22 de mar de 2011


[Continuação] FIC Os dezenove anos, e além [3]

Vamos a mais uma semana de fic, e o que vocês estão achando? Deixem seus comentários!


Capítulo 4 - De Volta a Rua dos Alfeneiros

Depois que Harry finalmente desembarcou na estação King Cross, tinha a forte intenção de ir morar no Largo Grimmald.

- Por que não vem com a gente? - disse Rony - Fique conosco!! Cara!!
- Eu não posso ficar na sua casa pra sempre!! - disse Harry - Mas acho que vou ter que ir para lá!! Afinal, o Largo precisa de uma reforma. Mas mesmo assim, eu quero ir para lá, dar uma olhada.


Harry caminhou com os Weasley para fora da Estação lotada de gente como sempre. Assim que alcançaram o interior, Harry se despediu deles, com a promessa que dentro de alguns dias voltariam a se encontrar. 



Aparatou então, às portas do Largo Grimmald.
- Lar doce lar!! - pensou ele, lembrando-se de sua última recente visita.
Com Monstro agora sendo gentil, aquele poderia realmente se tornar um lugar a que se chamar de lar.



- Monstro!! - chamou Harry assim que entrou.
Monstro apareceu em poucos segundos.
- Chamou senhor?
- Sim!! Preciso que me ajude numa coisa!! Precisamos limpar a casa!! Pretendo reformá-la!!
Monstro chiou. Ele não pareceu satisfeito
- Sim senhor!! - disse ele
Harry olhou para o Elfo, tentando entender por que o mal - humor. Não conseguiu descobrir, mas sabia exatamente como revertê-lo.
- Escuta Monstro!! - disse Harry - Pode escolher um quarto da casa para morar!!
Monstro olhou para Harry.
- Monstro não precisa de quarto!! Monstro está satisfeito com seu armário!!
- Mas Monstro!! - sorriu Harry - Tenho certeza de que vai precisar de mais espaço, com suas coisas novas!!
Monstro chiou de novo.
- Monstro não está entendendo!!
- Estou dizendo!! Que qualquer relíquia dos Black que quiser guardar, e que achar quando estiver limpando a casa, será sua!! Excluindo é claro as roupas!
O Elfo só faltou dar pulos de alegria. Saiu correndo para dentro, ansioso para começara limpeza.



Agora, só havia uma coisa que incomodava a Harry. Ele deixara parte de suas na casa dos Dursley. Será que eles já haviam se livrado de tudo? Ou ainda daria tempo de salvar alguma coisa? Só indo lá, ele poderia saber.


Harry caminhou lentamente pela Rua dos Alfeneiros. Era o final daquele dia. Aquele lugar parecia não ser afetado pelo tempo, continuava a mesma coisa. Até os balanços e gangorras, que deviam se quebrar com o tempo permaneciam intactos.


Ele caminhou pela conhecida viela. Seus pés o levaram automaticamente até a casa que um dia ele chamou de lar. As janelas estavam acesas, e já passava das seis.



Harry se sentou num banco e esperou. A noite foi engolfando tudo, escurecendo cada vez mais. Os postes de luz elétrica se acenderam, mas ele continuou sentado bem lá onde estava.



Quando bateu sete e meia, tudo já estava escuro, e não havia mais ninguém na rua. Foi aí, que aconteceu. A luz de um dos postes se apagou. Harry olhou para o final da rua.
- Finalmente!! - disse Harry



Um bruxo de cabelos flamejantes, segurando um estranho isqueiro de prata, ia apagando todas as luzes usando o instrumento. Ao seu lado, uma bruxa de cabelos cheios acompanhava.
- O que aconteceu com vocês dois? - disse Harry - Marcamos seis horas!! Pô!! Estou aqui sentado a horas!!
- Foi mal cara!! - disse Rony - Acontece que tivemos que passar em vários lugares!! Sabe!! Um monte de gente nos convidando para a festejar!!
- Festejar? - disse Harry - Voldemort caiu a três dias, e ainda estão festejando!!
- É que até ontem - começou Hermione - Ninguém realmente sabia do que havia acontecido!! As corujas começaram a chegar!! Está começando uma verdadeira revoada!!
- Sem falar!! Que dessa vez a coisa saiu um pouco...diferente!! - falou Rony
- O que? - falou Harry - O que aconteceu?
Rony sorriu.
- Dessa vez você derrotou ele na frente de todos, e dessa vez temos o corpo dele pra provar!!
Harry engoliu em seco. Ele quase se esquecera. O corpo de Voldemort ficara jazendo no Saguão de Entrada.
- O que exatamente fizeram com ele? - disse Harry - Com o corpo!!
- Sei lá!! - falou Rony
- Acho que levaram para o Ministério!! Harry!! Onde esteve nos últimos três dias? Sua coruja não...
Mas aí parou. Edwiges morrera.


Acabara de ocorrer a Harry que precisava de uma nova mensageira. Não!! O que estava pensando? Edwiges era insubstituível!! Mas mesmo assim, não podia ficar sem receber cartas.
- Certo!! - disse Harry - Melhor ir logo ao Beco Diagonal comprar coruja nova!!
Rony e Hermione se entreolharam meio entristecidos. 
- De qualquer jeito!! - disse Rony - Você não sabe o carnaval que está começando. Kingsley está tendo muitos problemas, o Ministério está em frangalhos. Por outro lado, o Sr. Olivaras está começando a lucrar feito louco, pois desde ontem, o Ministério tem liberado ouro para os Nascidos Trouxas recobrarem as varinhas!! Tem gente até QUEBRANDO a própria varinha pra ganhar uma nova!!!


Harry riu. Hermione não achou a menor graça, e até exclamou:"Francamente".



Os três caminharam até a porta da casa dos Dursley. Ouviram a televisão funcionando, os Dursley estavam assistindo T.V.



Harry estancou. E agora?



Ele olhou para os dois amigos.
- Talvez seja melhor você aparatar lá pra cima de uma vez!! - falou Rony - Eles nem vão saber que esteve aí!!



Mas Harry balançou a cabeça com firmeza.
- Eu vou te dizer o que não vou fazer!! Eu não vou me esgueirar para a casa de ninguém como se fosse um ladrão, e apanhar minhas coisas na surdina!! Tenho direito de estar aqui, como qualquer pessoa!! Além disso, o que eles vão fazer? Me por de castigo?



Ele bateu na porta. Um minuto se passou em total silêncio. Então, a caranhola de Tio Valter apareceu por trás da porta.
- Quem é....!!!! ARRE!!!



Ele deu um pulo tão grande, que Harry se surpreendeu por não ter arrebentado o piso da própria casa. Tia Petúnia e Duda correram para a porta.
- Valter!! o que é.... VOCÊ!!!



Harry ficou parado no rol da porta, esperando para ver o que vinha a seguir. 



Duda olhou para ele, com uma estranha expressão no rosto, entre o choque e o "Bem Vindo".



Tio Valter se recuperou rapidamente.
- Que é que você quer aqui Moleque!! Achei que tínhamos nos livrado de você de uma vez...!!



Tio Valter deu outro pulo ainda maior.


Ele olhou para Rony, e Hermione, depois para própria casa, e então sua cara passou de vermelho para branco tão rápido que Rony soltou um "UAU".
- Eu seeei o que você quer!!!! - disse Tio Valter com uma expressão de pura loucura - Quer vingança, não é!!! Menino ingrato!! Depois de tudo o que fizemos por você!!!


Harry riu por dentro. Com certeza, Tio Valter se acabara de se lembrar que agora, Harry podia fazer magia aonde bem entendesse.



Ele olhou em volta procurando uma arma com a qual pudesse lutar. Então agarrou um cabide e veio pra cima.



- Expeliarmus!! - disse Harry
Antes que o Tio tentasse qualquer coisa, o cabide saiu voando de sua mão, e ele foi jogado ao pé da escada. Tia Petúnia gritou, e Duda perdeu completamente a cor da cara gorducha.



- Nossa Harry!! - disse Hermione - O que...o que, exatamente, ELES te fizeram que tem tanta certeza de que veio se vingar!!
- Simples!! Permitiram que eu morasse com eles!! - disse Harry, achando que isso resumia bem os anos nada agradáveis que passara com os Dursley.



Um segundo depois, os Dursley começaram a se acalmar. Harry se limitou a esperar, Rony começou a demonstrar impaciência.
- Vamos Harry!! Pegue logo suas coisas, e vamos embora!! Deve ter um milhão de festas esperando por nós!!



Aí Tio Valter mudou de expressão.
- Ah!! Agora entendi!! Não veio se vingar!! Veio afanar nosso bens!! Pode esquecer, não levará nenhum item dessa casa!! Você não tem direito a nada aqui!!
- NÃO QUERO NADA DA SUA PRECIOSA CASA!!! - disse Harry já meio chateado - Só quero o que deixei aqui!! Tudo o que ficou no meu quarto lá em cima!! Se vocês não se importam!!



A Família Dursley pareceu suspirar aliviada.
- Ah...Era só isso!!
Rony estava prestes a dizer alguma coisa no melhor sarcasmo Weasley, mas Hermione o impediu a tempo!
- Suas coisas estão...no armário debaixo da escada!! - disse Tio Valter apontando com o dedão!!

- Obrigado!! - disse Harry tentando não colocar uma nota de ironia na voz.


Mas então. Antes que qualquer um dissesse qualquer coisa,antes que qualquer um pensasse em se mexer. Um estampido ecoou, e um bruxo se materializou no meio da sala. Dino Tomas.
- Oi Harry!! - disse ele
Antes que Harry pensasse em dizer "Mas o que.." outro estampido.
- E aí Harry!! - disse Simas aparecendo
Vários outros estampidos, e Neville, Luna e Justino apareceram.



Tia Petúnia aparentemente havia perdido a voz por completo, senão estaria gritando aos berros. Duda olhava para tudo estupefato.



- O que estão fazendo aqui!! - conseguiu por fim diser Harry
- Bom!! - disse Neville - Ouvimos dizer que você estava indo visitar seus parentes, então resolvemos trazer a festa para cá!!
- MAS O QUE RAIOS!!!! - disse Tio Valter com a têmpora a ponto de estourar.
- SIM!! QUE RAIOS!!! - disse Dino Tomas passando o braço por cima do pescoço do Tio Valter!! - COMO RAIOS ESSE CARA CONSEGUIU REPETIR UM FEITO TÃO INCRÍVEL DUAS VEZES!! Harry!! Nós vamos comemorar a noite toda!!



Harry não soube o que dizer. Estava tendo uma vontade crescente de começar a gargalhar.



Tio Valter parecia que ia explodir.
- SAIAM...JÁ...DA MINHA CASA!!!! - berrou ele
Todo mundo paralisou.
- Nossa!! - disse Simas - Isso é que é fôlego!! O Senhor é trouxa não é!! - disse Simas
- SOU O QUÊ!!!?
- Quer dizer não bruxo!! - explicou Simas.
- É CLARO QUE SOU UM TROUX...DIGO, NÃO SOU BRUXO!! QUE ESPÉCIE DE LAIA ACHA QUE É A MINHA FAMÍLIA!!!!



Mas ninguém pode ouvir mais nada. Mais estampidos. Os jovens da família Weasley apareceram no recinto.



Tio Valter se virou, e acabou caindo no sofá.
- E aí!! - disse Jorge - Vamos a festa ou não vamos!!!
Harry percebeu que Jorge parecia diferente. Não havia mais aquele jeito maroto em sua voz. Sua expressão era um tanto soturna, apesar de feliz.



Todos gritaram em uníssono. "YEEEH".


Harry nunca pensou, nem mesmo em seus sonhos mais absurdos, que viveria para ver aquela cena. A casa dos Dursley se enchendo de bruxos. A cada minuto chegava mais. A Sra. Figg apareceu a porta sorrindo e trazendo uma bela torta de morango.


Logo, a casa ficou completamente decorada, e a mesa posta. Tio Valter e Tia Petúnia ficaram pregados nos sofás, completamente impotentes e sem dizer um palavra. Duda ficou pregado lá, junto deles, mas observando tudo com vivo interesse.



Harry ainda estava parado lá meio estupefato. Foi só quando seus amigos colocaram musica pra tocar é que ele despertou, e percebeu que agora não tinha mais volta.



- Harry!! Hei Harry!! - Chamaram os amigos - Conte direito para nós como foi a historia do Dragão!!!
Harry nem sabia por onde começar, estava um tanto embasbacado.



Neste momento, Gina aparatou ali.
- Perdi muita coisa?
Aí Harry soube exatamente por onde começar. Deixou a serviço de Rony contar sobre o Dragão, e ele e Gina começaram a dançar.
- Seus Tios..Hum...Concordaram com isso numa boa? - disse Gina
Harry olhou de esguelha para eles.
- Sinceramente!! Acho que não tiveram muita escolha!!
E a festa se desenrolou.



Só quando a coisa já havia tomado proporções inacreditáveis, que os bruxos começaram a se lembrar dos três Dursley. Na verdade, aconteceu quando Duda tentava furtivamente subir para o seu quarto.
- EI!! Espere um momento aí!! - disse alguém
Harry viu Duda congelar, como se alguém lhe tivesse lançado um feitiço de para Petrificar.
Quem o havia chamado havia sido Lino Jordan.
- Você!! - disse Lino - Você deve ser o cara dos Dementadores!! - falou ele
Duda continuou com aquela mesma expressão abobada de antes.
- Harry!! Esse não é o seu primo? - disse Lino - O cara que você salvou dos Dementadores?



Harry gostaria que Lino parasse de lembrá-lo daquilo.
- Por que está subindo? - disse Lino - Não vai participar da festa? Você não sabe o que seu primo fez?
Duda se virou para ele, aparentemente, completamente abobalhado.


Foi nessa hora, que Tio Valter se levantou.
- Que nos interessa o que ele fez? - disse Tio Valter, finalmente encontrando um pretexto para se levantar - O que nos interessa? Nós não temos nada haver com gente igual a ele, GENTE DA SUA LAIA!!!!! O QUE NOS INTERESSA?!!! EU LHE PERGUNTO!!!!


Lino olhou para Tio Valter, sorrindo. Harry ficou feliz ao constatar que pelo menos o olhar traquinas de Lino não havia mudado.



- Caso não saiba!! Se não fosse por seu sobrinho, VOCÊS trouxas, teriam sumido da face da terra em...- e olhou no seu relógio distraidamente - Sei lá, acho que uns três ou quatro meses!!



Tio Valter ficou púrpura.
- Eu não sei que tipo de coisa vocês pensam que esse moleque fez!! MAS EU LHE GARANTO QUE... ARRE!!!



Uma coruja passou voando pela janela, e errou a cabeça de Tio Valter por pouco. Duda se agachou na escada, e ficou lá. Harry se aproximou para apanhá-la, mas ela voou em direção Lino Jordan.



Lino apanhou a coruja, e olhou o que ela trazia.
- Ora veja!! - disse Lino - PESSOAL!! VOCÊS VÃO QUERER OUVIR ISSO!!



A música parou. Lino levantou no ar uma edição do Profeta Diário, então chamou todos para a sala, onde Tia Petúnia ainda estava sentada, com cara de estupefata. Duda também seguiu a massa de gente.



O pessoal se sentou no chão, nos sofás (Tia Petúnia quase teve um ataque, quando Neville se jogou ao seu lado sorrindo).



Lino se manteve de pé, ainda sacudindo o jornal até todos se acomodarem. Tio Valter ficou de pé. Harry se encostou na parede, se perguntando o que era aquela novidade.


- Saquem só!! - disse Lino Jordan abrindo o jornal - Essa é a edição final do Profeta!! A última tiragem, aparentemente, o editor perdeu toda credibilidade e terá que vender o Jornal!! Voto no seu pai pra comprá-lo Luna!! - disse Lino


Harry escutou Tio Valter fazer um muxoxo de impaciência. Não que ele estivesse interessado no jornal, mas talvez por pressa de que tudo afinal terminasse.



- Muito bem!! - disse Lino - A manchete é Morre o Lord das Trevas.
"Para a felicidade do todo Mundo Bruxo, e principalmente dos Bruxos Nascidos Trouxas, o notório bruxo das Trevas, conhecido como Lord Voldemort enfim pode ser dado como morto."



Harry notou que não houve rebuliço a menção do nome de Voldemort. Desde que ele morrera, o medo que instigava parecia ter se evaporado. O que fazia sentido, pois, como Harry bem sabia, nem mesmo o espírito de Voldemort agora tinha qualquer força.



"As noticias correm por todo o lado - lia Lino - O que parecia ser impossível finalmente aconteceu. O Ministério tem o prazer de informar, que Harry Potter mais uma vez sobreviveu a Maldição da morte, e mais uma vez, derrotou Voldemort".



Nessa hora, todos os amigos deram vivas a Harry. Tio Valter o olhou com vivo desprezo, Tia Petúnia não olhou para ele, mas Duda, olhava para ele quase sem crer no que ouvia.



"Contudo, diferente dos demais embates envolvendo este terrível bruxo, a morte deste foi confirmada pela presença de um corpo..." E por aí foi, contando em minuciosos detalhes tudo sobre o que fora aquele embate. Harry achou um pouco dramático, mas nada que uma Rita Skitter pudesse escrever.



"...E como muitos acreditavam, esse valente bruxo, com não mais de dezessete anos, cumpriu o destino que todos acreditavam ser dele, entrando assim para a historia do Mundo da Magia, como o representante da união e aceitação entre todos os povos mágicos, e também os não mágicos".



Todos aplaudiram vigorosamente. Harry sorriu, achando que seria o melhor a fazer.
- Então Harry!! - disse Lino - Eu devo dizer que já sabia disso!


Harry ficou sem entender.
- Eu enviei a reportagem para o Profeta fazer sua tiragem de despedida!! Luna a escreveu, com base no que Rony e Hermione nos contaram.


Harry olhou para os dois, que faziam cara de culpados.
- E eles nos contaram que você vinha dar uma passadinha aqui na casa dos seus tios!! - falou Lino - E resolvemos fazer essa festa aqui, justamente para celebrar seus ideais!!



Harry ficou pensando, que tipo de ideais eles pensavam que a casa dos Dursley poderiam celebrar.
- Meus ideais? - perguntou ele
- Claro!! - disse Lino - Não prestou a atenção nas palavras finais do Profeta? União entre povos mágicos, e não mágicos!! Cara, justamente o oposto do que Voldemort dizia...
- Espere aí!! - disse Tio Valter de repente, chamando toda a atenção para si - Quer dizer que esse tal de Vol..das quantas!! Esse moleque o derrotou?
E apontou para Harry.



- É!! - disse Lino



Harry nunca teve tanta vontade de rir da expressão que Tio Valter fez. Parecia misturar alívio e suspeita. Harry havia contado milhares de vezes para o tio as coisas horríveis que Voldemort fazia com Trouxas, só pra se divertir. Isso fora necessário para convencê-lo de que não deveria permanecer na casa, no começo do ano. Sua expressão era de pura incredulidade agora.



- Tem certeza de que foi ESSE moleque que o derrotou?!! - disse ele apontando para Harry



Dessa vez, foi Neville que se levantou e falou.
- É!!



Harry nunca pensara que veria aquilo. Na verdade, ele nem sabia que os Dursley eram capazes daquilo, mas ele teve certeza, de que por um lampejo de segundo, ele vira gratidão na cara de Tio Valter.



Depois disso, a festa continuou a se desenrolar, com uma única diferença, agora, Tia Petúnia parara de tentar ignorar que havia bruxos em sua casa, e passara a tentar evitar que quebrassem algo. Duda ficou junto de Neville e Luna que ouviam Rony contar um relato muito exagerado sobre tudo o que ele e Harry já haviam feito. Tio Valter foi até a geladeira, apanhou uma garrafa de Vodca e uma taça, e sentou no sofá, bebendo.


Harry riu daquilo. Aquilo não era exatamente ser social, mas agora, ao menos os Dursley pareciam estar tentando aceitar a festa.


- Vai ficar aí parado a noite inteira, ou vamos dançar!! - disse Gina a ele.
Ele sorriu, e continuaram as comemorações até altas horas.



Enquanto isso, sob uma revoada de corujas do lado de fora, várias pessoas com capas longas e coloridas passeavam pelas ruas. E nas casas, com as lareiras acesas, nos bares, e em todos os lugares, bruxos levantavam seus copos num brinde.
- A Harry Potter!! Aquele-Que-Sobreviveu!!


Até a próxima!!!


Comentários
0
Compartilhe

0 comentários:

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações