de fruta gummi, que lhes dá superforça.


Capitão Planeta era um desenho bem responsável e trazia à tona os problemas que os homens têm causado à Terra com suas ações irresponsáveis e sem pensar no futuro. Gaia, espírito da Terra, escolheu cinco protetorespara ajudá-la na luta para salvar a Terra. Assim, cada um recebeu um anel com um poder: Kwame, com o poder da terra, Wheeler, com o poder do fogo, Linka recebeu o poder do vento, Gi, o poder da água e Ma-Ti, o poder do coração. Quando as coisas se complicavam muito, eles uniam os poderes do anel para formar o Capitão Planeta, que aparecia sempre com a frase: "Pela união dos seus poderes, eu sou o Capitão Planeta!". Ele tem todos os poderes da natureza, mas também enfraquecia quando exposto a poluentes de qualquer tipo.
Sempre fazia questão de deixar claro que este não era um trabalho de uma única pessoa e que cada um podia e devia fazer sua parte para salvar a Terra e dizia "O poder é de vocês!", quando se desfazia e o poder voltava aos anéis dos jovens.




Em que lugar da Terra está Carmen Sandiego?, ou para mim apenas Carmen Sandiego, também era um desenho bem instrutivo. Ainda que a protagonista do desenho fosse a vilã da história, por se tratar de uma ladra, Carmen roubava e fugia e cabia aos detetives da A.C.M.E. descobrir o significado das pistas que encontravam no lugar do roubo e seguir Carmen por vários países do mundo. Soube anos depois que o desenho era baseado em um jogo de videogame dos anos 1980, quando computador era algo bem básico, acredito que era MS-DOS (sistema operacional da Microsoft antes do Windows). Depois também saiu o jogo (também no estilo MS-DOS) para celular e também foi lançado, anos depois, uma versão mais moderna, era bem divertido e eu ainda tenho no meu celular e jogo as vezes hahahaha.




E então, alguém assistia e gostava desses desenhos animados? É bem verdade de Carmem e She-ra ganharam novas versões recentes pela Netflix, mas eu nunca assisti, porque vi pela descrição antes dos lançamentos que parte das histórias haviam sido alteradas e não gosto que mexam em time que está ganhando, hahaha.

Mas me contem aí, quais eram os preferidos de vocês?
Comentários
2
Compartilhe

11 setembro, 2020


[Resenha] A Babá do Milionário - Tia Louise


Ficha Técnica 

Título: A Babá do Milionário
Título Original: Make Me Yours
Autor: Tia Louise
ASIN: B08D5Z9WCH
Páginas: 308
Ano: 2020
Tradutor: Bianca Carvalho
Editora: Cherish Books
Ele é um pai solteiro bilionário que precisa de ajuda.
Ela é uma moça atrevida que precisa de trabalho.
Babá ao vivo? O que poderia dar errado?
Remington Key: Deixei a Marinha, fiz um bilhão em minha empresa de tecnologia, casei-me e tive um bebê. Eu fiz tudo conforme o combinado. Felizes para sempre, certo?
Avanço quatro anos e estou sozinho, criando minha filha, cuidando da minha sogra e tentando manter minhas coisas juntas. Como isso aconteceu? Eu estava claramente bêbado na noite em que ofereci a uma garota linda em um bar US$ 500 por dia para ser minha babá. Ou talvez fosse meu pau falando. E se eu estiver sozinho desde sempre? Estou focado em lançar meu novo negócio, não em colocar as mãos na sereia sexy que dorme do lado do meu quarto.
Pelo menos é o que eu continuo falando pra mim mesmo...
Ruby Banks: Remington Key é distante, mediativo e sexy demais. E quando ele pega sua adorável filha de quatro anos, Lillie, e sopra framboesas em sua barriga enquanto ela grita de alegria, eu me derreto totalmente. Esbarrar com ele em nosso bar local naquela noite, estando ele um pouco bêbado e excessivamente frustrado foi um completo acidente. Ele precisava de ajuda e me ofereceu um salário ridiculamente alto. Eu não poderia dizer não. Certo? Agora ele me deu a chance de pagar minhas dívidas e assumir o controle da minha vida. Não posso estragar essa chance. Mas por mais que eu queira ser boa, não tenho certeza se posso fingir ... A maneira como ele me olha envia calor escaldante pelo meu interior. Nossas mãos se tocam, nossos olhos se encontram e eu quero fazer coisas muito desobedientes com meu novo chefe.

Resenha


Chegou a hora de conhecer uma nova autora. A Cherish Books trouxe agora a Tia Louise e seu romance A Babá do Milionário

Ruby Bank tem 22 anos, mas, ainda que tenha um mestrado em Serviço Social e trabalhe como terapeuta na clínica da melhor amiga, Drew, construir uma clientela na pequena Oakville não é fácil, mesmo tendo vivido lá toda a vida.

Ruby é metade estadunidense, por parte de pai, e metade coreana, por parte de mãe. Enquanto sua mãe trabalhava como secretária na igreja, o pai era um renomado neurocirurgião em Charleston (cidade vizinha) e cobrava excelência de sua filha, por isso nunca incentivou sua clara vocação para as artes, alegando que isso não daria nenhum futuro para ela. Mas agora, após anos da morte do pai, ainda morando com a mãe, ela tem certeza de que ainda não sabe o que quer para o futuro.

Remington Key tem 30 anos e há quatro vive em Oakville. Depois que saiu da Marinha criou alguns aplicativos, vendeu para o governo e, assim, ficou bilionário e passou a ser um investidor da área de tecnologia. Com a gravidez da esposa, e por insistência dela ao descobrir que a gravidez era de risco, eles trocaram Seattle por Oakville, para que ela pudesse ficar mais próxima da mãe, mas com o nascimento de Lillie, Sandra faleceu. Com uma filha recém-nascida, a ajuda de Eleanor foi fundamental, e Remi se afundou no trabalho. Mas agora que quatro anos se passaram e ele fez terapia para superar o luto, ele tem percebido que as coisas na sua casa não estão tão bem como ele imaginava: Eleanor é muito rígida com Lillie e os desentendimentos com a sogra têm sido cada vez mais constantes, o que o deixa desgastado, sem foco para trabalhar e, consequentemente afetará sua relação com Lillie.

Quando em uma rara ocasião aceita o convite de um amigo para ir a um bar, Remi encontra Ruby, a quem sua antiga terapeuta (que é ninguém menos que Drew, claro) havia tentado apresentar um dia na igreja, ele sente-se atraído pela beleza dela. Claro que Ruby o nota, afinal essa foi a razão de sair naquela noite, paquerar e, quem sabe, encontrar um novo namorado. Mas ela não imaginava que sairia dali com o emprego de babá e ganhando tão bem.

Mesmo com a atração que sente por Ruby, Remi não vê nenhum problema em contratá-la para ser babá de Lillie e, quando as duas se conhecem no dia seguinte, ele tem ainda mais certeza de ter feito a melhor coisa, o que ele não havia pensado é que, caso ele se envolvesse com Ruby, ela provavelmente deixaria de ser babá de Lillie e então, como ficaria sua filha nessa situação? E sem falar na sogra: o que ela pensaria de uma jovem morando com eles para ser babá de sua neta sendo que sempre foi ela quem cuidou de tudo?
Ruby é ferozmente independente, e ela tem seu próprio estilo. Não imita ninguém. Não é um membro do rebanho. Não parece querer nada de mim além de um trabalho honesto e incrível com minha filha.
Posição 58%
Ruby e Lillie se tornam inseparáveis logo de cara e óbvio que na mesma proporção está o ódio de Eleanor por Ruby, que a vê como uma oportunista que com certeza está apenas de olho no dinheiro de seu genro.

Com o passar dos dias, Ruby e Remi vão tendo a oportunidade de se conhecerem mais, a atração aumenta e passar a tormar outras proporções, levando-os a questionar se trata-se apenas de atração ou amor.

A escrita da Tia é envolvente e vai levando a gente alternando os capítulos entre a narrativa da Ruby e do Remi, nos deixando completamente presos para saber o que acontecerá a seguir. Isso sem falar nos personagens que ganham nossa atenção mesmo não sendo os protagonistas: Lillie é uma fofa e Drew é uma amiga e tanto, maravilhosas!

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉 
Comentários
2
Compartilhe

06 setembro, 2020


[Resenha] A Tentação de Juliana - Lauren Royal


Ficha Técnica 

Título: A Tentação de Juliana
Título Original: Tempting Juliana
Autor: Lauren Royal
ASIN: B089YXDNDC
Páginas: 445
Ano: 2020
Tradutor: Bianca Carvalho
Editora: Cherish Books
Lady Juliana Chase não quer nada além de ver todos ao seu redor felizes. É por isso que ela sente tanto prazer em brincar de casamenteira. Seus últimos esforços envolvem o Dr. James Trevor, o Conde de Stafford, e sua boa amiga, Amanda, que são absolutamente perfeitos um para a outro. Então, por que diabos o belo médico está ignorando as boas intenções de Juliana e arruinando seus planos cuidadosamente estabelecidos?
Depois de perder a esposa, James se enterrou em seu trabalho, abrindo uma clínica para vacinar os pobres de Londres contra a varíola. A última coisa que ele quer é se apaixonar por outra mulher. Então, quando Juliana se intromete em sua vida amorosa, ele fica surpreso ao se ver apaixonado – mas não por Amanda. Agora ele deve virar a mesa e vencer Juliana no seu próprio jogo, ou correr o risco de perder a beldade determinada que despertou seus desejos e conquistou seu coração...

Resenha


Segundo livro da série Família Chase, chegou a hora da jovem Lady Juliana Chase fazer sua estreia na sociedade londrina, mesmo que já tenha 22 anos. Assim como sua irmã mais velha, Alexandra, a série de mortes que ocorreram na família fez com elas e a irmã mais nova, Corinna ficassem afastadas dos eventos sociais.

Griffin Chase herdou a pouco tempo o título de marquês de Cainewood e com ele vieram muitas responsabilidades; entre elas está encontrar maridos adequados para suas irmãs mais novas. Como Alexandra já está casada com o marquês de Hawkridge, precisa encontrar um marido para Juliana, mas a garota é muito exigente com relação do futuro marido — pelo menos é o que Griffin acredita.

Juliana sempre soube que o casamento dos pais não era baseado em amor, mas também sabia que a mãe era apaixonada marido, mas não era retribuida neste sentimento e ela viu o quanto isso era sofrido para a mãe. Por essa razão Juliana está decidida a se casar apenas com uma pessoa que ame verdadeiramente e que o sentimento seja recíproco. Assim, ela rejeita cada um dos pretendentes que o irmão desesperadamente lhe apresenta.

Mas não é apenas a sua felicidade que deseja; Juliana gosta de ver todos felizes e sempre tem algum projeto nesse sentido em andamento. Tanto que, iniciamos o livro com ela visitando uma institução que cuida de crianças que não podem ser sustentadas por suas famílias. E dessa visita resulta o projeto de costurar roupas para muitos bebês, cerca de trezentas peças que deverá entregar em um mês. Como se o projeto fosse pouco, ela reencontra sua vizinha, Amanda Wolverston, que tinha acabado de voltar do interior para os preparativos de seu casamento com lorde Malmsey, que era mais de dez anos mais velho que ela. Como viu a amiga infeliz, decidiu encontrar outro pretendente para ela.

James Trevor era o segundo filho, por isso seu caminho foi seguir para o exército. Porém, pouco tempo depois foi ferido e ficou com uma lesão no joelho, que o mandou de volta para casa. Assim, decidiu tornar-se médico. Casou, e estava conciliando bem sua profissão com a vida de casado quando seu irmão mais velho faleceu, deixando para ele o título de conde de Stafford. Com o apoio de Anne, sua esposa, estava aprendendo a lidar com sua nova realidade e como o título tornaria mais fácil ajudar outras pessoas como ele queria, mas quis o destino que ela falecesse ao dar a luz, deixando-o viúvo e sem o filho. Agora, aos 29 anos, dois anos depois disso tudo, James tem certeza que jamais se apaixonará novamente, mas, devido a insistência de sua mãe, sabe que precisará se casar e ter um herdeiro, mas amor definitivamente está fora dos seus planos. Pelo menos até ele reencontrar o amigo, Griffin, e este a apresentar a Juliana.

Juliana o intriga desde o início: seja a cor dos olhos e dos cabelos, que parecem mudar a depender da luz e do seu estado de espírito; seja sua maneira intrometida de tentar ajudar todo mundo, ainda que ninguém tenha pedido e como não mede esforços para isso. O problema é que ela não vê James como um possível pretendente pelo simples fato dele ser absurdamente dedicado ao seu trabalho — na ideia dela, isso seria um problema no casamento, afinal, o marido não teria tempo para ela. Por isso, quando Griffin a apresentou a David Harcourt, o duque de Castleton, ela ficou muito feliz, pois, mesmo ele tendo 32 anos, ele tinha a cor de cabelo que a agradava e não era muito mais alto do que ela — outros defeitos que ela encontrou em James. Mas certamente ele seria o ideal para Amanda.

Imaginem só a confusão que é Juliana e Amanda tentando que James se interesse por Amanda, enquanto Juliana quer que o duque a corteje. Em paralelo ela precisa costurar centenas de roupas de bebê, sendo que ela nem é uma ótima costureira. E ainda tem sua vizinha Emily Neville, de 8 anos, órfã de mãe que vive agarrada a cobra que achou com a mãe no jardim de casa e Juliana tenta a todo custo mostrar para a garota que uma dama não deve andar com uma cobra para cima e para baixo.
Poque ele queria se casar com ela. Mas não era capaz de admitir isso, nem para si mesmo, porque seria uma traição a Anne.
Exceto que... não era.
Ele estava se apaixonando por Juliana, e não era uma traição.
Ele sentiu que deveria estar chocado. Ou culpado. Ou incrédulo.
Mas não sentia nada disso. Ele estava apaixonado. E ele não podia duvidar mais do que podia acreditar que tinha duas mãos e dois pés.
Posição 58%
Não tem como não ficar preso à história. A cada momento a gente se pergunta o que mais Juliana será capaz de aprontar e claro que nem sempre as coisas saem como ela imagina e a confusão é certa. Mas vou dizer para vocês, não foram poucas as vezes em que eu quis voar no pescoço dela e sacudir até ela tomar juízo.

Agora só resta esperar pelo próximo livro e saber qual será o destino de Corinna, que ama pintar e se mostrou muito mais sensata que Juliana quando apareceu neste livro. Estou curiosa e vocês?

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉 
Comentários
0
Compartilhe

03 setembro, 2020


[Resultado] Aniversário De Tudo um Pouquinho - 11 anos!


Olá meus queridos, como estão?

Antes de trazer quem foi o sortudo ganhador desta promoção preciso agradecer todas as mensagens de felicitações que recebi pelos onze anos do blog. Realmente é incrível perceber como o tempo passa rápido quando fazemos o que gostamos e nem nos damos conta disso.
Adoro escrever e amo ainda mais compartilhar isso com todos vocês, muito obrigada!

Agora, vamos saber quem é o sortudo ou sortuda que ganhou esse sorteio? Cruzem os dedos 🤞🏾🤞🏾🤞🏾


Parabéns Milena Soares!! Você recebeu um e-mail e têm 72 horas para respondê-lo e garantir seu prêmio.

Obrigada à todos pela participação e uma dica para quem participa de sorteios, confere se estão seguindo TODAS as regras, hein?! 

Enquanto isso, fiquem seguros, fiquem em casa! Continuamos em quarentena! 😉
Comentários
1
Compartilhe

31 agosto, 2020


[Meme] Nosso Mês - Agosto

Olá lindíssimos, tudo bem?

Chegou a hora de conferirmos mais uma vez minhas leituras do mês. Estão curiosos? Vamos lá então!

Lay

Livros lidos: 
1. Mentes Sombrias - Alexandra Bracken (Resenha)
2. O Castigo de Lady Evelyn -  Silvia Spadoni
3. A Adorável Loja de Chocolates de Paris - Jenny Colgan (Resenha)
4. A Tentação de Juliana - Lauren Royal


Recebi este mês:
1. Alguém Para Amar - Mary Balogh (Parceria Charme)
2. Cartas do Passado - Lucy Vargas (Parceria Charme)

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Então meus queridos, gostaram de conferir minhas leituras e os livros que recebi? E vocês, como foram de leituras esse mês??

Para quem ainda não sabe, nós criamos um perfil no Instagram onde estamos postando nossas leituras, então nos sigam e confiram o que estamos lendo, deem suas opiniões, sugestões e comentários!!

Vamos lá começar um novo mês de leituras!!

Beijos
Comentários
2
Compartilhe

29 agosto, 2020


[Resenha] A Adorável Loja de Chocolates de Paris - Jenny Colgan

Ficha Técnica 

Título: A Adorável Loja de Chocolates de Paris
Título Original: The Loveliest Chocolate shop in Paris
Autor: Jenny Colgan
ISBN: 978-85-306-0169-0
Páginas: 343
Ano: 2020
Tradutor: Alessandra Esteche
Editora: Arqueiro
A adorável loja de chocolates de Paris contém receitas de dar água na boca. Sim, é verdade que Anna Trent é supervisora numa fábrica de chocolate. Mas isso não quer dizer que ela saiba fazer chocolate. Por isso, quando um acidente muda sua vida e Anna tem a chance de ir trabalhar numa tradicional loja em Paris, ela tem certeza de que vão descobrir que é uma fraude. Afinal, existe uma diferença muito grande entre o chocolate industrial da sua cidade natal, no norte da Inglaterra, e as criações feitas à mão, com ingredientes da melhor procedência, pelo grande chocolatier Thierry Girard. Mas com um pouco de sorte, muita paciência e a ajuda dos novos amigos, o exuberante Sami e o galanteador Frédéric, Anna vai descobrir mais sobre o verdadeiro chocolate – e sobre si mesma – do que jamais sonhou. Cheio de lições de esperança, engraçado e irresistivelmente viciante, A adorável loja de chocolates de Paris é um romance delicioso que nos lembra que sempre vale a pena lutar pelas coisas mais doces da vida.

Resenha


Terceiro livro da Jenny Colgan publicado pela Arqueiro, A Adorável Loja de Chocolates de Paris também faz parte da coleção Romances de Hoje, onde a editora tem nos agraciados com vários romances contemporâneos no bom estilo chick-lit.


Anna Trent tem 30 anos e trabalha como supervisora na Brader's Family Chocolates, na pequena cidade de Kidinsborough, na Inglaterra. Mas, ao contrário do que muitos imaginam, não é um trabalho glamuroso e, depois de sofrer um acidente na fábrica, ela se vê sem emprego e sem muitas perspectivas de emprego na cidade.

Coincidentemente, enquanto se recupera do acidente, Anna reencontra no hospital sua antiga professora de francês, Claire Shawcourt e, para ocuparem o tempo lá, Anna voltou a estudar com Claire. Com isso, ao saírem do hospital, Claire traz uma oportunidade para Anna: trabalhar em uma loja de chocolates artesanais em Paris.

Quando ainda era Claire Forest e tinha 17 anos, a filha única do reverendo Forest teve a chance de passar um verão como au pair em Paris, cuidando dos filhos da amiga de correspondência da mãe e essa experiência transformou a vida de Claire, quando conheceu o chocolatier Thierry Girard, que estava em ascenção.

Alternando entre as lembranças de Claire no verão de 1972 e o agora, quarenta anos depois, momento em que Anna está descobrindo Paris, como é diferente trabalhar para o famoso chocolatier comparando com o chocolate industrializado da Brader's e, principalmente, se reencontrando, Jenny nos traz um romance onde o romance não é o foco; o objetivo aqui é o autoconhecimento e, quando digo isso não me refiro apenas à Anna ou Claire, mas em parte também de alguns personagens que as cercam. 
— Eu achei... Achei que teríamos tempo, sempre. Que o verão nunca acabaria, que as coisas nunca teriam que mudar... Porque sou um velho tolo, Anna. Não seja como eu.
Posição 39%
Enquanto lia o livro e, alternava entre o passado e presente, em muitos momentos me perguntei como muitas vezes deixamos as oportunidades nos escapar por entre os dedos, por acharmos que sempre teremos tempo, e que, adiar um pouco, não fará nenhum mal. Às vezes aquela era sua única chance.
Então ele teve uma iluminação ofuscante. Anna sabia o que fazer. Simplesmente sabia. E era isso que a diferenciava. Ao contrário de Laurent, que era um covarde burro que se afastava das coisas no instante em que elas ficavam difíceis. Precisava de Anna.
Página 79%
Eu adorei Anna, Claire, Thierry, Laurent, Sami, Frédéric, Benoît. Personagens tão naturais, que acertam e erram. Que ajudam, ou atrapalham, mesmo que não tenha sido a intenção inicial. Enfim, uma leitura deliciosa — literalmente! Ah, e para quem come chocolate e também se vira bem na cozinha, no final do livro há várias receitas maravilhosas. Aproveitem! 😉
Então Laurent me abraçou e me levantou enquanto Frédéric gritava "CLIENTES!" sem parar na janela da estufa, e ele só parou de me beijar para berrar de volta:
— Mas nós estamos APAIXONADOS!
Foi quando percebi outra coisa. Era como se alguém tivesse desligado um rádio que eu nem sabia que ainda estava tocando. De repente a coceira, a agitação, a dor, as pontadas, todas as sensações nos dedos que não estavam ali simplesmente desapareceram. E eu me senti inteira.
Posição 91%

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
4
Compartilhe

20 agosto, 2020


[Resenha] Mentes Sombrias - Alexandra Bracken

Ficha Técnica 

Título: Mentes Sombrias
Título Original: The Darkest Minds
Autor: Alexandra Bracken
ISBN: 978-85-510-0383-1
Páginas: 384
Ano: 2018
Tradutor: Viviane Diniz
Editora: Intrínseca
Do dia para a noite, crianças começam a morrer de um misterioso mal súbito. Em pouco tempo, a doença se espalha e os que sobrevivem a ela desenvolvem habilidades psíquicas assustadoras. Uma delas é Ruby. Na manhã do seu décimo aniversário, um acontecimento aterrador faz com que seus pais a tranquem na garagem e chamem a polícia. A menina é então levada para Thurmond, um acampamento que segue as diretrizes brutais do governo vigente. Seis anos depois, ela se torna uma das jovens mais perigosas de Thurmond, embora tenha que esconder isso a todo custo para a própria segurança. Quando a verdade vem à tona, Ruby desperta o interesse de muitas pessoas e precisa escapar às pressas. Fora dali, ela se alia a fugitivos de outros acampamentos e conhece Liam, que lidera uma fuga em direção ao único refúgio para adolescentes como eles. Por mais que queira fazer amigos e ter uma vida normal, Ruby sabe que isso não vai ser possível, porque nenhum lugar é seguro, e ela não pode confiar em ninguém - nem em si mesma.

Resenha


Mês passado eu finalmente assisti o filme Mentes Sombrias e gostei tanto da premissa que fiquei curiosa para ler o livro — como já aconteceu outras vezes — afinal, se gostei do filme, certamente o livro deveria ser ainda melhor. E não deu outra. 

Mentes Sombrias nos leva à um futuro distópico, onde, de repente, as crianças dos Estados Unidos, com idade entre 10 e 14 anos, começaram a morrer subita e misteriosamente. Como se não fosse ruim o suficientes, as crianças que sobreviveram passaram a apresentar "sintomas" muito estranhos. 

Iniciamente chamada de Doença de Everhart — por conta da primeira vítima —, a  Neurodegeneração Idiopática Adolescente Aguda, ou simplesmente Niaa, transformou crianças e adolescentes em seres com poderes psiquicos extraordinários, o que preocupou o governo (claro, né?!). Logo eles construiram campos de reabilitação para alojar e tratar as crianças e classificou-as por cores de acordo com as habilidades demonstradas: verde - inteligência aprimorada; azul - telecinese; amarelo - eletricidade; laranja - manipulação mental; vermelho - fogo.
Habilidades. Poderes que desafiavam a lógica, talentos mentais tão bizarros que médicos e cientistas reclassificaram toda a nossa geração como Psi. Não éramos mais humanos: nossos cérebros romperam esse molde.
P. 39
Ruby Daly acabou de completar 10 anos e, por conta de um incidente infeliz, se viu a caminho de Thurmond, um dos campos do governo. Lá, as Forças Especiais Psi (FEP) controlam tudo com mãos de ferro. Foi lá que Ruby descobriu sobre as divisões entre as crianças e, mesmo sem saber ao certo como, conseguiu enganar o avaliador, fingindo ser verde. 

Seis anos depois, Ruby está prestes a ser descoberta, mas uma ajuda inesperada a tira de Thurmond, mas não a afasta do perigo. O mundo exterior não é nada parecido com o que Ruby se lembrava: o governo tenta manter o controle; o presidente Gray continua sendo o presidente, tendo conseguido aprovação para manter-se no cargo enquanto o  problema com a Niaa ainda não fosse resolvido; a crise econômica destuiu o país, os empregos; as fronteiras estão fechadas; cidades, desertas. Para completar, FEPs, caçadores de recompensas e a Liga das Crianças perseguem qualquer criança que encontrarem no caminho. Assim, ela encontrará Liam, Bolota e Suzume, três amigos que fugiram de um campo na Caledônia e estão tentando chegar à East River, um possível lugar seguro para crianças como eles. 

Enquanto tentam sobreviver, esses quatro companheiros de viagem veem uns nos outros as diferenças com que foram criados, como aprenderam — ou não — a lidar com as habilidades que apareceram. 

Sendo o primeiro livro de uma distopia, é comum que o livro traga muitas passagens com explicações, para introduzir a doença, o governo, as facções que lutam contra o governo e todas as consequências que a sociedade sofre. 

Estou curiosa para saber quando a Intrínseca trará os outros livros dessa série, pois preciso ver a evolução desses personagens, apredendo cada vez mais a usar suas habilidades. 

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob 😉
Comentários
4
Compartilhe

16 agosto, 2020


[Resenha] Quase Rivais - J. Sterling

Ficha Técnica 

Título: Quase Rivais
Título Original: Bitter Rivals
Autor: Jenn Sterling
ISBN: 978-65-86041-14-9
Páginas: 160
Ano: 2020
Tradutor: Ricardo Lelis
Editora: Faro Editorial
Suas famílias são inimigas... Mas será que é possível resistir a uma louca paixão? James é louco por sua vizinha Julia... Julia brilha e se arrepia cada vez que esbarra com James... a combinação seria perfeita se suas famílias não fossem rivais há gerações. E, como se não bastasse, os dois são concorrentes no trabalho. Mas, mesmo com tudo jogando contra, quanto mais tentam resistir, mais forte fica o desejo. James e Julia entendem que precisam se manter afastados. O problema é: como? J. Sterling, autora conhecida por seus romances incríveis, recria em Quase Rivais a maior história de amor de todos os tempos. Neste Romeu e Julieta dos tempos modernos, há alguns detalhes que se repetem, mas o que poderia ser diferente?

Resenha


Sabe aquele livro delícia, rapidinho de ler? Quase Rivais é assim; o que eu imaginava quando soube que era uma releitura da história de Romeu e Julieta e exatamente o que eu estava precisando ler. 

As vinícolas das famílias La Bella e Russo são vizinhos em uma pequena cidade na Califórnia, mas a rixa entre eles já dura gerações e, ao que parece, a lenda é tão grande, que ninguém ousa sequer comentar como tudo começou. O problema ficou maior quando Julia La Bella nasceu, a primeira garota em muito tempo, e a possibilidade de que um envolvimento amoroso entre as famílias surgisse levou o pai de Julia a proibi-la de ver James Russo. Assim, eles cresceram; vizinhos, mas carregando um ódio de anos entre as famílias. 

Sim, o sr. La Bella tinha razão; no dia do aniversário de 4 anos de James, não se sabe como, Julia escapou do olhar vigilante do pai e correu para a casa do vizinho, onde tinha uma criança da idade dela e, naquele momento, James se apaixonou por um anjo. James passou anos tentando se aproximar de Julia; ele não aceitava a rixa entre as famílias e não entendia porque isso não acabava, mas parecia que Julia levava o ódio aos Russo muito a sério. Agora, adultos, eles trabalham nas vinícolas das suas famílias, mas a atração entre eles é cada vez mais evidente e, com um empurrãozinho do melhor amigo, Dane, James resolve tentar mais uma vez se aproximar de Julia. 
— Acho que uma parte de mim sempre supôs que ela vai parar de me odiar e admitir o que sempre soubemos.
— Que é o que exatamente?
— Que há algo entre nós. Eu sei disso. Ela sabe disso. É inegável.
— Sim, é. Todo mundo pode ver isso. Mas você deveria dizer a ela de verdade como se sente — ele me encoraja —, antes que alguém mais vá atrás dela e você perca a sua chance.
P. 27
Sim, Julia também sente-se atraída por James, mas só confessou isso uma vez para sua melhor amiga, Jeanine, isso pelo fato dela levar muito a sério as ameaças que o pai fez de deserdá-la caso ela sequer pensasse em se envolver com James. Claro que ela sempre trabalhou para a vinícola, não poderia perder seu trabalho, e certamente a confiança de sua família, por causa de um homem, que nunca tinha tido relacionamentos sérios e que, se um dia quisesse ficar com ela, seria unicamente pelo fato de ser proibido.

Mas o destino está do lado deles, e principalmente de James, que está mais do que decidido a acabar com essa rixa de uma vez por todas, porque a chance aparecerá e caberá a Julia, e a seus pais, aceitar o fim. 

Como o livro é curto, não tem muita enrolação, o que eu amei, afinal, o mimimi foram os anos anteriores na vida de Julia e James e, com algumas passagens do passado, entendemos como as coisas chegaram ao ponto que iniciamos a história. 
— Julia, quero estar com você. E não só por uma semana, um mês ou um ano. Estou nessa com você por um longo tempo. Tipo, para sempre, se formos tão bom juntos como casal quanto eu acho que seremos. Com isso dito, estou aqui para segurar a sua mão. Para ficar ao seu lado e forçar seu pai a ouvir a razão ou ajudá-la a se afastar dele e decidir seu próximo passo. É inteiramente por sua conta, mas, o que quer que decida, vou agir com você.
— Você faria tudo isso por mim?
Meus olhos começam a lacrimejar, e James aperta sua testa contra a minha.
— Faria qualquer coisa por você — suspira ele, e eu sei que está falando sério.
P. 107
Owntttttt 😍😍😍

Compre na Amazon

P.S.: Se quiser adicionar esse livro na sua lista de leitura do Skoob basta clicar na capa que você será redirecionado para a página do livro no Skoob. 😉
Comentários
2
Compartilhe

13 agosto, 2020


[Resultado] Sorteio Sol da Meia-Noite


Olá meus queridos, como estão?

Vi que vocês participaram bastante do Sorteio Sol da Meia-Noite e agradeço imensamente, vocês são demais!! Todo mundo curioso para saber a história pelo ponto de vista do Edward, hein? hahahaha
Agora, vamos saber quem é o sortudo ou sortuda que ganhou esse sorteio? Cruzem os dedos 🤞🏾🤞🏾🤞🏾

Beijos e boa sorte à todos!

Parabéns Lucia Santos!! Você recebeu um e-mail e têm 72 horas para respondê-lo e garantir seu prêmio.

Obrigada à todos pela participação e uma dica para quem participa de sorteios, confere se estão seguindo TODAS as regras, hein?! 

Enquanto isso, fiquem seguros, fiquem em casa! Continuamos em quarentena! 😉
Comentários
3
Compartilhe
 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações