17 de set de 2017


[Resenha] Os 27 Crushes de Molly - Becky Albertalli

Ficha Técnica 

Título: Os 27 Crushes de Molly
Título Original: The Upside of Unrequited
Autor: Becky Albertalli
ISBN: 978-85-510-0236-0
Páginas: 318
Ano: 2017
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas. Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã. Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo? Em Os 27 Crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.

Resenha

Becky Albertalli foi aclamada por sua obra de estreia, “Simon vs. a Agenda Homo Sapiens”, porém, é o seu segundo trabalho que realmente prova a competência e versatilidade da autora, que ao criar distintos personagens e núcleos, consegue entregar ao leitor uma história que vai além de um romance. 

Molly é uma jovem apaixonada e sonhadora, que na menor das oportunidades já começa a fantasiar com um romance arrebatador de conto de fadas. Mas ela nunca beijou na vida, e sua lista de crushes já contabiliza 26 rapazes. Insegura, principalmente devido ao seu peso, Molly fica ainda mais tensa ao ver sua irmã gêmea, Cassie, encontrar uma namorada, ficando com medo de perder a pessoa que mais lhe passa confiança na vida.

Mas o coração de Molly não perde tempo, e assim que Cassie começa a namorar, o universo lhe entrega não um, mas dois novos crushes. O primeiro deles se chama Will, e é o melhor amigo de Mina, a namorada de sua irmã, e o segundo é Reid, colega de trabalho da nossa protagonista. Com muita cautela, e com as confusões e questionamentos que sempre lhe impedem de investir em seus crushes, Molly terá que mudar suas ações e escolher um dos dois para ser o seu vigésimo sétimo crush, e se tudo der certo, será com ele com quem Molly dará o seu tão esperado primeiro beijo. 

Isso não entra na minha cabeça. Como as pessoas têm certeza de que seu amor será correspondido? Como isso automaticamente vira uma suposição?
P. 65

Com muita fofura e graça, “Os 27 Crushes de Molly” conquista o leitor já no primeiro capítulo. O humor da escrita de Albertalli ajuda a suavizar o drama que a personagem principal lida, sem necessariamente torná-lo forçado ou desvalidando e simplificando o enredo e os problemas. Pelo contrário, a autora, assim como disse no começo da resenha, consegue transformar um hipotético simples romance infanto-juvenil, em uma obra rica e elaborada. 

Além de trabalhar a já citada insegurança de Molly por ser gorda e nunca ter beijado, Becky potencializa a diversidade de suas personagens ao optar por criar uma família bem diversificada. Para começo de conversa, Molly possui duas mães, uma delas gerou através de um doador Molly e Cassie (que diferentemente da primeira, é magra), a segunda mãe gerou anos depois através do mesmo doador, um irmãozinho, o Xavier. 

Portanto, eu devia estar acostumada. Mesmo assim, sempre fico meio desconcertada quando as pessoas falam coisas sobre o meu corpo. Acho que quero acreditar que ninguém repara que sou gorda. Ou que sou bonita e gorda ao mesmo tempo, como uma modelo plus size. Sei lá.
P. 123/124

Para enlouquecer ainda mais os conservadores de plantão, Albertalli opta por definir uma mãe sendo branca e a outra negra, e a família tendo como base religiosa o judaísmo. Claramente, ainda temos o fato de uma das integrantes, a Cassie, assim como as mães, ser homossexual e ter uma namorada. Todos esses detalhes são tratados com muita naturalidade na narrativa da autora, afinal, essa é a realidade desta família.

Porém, sem muito alarde, já que esse não é o plot principal da obra, em alguns momentos existem sim, questionamentos e julgamentos de personagens externos à esta realidade familiar. Desde a avó que não se preocupa em ter uma filha homossexual, mas se incomoda com o peso da neta, ou pessoas que não conseguem compreender como Molly tem integrantes negros em sua família. Esses detalhes mostram muito bem diversas vertentes da nossa sociedade atual, e até mesmo como a ausência de certos preconceitos em determinadas pessoas, não eliminam as mesmas de terem outros. 

– Porque eu não quero ser a garota que precisa de um namorado – respondo.
– Ah, mas é claro que você não precisa de um – diz Nadine. – Mas não tem nada de errado em querer um.
P. 294

“Os 27 Crushes de Molly” pode até ser um young-adult, mas um do tipo maduro, mais para adulto do que adolescente, assim por dizer. Becky Albertalli tem uma escrita cativante e questionamentos válidos e atuais, tratados de uma forma séria, mas sem perder a diversão. A riqueza das personagens é só mais um delicioso fator, que de tão bem escritas e autênticas, chegam a dar a sensação de serem reais e próximas de nós. Não acho que tenha como alguém odiar Molly, e querendo ou não, acho que esse livro será o maior crush de quem o ler.

Comentários
4
Compartilhe

16 de set de 2017


[Resultado] Top Comentarista de Agosto

Olá leitores, como estão? Vamos conhecer a ganhadora do Top Comentarista de Agosto que será contemplada com o exemplar do livro A Indomável Sofia, da Georgette Heyer!


Lili Aragão = 24 comentários
Lily Viana Music = 24 comentários
Karina Valshe = 23 comentários
Rudynalva = 23 comentários
Milena Moreira = 22 comentários
Herica Lima = 19 comentários
Mich = 16 comentários 

O sorteio será feito entre as duas primeiras que empataram em quantidade de comentários!

Número 1 = Lili Aragão
Número 2 = Lily Viana Music


Agora sortearemos pelo Random.org:


Parabéns Lili Aragão! Você tem 48 horas para entrar em contato por e-mail, caso contrário, faremos outro sorteio.

Super obrigada pela participação de todos!


Comentários
5
Compartilhe

15 de set de 2017


[Resenha] Um Amor Incômodo - Elena Ferrante

Ficha Técnica 

Título: Um Amor Incômodo
Título Original: L'amore molesto
Autor: Elena Ferrante
ISBN: 978-85-510-0137-0
Páginas: 173
Ano: 2017
Tradutor: Marcello Lino
Editora: Intrínseca
Aos quarenta e cinco anos, Delia retorna a sua cidade natal, Nápoles, na Itália, para enterrar a mãe, Amalia, encontrada morta numa praia em circunstâncias suspeitas: a humilde costureira, que se acostumou a esconder a beleza com peças simples e sem graça, usava nada além de um sutiã caro no momento da morte. Revelações perturbadoras a respeito dos últimos dias de Amalia impelem Delia a descobrir a verdade por trás do trágico acontecimento. Avançando pelas ruas caóticas e sufocantes de sua infância, a filha vai confrontar os três homens que figuraram de forma proeminente no passado de sua mãe: o irmão irascível de Amalia, conhecido por lançar insultos indistintamente a conhecidos e estranhos; o ex-marido, pai de Delia, um pintor medíocre que não se importava em desrespeitar a esposa em público; e Caserta, uma figura sombria e lasciva, cujo casamento nunca o impediu de cortejar outras mulheres. Na mistura desorientadora de fantasia e realidade suscitada pelas emoções que vêm à tona dessa investigação, Delia se vê obrigada a reviver um passado cuja crueza ganha contornos vívidos na prosa elegante de Elena Ferrante.

Resenha

Os títulos escritos por Elena Ferrante aparecem nas listas dos mais vendidos e a curiosidade sobre a verdadeira identidade do(a) autor(a) é gigante. Um Amor Incômodo trata-se do primeiro livro publicado de Ferrante e é a primeira de três histórias das Crônicas do Mal de Amor.

Delia é uma mulher de quarenta e cinco anos, trabalha com quadrinhos e se afastou completamente de sua cidade natal para esquecer dos eventos passados em sua infância. Ela acredita que não se parece com sua mãe Amalia e um dos motivos de sua partida está atrelado ao relacionamento entre mãe e filha. Contudo, Delia se vê obrigada a voltar para a cidade onde nasceu após o falecimento de sua mãe. Amalia foi encontrada apenas com uma peça íntima em uma praia em condições suspeitas.

Em Um Amor Incômodo, Ferrante nos mostra através de suas personagens o rompimento do que seria a "identidade natural" de uma mulher. Essa "identidade natural" é a imposição de uma figura feminina nos moldes de uma sociedade machista e que aponta o que pode ou não ser feito pelas mulheres. E é importante ter isso em mente porque o desenrolar da história se dá por conta do comportamento "inaceitável" de Amalia. Delia, apesar do relacionamento conturbado com sua mãe, sente a necessidade de entender como algo tão trágico aconteceu a uma costureira e dona de casa.


Personagens chaves aparecem para traçar o que seria a "verdadeira" Amalia. O irmão da vítima que sempre criticou tudo e a todos, principalmente a sua irmã. O ex-marido é um pintor, violento, possessivo e que sempre achava que Amalia dava motivos para o seu comportamento agressivo e machista. Caserta, um homem que ajudou muito o marido de Amalia a vender seus quadros e que, mesmo casado, se sentia atraído pela vítima e o seu casamento - e nem o dela - o impedia de cortejá-la. A vizinha de Amalia que adorava recriminar os hábitos da vítima. Além de outras duas personagens que são importantes para entender o porquê o comportamento de Amalia incomodava tanta gente - além do motivo principal: o machismo. E acredito que essas duas personagens devem ser descobertas através da leitura para não comprometer uma possível surpresa.

Um Amor Incômodo, em minha opinião, peca em algumas partes de seu desenvolvimento. E ao terminar o livro percebi que isso acontece pelo fato de não sabermos tanto sobre Delia. Ferrante se debruça tanto nos eventos que antecederam a morte de Amalia, através do que era contado por Delia e as outras personagens, que acabamos entendendo pouco sobre quem está narrando. Ela deseja tanto saber sobre o antes da morte de sua mãe para tentar/continuar se desvencilhando de um passado cruel e violento. Se tem conhecimento que Amalia não seguia o modelo machista imposto as mulheres porque as pessoas que cercavam a personagem recriminavam apenas por ela ser mulher. Consideravam qualquer coisa que ela fazia como imprópria e nós não temos a visão da personagem morta, o que pode gerar a dúvida se ela de fato as coisas aconteceram da maneira que contavam. Tem um motivo, que só esclarecido no final e muito rápido, para o incômodo de Delia em relação a sua mãe. O medo de estar se tornando, ou de sempre ter sido, semelhante a sua mãe causa um desconforto gigante em Delia e senti que poderia desenvolver mais. O fato de Ferrante mostrar mulheres complexas e vítimas de uma sociedade que impõe um comportamento a essas mulheres mostra a coragem em trazer um assunto tão incômodo. Não é um livro ruim, pelo contrário, mas que tem deslizes em seu desenvolvimento.
Eu tinha dificuldade em aceitar que ele desse razão ao meu pai e culpasse a minha mãe. Era irmão dela, a vira centenas de vezes inchada por causa de tapas, socos, chutes; contudo, nunca movera uma palha para ajudá-la. p. 54

Cultura | Saraiva | Fnac | Livraria da Folha
Comentários
3
Compartilhe

11 de set de 2017


[Um Pouquinho de mim] com Elaine Lima


Olá! Eu sou Elaine Lima, tenho 21 anos, escorpiana arretada, futura jornalista e amante dos livros e cinema, no momento estou administrando somente o Instagram do meu blog Jornalizando. O blog infelizmente teve que dar uma parada por questão de falta de tempo mesmo, faço faculdade de Jornalismo e estou em processo de TCC e juntamente com minhas colegas de blog não estávamos dedicando um tempo de qualidade ao blog. Mas resolvemos manter nosso Instagram funcionando (aproveita e segue lá @jornalizando), é lá que posto meus desejados literários, achados em livrarias, além da minha playlist da semana.


Lay a linda me convidou para participar dessa coluna, e pense na felicidade da pessoa eu já acompanho o De Tudo um Pouquinho tem tempo e sempre que posso participo do Top Comentarista aqui do blog, e todos os eventos que a Lay está eu corro atrás. Através do blog, conheci vários livros ótimos como: Codinome Lady V e Sem Juízo.

Gosto muito de parar e arrumar meus livros, afinal eles são muito especiais, não tenho muito espaço no meu quarto, sendo assim resolvi colocar algumas prateleiras para organizar os meus bebês. Separo os meus livros por autores, eu acho mais fácil de identificar, sempre quis organizar por cores, mas tentei e não deu muito certo. Meu gênero favorito é o romance seja ele new adult, hot, curto também ler séries, desde que não sejam muito longas. Minha meta literária para esse ano está bem longe de ser alcançada, mas eu continuo tentando.



Meu último livro comprado foi O Amor de Todas as Formas, por conta do evento de lançamento que teve aqui em Salvador com as autoras, confesso que ainda não li, mas estou ansiosa demais para conhecer esses personagens.

A minha recomendação de leitura é de uma autora que eu sou apaixonada, Colleen Hoover ela escreve de uma maneira que me deixa presa ao livro, sem conseguir abandonar suas histórias, o que vou recomendar hoje é um desses “Confesse”, um livro que vai tocar seu coração e te fazer refletir sobre diversas situações da vida. Espero que gostem!


Os livros fazem parte da minha vida, sou daquelas que sempre tem um livro na bolsa afinal nunca se sabe quando posso precisar. Fui incentivada pela minha mãe, desde muito pequena ela lia para mim toda noite antes de dormir, e isso me marca até hoje pois esse simples ato dela, me moldou a ser uma pessoa melhor e mais feliz. Tenho certeza que vou colocar meus filhos nesse mesmo caminho. Então obrigada mãe!

Então é isso, mais uma vez quero agradecer a Lay pelo convite amei falar um pouco sobre mim e minhas escolhas literárias. Espero a visita de vocês no meu insta literário @jornalizando! Beijocas da Elai ♥ 

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ 

Então, curtiram conhecer a Elai? Querem participar dessa coluna também? Nos mostrar seus livros favoritos, como é a estante de vocês? É só nos enviar um e-mail para contato@detudoumpouquinho.com

Estamos aguardando vocês!!!
Comentários
4
Compartilhe

10 de set de 2017


[Resenha] Uma Noite Inesquecível - Lisa Kleypas

Ficha Técnica 

Título: Uma Noite Inesquecível
Título Original: A Wallflower Christmas
Autor: Lisa Kleypas
ISBN: 978-85-8041-729-6
Páginas: 144
Ano: 2017
Tradutor: Viviane Diniz
Editora: Arqueiro
O Natal está se aproximando e Rafe Bowman acaba de chegar a Londres para uma união arranjada com Natalie Blandford. Com sua beleza estonteante e o físico imponente, ele tem certeza de que a linda aristocrata logo cairá a seus pés. No entanto, seus terríveis modos americanos e sua péssima reputação de farrista deixam Hannah, a prima da moça, chocada. Determinada a proteger Natalie, ela vai tornar a tarefa de cortejar a jovem muito mais difícil do que Rafe esperava. Hannah, porém, logo começa a se importar mais do que gostaria com o rude pretendente da prima. Rafe, por sua vez, passa a apreciar um pouco demais a companhia de Hannah, uma mulher forte e pragmática com um coração doce e gentil. E quando Daisy, Lillian, Annabelle e Evie, quatro amigas inseparáveis que já conseguiram encontrar o homem de seus sonhos, decidem agir como cupidos, quem sabe o que pode acontecer? Uma noite inesquecível é uma viagem mágica pela Londres vitoriana, com os diálogos espirituosos e personagens memoráveis que consagraram Lisa Kleypas como uma das autoras de romances de época mais aclamadas pelo público. Nesta continuação da série As Quatro Estações do Amor, os mais cínicos se tornam românticos e até os mais tímidos suspiram, arrebatados de paixão.

Resenha


Quando vi que a Arqueiro lançaria o Spin-Off da série As Quatro Estações do Amor eu fiquei eufórica, pois foi uma série incrível escrita pela Lisa Kleypas, mas ao mesmo tempo, quando há esse tipo de livro não deixo de me sentir apreensiva também por saber que, às vezes, os autores escrevem mais livros para uma série por conta de questões contratuais, mas que não seriam necessários. Felizmente não é o que acontece com Uma Noite Inesquecível.

A história de Uma Noite Inesquecível se passa aproximadamente três meses após o final de Escândalos na Primavera e mostrará a chegada do farrista Rafe Bowman à Londres para um casamento arranjado com a beldade do momento, lady Natalie Blandford.

Raphael Bowman é o irmão mais velho de Lillian e Daisy, duas das Flores Secas, e sempre que foi citado nos livros da série, ficou claro que ele era um canalha e que não se dava bem com o pai, Thomas Bowman, mas isso era algo praticamente impossível de acontecer, afinal, ao que parecia a única pessoa que agradava o exigente empresário era Matthew Swift, que agora é seu genro. Então o que faria Rafe sucumbir às exigências descabidas do pai e casar-se com uma lady inglesa que não conhece?

Após muitos desentendimentos com o pai, Rafe foi trilhar seu caminho e fez fortuna no mercado de especulação financeira em Wall Street, mas agora ele quer fazer parte da empresa de sabão da família nesse momento de expansão européia com a acessibilidade do produto para as massas, entretanto, o preço cobrado por isso é muito grande.

Com o objetivo de reunir a família para o Natal e como bônus ajudar Rafe a conhecer sua quase futura noiva, Lillian, lady Westcliff, convidou algumas pessoas para as festividades em Stony Cross Park, a propriedade rural de lorde Westcliff em Hampshire. Mas antes disso, seria estratégico conhecer a Srta. Hannah Appleton, acompanhante de lady Natalie e descobrir o máximo sobre a jovem lady.

Hannah é a prima pobre de Natalie e com a morte da mãe seu futuro seria viver no interior com o pai e cuidar das irmãs mais novas, mas a oportunidade de viver em Londres e ser acompanhante lhe daria uma nova perspectiva e ficar com sua prima era muito agradável. Ao saber da iminente união de Natalie com Rafe, ela quer conhecer o jovem americano e saber se sua prima poderia confiar nele.

Quando eles se conhecem Rafe logo mostra sua personalidade e Hannah não gosta nem um pouco do que vê, pois tem certeza de que ele e sua prima são completamente opostos.
– Ah, eu sou um canalha – disse ele alegremente. – Aproveito-me dos outros, não me importo com o decoro e tenho o infeliz hábito de dizer exatamente o que penso.
P. 22
A estadia em Stony Cross Park serve para que Hannah tenha ainda mais certeza de que Rafe e Natalie não dariam certo, mas ao mesmo tempo também serve para lhe mostrar que ele mexe com seus sentimentos, lhe trazendo sensações que não sabia serem possíveis de serem sentidas.
- Você acha que porque eu sou uma garota comum e pobre, alguém como o Sr. Clark não poderia me amar, mas está errado. Ele vê além...
- Comum? Enlouqueceu? Você é a garota mais adorável que já conheci, e, se eu fosse Clark, teria feito muito mais do que acariciar seu crânio a essa altura...
- Não deboche de mim!
- ... eu teria seduzido você dez vezes mais. - Ele deliberadamente pisou na carta. - Não minta para mim, nem para si mesma. Você não está feliz, você não o quer. Só está se acomodando com isso porque não quer correr o risco de ficar solteirona.
P. 100
Claro que Rafe, sendo quem é, sente-se atraído por Hannah, mas além disso, os dias em que passam "juntos" lhe mostram que ela não é uma mulher comum, ele conhece sua inteligência, sua perspicácia e o encantamento por ela cresce a cada dia. Óbvio que as Flores Secas percebem isso e decidem que Hannah será um Flor Seca Honorária. Imaginem agora as Flores Secas, agora casadas e felizes, decididas a bancarem o cupido? Diversão garantida com certeza.

O livro além de trazer o romance de Rafe e Hannah mostra a difícil relação de Rafe com o pai e suas metas impossíveis de serem alcançadas por qualquer pessoa - talvez exceto Matthew - e é uma oportunidade de nos mostrar como estão as vidas de Annabelle, Evie, Lillian e Daisy, que nós acompanhamos desde 2015 quando As Quatro Estações do Amor começou a ser publicado pela Arqueiro.
- Hannah, eu amo você quase mais do que posso suportar. Quer você me queira, quer não, eu sou seu. E não tenho certeza do que vai acontecer comigo se eu tiver de passar o resto da minha vida sem você. Por favor, case-se comigo para que eu possa parar de tentar ser feliz e passe finalmente a ser feliz.
P. 135
Cultura | Saraiva | Fnac | Livraria da Folha
Comentários
6
Compartilhe

9 de set de 2017


[Além das Páginas] Ao Seu Encontro


No Além das Páginas de hoje vamos levar vocês às cidades que são cenário do livro Ao Seu Encontro. São poucas, mas lindas, vamos conhecê-las um pouquinho...

Fort Worth - Cidade no estado do Texas onde fica a fazenda de Mase. Considerada a cidade mais charmosa do estado, fica a 48 quilômetros de Dallas, integrando sua região metropolitana. É a quinta cidade mais populosa do estado e a 16ª do país, de acordo com o censo de 2010. Uma curiosidade, a cantora Kelly Clarkson nasceu nessa cidade ;) Para quem quiser conferir um pouco mais, pode acessar o site da cidade.

Parada. Crédito

Vista do centro da cidade. Crédito
Beverly Hills - Mase acaba indo rapidamente à cidade para visitar o pai, que está mais uma vez dando problemas... A cidade fica no condado de Los Angeles, no estado da Califórnia. Como eu já falei um pouco da cidade aqui, vou apenas colocar algumas imagens para vocês




Laurel Way Residence - Crédito
Chicago - Reese visita a cidade porque é lá que seu pai biológico mora. No início do livro ela estava na cidade, mas depois, ela acaba indo novamente, mas dessa vez com Mase. Chicago é a cidade mais populosa do estado de Illinois. É a capital do condado de Cook, o segundo mais populoso dos Estados Unidos, perdendo apenas para Los Angeles. Hoje a cidade mantém o status de importante polo para a indústria das telecomunicações, transporte e infra-estrutura, sendo o Aeroporto Internacional O'Hare o segundo aeroporto mais movimentado (em termos de movimento de tráfego) em todo o mundo.


Millenium Park

Willis Tower - Anteriormente Sears Tower. Terceira maior estrutura da América do Norte. Crédito

Grant Park
Rosemary Beach - Bem, é onde se passa toda a saga Rosemary Beach da Abbi Glines e procurando sobre a cidade, descobri que Rosemary Beach é uma comunidade planejada, localizada no condado de Walton County, no estado da Flórida. A comunidade foi desenvolvida em terras que faziam parte do bairro de Inlet Beach e foi fundada por Patrick D. Bienvenue, presidente da Leucadia Financial Corporation em 1995 e foi desenhada por Duany Plater-Zyberk & Company. 








E aí, ficaram com vontade de conhecer? Eu certamente!!! Lugares lindos e com muitas atrações para conhecermos e visitarmos 
Comentários
5
Compartilhe

8 de set de 2017


[Resenha] Coração em Chamas - Aline Sant'Ana

Ficha Técnica 

Título: Coração em Chamas
Autor: Aline Sant'Ana
ISBN: 978-85-68056-42-4
Páginas: 224
Ano: 2017
Editora: Charme
Já se perguntou quem é a mente luxuriosa por trás do exótico cruzeiro Heart On Fire? Jude Wolf é capitão da marinha e tem uma vida regrada, mas sua personalidade destoa muito disso. Ousado, criativo, rico… ele possui um sonho. Jude quer ser empresário, mas de nada simples, ele quer que o mundo caia aos seus pés. Só falta aquela ideia que fará seu coração acelerar com força. O problema é que a faísca que tanto precisa não está em seu cérebro, mas sim em um par de pernas maravilhosas com nome e sobrenome: Courtney Hill. Uma festa. Um encontro. Uma ideia ousada. Tudo o que eles têm. Felizmente, forte o suficiente para mudar suas vidas. Descubra como o cruzeiro erótico surgiu e o romance por trás dos bastidores. Você está preparado? Seja bem-vindo ao Heart On Fire. O cruzeiro que deixará o seu coração em chamas.

Resenha


Quem acompanha a a Aline Sant'Ana em seu grupo no Facebook sabe que ela tem um cronograma e tem se dedicado a escrever a série Viajando com Rockstars, então já estávamos esperando os livros do Carter, do Zane e do Yan e seus complementos (que haverá um para cada), mas quando ela disse que estava escrevendo um Spin-off da história que teria como protagonista o capitão do Heart on Fire eu pensei inicialmente: "poxa... vai demorar mais para sair o livro do Yan.". Não me entendam mal, amo o Carter e o Zane, mas depois de ler 7 Dias Com Você, 7 Dias Para Sempre e 11 Noites Com Você estou mega ansiosa para ler o livro do meu baterista. Entretanto, conhecer um personagem que comanda um cruzeiro erótico certamente também é instigante e Coração em Chamas veio justamente para mostrar de onde surgiu essa ideia peculiar.

Jude Wolf é um militar da marinha de trinta anos que está decidido a mudar sua vida. Sendo filho de militar e tendo crescido sob regras rígidas, sua vida sempre foi comandada com rédeas curtas pelo seu pai, inclusive sexualmente falando, pois sua primeira transa foi com uma garota toda certinha, também filha de militar - os pais  deles decidiram que eles seriam namorados, claro que isso não deu certo. A única coisa que Jude gosta da influência do pai é o fato dele ter lhe apresentado o universo marítimo, ele ama estar no mar, comandando, mas estar em missões militares não era o que ele queria, seu desejo era ser empresário e agora que decidiu isso precisa encontrar o empreendimento ideal, algo inusitado, inesperado e que de preferência envolva quebra dos tabus sexuais impostos pela sociedade.
Minha mente nunca funcionou de forma adequada. As pessoas sempre me disseram isso. Falavam que eu era liberal demais, intenso demais, maluco demais. Diziam até que eu era pervertido. Não que eu não gostasse e achasse um insulto, na verdade, cacete, que baita elogio. Porém, todo mundo me prendia a cordas invisíveis, padrões impostos pela sociedade.
P. 11
Do outro lado dessa história conhecemos Courtney Hill, uma jovem de vinte e seis anos que vive a vida dos seus sonhos. Desde criança ela era apaixonada pela adrenalina e seus pais, mesmo com medo que ela se machucasse, nunca a impediram de ser quem ela era, então não foi surpresa quando ela disse que seguiria carreira como dublê de filmes de ação. Vivendo em Miami, Courtney trabalhava com o que amava, estava sempre em festas badaladas com muita gente bonita, famosa, mas quando sofreu um acidente no set de gravação e foi identificado erro da produção, sua melhor amiga Bianca, advogada de sucesso na cidade, conseguiu arrancar uma indenização homérica, mas para ela isso não traria de volta o trabalho da sua vida, afinal, depois do acidente - o qual foi um milagre ter sobrevivido - não poderia mais seguir na profissão.
Eu gostava de sentir adrenalina, adorava a emoção que corria pelas veias e alcançava o coração. O frio na barriga que denotava o perigo, a ansiedade em busca do caos. Ninguém entende o que faz uma pessoa saltar de helicópteros, dirigir carros velozes e se jogar de um prédio. Eu compreendia, porque nasci para viver perigosamente. Eu era essa pessoa. Vim com o gene louco do tipo de ser humano que arrisca a vida por cambalhotas... e adora isso.
P. 15
Enquanto estão nesse momento de transição é que Jude e Courtney se conhecem. Jude é amigo e trabalha com Brian Wayne que é ninguém menos que o irmão de Bianca, a melhor amiga de Courtney. Embora tenham amigos em comum e morem próximos, o fato de Jude passar muito tempo em missão e Courtney em filmagens contribuiu para que nunca tivessem sequer ouvido o nome um do outro. Assim que se conhecem a química entre eles fica evidente, mas quanto mais eles conversam, mais percebem o quanto são compatíveis, o quanto suas personalidades combinam. Ambos curtem sexo casual, sem compromissos futuros e são audaciosos na cama. E é nesse dia que Jude tem a ideia da sua vida e isso graças a Courtney.
- Não consigo imaginar como é ter um sonho interrompido - Jude começou a falar, sua aparência branda, porém concentrada, que fez o meu estômago saltar de forma idiota. - Mas sei como é viver perdido em si mesmo, tentando se encontrar. Faço isso a vida toda, Courtney. Sou expert em privações nesse sentido. Então, estou feliz por você ter achado uma coisa que te faça sentir essa vontade de novo, estou feliz pra caralho por você ter se aberto comigo sobre isso, porque eu quero que nós dois estejamos apaixonados pelo Heart On Fire na mesma proporção. Eu quero que seja a coisa mais ousada da porra desse mundo e, se você tá nisso como eu tô, como estou vendo que você tá, eu não tenho nada a dizer a não ser obrigado. Sério, Courtney. - Fez uma pausa longa, seus olhos nos meus. - Obrigado.
P. 95
Depois de uma noite de luxúria eles sabem que querem mais, mas suas regras de apenas uma noite não os permite sequer pensar em se envolver mais um com o outro e quando Jude apresenta para Courtney o projeto do cruzeiro erótico uma semana depois de se conhecerem e decidem  tornar-se sócios, óbvio que envolver sexo e relacionamento com negócios não seria uma boa ideia, ainda mais se for um negócio milionário.

A história dá um salto de três anos e inicia essa segunda parte mostrando que Jude e Courtney continuam sócios, o negócio está crescendo cada vez mais e que a atração entre eles cresce praticamente na mesma proporção - embora tentem negar a todo custo, principalmente Courtney, que não se sente preparada para um relacionamento (o que é irônico vindo de uma pessoa que adora se arriscar e viver com muita adrenalina).
Por Deus, quem teve a ideia de criar um cruzeiro erótico ao lado do cara pelo qual sentia um tesão enorme?
Ah, claro, tinha que ser eu.
P. 131
Quanto mais via os dois interagindo, sendo amigos e sócios, mais me perguntava até quando iriam resistir e negar o que estava tão claro, mas quando se deixaram levar pelo sentimento... ah, foi ótimo! Um casal em completa sintonia não tinha como ter erro, simplesmente me apaixonei por eles.

Mais uma vez narrando em primeira pessoa, alternando entre Jude e Courtney, Aline nos envolve nessa história apaixonante. Tendo como plano de fundo a criação de um empreendimento milionário e inovador, o amadurecimento dos personagens e do relacionamento entre eles é incrível. Dois personagens que viviam no modo "uma-noite-e-nada-mais" que se viram apaixonados um pelo outro e sem saber como lidar com isso.

A Aline me conquistou mais uma vez e sempre fico esperando por mais e mais dos seus textos. Agora é esperar a publicação de Uma Noite Sem Você, livro 2,5 da série que sairá ainda esse ano e depois vem meu querido Yan com Apenas Com Você que, se continuar conforme o cronograma, será publicado ano que vem.

Cultura | Saraiva | Livraria da Folha
Comentários
4
Compartilhe

4 de set de 2017


[Playlist] 8 Segundos


E aí galera, tudo bem??

Com certeza a essa altura vocês já leram a resenha de 8 segundos, da Camila Moreira não é mesmo? Então certamente viram que a história se passa no universo country/sertanejo então muitas músicas do gênero compõem o livro e eu adoro muitas delas e vocês, estão prontos para conferir quais são as músicas e verem se já conhecem? Então vamos lá ;)


Alan Jackson - Country Boy




Santorine - Revanche




Blake Shelton - Footloose




Chris Young - Tomorrow




Keith Urban - Long Hot Summer




Pitty - Me Adora




Henrique e Juliano - Até Você Voltar




 Jorge e Mateus - A Gente Nem Ficou




Victor & Leo - Deus e eu no Sertão




Victor & Leo - Na Linha do Tempo




John Mayer - Your Body Is A Wonderland





Quais dessas músicas vocês conhecem e gostam?!
Comentários
5
Compartilhe

3 de set de 2017


[Resenha] O Último Adeus - Abbi Glines

Ficha Técnica 

Título: O Último Adeus
Título Original: The Best Goodbye
Autor: Abbi Glines
ISBN: 978-85-8041-736-4
Páginas: 224
Ano: 2017
Tradutor: Cássia Zanon
Editora: Arqueiro
River Kipling, mais conhecido como Capitão, está em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Dono de um passado sórdido e de um presente misterioso, ele não vê a hora de concluir o trabalho e ir embora da cidade para realizar seu sonho: abrir um negócio próprio à beira-mar num lugar onde ninguém tenha ouvido falar dele. Mas, quando Capitão conhece Rose Henderson, sua ânsia de partir de repente fica em segundo plano. Há algo na risada dela que é familiar demais, e o modo como ela olha para ele o faz lembrar de alguém importante que perdeu há muito tempo. No entanto, a única coisa que Rose revela é que é uma mãe solteira que trabalha duro para sustentar a filha. Enquanto tenta desvendar os segredos da linda ruiva de óculos engraçadinhos e curvas estonteantes e entender por que ela mexe tanto com seus sentimentos, Capitão precisa fugir da marcação cerrada de Elle, a ex-namorada que não mede esforços para afastá-lo de Rose. Ao mesmo tempo, tem que encarar os fantasmas de seu passado para se tornar um homem melhor e construir um futuro do qual possa se orgulhar. Nesta sequência da série Rosemary Beach, Abbi Glines mais uma vez escreve uma narrativa ardente e emocionante. Com personagens verossímeis e heróis imperfeitos, O último adeus fala sobre o inesgotável poder de transformação do amor.

Resenha


E hoje a Abbi Glines está na Bienal do Livro do Rio e aqui no blog estamos em mais um livro da Saga Rosemary Beach. Sim, a série é imensa (se não me perdi na conta, esse é o 13º livro - contando com o e-book do Kiro e da Emily), mas eu adoro os personagens e os livros são tão curtinhos que a leitura é super rápida.

Desde que apareceu (não me lembro mais em qual livro) Capitão vem ganhando força dentro da história. Irmão de Blaire, sempre houve o ar de mistério em torno dele, seu passado é uma incógnita e, finalmente em O Último Adeus vamos descobri o que se passa em sua vida (sim, sou curiosa mesmo, kkk). Embora tenhamos descoberto sua profissão em Ao Seu Encontro - quando ele ganhou ainda maior destaque - fica a pergunta de como ele chegou nesse ponto de sua vida.

Como vimos no final desse mesmo livro, Capitão deixou a profissão e foi para Rosemary Beach com o objetivo de abrir um restaurante para Arthur Stout, que conheceu quando estava em Fort Worth, no Texas. Depois disso, seu projeto é seguir seu caminho. Se tem uma coisa que Capitão não faz, é ficar em um lugar por muito tempo, ainda que nesse lugar more sua irmã recém encontrada. Viver em família é algo que ele não sabe lidar muito bem. Entretanto, sua resolução será abalada quando ele prestar atenção em Rose Henderson.

Rose deixou Oklahoma e foi para Rosemary Beach com o objetivo de trabalhar no novo restaurante da cidade, o único lugar com exceção do Kerrington Country Club que traria boas gorjetas. Ela é uma mulher em uma missão. Sua filha Ann Frances, ou simplesmente Franny de nove anos, desde seu aniversário de cinco anos lhe faz um pedido e ela tenta a todo custo realizar seu desejo, mas trabalhar nesse restaurante não será uma tarefa fácil mesmo antes da inauguração. Lidar com Elle, chefe do salão e consequentemente sua chefe direta é um verdadeiro martírio, parece que a mulher faz de tudo para complicar a vida de Rose e Capitão também não ajuda, ele demonstra mesmo que não gosta de estar perto dela.
Era a risada dela. Brad a fez rir o suficiente hoje para que eu tivesse muitas oportunidades de avaliar. Dizer que a risada de Rose lembrava a risada dela era pouco. Rose tinha a mesma risada de Addy. Até mesmo o jeito que seus olhos dançavam e o jeito como ela virava a cabeça eram idênticos. Era duro ver e ouvir aquilo.
P. 36
O que a gente descobre é que Rose lembra muito alguém do passado de River e ele não gosta nem um pouco dessas lembranças, pois o faz sofrer demais, tanto que ele não se relaciona com mulheres que tenham o mesmo tipo físico de sua Addy, baixinhas e louras.

Se tem uma coisa que eu gosto bastante nos livros da Abbi é que não tem muita enrolação, as coisas acontecem logo. De início já sabemos a motivação de Rose e ficamos apreensivos em saber como será o desfecho da história, como os personagens lidarão com os segredos do passado. Além de que ela sempre dá a dica de quem será o personagem principal do próximo livro.

Alternando a narrativa entre Rose e Capitão, ambos relatando presente e passado, a história passa tão rápido que quando a gente percebe já está no final do livro e querendo mais e mais.

Bem, o próximo livro é o último da saga e mesmo sendo da Nan (não suporto ela) quero ler, afinal, preciso saber essa história e como a Abbi encerrará essa saga que nós acompanhamos aqui no Brasil desde 2013. Até a próxima ;)

Conheça a Saga Rosemary Beach

Kiro e Emily - e-book gratuito
Ao Seu Encontro

Saraiva | Cultura | Fnac | Livraria da Folha


Comentários
5
Compartilhe

2 de set de 2017


[Próxima Parada] Jardins do IMMA - Museu de Arte Moderna, Dublin


Olá queridxs viajantes!!

No Proxima Parada desse mês vamos segurar um pouco do romantismo do mês passado e passear pelas belezas do Jardim do Museu de Arte Moderna de Dublin, na Irlanda.

Para quem não sabe, Novidade: Acabo de mudar meu endereço e estou morando em Dublin!! 
E para celebrar com vocês trouxe um dos meus lugares queridos dessa cidade cheia de belezas e muiiiito verde natural.

O Museu de Arte Moderna não será o protagonista aqui, mas sim o seu Jardim que é de uma beleza indescritivel! (Mas vou tentar descrever aqui pra vcs rss)

Ao fundo Jardim do IMMA (Museu de Arte Moderna de Dublin)

Para quem já teve a oportunidade de ir à França e Conhecer os Jardins do Palácio de Versailles, ao ver o Jardim do museu, logo vai perceber uma similaridade. O Jardim do museu, nos lembra em versão miniatura os famosos Jardins do mais famoso Palacio Francês. Tendo direito até a um labirinto feito com paredes de arbustos.

Olha a Felicidade da Pessoinha no dia raro de Sol!! Rss


Nesse Jardim, acontece também grandes eventos da high society Irlandesa, como festas de casamento por exemplo. (Imagina que chiquereza gente?!)

Imagina a Noiva divando descendo essas escadas?!

Ou até mesmo Caminhando aqui e encontrando o noivo no fim dessa estradinha de cascalho


Esse destino é uma otima opção para um passeio com o crush, com direito a um piquenique, ou mesmo para uma parada de reflexão. Lá é possivel ver alguns animais como esquilos e passarinhos passeando entre as árvores e gramados. 

Uma ótima pedida também é levar um bom livro e desfrutar da leitura deitado na grama de extremos verde que só a Irlanda tem.

Ou até mesmo quem sabe apenas tirar umas horinhas da tarde para tomar um café na cafeteria do pátio do museu e observar a beleza que esse espaço medieval possui, misturada com uma arte moderna que fica exposta numa parede contrária ao relógio dessa antiga construção.


Arte que remete à algumas práticas Catolicas numa visão Crítica do Artista, ( E eu me sentindo a modelo no meio rss)

Grande Pátio do Museu (grande messmo!). Vale tomar um cafezinho pra quebrar o frio aqui

Ah! Vale informar também que essa estrutura toda do Museu era um anexo de uma antiga prisão (não darei detalhes nesse momento), que também virou museu e é localizada bem à Frente do IMMA (Museu de Arte Moderna).


O protagonista da coluna de hoje é o Jardim do Museu, mas, a Irlanda possui inumeros jardins e um deles é muito famoso, o Phoenix Park, onde você pode inclusive alimentar alguns veadinhos que ficam soltos ao longo do parque, apenas vá preparado para andar bastante até encontrá-los. Então só pra deixar com um gostinho de quero mais, ai vai uma foto de umas das minhas melhores experiencias aqui na Irlanda:

Pennse num amiguinho fofo!


Hoje ficaremos por aqui, mass na Proxima Parada de Outubro tem mais!!!

Gostaram do Jardim? Do veadinho tenho certeza que todo mundo vai amar!! São Lindos, super bem tratados e carinhosos!! Deixem aqui em baixo os comentários sobre esse nosso passeio ao Parque!

Grannnde Beijo e até o próximo mês!!

Comentários
6
Compartilhe
 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações