20 de abr de 2018


[Resenha] O Ódio Que Você Semeia - Angie Thomas

Ficha Técnica 

Título: O Ódio Que Você Semeia
Título Original: The hate u give
Autor: Angie Thomas
ISBN: 978-85-0111-081-7
Páginas: 378
Ano: 2017
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Galera Record
Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Não faça movimentos bruscos. Deixe sempre as mãos à mostra. Só fale quando te perguntarem algo. Seja obediente. Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto. Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início. Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa. Angie Thomas, numa narrativa muito dinâmica, divertida, mas ainda assim, direta e firme, fala de racismo de uma forma nova para jovens leitores. Este é um livro que não se pode ignorar. 

Resenha

Há algum tempo eu tive uma conversa com um amigo e ele perguntou por que eu leio certos tipos de livros com temas que não são da minha vivência. Minha resposta foi que eu preciso ler pra entender as coisas que eu não vivo e que conhecer outras realidades é o primeiro passo pra ser mais empática com pessoas que enfrentam problemas diferentes dos meus. Por isso eu me empenho tanto em ler sobre personagens negros, LGBT, com deficiência ou que não possuem todos os privilégios que eu tenho. Por isso O ódio que você semeia me interessou tanto. E cada página deste livro é um tapa na cara.


A história da Starr é narrada no presente e em primeira pessoa. A gente passa o livro inteiro dentro da cabeça dele e sabe como ela se sente em relação a tudo o que acontece, o que é ainda mais devastador. Com o nome que Tupac Shakur teria dado a uma filha caso tivesse tido a oportunidade, a protagonista é uma adolescente negra que estuda numa escola particular apesar de morar num bairro periférico. Quando a gente encontra a Starr pela primeira vez, ela está numa festa com amigos quando acontece um tiroteio e ela vai embora com Khalil, seu amigo de infância. No meio do caminho pra casa, eles são abordados por um policial que, numa abordagem completamente equivocada, atira em Khalil, matando o rapaz na frente da amiga.

A cena é visceral. Apesar de a sinopse ter me avisado da morte de Khalil, eu passei várias páginas torcendo pra que nada daquilo acontecesse. Porque é o tipo de coisa que não deveria acontecer na vida de ninguém. Nenhum adolescente deveria ver um amigo ser morto de forma tão brutal e por um motivo tão estúpido. É um momento chocante e revoltante demais.

O leitor segue a Starr pelas semanas seguintes, enquanto ela é testemunha anônima no inquérito a respeito da morte de Khalil, tendo que manter sua identidade em segredo por medo de retaliação por parte de policiais. Além disso ela ainda precisa voltar para o colégio e lidar com colegas que não sabem o inferno pelo qual ela passou. Alguns desses colegas não percebem como estão sendo racistas e tornam a situação ainda pior.

O luto por Khalil envolve uma série de conflitos muito particulares neste livro. Será que o rapaz estava ligado a uma das gangues de traficantes do bairro? E, se ele estava, isso justifica sua morte? Starr deveria vir a público com os detalhes daquela noite? Por que a mídia se recusa a chamar a morte de Khalil de assassinato? O que fazer quando os moradores de um bairro tem tanto medo da polícia quanto dos bandidos locais?


O livro é muito eficaz em criar empatia com os conflitos da Starr, uma garota gentil, inteligente, que gosta de jogar basquete e é super cuidadosa com sua coleção de tênis, mas que precisa estar sempre atenta ao seu tom de voz pra não ser considerada “a garota negra irritada” e esconde da família que namora um garoto branco. Star precisa lidar com questões raciais que a maioria dos seus colegas nem imagina, e isso é parte do problema. Além da protagonista, meus personagens favoritos são a mãe da Starr, uma enfermeira gentil e desbocada que bota ordem na família e é a pessoa mais compreensiva que já existiu, e o Chris, o namorado amorzinho que descobre que as suas boas intenções (e suas maratonas de Um maluco no pedaço) não são o suficiente pra lidar com as complicações de viver numa sociedade racista. Ao longo da história, outros coadjuvantes também ganham espaço pra se desenvolver de forma significativa, como DeVante e o Tio Carlos.

O título vem de um vídeo do Tupac em que ele explica o que significa THUG LIFE: a sigla pra “The Hate U Give Little Infants Fucks Everybody” (“o ódio que você dá a criancinhas fode com todo o mundo”, em tradução livre), que o que a sociedade dá às crianças volta pra assombrar a todos depois. Se as crianças recebem ódio, desprezo e péssimas condições de se desenvolver, elas se tornam adultos ruins que vão causar dano à sociedade no futuro. Muito do livro é inspirado na trajetória do Tupac, inclusive a bandana que a Starr usa na capa é uma referência à bandana do Tupac.

Esse é um livro bem difícil de ler em muitos momentos. É sofrido e revoltante e muito relevante pro momento em que a gente vive, em que pessoas negras ainda são mortas de forma horrível e por motivos absurdos e continuam sem justiça. Não posso falar sobre como esse livro é importante pra pessoas negras, só como ele foi importante pra mim. E eu acredito que continua sendo necessário entender as histórias de outras pessoas pra que a gente não cometa as mesmas injustiças de novo. 

P.S.: O filme baseado no livro está em processo de pós-produção e ainda não tem data de lançamento.
Comentários
0
Compartilhe

19 de abr de 2018


[Resenha] Meu Amigo Dahmer - Derf Backderf

Ficha Técnica 

Título: Meu Amigo Dahmer
Título Original: My Friend Dahmer
Autor: Derf Backderf
ISBN: 978-85-945-4035-5
Páginas: 288
Ano: 2017
Tradutor: Érico Assis
Editora: Darkside Books

MEU AMIGO DAHMER traz o perfil do psicopata Jeff Dahmer quando este ainda era um aluno do ensino médio. O autor do livro foi seu colega de turma nos anos 1970, e conviveu com o futuro “canibal de Milwaukee” com uma intimidade que Dahmer talvez só viesse a compartilhar novamente com suas vítimas. Juntos, Derf e Dahmer estudaram para provas, mataram aula, jogaram basquete. Os dois tomaram rumos diferentes, e Derf só voltaria a saber do amigo pelo noticiário, anos depois. Em 1991, os crimes de Jeffrey Dahmer vieram à tona: necrofilia, canibalismo e uma lista de pelo menos 17 mortos, entre homens adultos e garotos. O primeiro assassinato teria acontecido meses após a formatura no colégio. Além de remexer nos seus velhos cadernos e álbuns de fotografia, Derf consultou seus amigos de adolescência, antigos professores, os arquivos do FBI e a cobertura da mídia após a descoberta de seus crimes antes de roteirizar MEU AMIGO DAHMER. 

Resenha

Sem amigos, Jeff Dahmer passa despercebido na escola em que frequenta, sendo somente mais um na multidão de alunos. Ao chegar em casa após suas aulas, Dahmer vai para uma abandonada cabana na floresta atrás de seu quintal, onde coloca em prática um estranho e peculiar hobby: decompor animais. Após recolher carcaças de gatos e pequenos roedores que encontra pelas beiras de estradas ou na própria floresta, Dahmer coloca esses bichos dentro de frascos mergulhados em ácido para observar a reação química.


Com uma rotina obscura e solitária, Dahmer vê uma grande mudança na sua vida. Ao mesmo tempo que presencia o casamento de seus pais ruir, o jovem começa a chamar a atenção de seus colegas de escola, de uma forma tão peculiar quanto suas mórbidas ações pós classe. Dahmer finge ter espasmos e falar com a língua presa aos berros, e por algum motivo, isso gera risadas dos alunos, um deles sendo John ‘Derf’ Backderf e seus amigos.

Derf é o autor de “Meu Amigo Dahmer”, logo, essa HQ da Darkside é baseada em fatos reais. Nela iremos acompanhar relatos de um psicopata, que desde sua fase escolar mostrava traços perigosos, através do olhar de um colega, talvez uma das poucas pessoas que teve de certo modo, algum tipo de relacionamento mais próximo com Dahmer, além da sua própria família... e provavelmente, de suas vítimas. Com uma lista em torno de 17 assassinatos, os crimes de Jeff foram descobertos em 1991, mais ou menos uns treze anos após sua fase no ensino médio. Aqui, em “Meu Amigo Dahmer”, Derf Backderf tenta mostrar através de seus traços e de uma intensa pesquisa pessoal e também jornalística, a vida de um monstro, que poderia ter sido o meu, ou o seu amigo de escola.

A história por si só é de prender o leitor. Interessante e rica, a narrativa escolhida por Backderf é excepcional ao conseguir retratar várias nuances de uma personagem tão complexa como Dahmer sem se perder. Logicamente, que o desenho é o ponto principal de uma graphic novel, e aqui ela é apresentada de uma forma bonita e bem expressiva, com muitas curvas e um misto de sombras e claridade, alternando entre quadros ricos em detalhes com outros mais abertos e simplistas.



A HQ é tão bem estruturada e montada visualmente, que a mesma lembra frames de filmes, um se conectando ao seguinte, e assim por diante. Não é atoa que além disto, e do fato de uma boa história por detrás, que “Meu Amigo Dahmer” foi adaptado cinematograficamente. O filme infelizmente não foi muito além dos festivais e de um lançamento limitado em Novembro do ano passado nos Estados Unidos, não chegando aos cinemas nacionais. Tendo recebido críticas até que positivas, a fiel adaptação tem no papel principal o ator e músico Ross Lynch e Alex Wolff, de “A Culpa é das Estrelas”, como Derf.



A edição para variar, está impecável. Além de ser impresso em um papel mais grosso e com a já famosa encadernação da Darkside, o livro conta com um vasto número de surpresas dentro de si. Fora a história de Dahmer, o leitor irá encontrar também um prefácio escrito pelo autor, onde ele explica rapidamente o processo de criação da HQ; as fontes, que serviram como pesquisa para Derf construir sua narrativa; e para fechar, um leque de material extra, contendo cenas deletadas, esboços e fotografias originais.

“Meu Amigo Dahmer” foi o primeiro quadrinho do selo Darkside® Graphic Novel, iniciado no segundo semestre do ano passado, e essa escolha não poderia ter sido diferente. Com uma história que lembra claramente a cerne da empresa em publicar obras voltadas ao terror, “Meu Amigo Dahmer” também consegue facilmente estar ao lado de grandes obras do já clássico selo Crime Scene, que contam histórias reais de assassinos reais. Com 7 exemplares já publicados neste novo selo, e com mais dois para sem lançados neste mês, a obra de Derf Backderf é uma ótima pedida para mergulhar nessa nova e empolgante empreitada da Darkside Books.

Amazon
Comentários
0
Compartilhe

18 de abr de 2018


[Playlist] 11 Noites Com Você

E aí galera, tudo bem??

Depois ter termos lido a resenha de 11 Noites Com Você da Aline Sant'Ana e ter visto as belas paisagens que embalaram a turnê da The M's e o romance entre Zane e Kizzie, que tal ouvirmos as músicas que fizeram fundo nesse romance? A Aline nos presenteou com um música no início de cada capítulo, o que nos ajudava a entender o momento da estória, mas como são muitas músicas coloquei apenas algumas aqui, mas se quiserem conferir toda a playlist é só clicar aqui, ok?

Então vamos escutar algumas delas?

Nickelback - Rockstar




Avenged Sevenfold - Seize The Day




Pia Mia - Red Love




Creed - With Arms Wide Open




OneRepublic - Counting Stars




The Civil Wars - Poison & Wine




Christina Perri - Jar of Hearts




 Aerosmith - Crazy




The Script - Six Degrees of Separation




Maroon 5 - Maps




U2 - One



Daughtry - Waiting for Superman




Sia - Alive




The Script ft. will.i.am - Hall of Fame




Kings Of Leon - Sex on Fire




Tiago Iorc - Amei Te Ver




 The Fray - Never Say Never




Robyn - Dancing On My Own




Chris Brown - Don't Judge Me




Seafret - Oceans




Within Temptation - All I Need




Andrew Belle - In My Veins




Lady Antebellum - Wanted You More




Quais dessas músicas vocês conhecem e gostam?!
Comentários
0
Compartilhe

17 de abr de 2018


[Resenha] Uma Proposta e Nada Mais - Mary Balogh

Ficha Técnica 

Título: Uma Proposta e Nada Mais
Título Original: The Proposal
Autor: Mary Balogh
ISBN: 978-85-8041-817-0
Páginas: 272
Ano: 2018
Tradutor: Livia de Almeida
Editora: Arqueiro
Primeiro livro da série Clube dos Sobreviventes, Uma Proposta e Nada Mais é uma história intensa e cativante sobre segundas chances e sobre a perseverança do amor. Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela. Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa. Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Resenha


Depois de adorar Os Bedwyns chegou a hora de iniciar a nova série da Mary Balogh, Clube dos Sobreviventes, que traz uma nova proposta de capas da Editora Arqueiro que eu achei lindíssima.

Em Uma Proposta e Nada Mais, o primeiro livro dessa série conhecemos Hugo Emes, lorde Trentham. Hugo é da classe média, mas seu pai sempre trabalhou muito e tornou-se um homem rico e foi graças a esse dinheiro que seu pai pode comprar-lhe uma patente no exército quando Hugo lhe informou que esse era o desejo de seu coração. Durante os anos de guerra Hugo trabalhou arduamente por suas promoções e, após sobreviver à uma missão suicida recebeu o título de lorde pelo rei. Entretanto, nunca o agradou ser lembrado por essa missão, que lhe cobrou um preço muito alto. Quando saiu do exército foi encaminhado para a casa de George Crabbe, o duque de Stanbrook, na Cornualha, um homem que vinha ajudando jovens a se recuperarem depois da guerra. Assim, surgiu o clube dos sobreviventes, formado por George, Hugo, Flavian Artnott - visconde Ponsonby, Ralph Stockwood - conde de Berwick, Vincent Hunt - lorde Darleigh, Imogen Hayes - lady Barclay e sir Benedict Harper.

Agora, depois de "recuperado", o grupo encontrava-se uma vez por ano em Penderris Hall para se fortalecer como grupo, apoiar uns aos outros. Como Hugo não compareceu à reunião do ano anterior devido o falecimento do pai, é uma grande festa o fato dele ter ido e as novidades que traz, a necessidade de casar-se para ajudar a irmã caçula a encontrar um marido e ter um filho para quem deixar seu legado, promessas feitas ao pai em seu leito de morte.

Entretanto, assim que chega em Penderris Hall acaba conhecendo Gwendoline Grayson, lady Muir, que estava passando um mês hospedada na casa de Vera Parkinson, uma conhecida de quando debutou e que acabou de perder o marido. Gwen, também viúva, vivia em Newbury Abbey, Dorsetshire, com a mãe, mas ao contrário de Vera, não se deixou abater mesmo tendo perdido um filho e o marido e um curto espaço de tempo e, mesmo depois de sete anos não havia sentido a necessidade de casar-se novamente.

No entanto, essa visita lhe despertou uma solidão que há muito não sentia. Após um breve desentendimento com sua anfitriã, saiu para uma caminhada na praia que terminou  em uma torção  severa no tornozelo, agravado pelo fato de ter sido na mesma perna que havia ficado mais curta após um acidente no passado.

Com a ajuda de Hugo, que ela não havia visto até então, foi levada à Penderris Hall e logo o duque lhe chamou o médico e a amiga. As recomendações era de não ser levada de volta para casa por pelo menos uma semana e assim, foi feita membro honorável do clube dos sobreviventes. Nesse período Gwen pode conhecer o carrancudo Hugo e tudo que ele não permitia que outras pessoas, com exceção dos seus amigos soubessem e Hugo viu que, mesmo Gwen sendo uma dama da sociedade, tinha também seus medos e segredos para carregar.
Quando alguém enfrentava um grande sofrimento, sempre restava alguma fragilidade, uma vulnerabilidade onde antes houvera integridade e força, até mesmo inocência.
P. 45
Embora de idade próximas - Hugo, 33 e Gwen, 32 - a experiência de vida dos dois eram bem diferentes. Hugo foi criado para assumir os negócios do pai, mas acabou indo indo para a guerra, onde enfrentou muitas dificuldades e situações que certamente endurecem a alma humana. Gwen sempre foi uma lady, debutou e casou rapidamente, mas seu casamento não foi tão feliz e próspero como todos pensam e após suas perdas não pensou novamente em ter um marido. Mesmo sendo de mundos diferentes, Hugo e Gwen sentem-se atraídos um pelo outro, mas a razão os impede de seguir em frente e tentar algo. Mas como Hugo ainda precisa de ajuda com sua irmã, Gwen se oferece para ser madrinha dela na sociedade.
Ele se irritava principalmente porque ela o perturbava. Não que desgostasse dela, como no dia anterior. Mas ela fazia parte de um mundo desconhecido. Era bela, elegante, bem-vestida, segura de si e encantadora. Tudo o que uma dama deveria ser. E ela o atraía, o que o incomodava. Sempre fora capaz de olhar para as damas - até apreciar sua beleza e encantos - sem desejá-los. Não se deve desejar espécies desconhecidas, por mais belas que sejam.
P. 80
Mary constrói um romance entre duas pessoas de classes diferentes e nos mostra que são muito sensatas em pensar no todo e não apenas no desejo que sentem no momento. Claro que como fã de romances que sou, ficava torcendo para que eles conseguissem encontrar as respostas para as "dificuldades" que previam que viriam pela frente. Gwen se adaptaria ao mundo de Hugo, sua família? E ele, se adaptaria à dela?

Além disso, não posso deixar de mencionar os demais personagens. Mary sempre constrói personagens que ganham vida ao longo das páginas. Alguns autores focam nos protagonistas e os demais são só figurantes, mas não aqui e não falo apenas dos outros integrantes do clube dos sobreviventes. A família de Hugo, a família de Gwen são personagens com nome, sobrenome, uma história e um motivo para estar ali e tudo isso deixa a história ainda melhor.

E, para dar aquela pitada de saudosismo, nosso querido duque de Bewcastle apareceu rapidamente aqui, sendo maravilhoso como sempre.

Agora é esperar pelos próximos livros e conhecer mais o Clube dos Sobreviventes.

Amazon | Submarino | Americanas
Comentários
0
Compartilhe

16 de abr de 2018


[Cinema] Uma Dobra no Tempo


Adaptar um clássico da literatura infanto-juvenil para o cinema é sempre um desafio enorme e Ava DuVernay tinha um maior que o normal nas mãos: dirigir uma versão Disney de alto orçamento de um dos livros mais queridos pelos jovens americanos (em uma pesquisa online, ele só perde pra A teia de Charlotte). E o resultado, apesar de alguns tropeços, é um filme de aventura familiar que tem boas lições de aceitação e empoderamento.


As duas obras contam a história da Meg (Storm Reid), uma adolescente que está enfrentando tempos difíceis na escola porque tem um temperamento explosivo, não gosta da própria aparência e tem que lidar um grande drama familiar. Apesar da mãe dela (Gugu Mbatha-Raw) ser uma cientista brilhante e gentil e tentar manter a família unida, Meg e o irmão, o prodígio de cinco anos Charles Wallace (Deric McCabe), sofrem com a ausência do pai (Chris Pine), também cientista, que desapareceu enquanto estudava uma forma de viajar pelo espaço através da dobra.

Quando Meg fica amiga do colega de escola Calvin (Levi Miller) e as Senhoras aparecem, eles partem em uma missão pelo espaço para salvar o pai das crianças, que eles descobrem que está aprisionado por uma escuridão terrível que está se alastrando pelo universo. A Senhora Queé (Reese Witherspoon) é a primeira a aparecer e é o avatar da disposição. É ela que incentiva as crianças a salvarem o Sr. Murray, apesar de não confiar muito nas habilidades da Meg. Logo a gente também conhece a Senhora Qual (Mindy Kaling), que só fala citando outras pessoas, e a Senhora Quem (Oprah Winfrey), a mais sábia das três. Elas servem como guia nessa jornada, mostrando o caminho às crianças até onde podem.


A história tem um quê de ficção científica, com conversas sobre física quântica, frequências e viagem no espaço, mas seu foco mesmo é a aventura e a mensagem sobre amor e aceitação. Na cena em que a Senhora Quem aparece pela primeira vez, ela está muito maior que os outros personagens e a Senhora Queé diz que ela está do tamanho errado. Ela responde “E existe isso de tamanho errado?”. A Senhora Queé também concede um presente estranho à protagonista em certo ponto: “Eu lhe concedo as suas falhas”, ela diz. Tudo isso serve de ensinamento à Meg e ressoa na espectadora, principalmente se ela for mais jovem. Porque às vezes a gente precisa de umas lições e precisa ouvir elas da Oprah, porque, se a Oprah falou, é porque é verdade.

 O visual do filme é magnífico, desde as paisagens deslumbrantes até os figurinos da Senhora Qual, que são os mais bonitos. A trilha sonora é que poderia ser um pouco mais sutil em alguns momentos e foi meio decepcionante não ouvir Sweet dreams tocar durante o filme, sendo que a música foi tema do trailer. Todos os atores estão bons em seus papéis, apesar de alguns não terem momentos mais brilhantes porque o roteiro não dá espaço pra isso.


Alguns temas do livro tiveram que ser removidos do filme, porque não fazem sentido pra nossa época ou não se encaixavam na narrativa, como as referências à ameaça comunista e à religiosidade da autora. Essas mudanças não atrapalham o desenvolvimento da trama, que poderia ter se beneficiado de um distanciamento um pouco maior do material original. Algumas das decisões artísticas mais acertadas do longa foram fruto desse distanciamento, como tornar a família da protagonista birracial (o que traz uma nova leitura sobre o fato de ela não gostar do próprio cabelo, como no livro) e a verdadeira identidade da escuridão.

Tem efeitos bonitos, tem aventura, tem a Oprah dizendo pra gente se amar, tem tudo que eu teria gostado de ver quando tinha uns doze anos. Esse é um filme pra apreciar como se você fosse mais jovem.

Numa escala de um a cinco memes da Oprah, o quanto eu gostei do filme:
Comentários
1
Compartilhe

15 de abr de 2018


[Resenha] A Forma da Água - Guillermo Del Toro & Daniel Kraus

Ficha Técnica 

Título: A Forma da Água
Título Original: The Shape of Water
Autor: Guillermo Del Toro & Daniel Kraus
ISBN: 978-85-510-0277-3
Páginas: 351
Ano: 2018
Tradutor: Edmundo Barreiros
Editora: Intrínseca
Richard Strickland é um oficial do governo dos Estados Unidos enviado à Amazônia para capturar um ser mítico e misterioso cujos poderes inimagináveis seriam utilizados para aumentar a potência militar do país, em plena Guerra Fria. Dezessete meses depois, o homem enfim retorna à pátria, levando consigo o deus Brânquia, o deus de guelras, um homem-peixe que representa para Strickland a selvageria, a insipidez, o calor — o homem que ele próprio se tornou, e quem detesta ser. Para Elisa Esposito, uma das faxineiras do centro de pesquisas para o qual o deus Brânquia é levado, a criatura representa a esperança, a salvação para sua vida sem graça cercada de silêncio e invisibilidade. Richard e Elisa travam uma batalha tácita e perigosa. Enquanto para um o homem-peixe é só objeto a ser dissecado, subjugado e exterminado, para a outra ele é um amigo, um companheiro que a escuta quando ninguém mais o faz, alguém cuja existência deve ser preservada. Mistura bem dosada de conto de fadas, terror e suspense, A Forma da água traz o estilo inconfundível e marcante de Guillermo del Toro, numa narrativa que se expande nas brilhantes ilustrações de James Jean e no filme homônimo, vencedor do Leão de Ouro em 2017. Uma história cinematográfica e atemporal sobre um homem e seus traumas, uma mulher e sua solidão, e o deus que muda para sempre essas duas vidas.

Resenha

Ganhador do principal prêmio da última cerimônia do Oscar, “A Forma da Água” é uma fábula fantástica que narra a jornada de Elisa Esposito, uma funcionária de limpeza de um centro de pesquisa norte-americano. Talvez, a principal característica de Elisa é o fato dela ser muda, apesar disto não defini-la por completo. Trabalhadora e solitária, Esposito ganha vida ao descobrir que na Occam, o seu local de trabalho, existe uma criatura marinha trazida por soldados após uma expedição na América do Sul.

Tal criatura é chamada de deus Brânquia, e tem uma semelhança muito grande com um peixe, já que possui escamas, membranas e guelras. Mas, ele também demonstra ter características humanóides, como o fato de ser bípede e conseguir se comunicar mesmo sem a necessidade da fala, assim como Elisa. O interesse de Esposito pelo deus Brânquia é instantâneo, pois ela consegue ver nele tudo que vê em si mesma. Logo, ela decide que precisa ajudá-lo a escapar do centro de pesquisas, antes que a criatura seja morta, mesmo que isso coloque o seu emprego – e também a sua vida – em risco.
[...] Com esse disfarce, ele seduz as mulheres mais belas da aldeia e as leva para sua casa no fundo do rio. Quase não se vê mulheres perto do rio à noite, de tanto medo que elas têm de um rapto encantado. Mas, para mim, é uma história de esperança. Um paraíso submarino não é preferível a uma vida de pobreza. Incesto e violência?
P. 20/21
“A Forma da Água” é mais uma história criada pelo agora oscarizado diretor Guillermo Del Toro, o mesmo responsável pelo aclamado “O Labirinto do Fauno” (2006) e das adaptações cinematográficas dos quadrinhos de “Hellboy” (2004). Diferentemente do que possa parecer, “A Forma da Água” não foi um filme adaptado de um livro, tendo aqui o inverso acontecido. Surgindo primeiramente como um produto audiovisual, a obra foi transformada depois em livro pelas mãos de Daniel Kraus em parceria com o próprio criador e roteirista do filme, o Del Toro.

Gostei bastante do longa-metragem de “A Forma da Água”, e apesar dele não ter sido meu filme favorito da temporada de premiações, sua qualidade é evidente, principalmente se tratando do visual estético e fotográfico. Referindo-se a história, lembro que tive um problema no romance entre Elisa e sua criatura marinha, já que tudo parecia muito corrido, não dando tempo de torcer por aquele casal. No livro, tal relacionamento é a melhor coisa da narrativa – além obviamente das representatividades que carrega –, porém, assim como na telona, não é muito bem desenvolvido.

Sendo bem sincero, não consigo entender a necessidade de transformar um bom roteiro em um romance literário, e aqui não funcionou muito bem. Antes tivessem pego o tal roteiro e publicado da forma que foi originalmente concebido. A obra escrita por Kraus e Del Toro é massante, arrastada e extremamente confusa, pois opta em ser fiel ao filme, esquecendo que a ferramenta para contar a história é totalmente diferente.



Ao invés de acompanharmos somente um ou dois personagens principais, os autores optaram por narrar o desenrolar de personagem por personagem, inclusive aqueles que não dão peso nenhum a obra. Ficamos alternando entre Elisa, sua melhor amiga de trabalho Zelda, seu vizinho Giles, o agente Strickland, entre outras personagens, em uma confusão capaz de deixar qualquer leitor louco, pois você não sabe de cara qual momento e personagem da história está acompanhando naquele capítulo.

Falando em capítulos, eles são em sua maioria bem curtinhos, geralmente entre duas ou três páginas. O livro é dividido em partes, e esses capítulos vão dentro delas. A primeira parte é muito interessante, pois é a que de fato difere do filme, contando como o deus Brânquia foi capturado (por curiosidade, tal nome da criatura nem no filme é citado). Os capítulos finais de cada grupo, em sua maioria, são o que dão certo fôlego a leitura, porém é só uma nova parte se iniciar, que o marasmo retorna.
[...] Ali era um lugar onde a fantasia superava a vida real, onde era escuro demais para ver cicatrizes o silêncio não era apenas aceito, mas imposto por funcionários armados com lanternas. Por duas horas e oito minutos, ela se sentiu completa.
P. 70/71
Na minha opinião, “A Forma da Água” como obra literária é recheada de altos e baixos, possuindo uma narrativa inconstante e quebrada, não ajudando o leitor a se conectar e compreender o que está lendo. É importante dizer também que é uma leitura com pouquíssimos diálogos, logo tornando o livro bem descritivo, e muitas vezes exagerado. Não odiei a experiência, mas gostaria que ela tivesse sido tão bela aos meus olhos quanto o filme foi, ou até mesmo quanto a capa da adaptação, que é um grande acerto. Sei que é raro ouvir isso, mas neste caso, prefiro o filme.

Amazon
Comentários
2
Compartilhe

14 de abr de 2018


[Novidades Literárias] Abril


Olá galerinha, tudo bem?

Vamos começar a semana com lançamentos? Sempre é bom saber alguns dos livros novos que as editoras estão lançando para nos fazer felizes com as leituras. Então vamos lá ;) Não esqueçam, para adicioná-los na sua lista do Skoob, basta clicar na capa do livro aqui no post.

Faro Editorial

Título: A Casa dos Pesadelos
Autor: Marcos DeBrito
Dez anos depois de estar cara a cara com aquela assombração, Tiago finalmente concorda em voltar à mesma casa para visitar sua avó. Agora adolescente, ele pretende provar para si mesmo, que a terrível imagem que o aterrorizara nas madrugadas por tanto tempo, não passava de uma criação tenebrosa da infância. Mas, ao chegar no casarão, o jovem se depara com o misterioso quarto de seu falecido avô, agora mantido fechado, e tratado como espaço proibido. As restrições com relação ao aposento, as sensações e barulhos no meio da noite logo alimentam nele a suspeita de que algo terrível habita o local. Tomado por uma estranha coragem e desejo de ver-se finalmente livre do medo, tudo que o rapaz deseja é descobrir o que há por trás daquela porta. Então, o pesadelo toma novo impulso quando a figura sombria da infância mostra-se real novamente... mas, desta vez, ela quer atacar o seu irmão mais novo. Determinado a impedir que o caçula passe por terror semelhante, Tiago, mesmo apavorado, decide enfrentar a criatura. E o que descobre expõe terríveis segredos do passado que ninguém poderia imaginar.

Charme

Título: Sem Amor
Autor: Katy Regnery
Meu nome é Cassidy Porter... Meu pai, Paul Isaac Porter, foi condenado quase vinte anos atrás pelo brutal assassinato de doze garotas inocentes. Embora eu tivesse apenas oito anos naquela época, tenho noção — a cada dia da minha vida — de que sou seu filho, seu único filho. Para proteger o mundo do veneno que corre em minhas veias, vivo uma vida tranquila, fora de vista, isolado da humanidade. Prometi a mim mesmo, e à minha mãe, que não infectaria vidas inocentes com a escuridão que se revira dentro de mim, esperando para ser revelada. Eu teria mantido a promessa... se Brynn Cadogan não tivesse surgido na minha vida. Agora, eu vivo entre o céu e o inferno: apaixonado por uma mulher que quer me amar, enquanto tudo ao meu redor me faz lembrar de que preciso permanecer... Sem amor.
Título: Tudo acontece no momento certo
Autor: Audrey Harte
Em “Procurando o amor nos lugares errados”, Annie tentou arrumar um namorado pela internet, mas não conseguiu nada além de um coração partido. Enquanto se perguntava o que deu errado mais uma vez, ela conheceu um dançarino de hip hop atraente, engraçado e sincero. Mas​,​ assim que Casey a chamou para sair, ele teve que deixar a cidade para fazer um​a​ tur​nê com uma promissora pop star. Annie estava disposta a esperá-lo, mas então recebeu uma mensagem de Nate. Mesmo ​ainda atraída​ por Nate​,​ Annie não esquece que​ ele transou com ela e depois a abandonou num bar sem dizer​ nada. Annie aceitará a explicação de Nate e lhe dará uma segunda chance? Ou o charme e a determinação de Casey para lhe mostrar como um homem de verdade deve tratar uma mulher a conquistar​ão? Pode ser também que os dois homens fiquem a ver navios quando alguém d​o seu passado reaparecer. Junte-se​ à​ Annie em suas aventuras em “Tudo acontece no momento certo”, enquanto ela toma algumas das maiores decisões de sua vida.

Intrínseca

Título: No tempo dos feiticeiros
Autor: Cressida Cowell
Divertida aventura que se passa num mundo mítico de vikings e dragões, a série infantil Como treinar o seu dragão se tornou um sucesso no mundo inteiro. São 12 livros, além de 2 volumes extras, que somam 780 mil exemplares vendidos no Brasil e 8 milhões no mundo, além de ter inspirado adaptações para a TV, numa série de animação exibida pelo Cartoon Network, e para o cinema, produzida pela DreamWorks. Agora, a escritora e ilustradora Cressida Cowell deixa os vikings de lado para uma nova trilogia, sobre os antigos tempos em que havia feiticeiros, bruxas, guerreiros... e Magia. No Tempo dos Feiticeiros mostra a guerra entre duas tribos: os feiticeiros, que eram mágicos, e os guerreiros, que não eram. Esta é a história de Xar, um menino feiticeiro cujos poderes ainda não despertaram, e de Desejo, uma menina guerreira cujo maior sonho é ser reconhecida pela mãe. Xar e Desejo foram ensinados a odiar um ao outro, mas terão que superar as diferenças e enfrentar um mal que pode destruir seus lares.
Título: Comer para não morrer
Autor: Michael Greger e Gene Stone
Um guia do poder dos alimentos que vai garantir saúde e bem-estar ao lado de sua família e amigos por muitos e muitos anos. Infecções, diabetes, depressão, cardiopatias. Seja qual for a doença, a rotina é a mesma: após exames e consultas, a maioria dos médicos se restringe a receitar um remédio ao paciente. Tratamentos alternativos não são mencionados, e medicina preventiva parece uma realidade distante. O resultado é que milhares de vidas são perdidas prematuramente em virtude de doenças que poderiam ter sido evitadas ou revertidas. Mas não precisa ser assim. Escrito pelo médico Michael Greger, Comer para não morrer trata de um estilo de alimentação capaz de prevenir, controlar e até reverter muitas das principais causas de morte da atualidade: a dieta à base de vegetais — ou plant-based diet, como é conhecida pelos especialistas. Com uma linguagem clara e ferramentas práticas que nos indicam o que comer, quando e em que quantidade, o livro se fundamenta em estudos acadêmicos para desmistificar a ciência por trás dessa forma de nutrição revolucionária e mostra que adotá-la está longe de ser um bicho de sete cabeças.
Título: Estúpida, eu?
Autor: Camila Coutinho
Camila Coutinho é um fenômeno. Criadora de um dos blogs de moda mais influentes do mundo, o Garotas Estúpidas, hoje ela tem milhões de seguidores nas redes sociais, parcerias com grandes marcas globais, uma gama de produtos licenciados, é capa de revistas e presença garantida na primeira fila das mais importantes semanas de moda. Designer de moda por formação e empreendedora por destino, Camila teve a ideia de criar o blog durante uma madrugada insone para trocar informações com as amigas numa época em que o conteúdo criativo na internet ainda engatinhava. Dez anos depois, ela compartilha em Estúpida, eu? o que fez para transformar - com muita inteligência e jogo de cintura - o que era apenas um hobby em um grande negócio, além de compartilhar suas ideias sobre o que podemos esperar do futuro da moda em um mundo cada vez mais conectado.
Título: Nix
Autor: Nathan Hill
Em seu elogiado romance de estreia, Nathan Hill conta o drama tragicômico de Samuel Anderson, um escritor fracassado obrigado a lidar com antigas feridas, reabertas pelo inesperado ressurgimento da mãe, Faye, que abandonou a família quando ele era criança. Faye é acusada de um crime absurdo registrado em um vídeo que viraliza na internet. A surpresa de Samuel é ainda maior ao perceber que, ao contrário da imagem de boa moça que se casou cedo com o namoradinho da escola, a mídia passa a retratá-la como uma hippie radical de passado sórdido. Engraçado e inteligente, Nix apresenta uma trama ao mesmo tempo contemporânea e atemporal, ao abordar, através de gerações, as dores cíclicas de uma família que mal se conhece.
Título: Todas as coisas belas
Autor: Matthew Quick
Você é livre para ser quem quiser — mesmo que isso tenha um preço. Depois de O Lado Bom da Vida, Matthew Quick cria romance para todos que desejam se encontrar Consagrado no Brasil com o best-seller O Lado Bom da Vida, Matthew Quick traz ao público jovem uma ode à liberdade, abordando as complexas questões de identidade que marcam a transição para a idade adulta. Aos 18 anos, Nanette O’Hare é a típica boa garota. No fundo, porém, ela nunca se sentiu realmente parte do grupo, sufocando em um permanente desconforto com diversas atitudes das amigas e com os padrões sociais. Mas tudo muda quando, no último ano do colégio, ela ganha um livro de seu professor preferido, o clássico cult O ceifador de chicletes, e fica fascinada com a mensagem de que ela pode ser de fato quem é. Nanette se torna amiga do recluso autor e se apaixona por Alex, um jovem poeta que também é fã do livro. Encantada com esse novo mundo que se abre, ela se permite, pela primeira vez, tomar as próprias decisões. No entanto, aos poucos Nanette percebe que a liberdade pode ser um desejo arriscado e começa a se perguntar se a rebeldia não cobra um preço alto demais.
Título: Deuses americanos: Sombras
Autor: Neil Gaiman
O grande clássico de Neil Gaiman agora em quadrinhos. Mistura de road trip, fantasia e mistério, o romance Deuses Americanos alçou Neil Gaiman à fama mundial e ao posto de um dos maiores escritores de sua geração. Agora, os fãs de quadrinhos e da obra-prima do autor têm mais um motivo para celebrar: chega às livrarias o primeiro volume das graphic novels inspiradas em Deuses americanos. Ao todo, serão três volumes. Em Sombras, as cores e os traços vibrantes de P. Craig Russell e Scott Hampton nos apresentam Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de sair da prisão e descobre que sua mulher morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele aceita trabalhar para o enigmático Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses - os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) -, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.
Título: O Senhor do Caos
Autor: Robert Jordan
Aguardado sexto volume da aclamada série de fantasia A Roda do Tempo. Recuperando-se em meio às Sábias, Egwene deseja prosseguir por conta própria em seus estudos sobre o Mundo dos Sonhos, mas ainda precisa aprender uma dura lição sobre o código de honra Aiel. Em Salidar, a lealdade de Elayne e Nynaeve às dissidentes da Torre Branca as coloca em uma posição difícil: elas devem tentar proteger as Aes Sedai de si mesmas. Mat e Perrin, por sua vez, precisam arriscar a própria vida para seguir Rand. Enquanto isso, o Dragão se divide entre governar Cairhien e Caemlyn, sem jamais encontrar refúgio das decisões difíceis e da voz de Lews Therin, que ameaça fazê-lo sucumbir à loucura. Em O senhor do caos, as intrincadas tramas continuam a se desenrolar, e Robert Jordan demonstra maestria em resolver os conflitos dos volumes anteriores, criando, ao mesmo tempo, novos suspenses. A ordem e as antigas instituições desmoronam para abrir caminho para o senhor do caos no novo volume de A Roda do Tempo, uma das mais extraordinárias séries já escritas. Os direitos de adaptação da saga para a TV foram adquiridos pela Sony Pictures Television. A série terá como produtor e roteirista Rafe Judkins, que já trabalhou como roteirista de Agentes da S.H.I.E.L.D. Lançados originalmente entre 1990 e 2013, os 14 volumes da série A Roda do Tempo compõem um elaborado universo fantástico, só comparável ao da obra de J. R. R. Tolkien, e já venderam mais de 80 milhões de exemplares em todo o mundo.

Universo dos Livros

Título: Star Wars: Os últimos Jedi
Autor: Jason Fry
Após encontrar o mítico e recluso Luke Skywalker em uma ilha isolada, a jovem Rey busca entender o equilíbrio da Força a partir dos ensinamentos do mestre Jedi. Paralelamente, a Primeira Ordem de Kylo Ren se reorganiza para enfrentar a Resistência Rebelde.








Título: Se não houver amanhã
Autor: Jennifer L. Armentrout

Lena Wise está sempre ansiosa pelo dia seguinte, especialmente porque está começando o último ano da escola. Ela está decidida a passar o máximo de tempo possível com os amigos, completar as inscrições da faculdade e talvez informar seu melhor amigo de infância, Sebastian, sobre o que realmente sente por ele. Para Lena, o próximo ano vai ser épico — um ano de oportunidades e conveniências. Até que uma escolha, um instante… destrói tudo. Agora Lena não está ansiosa pelo dia seguinte. Não quando o tempo que dedica aos amigos pode nunca mais ser o mesmo. Não quando as inscrições para a faculdade podem ser qualquer coisa, menos viáveis. Não quando há o risco de Sebastian jamais perdoá-la pelo que aconteceu. Pelo que ela permitiu que acontecesse. À medida que sua culpa aumenta, Lena está ciente de que sua única esperança é superar o ocorrido. Mas como é possível seguir em frente quando a existência inteira, tanto dela quanto a de seus amigos, foi transformada? Como seguir em frente quando o amanhã sequer é garantido?
Título: Fueled
Autor: K. Bromberg


Colton roubou meu coração. Não era para ele ter feito isso, e tenho certeza absoluta de que não queria que acontecesse, mas ele colidiu com a minha vida, incendiou sentimentos que pensei estarem mortos para sempre dentro de mim e alimentou uma paixão que eu nunca soube que poderia existir. Como é que exatamente aquilo que nenhum de nós previu — nem desejava — tornou-se exatamente o motivo que nos faz lutar com tanto afinco? Ele rouba meu fôlego, para meu coração e me traz de volta à vida, tudo em uma fração de segundo. Mas como posso amar um homem que não me deixa entrar? Que fica tentando me afastar para impedir que eu veja os segredos traumáticos de seu passado? Meu coração sofre, mas a paciência e o perdão têm limites. Rylee despencou daquele maldito armário e entrou na minha vida. Agora acho que eu nunca mais vou ser a mesma pessoa. Ela teve vislumbres da escuridão que existe dentro de mim e, mesmo assim, continua aqui. Continua lutando por mim. Sem dúvida ela é a santa, e eu, certamente, sou o pecador. Como posso desejar uma mulher que me enerva e me obriga a ver que, no profundo abismo negro da minha alma, há alguém digno do amor dela? Uma situação em que eu jurei nunca mais estar, uma pessoa que jurei nunca mais ser. Seu coração altruísta merece muito mais do que algum dia vou ser capaz de dar a ela. Sei que não posso ser o que ela precisa, então, por que não posso simplesmente me separar?

Título: Restaura-me
Autor: Tahereh Mafi

A história de Juliette e Warner continua no eletrizante novo volume da série Estilhaça-me, de Tahereh Mafi, autora best-seller do The New York Times. Juliette Ferrars acreditava ter vencido. Assumiu o controle do Setor 45, foi nomeada nova Comandante Suprema da América do Norte e agora conta com Warner ao seu lado. No entanto, quando a tragédia se instala, Juliette precisa confrontar a escuridão que existe tanto à sua volta quanto em seu interior.



Rocco

Título: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Autor: J.K. Rowling

Depois de Harry Potter e a Pedra Filosofal e Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o terceiro volume da série do bruxo mais adorado do mundo, ganha edição ilustrada pela Rocco. Com projeto gráfico sofisticado – capa dura, sobrecapa e miolo em papel cuchê – o livro traz o texto integral de J.K. Rowling acompanhado dos incríveis desenhos do premiado ilustrador britânico Jim Kay, escolhido para recriar em imagens os sete livros da série. Novamente, Kay apresenta um mundo encantado e repleto de detalhes a cada página, agora para acompanhar o terceiro ano de Harry Potter na Escola de Magia de Hogwarts.
Título: Uma Certa Crueldade
Autor: Sophie Hannah

Cinco palavras-chave percorrem o novo romance da britânica Sophie Hannah ligando as diversas camadas e tramas paralelas da história, que traz de volta o casal de detetives Simon e Charlie, de A vítima perfeita e A outra casa. Dona de uma obra respeitada e de um estilo sofisticado, a autora apresenta um suspense policial que não se resume a buscar a solução do crime. Tão importante quanto solucioná-lo é investigar as características psicológicas e emocionais de seus personagens. No caso de Uma certa crueldade, a premissa é levada, de fato, para o divã. É no consultório de uma hipnoterapeuta que as histórias de Amber Hewerdine e da policial Charlie se cruzam. A primeira perdeu sua melhor amiga num incêndio e, desde então, sofre de insônia e ansiedade; já Charlie deseja parar de fumar. Num esbarrão na sala de espera, Amber lê, por acaso, no caderno da investigadora: “Gentil, Cruel, Meio que Cruel”. Pouco depois, sob hipnose, se ouve repetindo essas mesmas palavras aparentemente sem sentido, mas cruciais para a polícia na investigação de dois incêndios criminosos.
Título: Muito Além de Marte e Vênus
Autor: John Gray, Ph.D.

Autor de Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus, o livro sobre relacionamentos mais vendido de todos os tempos, o norte-americano John Gray está de volta com mais uma análise certeira e atual sobre o amor. Em Muito além de Marte e Vênus, Gray oferece ferramentas para que homens e mulheres possam fortalecer vínculos numa época de revisão radical dos papéis masculinos e femininos. Afinal, foi-se o tempo em que as relações eram pautadas pelos rígidos papéis sociais e de gênero. Atualmente, defende o autor, os casais buscam relacionamentos baseados na ideia de “alma gêmea”, o que exige uma compreensão ainda mais profunda das necessidades do parceiro. Com mais de 50 milhões de livros vendidos, traduzidos em 45 idiomas ao redor de 150 países, John Gray, que estreia agora no selo Bicicleta Amarela, mostra por que continua sendo referência no segmento de aconselhamento conjugal, amor e relacionamentos.
Título: Um Ano Solitário
Autor: Alice Oseman

Cativante e genuíno, o romance acompanha a transformação de Tori Spring de uma adolescente apática em alguém que precisa deixar sua zona de conforto para trás. Tirando o blog onde escreve sobre seu pessimismo crônico e o irmão Charlie, que se recupera de um problema que o levou a tentar o suicídio, Tori se mantém indiferente ao resto do universo – incluindo o colégio, sua melhor amiga, garotos, filmes, livros, seus pais. E permanece alheia quando Michael Holden, novo na escola, tenta convencê-la a investigar um misterioso site chamado Solitaire, que tem causado algumas confusões no colégio. Tori mal percebe o esforço de Michael e de um outro amigo para se aproximarem dela. Mas quando as brincadeiras e jogos promovidos pelo grupo virtual começam a ficar estranhamente perigosas, a garota precisa dar um passo que pode mudar sua vida – e a maneira como vê o mundo e se relaciona com as pessoas – para sempre.
Título: Warcross
Autor: Marie Lu
Autora das bem-sucedidas trilogias Legend e Jovens de Elite e nome forte da literatura jovem internacional, Marie Lu mergulha no mundo da tecnologia em Warcross. Neste eletrizante thriller de ficção científica, Emika Chen é uma hacker de 18 anos com uma vida financeira difícil. Num golpe de sorte do destino, ela se torna milionária ao ser contratada pelo criador do Warcross, um jogo de realidade virtual que virou febre em todo o mundo, para evitar um ataque em massa que estaria sendo planejado contra a plataforma – e seus milhões de usuários – durante a cerimônia de encerramento de um grande campeonato. Mas a garota logo conhece o lado sombrio do sucesso, à medida que a final se aproxima e pistas ameaçadoras começam a surgir. De onde partirá o ataque ao maior fenômeno da tecnologia mundial? Imersa no universo do Warcross, Emika descobre que escolher em quem confiar pode ser o jogo mais arriscado de todos.

Arqueiro

Título: Nada Escapa a Lady Whistledown
Autor: Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan
Em Nada Escapa a Lady Whistledown, a cronista eternizada por Julia Quinn continua a revelar os acontecimentos mais apimentados da temporada londrina. Suas colunas são o fio condutor das quatro histórias que formam esta encantadora e divertida coletânea. Há tanto a ser dito sobre o baile oferecido por lady Trowbridge, em Hampstead, que esta autora não teria como contar tudo em só uma coluna... Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1813. Julia Quinn encanta... A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente... apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis. Suzanne Enoch fascina... Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas. Karen Hawkins seduz... Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro. Mia Ryan delicia... Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.
Título: A Luz Que Perdemos
Autor: Jill Santopolo
Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo. Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York. Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro. Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados? A luz que perdemos é um romance impactante sobre o poder do primeiro amor. Uma ode comovente aos sacrifícios que fazemos em nome dos ­nossos sonhos e uma reflexão sobre os extremos que perseguimos em nome do amor.
Título: O Segredo de Helena
Autor: Lucinda Riley
Quanta verdade o amor é capaz de suportar? Helena nunca esqueceu o verão que passou na mágica Pandora, a casa de seu padrinho no Chipre, onde, cercada por oliveiras e pelo verde-esmeralda do Mediterrâneo, ela se apaixonou pela primeira vez, aos 15 anos. Mais de duas décadas depois, tendo herdado a antiga propriedade, ela retorna a Pandora para mais um verão, dessa vez em companhia do marido e dos filhos. No entanto, Helena sabe que voltar àquele lugar pode trazer à tona segredos que ela preferia esconder. Um desses segredos envolve Alex, seu filho mais velho, fruto de uma relação anterior a seu casamento. Com uma inteligência acima da média, ele vive a difícil transição para a vida adulta e está determinado a descobrir a identidade de seu verdadeiro pai. Enquanto o verão avança e pessoas do passado de Helena reaparecem, Pandora parece pronta a revelar os mistérios que ocultou por tantos anos e que, uma vez descobertos, farão com que a vida de Helena, e de sua família, nunca mais seja a mesma.
Título: Volta Para Casa
Autor: Harlan Coben
Dez anos atrás, dois meninos de 6 anos foram sequestrados enquanto brincavam na casa de um deles, uma mansão em um bairro elegante de Nova Jersey. Mas, após o pedido de resgate, as famílias nunca mais tiveram notícias dos sequestradores nem de seus filhos. Agora, Myron Bolitar e seu amigo Win acreditam ter localizado um deles, o adolescente Patrick, e farão de tudo para resgatá-lo e obter as respostas pelas quais todos anseiam: O que aconteceu no dia em que foram raptados? Onde ele esteve durante todo esse tempo? E, o mais importante, onde está Rhys, seu amigo ainda desaparecido? Após cinco anos sem escrever nenhum livro da série Myron Bolitar, Harlan Coben brinda os leitores com Volta Para Casa, um suspense explosivo, como só o seu talento pode criar. Um thriller profundamente comovente sobre amizade, família e o verdadeiro significado de lar.
Título: Os Portais da Casa dos Mortos
Autor: Steven Erikson
á se passaram dez anos desde que Laseen tomou o trono com um ardil traiçoeiro, mas, à medida que o Ano de Dryjhna se aproxima, o Império Malazano se vê à beira da anarquia, enfraquecido pelos acontecimentos na cidade de Darujhistan. Muitas das regiões controladas pelo punho de ferro da imperatriz ameaçam acender a fagulha da revolução. No meio do vasto domínio das Sete Cidades fica o Deserto Sagrado Raraku, onde estão os resquícios de incontáveis civilizações extintas há muito tempo. Nesse lugar repleto de segredos e magia, a Vidente Sha’ik e os seguidores do Apocalipse preparam um levante contra o poderoso império, conforme previsto nas antigas profecias. Enquanto as forças convergem contra Laseen, ela reúne um exército de assassinos, feiticeiros e espiões para combater a rebelião e ampliar seu império cruel. Em meio a uma fúria e um poder jamais vistos, o mundo está prestes a mergulhar em uma guerra sangrenta, capaz de mudar os destinos de homens e civilizações, criando lendas que atravessarão os séculos.

Sextante

Título: Direto de Washington
Autor: Washington Olivetto
Washington Olivetto é um dos maiores publicitários brasileiros, criador de algumas das mais marcantes, emocionantes e divertidas campanhas da propaganda nacional. Neste livro ele conta algumas histórias que ajudam a compreender como o grande publicitário criou o seu melhor personagem: ele próprio. Washington Olivetto é o publicitário que não quis ser apenas um grande publicitário. Resolveu ser um homem de negócios que se transformou num pop star. Ganhou o primeiro Leão de Ouro do Brasil em Cannes, conquistou todos os prêmios da publicidade mundial, entrou para o Guinness Book of Records, inspirou personagem de novela, virou letra de músicas de sucesso, nome de pratos em restaurantes famosos, selo do correio do seu país, vice-presidente do seu time de futebol, cidadão carioca sendo paulista, commendatore italiano sendo brasileiro. Washington Olivetto está no Lifetime Achievement do Clio e foi o primeiro não anglo-saxão a entrar para o Hall of Fame do One Club de Nova York.
Título: O Prisioneiro
Autor: Anand Dílvar
Com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos no mundo, este livro é uma história comovente sobre libertação e renascimento, esperança e recomeços. E é um lembrete de que, para abrir as correntes que nos prendem à infelicidade, é necessário, antes, destrancar nosso próprio coração. O que o mantém preso? Do que você é escravo? Dos traumas da infância? De um relacionamento frustrado? De um emprego de que não gosta? Da sua rotina? Liberte-se! Após um terrível acidente, um jovem acorda preso a uma cama de hospital, sem conseguir se mexer, se comunicar ou sequer fechar os olhos. Apesar de todos acreditarem que se encontra em coma, ele é capaz de ver e ouvir tudo o que acontece à sua volta. Sem esperanças de se recuperar e sentindo-se profundamente solitário, ele é surpreendido por uma sábia voz interior que começa a lhe explicar como suas escolhas erradas o levaram a essa situação. A partir dessa conversa transformadora, ele aprende a ver episódios dolorosos do seu passado com os olhos renovados, cheios de ternura e compaixão. E descobre que é possível deixar para trás o pesado fardo de ressentimentos, medos e culpas que quase destruiu sua vida.
E então, muitos livros entraram para a lista de desejados? Porque na minha com certeza entraram vários!

Beijos e até a próxima queridos!
Comentários
1
Compartilhe
 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações