5 de abr de 2011


[Continuação] FIC Os dezenove anos, e além [5]

Estamos iniciando mais um mês, e já estamos no capítulo 7... divirtam-se!!!


Capítulo 7 -

Alvo se levantou naquela manhã quase sem disposição. Andava cansado desta brincadeira de pique esconde em Hogwarts. Por sorte, o final de semana estava chegando, e ele poderia ajeitar seu horário, e seus deveres escolares, que já começavam a se acumular. Rosa já havia terminado os seus, ela era sem duvida um gênio.

Depois de se vestir e descer para o Café da Manhã, Alvo se lembrou de Escórpio. Será que todos continuavam a enchê-lo? A resposta veio quando ele chegou no Salão Principal. 

- Me devolve meu Livro seu bastardo!!

Um dos garotos mais altos da Grifinória segurava o livro de Escórpio no alto, e ele pulava para pegá-lo. Um grupo de garotos que parecia ser do quarto ano ria ao lado dele. Os professores estavam distraídos por uma pequena confusão na mesa da Sonserina, e não estavam vendo. Alvo procurou por Rosa no meio dos alunos do primeiro ano.

- Aqui!! - Chamou ela
Alvo olhou para ela, e sorriu. Correu para lá, e se sentou ao seu lado. Os dois estavam de costas para Escórpio, e os implicantes.
- Me devolve isso!!!
O aluno jogou o livro no chão, e chutou.
- Vai pegar seu Sonserinosinho invasor!!

Escórpio olhou para ele cheio de fúria.


- Vai fazer o que? - desafiou o estudante empurrando-o

- EU VOU!!! - disse Escórpio - EU VOU...
Mas nem sabia.
Alvo olhou para Rosa. Ela lhe devolveu o olhar. Os dois sabiam o que deveriam fazer.
- Aê!!! - disse Rosa se levantando - Deixa ele em paz!!!
Tudo pareceu silenciar. Exceto a mesa da Sonserina, que continuava confusa.
- Ei!! O que está fazendo? - disse o garoto - Está defendendo esse cara?
- É!! - disse um outro - Ele não é um de nós!! Ele é um Malfoy!!
- QUER SABER!! - disse Alvo, se sentindo repentinamente nervoso - SÃO VOCÊS QUE ESTÃO AGINDO COMO SONSERINOS!!! Olha só pra isso, atacando alguém menor que vocês? Isso não é nem de longe um comportamento de alguém da Grifinória!!!
Ele se levantou e se colocou ao lado de Rosa.

- Quer pegar o Escórpio? Vai ter que passar por cima de mim!!
- E de mim também!! - disse Rosa


Os dois sacaram as varinhas. 

Escórpio estava com a cara de alguém quem nem acredita no que vê. Os alunos do quarto ano vacilaram ao olhar para Alvo.


- Qualé!! Eu...Não vou atacar você!!

Alvo suspirou aliviado. Ele não iria dar para trás por nada, mas sabia que se aqueles sujeitos resolvessem atacar, ele seria mandado para a enfermaria numa caixa de fósforo.
- Cara...Escuta!! TÁ BOM!! Foi mal!! - disse o garoto
Alvo olhou para Rosa sem nem acreditar no que estava ouvindo.
- Vamos parar de perseguir o Malfoy!! Mas se ele fizer alguma besteira...
Ele fez um gesto com dois dedos, para indicar que estava de olho.
- Tchau!! Potter!!
E saiu dali de perto. Alvo ficou sem entender nada.
- Você viu isso!! - disse ele para Rosa
- O que? - disse Rosa 
- O cara!! Ele olhou para a minha cara, e então foi embora!!
- Dãã!! É claro que foi!! - disse Rosa - Você é filho de Harry Potter!! Por que acha que todos te olham desse jeito!!
E apontou para o resto do Grande Salão.

Alvo olhou, e deu com um monte de caras surpresas e estupefadas, cochichando, e falando. Ele sentiu um frio enorme no estômago, e depois muito calor.
- Eu...eu...eu não entendo!! E daí se eu sou filho do meu pai?
Rosa riu.
- Deixa pra lá!! Depois eu te explico!!
- Vocês...
Eles olharam para trás. Alvo quase tinha se esquecido de Escórpio.
- Vocês me ajudaram... Por quê?
- Bom... - disse Rosa - EU e Alvo conversamos, e achamos que você não é tão ruim quanto achamos que era!!

Um minuto de silêncio. Então Rosa começou a rir. Escórpio pareceu ser infectado pelo riso, e começou a rir também, e, sem nem saber por que, Alvo também riu. Os três ficaram dando gargalhadas, até perceberam que todos continuavam olhando. Então se sentaram juntos para tomar café.


Os três terminaram juntos o café. Logo depois, houve a costumeira revoada de corujas correio. Alvo esperou a sua, cheio de doces, e cartas da família. Assim também fizeram Rosa e Escórpio.

Alvo apanhou suas cartas. Havia três. A primeira, era da sua mãe Gina, e de todos os da família de Rosa parabenizando-o por ter ficado na Grifinória, e desejando um bom ano letivo. A segunda, era do tal Rúbeo Hagrid, a quem tinham conhecido na entrada.
"Caro Harry
Espero você e seus amigos na minha cabana hoje, para tomar chá. Se não houver problema com a escola e tudo mais, envie-me uma carta. Tenho uma surpresa que talvez você goste"
Alvo estranhou a carta. Não só pelo convite repentino, mas pelo erro no nome do destinatário.
- Aai!! - lamentou Escórpio
- Qual é o problema agora? - disse Rosa 
- É uma carta do meu pai!! - disse Escórpio sacudindo o pergaminho trazido por uma lustrosa coruja negra - Ele não gostou muito de eu ter vindo parar na Grifinória!!
Alvo e Rosa se entreolharam.
- Er...desculpa a gente não ter tomado a iniciativa de te ajudar a mais tempo!! - disse Alvo - Mas é que...bom...Você sabe...
- É!! Eu sei!! - disse Escórpio
Ele apertou a carta firme com o punho.
- Mas quer saber!! Acho que fiz a coisa certa!! Estou na casa dos grandes bruxos heróis!! Acho que mereço poder me orgulhar por ser parecido com gente como!! Godrick Grifinória, Alvo Dumbledore, e até mesmo Harry Pott...!!!!! Ops!!

Alvo olhou para ele surpreso.
- O que?
- É que...Sabe, seu pai!!
- O que é que tem? - disse Alvo
Rosa fuzilou Escórpio com seu olhar.
- O que foi? - disse Alvo
Rosa olhou para ele.
- Eu disse que te explicava mais tarde!!

Alvo só não questionou, por que ainda havia uma carta que ele ainda precisava abrir. A de seu pai.


"Caro Alvo
Espero que seu começo de ano letivo tenha sido bom, e que o chapéu tenha lhe falado coisas interessantes, ele tem esse hábito. Quando chegar, vá falar com Hagrid, ele é um antigo amigo meu a quem não te apresentei.
Sobre Hogwarts, eu tenho um conselho:

Explore o máximo que puder. Não perca nenhuma oportunidade. Hogwarts esconde segredos incríveis, que somente os mais corajosos, inteligentes, puros e astutos poderão descobrir. Fique atento a portas que desaparecem, e a câmaras escondidas. Cuidado com o Pirraça, ele tem um gênio péssimo. Fique o mais longe possível da Floresta Proibida, ela tem bons motivos para se chamar assim. Não se esqueça de visitar o túmulo daquele de quem herdou seu nome. 
Lembre-se de que todos aqui em casa estão sempre torcendo por você. "

"Boa Sorte, Filho, seja um Grande Mago"

Quando Alvo terminou de ler, seu coração estava descompassado. Parecia que tinha um leão dentro de si, gritando de alegria e excitação. Naquele momento, ele teria encarado um trasgo só pelo prazer da aventura. Justo ele, que nunca fora do tipo corajoso.


Mais tarde naquele dia, Alvo, Rosa e Escórpio foram descendo os terrenos de Hogwarts se encontrar com Hagrid.
- Tem certeza de que vão mesmo lá ver o Guarda Caças? - disse Escórpio - Meu pai disse que ele é um Meio Gigante com problemas mentais, e que era pra ficar longe dele!!
- Duas palavrinhas para você!! Malfoy!! - disse Rosa sorrindo - Harry, Potter!!
Alvo ficou atendo.
- O pai do Alvo confiava nele, então, acho que devemos confiar também!!
Escórpio deu de ombros.
- Bom!! Se o Harry Potter diz...
- Afinal, qual é a de vocês com o meu pai? - disse Alvo
Rosa olhou para Escórpio, ele deu de ombros. Ela então tirou a mochila que carregava nas costas, e tirou um livro da mochila.
- EI!! - disse Alvo - Eu sei que livro é esse!! Foi sua mãe que escreveu, não é? Se chama "As Grandes Histórias de Hogwarts"
- Esse livro não é meio plagio de Hogwarts, uma História? - disse Escórpio
Rosa virou para ele com as orelhas vermelhas.
- Quer um tapão Malfoy?
- HEIN? Não!! Eu só tô falando o que parece!!
- Você FALA DEMAIS!!
Alvo revirou os olhos. 
- Querem parar vocês dois? - disse ele - O que o meu pai tem haver com o livro da Tia Hermione? 
Rosa lançou um olhar furioso para Escórpio, que levantou as mãos em sinal de paz. Então ela abriu o livro com um sorriso orgulhoso.
- Esta escola sempre esteve envolvida na política do Mundo Bruxo, e desde que Dumbledore assumiu a direção, e começou a guerra contra o Lord das Trevas, Hogwarts meio que assumiu a guerra.
- Guerra contra quem? - disse Alvo
Escórpio olhou para ele surpreso.
- Você...você não sabe quem é o Lord das Trevas? - disse Escórpio abobado
- Não!! E deveria? - disse Alvo
Rosa riu.
- Eu não sei como é na sua casa Malfoy!! - disse ela - Mas na casa dos Potter, ninguém fala em Voldemort a anos, e minha mãe me disse que o Tio Harry não achava que Alvo nem ninguém precisava saber nada sobre seus feitos como herói.
- Herói??? - disse Alvo, agora ele estava mais confuso do que nunca.


- Tio Harry foi um dos maiores heróis que o Mundo Bruxo já conheceu!! - disse Rosa - Você nem faz idéia!!
Enquanto andavam para a casa de Hagrid, Rosa começou a lhe contar tudo. Contou sobre os Comensais da Morte, sobre o Ministério repressivo de Cornélio Fudge, e sobre uma Hogwarts tentando se manter no meio de tantos conflitos.
- Então meu pai derrotou esses tais Comensais da Morte? - disse Alvo
- É!! - disse Rosa, olhando mais para o livro em suas mãos do que para o caminho que seguia - Eles foram uma das mais poderosas e piores organizações de bruxos das trevas que já existiu.
- É!! - disse Escórpio - Meu pai me contou que os Comensais eram muito poderosos!! Os bruxos mais poderosos do Mundo e...
- Mas o MEU TIO os derrotou!! - disse Rosa sorrindo - E se quer a verdade, minha mãe disse que ela e meu pai ajudaram muito também!!
- Por que acha que tenho tanto respeito pela família de vocês? - disse Escórpio - Meu pai falava muito sobre o poder dos Comensais, mas quando perguntei o que tinha acontecido com eles...bom, ele disse simplesmente "Um bruxo mais poderoso os derrotou", foi quando fui procurar saber quem era esse cara!! O resto, li nos livros de história!!

Alvo arregalou os olhos.
- Meu pai está nos livros de história!!!
- Por que a surpresa? - disse Rosa - Eu não estou falando desde o começo do livro da minha mãe?

Alvo ainda estava muito confuso com tudo aquilo. Pelo menos ele começou a entender por que todos haviam olhado para seu pai daquele jeito no trem, e por que olhavam tanto para ele na escola.


Foram seguindo caminho a baixo até ver a pequena cabana de Hagrid, soltando fumaça por sua pequena chaminé.
- Nossa!! - disse Escórpio - Ele mora aí? O guarda roupa da minha mãe é maior do que isso!!
Alvo balançou a cabeça.

Eles se aproximaram e bateram na porta.
- Escuta gente!! - disse Escórpio - O que a gente faz se ele resolver atacar?
- Atacar? - disse Rosa - Acha que ele pode fazer isso?
- Não sejam ridículos!! - disse Alvo - Meu pai era amigo dele! Ele não pode ser um cara mal!!
Escórpio olhou para Alvo com uma cara meio sarcástica.
- Escuta Alvo, seu pai explodiu o Gringotes com um dragão, e cavalgou nele até ficar fora de alcance!! VOCÊ ACHA MESMO QUE ALGUÉM SERIA LOUCO PRA TENTAR ATACÁ-LO!!!!
- Cala a boca Malfoy!!!!! - disse Rosa
Alvo ainda estava processando a parte do dragão, quando a porta se abriu. A figura peluda grisalha e imensa de Hagrid sorria.
- Alvo!! Que bom que veio!! Fico realmente feliz!! Venham, venham, fiz um chá!!

Os três entraram. Hagrid olhou para eles satisfeito. Eles se sentaram a mesa.
- Sabe Alvo! - disse Hagrid - Eu e seu pai sempre fomos muito amigos, sabe!!
- Então por que nunca vi você antes? - disse Alvo - Os amigos do meu pai sempre vão a nossas festas de ano novo e Natal!!
- HAHAHA! - disse Hagrid - Eu sei!! Ele me convidou todas as vezes, mas... Todo o meu tempo livre infelizmente esteve voltado para minha própria família!!

- Eu fico imaginando essa família!! - disse Escórpio


Hagrid olhou para ele, estranhando. Alvo achou que Hagrid não gostava muito de Escórpio, mas isso não era realmente novidade. Quem é que gostava?

- Enfim! Eu disse a Harry para vir me visitar sempre, mas ele também esteve ocupado, com seus próprios afazeres!! Então, eu nunca pude conhecer bem você e sua irmã! Ha.Ha.Ha! Claro, o seu irmão Tiago eu vejo muito!! Está sempre com os amigos fazendo travessuras pelos terrenos!
Alvo e Rosa se entreolharam sorrindo. Haviam decidido que Hagrid era boa gente, especialmente depois que ele começou a contar histórias sobre seus pais.


- Ah qualé!! - disse Alvo - Isso é sério?
- É sim!! - disse Hagrid - Os três quase se mataram para conseguir levar Norberta para Carlinhos!! Ah, meu pequeno Dragão - Ele suspirou - É claro, o SEU pai tentou atrapalhar de todas as maneiras!! - disse Hagrid apontando para Escórpio
Escórpio estremeceu.
- Você é filho de Draco Malfoy, certo? - disse Hagrid
Escórpio acentiu sem olhá-lo nos olhos, mas Hagrid sorriu.
- Vejo que ficou na Grifinória!! Boa casa!! Acho que pelo jeito você é bem melhor do que seu pai!!
Escórpio levantou a cabeça surpreso, então olhou para Alvo e Rosa e sorriu.
- Sabem!! Um dos meus melhores amigos também veio de uma família de Sonserinos!! - disse Hagrid 
Os três alunos se entreolharam.
- O nome dele era Sirius Black!! Morreu numa luta contra...bom, contra alguns bruxos ruins!!
Alvo nem precisou de livro pra saber que os "bruxos ruins" deveriam ser os tais Comensais da Morte.
- Bom!! Acho que já chega de chá!! - disse Hagrid sorrindo - É hora da surpresa!!

Ele se levantou com um sorriso misterioso, e saiu. Os três o seguiram, cheios de curiosidade.


Alvo caminhou para fora da cabana seguido de Escórpio e Rosa. Hagrid caminhou para a orla da floresta.
- Oh Ho!! - disse Escórpio
- E o que é agora? - disse Rosa
- Meu pai disse para ficar pelo menos a dez metros das árvores da Floresta Proibida.
- O meu também me recomendou pra ficar longe de lá!! - falou Alvo - Mas e daí? O que demais pode acontecer? Afinal, estamos com o Hagrid!!
Escórpio deu de ombros.

Hagrid os guiou para dentro da borda da floresta sorrindo.
- Seu pai me deixou a cargo disso!! - disse ele - Mas na verdade, ele é dele, e por assim dizer, seu também!! - disse Hagrid sorrindo
Agora Alvo estava realmente curioso. Do jeito que Hagrid falava, parecia ser um animal.
- Agora prestem atenção no que vou fazer!! - disse Hagrid, parando - Deu muito trabalho ensiná-lo a responder a isso!! Mas acho que consegui!!
Ele levou a mão aos lábios, e soltou um belo assobio.

De repente, do alto do céu, uma enorme criatura emplumada veio voando, e desceu num rasante. Alvo, Escórpio e Rosa saltaram para longe. 
Sob quatro poderosas patas, dianteiras de águia, e traseira de cavalo, estava um enorme hipogrifo cinzento.
- Cumprimentem o Bicuço!!


- UAAAU!! - disse Alvo - Olha só pra esse hipogrifo
Até mesmo Escórpio, que estava acostumado com o bom e o melhor ficou assombrado, pois aquele hipogrifo era enorme, e tinha olhos inteligentes e experientes.
- Bom!! - disse Hagrid - Bicuço é o o Hipogrifo de seu pai que eu tenho cuidado desde tempos!! Ele responde por Asafugas também, se preferir o nome!!
- Ele é lindo!! - disse Rosa - Mas...Ele não é meio, sabe, perigoso?
- Quem? Bicuço? Naaam!!(traduzindo, SIM, ele é)
Alvo se aproximou, Bicuço bateu o bico ameaçador. O garoto recuou, com um frio no estômago.
- Eu não sei não Hagrid!!
- Não se preocupe!! Ele é manso! Digo, para um hipogrifo.
Alvo não gostou muito da última frase.
- Escute Alvo!! - disse Hagrid - Tem um jeito pra você se aproximar dele!! Fiquem todos afastados por enquanto!! Quando sairmos daqui, poderão voar nele quando quiserem!

Alvo sentiu uma explosão de excitação quando pensou em voar. Ele não podia voar de vassoura até os dose anos, e por isso, pensou que jamais poderia ganhar os céus até seu segundo ano. As histórias dos vôos de seu pai inundaram sua mente.
- Muito bem!! A primeira coisa que vocês devem saber sobre os hipogrifos é que são muito orgulhosos! Alguns até dizem que são perigosos.
Alvo sentiu Rosa se encolher ao seu lado, e viu que Escórpio começava a perder a cor.
- Vocês tem sorte de eu estar ensinando isso a vocês agora!! - disse Hagrid - A Diretora disse que só poderei ensinar sobre hipogrifos do terceiro ano em diante.
- Por que será? - disse Escórpio irônico
- Bom!! - disse Hagrid - Vamos então à pratica!! Para ganhar a confiança de um desses, é necessário fazer-lhe uma reverencia!! Se ele retribuir, poderão montar nele!! E, é estritamente proibido provocá-lo ou xingá-lo de qualquer nome ou maneira - disse olhando para Escórpio
Alvo se perguntou por que ele dissera aquilo.

Hagrid os chamou para perto de Bicuço.
- Muito bem!! Por que não vai primeiro Alvo? Seu pai era muito bom nisso.
O garoto sorriu. Ele sentiu medo, mas também excitação, se conseguisse, talvez pudesse voar!!
Ele se inclinou, e se abaixou o máximo que pode. O velho hipogrifo ergueu o bico, olhando para ele com um olhar crítico.


- Hagrid!! isso não é perigoso? - disse Rosa
- Bom!! Talvez seria se o hipogrifo fosse mais jovem!! - disse Hagrid - Mas Bicuço agora está mais distinto!! Eles ficam mais fáceis de lidar nessa idade!! Ele vai conseguir - Então se virou para Alvo - Mantenha seus olhos nos dele! Isso ajuda muito!!

Alvo obedeceu. Bicuço olhou para ele profundamente. Então, ele dobrou os joelhos e retribuiu o comprimento. Hagrid sorriu. Escórpio e Rosa também sorriram. Alvo se aproximou cautelosamente e tocou o bico do animal.


Depois disso, Alvo fez com que Rosa se aproximasse também, e fizesse amizade com o hipogrifo. Ele os aceitou até rapidamente.

Só então, depois que teve certeza da afinidade de Bicuço pelos dois primos Hagrid permitiu que Escórpio também se aproximasse. Alvo notou que o Bruxo estava tentando ser gentil, mas ainda não confiava inteiramente em Escórpio.

- Muito bem!! Hora do próximo passo!! - disse Hagrid por fim.
Hagrid colocou Alvo sobre o lombo do hipogrifo.
- Agüente firme!! - disse Hagrid - E VAI!!

O Hipogrifo disparou. Alvo se agarrou como pode. As enormes asas cinzas se abriram, e o animal alado decolou. Quando viu o chão se distanciar, Alvo sentiu uma onda de euforia explodir dentro de si. Ele e Bicuço voaram pelos terrenos, direto para o castelo, e depois por entre as torres. Alvo sentia o sacolejo desconfortante das asas que batiam, mas nem ligou. Ele estava nas nuvens, e bicuço parecia entender perfeitamente onde ele queria ir.

Ele guiou o hipogrifo bem alto, e pousou na torre de astronomia.
- ISSO É DEMAIS!!!
O hipogrifo gritou acompanhando-o. Com as asas esticadas bem abertas. 

Ele olhou para o lago, e viu grupos de alunos fazendo algazarra e apontando para ele. E mais ainda. Olhou para as estufas, e viu Neville com uma turma. Estava longe, mas deu pra ver que era ele. A turma de alunos olhava estupefata.

Alvo achou que talvez fosse melhor ele descer, antes que arrumasse confusão.
- Desce, Asafugas!! - disse Alvo.
Acabara de decidir chamá-lo assim.

Ele planou de volta para a orla. Pousou nos jardins, e foi galopando até a floresta, onde antes mesmo de parar, ele pulou do lombo.

Os dois amigos se aproximaram dando-lhe os parabéns.
- Dez pontos para Grifinória!! - disse Hagrid
Os três olharam para ele.
- Ué? Por que?
- Por fazer uma coisa que só alunos do terceiro ano deveriam fazer!! Isso realmente foi incrível!!
Alvo suspeitou que na verdade, ele queria apenas premia-los sem motivo.


- Agora, é o seguinte!! - disse Hagrid - Pode chamá-lo, como eu chamei, com um assobio forte!! Ele ouvirá, pode ter certeza!!

O garoto ainda tremia pela adrenalina. Se virou para Rosa. Ela parecia doida para experimentar, e Escórpio também. Ele mesmo mal podia esperar para outra rodada.
- EU...Eu posso pegá-lo quando quiser? - disse Alvo
Mas antes de ouvir a resposta, a conversa foi interrompida por um grito.
- Alvo Potter!!! - gritou Neville, chegando pelos jardins.
Os quatro olharam para ele. Hagrid sorriu. Neville entrou no meio das árvores se abaixando. Ele limpava o roso sujo de terra com um pano, e aquele rosto parecia branco.

- Olá Neville!! Como vão as plantas da estufa? Os vermes ainda estão causando problemas!
- Não Hagrid!! - disse Neville - As plantas estão bem!! O que não está bem é esse garoto!! O que você pensa que estava fazendo?
- Eu...Bom!! - Alvo não sabia o que dizer.
- Ele estava voando com o hipogrifo dele - disse Hagrid com simplicidade - Não creio que haja problemas!!
- Mas há!! Hagrid!! Alvo não tem idade pra voar!!
- Com vassouras!! Mas não há restrição contra os animais!! 
Neville esfregou a testa. 
- Acho melhor levar isso a diretora!! - disse Neville
Hagrid pigarreou.
- Não há necessidade! Hora!! Foi apenas um vôo de hipogrifo!! Não há por que fazer tempestade em copo d'água.
Neville passou a mão pela testa até atrás da nuca, pensando.
- Bom...Talvez eu possa tirar por menos dessa vez!! Mas escute Alvo, eu sou o diretor da Grifinória, não posso deixar os outros alunos vendo você voar por aí, como se os alunos da minha casa tivessem acesso livre aos hipogrifos!!
- Mas...mas... - Alvo estava revoltado, ele não poderia voar outra vez? - Mas EU tenho acesso a eles não é? Quer dizer, o Hagrid me disse que o Hipogrifo é meu!!


Neville riu.
- Você é mesmo filho do seu pai!! Sempre voando por aí!! HAHAHA!!
Alvo olhou para os amigos confuso. Rosa deu de ombros, e Escórpio também parecia desnorteado.
- Mesmo assim, eu não posso permitir isso!! A menos que...

Alvo aguardou com ansiedade crescente.
-A menos o que? - disse ele - Fala!!
Neville olhou para os três. Alvo ficou na expectativa, encarando ele com o olhar de "por favor".
-A menos que você escreva para seu pai, e ele dê permissão!! Suponho que o Bicuço seja do Harry, certo?

Alvo engoliu em seco, e olhou para Rosa,que lhe retribuiu o olhar de desanimação. Malfoy observou os dois sem entender aquela troca de olhares. 
-O que foi? - perguntou Escórpio - Algo de errado com seu pai?

Com o pai de Alvo? Não, não haveria problema. Ele com certeza gostaria de ver Alvo voando por aí. Mas sua mãe. Gina Potter era meio super protetora com seus filhos. Não deixou que Harry ensinasse ele e aos seus irmãos a voar de vassoura até os dose anos(é claro que seu pai os ensinou escondido). Não deixava Harry levá-los para ver seu trabalho. E havia um monte de outras coisas que nem valia a pena se lembrar. 
Se sua mãe soubesse da sua intenção de voar em hipogrifos, era obvio que nem ele, nem Rosa, e muito menos Escórpio poderiam sair um metro do chão. 

-Certo! - disse Neville - Se você concordar que seja desse jeito, irei avisar a diretora logo! Com a permissão de Harry, acho que nós poderemos deixar vocês voarem quando quiserem.

Hagrid parecia bastante satisfeito.
-Muito bom Neville!! Muito bem feito!! Acho que isso é mais que justo!


Os três se entreolharam, achando aquilo nada justo.
-Então eu vou nessa!! - disse Neville - As plantas estão me esperando! Tenho umas mandrágoras para cuidar!
E se foi.

De volta ao castelo, Alvo e Rosa explodiram.
-POR QUE - disse Rosa - POR QUE AQUELE CHATO DO NEVILLE TEVE QUE FAZER ISSO!!
-A culpa foi sua - disse Escórpio para Alvo - Por que você tinha que sair voando justamente pra cima do castelo!!
-Na hora não pareceu nada demais!! - disse Alvo
-É, MAS FOI - disse Rosa - Aaaa!! Mais tarde a gente vai ao corujal enviar uma carta para os Potter.
-Certo!! - disse Alvo
-Eu posso ir junto, certo? - disse Escórpio
-Se não tiver nada melhor pra fazer!!
-Beleza!! - disse ele


Alvo achou que ele parecia muito feliz com aquilo.

O resto do dia decorreu normalmente, exceto uma coisa. Alvo notou que agora as pessoas o olhavam com ainda mais curiosidade.
- É normal!! - disse Rosa - Não é todo dia que alguém cavalga num hipogrifo até a Torre de Astronomia!! HAHAHA

Alvo e Escórpio riram. Mas quando chegou a noite, na hora do jantar, Alvo começou a se sentir incomodado com todo mundo. Afinal, fora só um hipogrifo.


Foi essa a hora que Skiper Lovegood resolveu reaparecer. Lá estava ele de novo, com seus olhos sempre atentos. Ele se sentou ao lado de Alvo na hora em que Escórpio estava para fazer isso.
- Oi Alvo!! - disse ele
- Er...Oi!! - disse Alvo sem ter certeza do que era aquilo
- Sabe, só vim confirmar algumas noticias estranhas que tenho ouvido por aí!! Sabe, não tem nenhum instrumento informativo em Hogwarts confiável, então temos que checar a validade dos boatos!!
Alvo olhou para Rosa, que lhe devolveu um olhar desentendido.
- O que???
- Estão dizendo por aí que você saiu fazendo acrobacias num hipogrifo!! E que os professores ficaram tão impressionados que querem até te pagar para entrar no time de quadribol das casas.
Escórpio cuspiu no copo para segurar o riso. Aquilo era o cúmulo do exagero. Alvo ficou pensando quem seria idiota de acreditar naquilo. Rosa ao seu lado parecia partilhar da mesma opinião.
- Escuta cara!! Não é nada disso!! - falou Alvo - Como é que um aluno do primeiro ano vai jogar quadribol? Eu mal sei o básico que meu pai me ensinou.
- Mas o seu pai foi o Apanhador mais jovem do século!! - disse Skiper
Alvo ficou temporariamente mudo.

Mais tarde, naquela noite, ele Rosa e Escórpio saíram para o corujal para enviar a carta para Harry.
Os três decidiram passar na Sala de Troféus para que Alvo pudesse ver a Taça de Quadribol do seu pai.
- Puxa!! - disse Alvo - Eu sabia que meu pai era bom de vassoura, mas não sabia que ele era tão bom.
- Isso não é nada!! - disse Escórpio de olhos arregalados - Olhem só isso!!


Escórpio olhava para uma Taça que estava colocada num pedestal de honra. Alvo olhou para ela maravilhado. Estava gravada com o nome de seu pai.
- Ao Sr. Harry Potter, pela Vitória no Torneio Tribruxo!!!
- Eu lembro disso!! - falou Alvo - meu pai me contou que ele havia competido no Torneio!!! Só não falou que tinha vencido!!


De repente se sentiu frustrado, o que mais seu pai não lhe havia contado? Que outros feitos ele já teria feito, e ele não sabia?
- Pessoal!! - disse Alvo - Quero saber tudo sobre meu pai!! Rosa, me ajuda na pesquisa?!!
- Tá brincando!! - disse Rosa - VOCÊ pesquisando? Eu gostaria de ver isso!!
- Eu quero saber tudo o que há para saber sobre meu pai!! - disse Alvo
- Eu até entendo a sua situação!! - disse Escórpio - Eu detestaria se meu pai me escondesse algo!!
Alvo olhou para ele surpreso.
- Então? Você também vai me ajudar?
- Claro!! Por que não!! - disse Escórpio
Ele sorriu.
- É claro!! Além disso!! Se eu não ficar com vocês, vou ser um alvo em potencial de novo!! Então não tenho muita escolha!!
Eles riram.

Depois de ir ao Corujal, eles voltaram para a torre da Grifinória. A boataria estava em alta. Todos olhavam para Alvo, para Rosa, e para Escórpio. Alvo estranhou mais ainda, pois eles olhavam até para seus amigos.

Por fim, eles se sentaram em frente a lareira para fazerem seus deveres. Já era tarde da noite quando todos acabaram.


- Nossa!! - disse Escórpio - você é muito CRÂNIO!! - disse ele para Rosa
Rosa olhou para ele.
- Isso é um elogio?
- É claro!! - disse Escórpio imediatamente
- Nesse caso obrigada.

Alvo pensou que, sendo ou não um elogio, Escórpio sem dúvida sabia que o mais prudente era dizer aquilo. Seu pai sempre lhe ensinou que nunca se deve aborrecer uma bruxa, em especial as inteligentes.

Alvo se espreguiçou e foi até a janela, pegar um ar. A noite estava, e havia muita névoa na floresta proibida. Ele pensou que a floresta parecia ainda mais assustara àquela hora.
Nessa hora, ele viu algo estranho. Havia alguém andando pelos jardins.

Alvo olhou para aquilo, tentando identificar o que era. Na verdade ele até sabia o que era, só não estava entendendo o que estava fazendo lá.

Era um aluno de Hogwarts. Ele estava envolto em uma capa de frio, cobrindo o a cabeça com um gorro, mas ainda era verão.
- Pessoal!! - disse Alvo - Vem ver isso!!
Escórpio olhou para ele.
- Que é? Tem algum lobisomem andando pelos jardins?
- Lobisomem??? - disse Rosa se pondo de pé com um salto.
Os dois correram para a janela, e se espremeram para olhar.


Seja lá quem fosse aquela figura, estava indo para a Floresta Proibida.
- Só pode ser um lobisomem!! - disse Escórpio - Quem mais andaria a noite pela Floresta?
- Nem é lua cheia!! - disse Alvo
- Vai ver lobisomens gostem de mato mesmo quando humanos!! - disse Escórpio rindo
Rosa olhou para ele com desprezo.

- Você é ridículo
- Foi só uma piada!! 
Alvo continuou olhando. O sujeito se virou para olhar em volta.
- EI!! - disse Rosa - Que tal se a gente o seguisse?
- Ficou maluca? - disse Escórpio
- Por que não? - disse Rosa
- Posso citar alguns bons motivos pra você
- Psss!! - Alvo pediu silêncio - Deixa eu ver para onde ele foi!!
Rosa saiu dalí, e correu para o dormitório das meninas.

- Aonde você vai? - disse Alvo
- Pegar uma coisa!! - disse ela
Alvo e Escórpio ficaram de olho. O sujeito sumiu pela orla da floresta proibida. Depois disso, mais nada aconteceu.
- Quem você acha que era? - perguntou Escórpio
- Sei lá!! - disse Alvo - O que você acha que alguém iria querer na Floresta Proibida?
- Bom... - disse Escórpio - Vai ver...Sei lá...A floresta é cheia de animais esquisitos
Alvo não achou que isso respondia a pergunta.


Depois de uns minutos, Rosa voltou.
- Não achei o que tinha ido procurar!! - disse ela
- Legal!! - disse Escórpio - E o que era?
- A...Um bisbilhoscópio - disse ela - Sabe...pra saber se existia alguma Arte das Trevas!!
Escórpio balançou a cabeça.
- Que exagero!!Pensar que aquilo era Artes das Trevas!!
Alvo também achou.

Nessa hora, Rosa bocejou.
- Nossa!! Está ficando tarde!! Talvez seja melhor irmos dormir!!
- Legal!! - disse Escórpio - Vamos arrumar as coisas então!!
- Não se preocupe!! - disse Rosa - Pode subir!! Deixa que eu arrumo!! Você me ajuda Alvo?
Alvo olhou para ela sem entender. Ela o instigou com o olhar.
- Am...Claro!! Eu preciso terminar umas coisas mesmo, antes de subir!!
- Falou então - disse Escórpio subindo as escadas - Vejo vocês amanhã!!


Depois que ele subiu. Ele e Rosa foram para os sofás em frente a lareira, e começaram a arrumar os pergaminhos, os vidros de tinta, e as penas.
- Tá bom!! - disse Alvo - O que quer me falar!!
Rosa sorriu de modo travesso.
- Na verdade!! Eu não tinha ido buscar um bisbilhoscópio!! - disse ela
O garoto ficou realmente curioso nessa hora. O que era assim tão importante para Rosa querer lhe mostrar a sós?

Ela tirou do bolso um pedaço de pergaminho velho. Alvo sentiu um verdadeiro anticlímax.
- Eu ganhei isso do Tio Jorge, antes de vir para Hogwarts!!
O bruxo olhou para sua prima meio sem entender.
- Ganhou um pedaço de pergaminho? Prefiro muito mais a capa preta que ganhei dele!!
- Você devia saber que quando se trata do Tio Jorge!! Nunca é o que parece.
Alvo sorriu. Aquele Tio deles, era dono,de uma Loja de Logros e brincadeiras, e tinha toda a sorte de objetos mágicos estranhos. Todo presente que ganhavam dele era um objeto de aparência comum, mas com algum poder estranho. "Vão descobrir, quando tiverem que descobrir" dizia ele, sorrindo. Até hoje, Alvo ainda não descobrira para que servia a sua capa preta. Não o fazia invisível como a capa de seu pai, e ele nem imaginava para que mais poderia servir.

- Pare de fazer suspense então!! - disse Alvo - desembucha!! O que esse Pergaminho faz!!
Ela sorriu, tirou a varinha, e apontou para ele.

- Eu Juro Solenemente Que Não Vou Fazer Nada de Bom!!

De repente, o pergaminho se encheu de traços, pontos e linhas. Alvo ficou boquiaberto.
- Ele se chama o Mapa do Maroto!! É demais, não é!!

Alvo olhava para o mapa a sua frente sem ser capaz de acreditar. Era um mapa completo e detalhado de Hogwarts, e havia palavras ali também. Ele leu.
- Os Senhores: Aluado, Rabicho, Almofadinhas e Pontas lhe apresentam o Mapa do Maroto... Quem são esses caras?
- Sei lá!! - disse Rosa - O Tio Jorge só me disse que esse mapa era de um grande amigo dele, e que eu devia guardar bem...
Ela riu.
- O que? - disse Alvo
- E que aprontasse o máximo possível com ele!! Bom!! Eu só estou obedecendo o meu Tio, não é!!
Alvo riu. Seu Tio era possivelmente, o bruxo mais brincalhão, e mais inteligente que o Mundo já vira. Era realmente uma criatura curiosa, o Sr. Jorge Weasley. Tão curiosa quanto a loja que ele tocava, as Gemialidades Weasley. Alvo nunca entendeu o nome da loja, e metade do que tinha dentro delas também.


- OLHA!! Apareceu!! Alguma coisa!!
Alvo e Rosa se debruçaram sobre o Mapa do Maroto. Um ponto apareceu nas bordas dos Jardins, e junto com ele, uma plaquinha com um nome: "Servo Slin".
Alvo de repente reconheceu quem era o sujeito.
- EI!! - disse Alvo - Eu conheço esse cara!! Ele esteve andando pelos corredores quando nós brincamos de Pique Esconde!! É o cara que foi escolhido para Sonserina duas vezes!!!
Rosa olhou.
- Eu lembro dele!! - disse Rosa - O que será que está fazendo lá embaixo?
- E eu que sei? - disse Alvo
Os dois observaram Servo ir andando para dentro de Hogwarts, e por fim, parar em algum lugar nas masmorras, ao lado de muitos outros alunos.
- Acho que é o Dormitório da Sonserina!! - disse Rosa
- É!! - disse Alvo
Eles observaram por mais um tempo, mas nenhum Sonserino se mexeu mais.
- Vamos dormir!! - disse Rosa - Amanhã agente vê o que faz!! 
- Certo!! - disse Alvo
Com a cabeça cheia de perguntas, Alvo subiu, se deitou em sua cama, fechou suas cortinas, e dormiu quase que imediatamente.

Até a próxima!!!!!


Comentários
2
Compartilhe

2 comentários:

  1. Oi, Lay!
    Indiquei selinhos pra vc no meu blog e um desafio, se quiser responder.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Anaa, obrigada pelos selinhos!! Vou ler o desafio para respondê-lo, obrigada!! Visite sempre que quiser!!!!
    Bjussss

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações