25 de mar de 2012


[Resenha] O Circo da Noite - Erin Morgenstern

Capa_CircoDaNoite_WEB

Ficha técnica
Título: O Circo da Noite
Título Original: The Night Circus
Autor: Erin Morgenstern
ISBN: 978-85-8057-160-8
Páginas: 368
Ano: 2012
Tradutor: Claudio Carina
Editora: Intrínseca

Sinopse

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.
Resenha
Acredito que  vocês perceberam o frisson que foi o lançamento do livro no inicio do mês aqui no Brasil. Tudo isso me motivou à leitura de O Circo da Noite, mas ao contrário do que se possa imaginar, em nenhum momento li a sinopse, resenha ou comentários de outros leitores sobre o livro. Não quis criar expectativas que poderiam não ser cumpridas... dei ao livro a oportunidade de me levar numa leitura no seu próprio ritmo e me conquistar pacientemente. E foi o que aconteceu! 

blog_parceiroEu particularmente nunca fui ao circo, não que tenha faltado oportunidade, mas porque nunca me chamou a atenção. Entretanto, O Circo da Noite mudou a minha opinião.   Ao conhecermos o Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos), percebemos que a atmosfera mística é levada ao extremo. O Circo foi criado como "campo de batalha" para a disputa de dois jogadores, Celia e Marco que foram escolhidos ainda crianças por seus tutores para participarem de um jogo que nunca compreenderam em sua totalidade. 

Sem se conhecerem e praticando e estudando durante anos, após a criação do circo, o jogo começa. Trata-se da manifestação de seus dons com "magia". Cada jogador foi treinado de uma maneira pelo seu tutor, que pensam de maneiras diferentes sobre a prática da "magia". Cada participante faz a sua jogada esperando a reação do seu oponente. Quase como se fosse um jogo de xadrez (comparando superficialmente).  
O dia da estreia, o melhor, a noite da estreia, é espetacular. Todos os detalhes estão planejados, uma multidão se aglomera fora dos portões bem antes do sol se pôr. Quando finalmente é permitida a entrada, as pessoas fazem isso de olhos arregalados, e, à medida que andam de tenda em tenda, os olhos arregalam-se ainda mais.
Pág. 98
O Le Cirque des Rêves é o tabuleiro, no entanto, as consequências das jogadas feitas por Celia e Marco implicam na vida de muitas outras pessoas. Dos fundadores do circo, que conceberam a ideia de um circo diferente, onde os espetáculos não acontecem em uma única tenda e sim cada artista apresenta-se em uma tenda exclusiva, dando ao espectador a oportunidade de escolher qual show quer ver em cada noite, se quer ver o mesmo da noite anterior ou explorar algo novo, isso sem falar nas novas tendas que surgem com o tempo, frutos do jogo de Celia e Marco. Outra notoriedade é o fato do circo ser todo listrado em preto e branco, o que contrasta completamente com os circos em geral, que são absurdamente coloridos. Mas acredito que o fato mais impressionante é o fato do circo nunca anunciar sua chegada. Ele sempre aparece de repente, sem nenhuma explicação, o que o torna ainda mais cativante.
"Que espécie de circo é esse que só abre à noite?", todos se perguntam. Ninguém tem uma resposta adequada, mas, com a aproximação do crepúsculo, uma substancial multidão de espectadores reúne-se do lado de fora dos portões.
Pág. 8
Toda essa atmosfera mística leva ao surgimentos dos rêveurs (sonhadores), que nada mais são do que os fãs do Le Cirque des Rêves. Esses fãs passam a seguir o circo por todas as cidades e países que podem. Correspondem-se uns com os outros em busca de compartilharem seus sonhos com o Le Cirque. Realmente é fabuloso!
O título rêveurs começa como piada, mas pega, seguro em sua adequabilidade.
Herr Thiessen gosta muito disso: estar cercado de mentes afins de toda a Europa, e às vezes de mais longe, que têm discussões intermináveis sobre o circo. Ele transcreve a história de outros rêveurs para incluir em seus textos. (...)
Ele chega até mesmo a começar, não intencionalmente, uma tendência de moda entre os rêveurs. Comenta durante um jantar em Munique (...) que sempre que vai ao circo prefere usar um casaco preto, para se misturar melhor com o ambiente e se sentir parte do lugar. Mas junto com o casaco usa também um cachecol escarlate brilhante, para se diferenciar dos demais, como um lembrete de que no fundo é um espectador, um observador.
Pág. 136
Na história vamos e voltamos no tempo diversas vezes, uma hora estamos em 1894 e no capítulo seguinte já estamos em 1902, nos mostrando o futuro, mas sem sabermos como chegamos à esse ponto. Até o momento em que passado, presente e futuro são um único instante!
É nesse momento que Celia percebe que o guarda-chuva que está segurando não é o seu.
- Com licença, Srta. Bowen - diz uma voz atrás dela, acima do ruído da chuva e ressoando na rua. Uma voz que ela reconhece mesmo antes de se virar e ver Marco em pé a sua frente, completamente encharcado, com gotas rolando da aba do chapéu-coco. Em suas mãos está um guarda-chuva preto fechado, idêntico ao que ela segurando. - Creio que a senhorita esteja com o meu guarda-chuva - diz, quase sem fôlego, mas com um sorriso que tem muito de lobo para parecer tímido.
(...)
Depois de todos aqueles anos de conjecturas, estar diante de seu oponente não era algo que ela esperava.
Pág. 153-154
Marco já havia descoberto quem era sua oponente nesse intrigante jogo, mas o fato de Celia descobrir esse fato, os leva à um novo patamar. As suas interações no jogo ficam mais complexas, e eles passam a encontrar-se cada vez mais, o que os leva ao surgimento de um sentimento novo.

O romance nesse livro é um fator secundário. Sem dúvida o que se mostra em primeiro plano é o circo e como ele afeta a vida de todos ao seu redor.

Usei sempre o termo "magia" entre parenteses, por não conseguir encontrar na verdade uma palavra que expresse em sua totalidade o que Celia e Marco são capazes de realizar.

A participação na narrativa de outros personagens dá um perspectiva diferente de tudo que está acontecendo. Poppet, Widget e Bailey entram como personagens fundamentais no futuro do Le Cirque des Rêves.

Mas então, eis que chegamos ao fim, e não temos certeza de que entendemos o circo em sua total complexidade. Mas sabendo que ainda assim faremos uma nova visita!



4 Claves 
Bjus lindos e até a próxima!!!!
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Quando cheguei a este livro, acho que a Intrínseca nem tinha comprado os direitos de publicação. Recebia toda semana este livro como indicação da Amazon, li os comentários e peguei para ler.

    A história é muito bonita, mas achei que a autora não aprofundou os personagens. Dá impressão que todo aquele mistério em mostrar fragmentos dos personagens, principalmente na relação pai e filha (não sei se seria spoiler comentar sobre isso, então vou deixar só a citação), vai se revelando como quem aguarda um quebra-cabeças montado, mas não aconteceu pra mim e achei que ficaram peças faltando.

    Pelo que li, não teremos continuações.

    Eu acho essa capa mais bonita do que a outra, com Celia e o Marcos na capa, que é a da minha cópia.

    Até pensei em relê-lo e ver se esta impressão foi por causa de todo o burburinho, comparações com J. K. Rowling, feitas no lançamento do livro.

    Espero que tenha evento dele por aqui.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Geu, eu não vi essa outra capa, mas amei essa!! Sem dúvida parece que falta algo, então não sabemos se realmente entendemos o circo por completo...

    Tomara que tenha evento mesmo, seria ótimo!!

    Kisses

    ResponderExcluir
  3. Quando foi lançado eu decidi que queria o livro por causa da capa, o tempo passou e acabei não conseguindo comprar.

    Agora, acho que mudei de ideia, e vou tirá-lo da lista, não quero ficar sem entender tudinho hehehe.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações