22 de mar de 2013


[Resenha] A Culpa é das Estrelas - John Green



Ficha Técnica



Título: A Culpa é das Estrelas
Título Original: The Fault in Our Stars
Autor: John Green
ISBN: 978-85-8057-226-1
Páginas: 286
Ano: 2012
Tradutor: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca

a-culpa-e-das-estrelas-john-greenA culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.




Resenha



John Green é o cara. Escrever uma história, que têm como personagens principais adolescentes com câncer, e conseguir transformá-la em algo irreverente, romântico, e ao mesmo tempo denso e brutal, não é tão fácil assim. Se você já viu alguém falando sobre “A Culpa é das Estrelas”, essa pessoa provavelmente lhe disse o quão desidratada ela ficou ao ler o livro.

O.k., não é bem assim, têm aqueles que se emocionam com livros e outros que não, porém ao ler esse inovador romance você será tragado para um mundo onde a tragédia permeia entre o amor e a vontade de sobreviver, e por mais frio que alguém possa ser, a vida ainda é o bem mais precioso que temos, e é inevitável não se questionar: “Tudo bem, isso é uma ficção... Mas e se acontecesse comigo?”
Sempre que você lê um folheto, uma página da Internet ou sei lá o que mais sobre câncer, a depressão aparece na lista dos efeitos colaterais. Só que, na verdade, ela não é um efeito colateral do câncer. É um efeito colateral de se estar morrendo.
Pág. 11
Hazel está prestes a completar dezessete anos e os pensamentos mais recorrentes em sua cabeça são relacionados à morte. Ela é portadora de um câncer na tireoide que se alastrou posteriormente para os pulmões. Imersa em uma depressão, Hazel é indicada a participar do Grupo de Apoio para Crianças com Câncer.

É no Grupo de Apoio que Hazel conhece Augustus “Gus” Waters, um jovem rapaz curado de um osteossarcoma (tumor maligno) que lhe deixou uma sequela permanente: a perda de uma perna. Gus vai até o Grupo acompanhando seu amigo Isaac, que devido a um tipo de câncer, terá que fazer uma cirurgia nos olhos, com perda garantida de sua total visão.
A hora passou rápido. Lutas foram recontadas, batalhas ganhas em guerras que com certeza seriam perdidas; a esperança virou tábua de salvação; famílias foram celebradas e recriminadas; foi o consenso que os amigos não entenderiam nada; lágrimas foram compartilhadas, e consolo, oferecido.
Pág. 18
A partir desse primeiro contato, Hazel e Gus começam a se conhecer melhor, compartilhar livros, histórias, momentos, sentimentos... É bem complicado você acompanhar dois personagens, vê-los se apaixonando, e ao mesmo tempo, saber que um deles têm no pescoço uma corda que pode enforcá-lo sem aviso prévio.

Porém apesar dos fatos, as personagens principais de “A Culpa é das Estrelas” optam por viver, sonhar, amar... O diagnóstico todos já sabem, resta somente à eles decidirem se viverão para doença ou pela - tentativa- de superá-la.
Então é claro que fiquei toda tensa quando ele me tocou. Estar com o Augustus era feri-lo – inevitavelmente. [...] Resolvi mandar uma mensagem de texto. Quis evitar uma conversa inteira a respeito.
‘Oi, então tá, eu não sei se você vai entender isso, mas não posso beijar você nem nada. [...] Quando tento olhar para você desse jeito, tudo o que vejo são as coisas pelas quais vou fazer você passar.’
[...] Ele respondeu alguns minutos depois.
‘O.k.’.
Pág. 97
Não tem como não se apaixonar por Hazel e Gus, muito menos pela tocante história dos dois. Um amor jovem condenado mesmo antes de começar, mas ainda assim completo... verdadeiro. No decorrer do livro vamos nos deparar com a tentativa de Gus em presentear Hazel com um dos maiores desejos de sua vida: conhecer o seu autor preferido, Peter Van Houten, que vive em reclusa na Holanda.
Tentei me convencer de que poderia ser pior, que o mundo não era uma fábrica de realização de desejos, que eu estava vivendo com câncer e não morrendo por causa dele...
Pág. 114
Voltando ao autor, John Green é nada menos do que excepcional. Além de escrever muito bem, ser extremamente criativo, dosando como ninguém entre comédia, drama e romance, ele ainda mantém um canal no YouTube (Vlogbrothers), possui um senso de humor incrível e com seus livros já garantiu vários prêmios. No lançamento de “A Culpa é das Estrelas”, seu sexto romance, ele autografou à mão a primeira tiragem -150 mil exemplares- do livro nos EUA. Não tem como não admirar, correto?

Os direitos para o cinema de “A Culpa é das Estrelas” já foi adquirido pela Fox 2000 e suas gravações devem ser iniciadas ainda este ano. O roteiro fica a cargo de Scott Neustadter e Michael H. Weber de “(500) Dias Com Ela”, a produção por conta de Marty Bowen e Wyck Godfrey (Saga Crepúsculo) e a direção será do novato Josh Boone. “O Teorema Katherine” (2006), segundo livro de Green, é uma das apostas da Editora Intrínseca para este mês de Março.

Mensagem do John Green para os fãs brasileiros:

Tudo. Aquela palavra ficou suspensa no ar por um tempo. Ambos sabíamos o que significava. Eu me levantei, arrastando meu corpo e o carrinho pelo tapete que era mais velho do que o Augustus jamais seria, me ajoelhei nos pés da cadeira, coloquei minha cabeça no colo dele e abracei sua cintura.
Pág. 194
No mais, “A Culpa é das Estrelas” é um livro de qualidade inquestionável e de grande importância literária, já que é um dos difusores do “sick-lit”, um estilo voltado para adolescentes, mas que trata de problemas sérios como doenças, depressão e suicídio. Em um mundo onde nas últimas décadas o grande companheiro dos jovens na literatura eram as criaturas irreais - bruxos, vampiros, anjos, zumbis, fadas -, faz com que o acompanhamento desta nova tendência seja o tanto quando interessante. Vamos ficar de olho, pois com certeza muitos novos “A Culpa é das Estrelas” irão atingir as prateleiras nos próximos meses. 
Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. [...] Obviamente existe um conjunto ainda maior entre 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros.
Pág. 235

Book Trailer


5 livros


Tácio

Comentários
15
Compartilhe

15 comentários:

  1. que resenha linda!! eu li o livro no começo do ano, e ele mexeu muito comigo. acho que não teria como ser diferente, porque a história é exatamente assim: emocionante, irreverente, brutal, verdadeira. Achei incrível a intensidade que cada um dos personagens carregava, aquela consciência de morte sem uma completa desistência. Tem um quê de sonhos e de esperança, mesmo na sinceridade com que eles levam a vida, sabendo que amanhã pode não existir. Faz a gente pensar. E chorar, claro HAHA. Devo ter soluçado por pelo menos umas 50 páginas, direto. É esperado, e ao mesmo tempo surpreendente. E infinitamente mais bonito do que eu esperava.
    Se você curtiu o livro, procure o filme "Inquietos" pra assistir. São muito parecidos, e o filme tem esse mesmo tom que o livro. Sou apaixonada por ele também :)
    Beijão

    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha e do livro. Eu já assisti "Inquietos", e realmente é bem nessa pegada.

      Excluir
  2. Que linda resenha. Estou com esse livro na minha estante mas ainda não li. Vejo mesmo nas resenhas falando que é emocionante demais e você chora do começo ao fim. Não vou esperar mais para ler, será meu próximo livro.
    Eu não sabia que viraria um filme.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é tão lindo! Esta entre os meus preferidos. Sou dessas que vai estar na pré-estreia do filme com camiseta de fã rsrs

    ResponderExcluir
  4. Eu não li o livro, mas já li várias resenhas falando tão bem dele, que fiquei interesada!! O livro parece ser muuito lindo, e me deixou morrendo de vontade de lê-lo!!

    ResponderExcluir
  5. Nossa 150 mil, maioria dos autores ficariam cansados com menos acho.
    Estou doida pelo filme, mas já tendo lido o livro e chorado, possivelmente vou passa vergonha no cinema chorando de mais.

    ResponderExcluir
  6. Eu amei esse livro, principalmente pq ele trata de um assunto extremamente triste, mas não é um livro triste. Eu me peguei rindo em varias partes, chorei também, me apaixonei pelos personagens por todos, e fiquei me imaginando lendo o livro favorito da Hazel. Estou super ansiosa pelo filme.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não vi nenhuma resenha com menos de 5 estrelas para esse livro! Todo mundo adorou e ta sendo um sucesso. Espero ansiosamente a oportunidade de lê-lo!!

    ResponderExcluir
  8. Eu li o livro, mas, infelizmente, não gostei tanto quanto todo mundo gostei.
    É sim uma história emocionante, apesar de não ter chorado, mas achei que faltou um final...

    ResponderExcluir
  9. Tácio,parabéns adorei a resenha maravilhosa!Fiquei fã do John Green e adorei a
    mensagem do John Green para os fãs brasileiros.
    O livro trata de um tema delicado:o câncer, de forma suave,doce, divertida e até mesmo engraçada. Hazel atualmente tem 16 anos, mas desde os 13 tem um câncer no pulmão e nessa condição ela precisa andar sempre com um tanque de oxigênio,por onde vai.Apesar de achar que sua filha está enfrentando essa situação numa boa e tentando levar uma vida normal,porque até faculdade Hazel frequenta,está preocupada com afilha achando que ela esta com depressão,então decide que a filha vai participar de um grupo de apoio.
    Hazel não está aceitando muito bem essa ideia,até que conhece Augustus,um garoto que já teve a doença.John Green nesse livro consegue tratar de um assunto tão triste e delicado, e nesse caso de uma adolescente que está começando a viver.
    Assisti um filme recente com a Dakota Fanning,Now Is Good triste e emocionante com o mesmo tema.
    Na expectativa pelo filme,com certeza vai ser emocionante.

    ResponderExcluir
  10. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, as resenhas e comentários sobre ele são sempre positivos, pode parecer estranho mais ainda não me "animei" para ler esse livro, mas com certeza lerei é um dos livros mais amados atualmente, sempre falam que a história é emocionante (prevendo lágrimas) também vou aguardar pelo filme.

    ResponderExcluir
  11. DEMAISSSSSSSS Muito bom!!! Se alguém tiver interesse, temos alguns modelos de imãs, caixinhas e chaveiros com trechos do livro. Vejam http://www.minhavoquedeu.com.br/index.php?route=product/product&product_id=84

    ResponderExcluir
  12. Amei a resenha. E não consigo descrever tudo que senti quando li ACEDE. É perfeito.

    ResponderExcluir
  13. Mas gente!!! Chorei litros e mais litros quando li... Livro absolutamente perfeito... e injusto, porquê o Gus não devia ter morrido :'( :'(
    Fiquei arrasada na parte que ele foi comprar cigarros só e o tubo de alimentação infectou :(
    E com o discurso da Hazel no ensaio do enterro dele...
    E na parte que ele morreu e ela foi dar um beijo na bochecha dele e colocar um maço de cigarros no bolso.
    Depression mode: On
    "O.k? O.k."

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações