1 de set de 2011


[Resenha] Em casa com Nabokov – Leslie Daniels

Nabokov
FICHA TÉCNICA

Título: Em casa com Nabokov
Título Original: Cleaning Nabokov’s House
Autor: Leslie Daniels
ISBN: 978-85-8044-107-9
Páginas: 320
Ano: 2011
Tradutor: Alice Klesck
Editora: LeYa

SINOPSE
Mãe de dois filhos, divorciada, trinta e nove anos. * * * Um manuscrito não publicado de Vladimir Nabokov. * * * Um plano de negócios questionável. * * * Uma jornada que provará ser deliciosamente fervorosa, sinistramente cômica e sábia. “Não há uma única nota falsa ou frase chata nesse livro surpreendente, comovente, sexy e muito, muito engraçado... Uma daquelas histórias que o faz desejar encontrar todos os personagens para um chá.”

RESENHA
“Eu soube que poderia ficar nessa cidade quando encontrei a panela azul esmaltada flutuando no lago. A panela me levou à casa, a casa me levou ao livro, o livro me levou ao advogado, o advogado me levou ao bordel, o bordel me levou à ciência, e, a partir da ciência, eu ingresse no mundo.” É dessa forma que começa esse romance Chick Lit.

Como eu já disse aqui antes, eu amo esse gênero, mas esse livro pode ser descrito em uma palavra para mim: INESPERÁVEL. Sim. Quando recebi esse livro da Editora LeYa, pela capa e pelo título não imaginei à essência do livro. Logo de cara tive muita raiva da protagonista, pois Barb era uma dona de casa que abdicou da sua vida e suas opiniões em função do marido. Logo no início do livro ela se separa do autoritário marido, mas com essa atitude acaba perdendo tudo que tinha, lar, família, filhos e estabilidade financeira. Barb desmorona emocionalmente e se sente uam “coitada”, coisa que eu odeio nos personagens, no entanto, como as primeiras linhas do livro nos mostram, um fato leva à outro, que à leva de volta à vida.

“Gente solitária pensa muito em celebridade – outro fato deixado da Psychology Now -, embora eu não pensasse; eu pensava em gente morta.” (Pág. 117) A falta dos filhos, de ter amigos, sem contato com a mãe e o fracasso do casamento, à remete aos dois grandes homens da sua vida, seu pai e seu primo, ambos falecidos, mas que ela sempre busca na lembrança para ter algo que a encoraje a seguir em frente.

E sua vida começa novamente quando ela consegue alugar uma casa, que segundo o locatário já foi lar um dia de Vladimir Nabokov, autor do sucesso Lolita. Com um carro velho (presente de seu falecido pai), uma casa alugada e um emprego (meia-boca) como correspondente de uma fábrica de sorvete, ela consegue ter visitas de seus filhos, o que a leva a começar à reconquistá-los. Melhorando ainda mais a sitação, Barb encontra na casa alugada um manuscrito que pode ter sido escrito pelo próprio Vladimir Nabokov, que a leva a ter uma amiga, sua agente Margie, esposa do seu carteiro (coisa de cidade pequena). Sua agente leva ao advogado (para provar que o manuscrito realmente foi escrito por Nabokov), que à leva ao bordel (que lhe dá ideia para montar um negócio), paralelo à isso surge o romance inesperado
“Eu tinha me esquecido de como era beijar. Era possível esquecer-se de como é beijar? Que coisa mais errada passar pela vida sem se lembrar disso!” Pág. 223

“Pensei no que Margie dissera logo que a conheci, meses atrás: 'Tem alguém por aí pra você, alguém maravilhoso. O universo está apenas o preparando.'”Pág. 286
Todos esses fatores juntos lhe devolvem a confiança em si mesma, que à motiva a lutar pela guarda dos seus filhos.

LeYaComo eu disse, Em casa com Nabokov me surpreendeu com seu conteúdo divertido, com a mente de uma mulher de 39 anos, recém-divorciada, sem casa, sem a guarda dos filhos, sem amigos e sem apoio da família (uma vez que só tem a mãe e essa além de morar em outra cidade, não mantém muito contato para evitar envolver-se com qualquer tipo de problema). Mesmo com tudo isso ela descobre-se uma mulher forte e decidida a ter de volta o controle da sua vida.

Uma leitura recomendada com certeza, com a máxima em uso “não julgue um livro pela capa”.

Conheça esse e outros livros da editora através do site da Editora LeYa.
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Juro que não me interessei muito pela capa/título, mas enquanto fui lendo sua resenha a vontade de devorá-lo foi crescendo, crescendo e agora eu preciso ler! Haha :)
    Ótima resenha!

    - É tããão difícil - pelo menos para mim - não julgar um livro pela capa D:

    Beijinhos, :*
    www.primeiro-livro.com

    ResponderExcluir
  2. Eu estava julgando o livro pela capa sabia? Fiquei meio com medo de começar à lê-lo. Mas depois de sua resenha, mudou completamente minha visão dele.

    Adorei o blog e quero saber todas as novidades! Já estou seguindo. Espero que curta o meu!
    http://pronomeinterrogativo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Pois é meninas, é incrível como julgamos, não é verdade? Com certeza a capa não faz jus ao conteúdo!!

    Leiam e tenho certeza de que gostarão!!

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Amanda aí em cima, é muito difícil não julgar um livro pela capa, é sempre o que mais me chama atenção que faz com que eu me interesse pelo livro... ;P

    Adoreei a resenha, o livro parece ser ótimo1

    Bj;*
    Naty - Just Books !

    ResponderExcluir
  5. Boa resenha. Em casa com Nabokov é um livro divertido e alegre a sua maneira, assim como os demais livros de chick lit, o fato de ter Vladmir Nabokov no enredo o torna um pouco mais interessante.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações