7 de mar de 2013


[Resenha] Silêncio - Becca Fitzpatrick

   
Título: Silêncio
Título Original: Silence
Autor: Becca Fitzpatrick
ISBN: 978-85-8057-131-8
Páginas: 301
Ano: 2012
Tradutor: Débora Isidoro
Editora: Intrínseca


Sinopose
capa SilencioNora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo.

Resenha

ATENÇÃO: Esse post pode conter spoilers, pois ele faz parte de uma série. Confira a resenha do primeiro e do segundo exemplar clicando aqui (...).

Depois do final repleto de reviravoltas e surpresas de “Crescendo”, esperava que a trama de “Silêncio” seguisse o mesmo ritmo e apesar do ínicio da história começar bem, aparantemente Becca Fitzpratick não consegue manter o fôlego, deixando à desejar em alguns momentos.

Após ficar desaparecida por onze semanas e acordar repentinamente em um cemitério no meio da noite, Nora não se lembra de como foi parar lá, na verdade ela não se lembra de nada que aconteceu nos últimos cinco meses. Coincidência ou não, esse era o tempo exato que ela conhecia Patch.

Ao voltar para casa Nora ainda têm que enfrentar mais uma surpresa: sua mãe está namorando novamente, ninguem menos do que Hank Millar, o pai de sua maior inimiga Marcie. Agora além de ter que aturar essa novidade, Nora ainda terá que tentar retomar sua vida tendo que lidar com o grande buraco em sua memória.
Meus olhos descreveram um círculo lento em torno do túmulo. O cheiro das folhas se decompondo, sinal evidente do outono se aproximando, o perfume intenso da grama cortada, o bater de asas de muitos insetos reunidos – nada disso lançava luz sobre a resposta que eu procurava com tanto desespero.
Pág. 38
O ponto alto da história? Nós leitores, diferente dos livros anteriores, sabemos quem é o vilão e a relação dele com a mocinha, porém ela não faz ideia de quem ele seja. Uma pegada bem no estilo do mestre Hitchcock, ao qual Fitzpatrick consegue reproduzir com efetividade, fazendo com que o leitor se envolva à narrativa, já que ele tentará se relacionar com Nora, numa tentativa de alertá-la dos perigos que a cercam.

Aos poucos Nora vai tentando voltar a sua rotina, porém uma estranha sensação lhe persegue: o escuro, o negro, a tonalidade preta... tudo isso lhe envolve de uma forma abstrata, lhe causa curiosidade, desejo. Ela começa a ter visões, frases aleátorias lhe atingem e a menção do nome “Patch” faz com que ela sinta uma “emoção intensa, inesplicável”.
Patch. Assim que o nome saiu da boca de Marcie, a sombra negra e persistente encobriu minha visão. [...] Como uma bofetada inesperada. Por um momento, perdi a capacidade de respirar. O ardor invadiu meu corpo até os ossos. Eu conhecia esse nome. Havia algo nele...
Pág. 71
Nora coleta todas as informações possíveis que consegue através de sua amiga Vee, de sua mãe, de seu então sumido amigo Scott, de Jev (um estranho que a salva de uma tremenda confusão), e até mesmo de Marcie. Tentando juntar os cacos de vidro que se tornou sua memória, Nora vai em busca de respostas, mas parece que ninguém as têm, ou melhor dizendo, não as quer revelar.

Aparentemente tudo está indo muito bem em “Silêncio”, mas daí vocês me perguntam ao que eu me referi no primeiro parágrafo desta resenha. Simples. Diferentemente de “Sussurro e “Crescendo”, a reta final do livro me decepcionou bastante. Achei que a autora fez uma escolha o tanto quanto óbvia em relação ao foco principal da história, tão óbvia que se a ideia era surpreender, essa ideia em questão foi equivocada e falha.
Nem um grito conseguia romper a barreira erguida pelo pavor. No final, a única coisa entre nós era o silêncio.
Pág. 267
Agora é torcer para que “Finale”, a última parte da série, eleve novamente o seu padrão. Que a autora não crie ideias toscas e vagas para conseguir dar um final a história de uma forma qualquer para justificar todos os acontecimentos anteriores, pois em “Silêncio” somos surpreendidos com uma personagem mutilada e em desvantagem perante seus adversários, mas ainda assim persistente e forte, e que apesar de ter um desfecho corriqueiro e talvez equivocado, não deixa a obra muito distante de seus antecessores. Uma pena que uma boa ideia se perdeu em seu processo, e como não temos o poder de mudá-la, a solução é esperar pelo melhor em sua continuação.

Book Trailer

3 livros

Tácio
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Apesar do final totalmente previsível, gostei bastante de Silêncio.
    Li Finale no mês passado e, infelizmente, não gostei do desfecho da saga. Fiquei entendiada durante grande parte da leitura e o final não foi surpreendente. Espero que você aproveite a leitura mais do que eu.

    ResponderExcluir
  2. Ain, que pena que você não gostou. Eu amei tantoooo, amo demais essa saga e adorei o final. Mas muitas pessoas não gostaram. ):
    Beijos!

    http://livrinhoseeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu só li o primeiro da série, mas já ouvi comentários de que esse terceiro é mais fraquinho mesmo.
    Pretendo terminar de ler a série e espero que o ultimo dê um final digno aos livros.

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei Silêncio, na verdade amei toda a série, é uma das minhas preferidas.

    ResponderExcluir
  5. Venk Patch, bom para mim não decepcionou, talvez seja porquê sou apaixonada pela série rs, Silêncio consegue ser uns dos meus livros favoritos da saga, acho tão bonitinho a Nora (apesar de irritante) ter "visões" e lembranças com o Patch e a cor preta, mais bonitinho ainda é como acontece a relação com o Jev, acho que silêncio foi um ótima plataforma para Finale, o final me supreendeu, Hank atenta até no ultimo momento.

    Obs: Scott continua divando rs, uns dos meus personagens favoritos :)

    ResponderExcluir
  6. Já faz um tempo que li esse livro e adorei!! Scott continua sendo um dos meus personagens favoritos na série junto do Patch!!

    ResponderExcluir
  7. Ah, que pena que há uma "falha" na série. Não gosto muuuuito de finais obvios mas, ok. Só sei que não perco a vontade de ler essa série por nada! hehe

    ResponderExcluir
  8. Nossa Tácio adorei o post,principalmente porque vou começar a ler a série nesse feriadão e estou fascinada pelo enredo do livro.
    Mas muitos comentam que ela realmente "deixou à desejar" em alguns momentos da série,mas as capas são maravilhosas.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações