25 de fev de 2012


[Resenha] Poderosa 2 – Sérgio Klein

PODEROSA_2_1269539836P

Ficha técnica
Título: Poderosa 2
Autor: Sérgio Klein
ISBN: 978-85-7676-157-2
Páginas: 148
Ano: 2006
Editora: Fundamento
Sinopse
Joana Dalva é uma adolescente que dá vida às palavras quando escreve com a mão esquerda. Mas, nem tudo é tão mágico assim... Sua avó acaba de falecer.
Ela tenta se conformar com a situação ao visitar um asilo para a aula de história, mas faz duas descobertas inusitadas: as doações feitas aos idosos estão sendo roubadas e se depara com ninguém menos... que sua avó!
Esse é só o começo da novas aventuras de Joana Dalva, muitos perigos – e até sequestro, a aguardam.
Resenha

Poderosa 2 é um livro mais emocionante que Poderosa, que foi minha última resenha aqui no DTP. Como tinha falado, em Poderosa, a sequência embora tem mais emoção que seu antecessor, ainda assim é uma leitura despreocupada e sempre precisamos dar um tempo em tanta deilusão amorosa, conspirações, enfim, o que rege a maioria dos romances.

Nessa sequência, Joana se vê diante de um problema familiar de grandes proporções. Sua avó, Dona Nina, falece e Joana se vê tenta a trazê-la de volta à vida, no entanto, decide realizar seu último desejo, morrer em paz e ser cremada e ter suas cinzas jogadas num lindo jardim cheio de rosas, as flores preferidas do seu avô Plínio. No entanto, ainda assim, sua mãe pede que escreva um epitáfio para vó Nina, mesmo ela não estando enterrada no cemitério e Joana escreve rapidamente (por falta de tempo mesmo) a seguinte frase:
Nina está viva e forte dentro da gente.
Pág. 36
Tentando dar sequência a sua vida depois desse abalo, Joana se depara diante de um trabalho interdiciplinar na escola, onde os alunos visitaram o asilo municipal com o objetivo de entrevistar  os seus moradores e assim descobrir suas particularidades e assim “descobrir o Brasil”. E é a partir desse ponto que a história fica muito mais emocionante.

Durante a visita dos alunos ao asilo, cada um procurou alguém para entrevistar, e foi assim que Joana entrevistou Adalgisa, que fez uma grave denúncia e tinha esperança de que algum daqueles alunos a escutasse e assim publicassem no jornal e as coisas no asilo pudessem enfim melhorar, mas eis que Joana, quando está saindo do asilo, encontrar por acaso a companheira de quarto de Adaalgisa, que é ninguém menos que … vó Nina.
Se fosse entrevistada, eu diria que comecei a escrever com a humilde pretensão de criar histórias que divertissem os leitores – entre os quais, naturalmente, estou incluída. Na verdade sou a primeira da fila.
Pág. 12
Aqui Joana continua namorando… seus pais continuam se separando, Apolo continua com … enfim, as demais situações permanecem no mesmo ponto onde acabou Poderosa.
- Me dê um tempo, João, que eu já volto. Vou buscar uma caneta e escrever uma frase pra voltar a ser uma garota.
- Não precisa – ele disse. – Você é bonita de qualquer jeito.
- Que é isso, João? Eu já me olhei no espelho. estou cheia de rugas, não enxergo direito, minha pele é uma lixa…
Ainda tinha de falar na flacidez do pescoço e na dificuldade de caminhar sozinha, mas deixei as reclamações de lado quando João me abraçou. O rosto dele se aproximou do meu e aos poucos foi perdendo o foco até ficar completamente embaçado. Fechei os olhos e, na minha idade, ganhei um beijo de cinema!
Pág. 110
Mas há uma grande novidade para nossa futura escritora…
Lá estava, na primeira página do jornal de maior circulação da cidade, o texto que eu tinha escrito para o Olho Vivo. O nome da autora – JOANA DALVA – aparecia logo abaixo da manchete, em caixa alta e em itálico.
Pág. 135
Como deu para perceber, adorei o livro, e a ligação entre Joana e vó Nina me fez sentir saudades das minhas avós (não conheci meus avôs, então é difícil sentir falta de quem você não teve convivio), que embora eu visse pouco (apenas nas férias) me faziam uma criança muito feliz.
Quando as palpébras começaram a pesar, eu me recostei no colo da vó Nina e realizei o desejo de dormir um sono neutro, sem sonhos nem pesadelos.
Pág. 147
Até a próxima…
Era noite de lua cheia, a brisa suave arrepiava a nuca e não passou um só carro na rua na hora da serenata. O que mais eu poderia escrever?
Pág. 148
3 ClavesBeijos à todos!!!
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Uma amiga minha já leu e me disse coisas muito boas sobre o livro, assim como vc disse na resenha.Agora minha curiosidade sobre o livro só aumentou!!!!
    Rafa :)
    Blog Melody
    http://rafaacarvalho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Pois é Rafa, eu tinha interesse em ler esse livro há muito tempo, mas só agora consegui pegá-los na troca pelo Skoob, mas ainda falta pegar o 5, que eu pretendo conseguir antes de terminar o 4 né?! Kisses

    ResponderExcluir
  3. Eu também achei o Poderosa 2 o mais emocionante e dramático deles ! Li ate o quatro e acho a saga incrível *---*

    ResponderExcluir
  4. Pois é Vivý, eu tenho até o 4 também, mas pretendo conseguir o 5 LOGO, kkkk não vou aguentar esperar...

    ResponderExcluir
  5. Boa resenha, e devemos divulgar autores nacionais que escrevem livros tão bons.Ainda não li,mas sua resenha me deixou com vontade de ler realmente. Entre crises de adolescente e problemas com a família, parece que o livro está escrito em uma linguagem fácil, leve e contemporânea e é uma ótima diversão

    ResponderExcluir
  6. eu nao costumo ler muito, mas na sexta (20/03/2015) fui na biblioteca da faculdade e encontrei esse livro,me interessei pela história, quando comecei a ler, me encantei, palavras fácil de entendimento, e cada vez ia me interessando pela historia e me envolvendo. Agora estou interessada em ler os outros.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações