19 de abr de 2013


[Resenha] Pandemônio - Lauren Oliver


Ficha Técnica

Título: Pandemônio
Título Original: Pandemonium 
Autor: Lauren Oliver
ISBN: 978-85-8057-313-8
Páginas: 304
Ano: 2013
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
22Dividida entre o passado — Alex, a luta pela sobrevivência na Selva — e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro.



Resenha

Esse texto contém spoilers de Delírio, primeiro livro da trilogia
Há quase um ano trouxe aqui para vocês a resenha do livro Delírio, que foi o primeiro livro distópico que li. E claro amei.
26Em Delírio fomos apresentados à uma realidade onde o amor agora é considerado uma doença grave, o amor deliria nervosa. Todo cidadão ao atingir 18 anos recebe “a cura”. Não é uma opção. Lena ansiava pelo dia da sua intervenção, pois, marcada pela doença presente em sua família, o que ela mais queria era a normalidade, a certeza de não sofrer, não sentir, não amar. Porque você pode morrer de amor, ou da falta dele. Entretanto, poucas semanas antes de sua intervenção, mas precisamente no dia de sua entrevista (onde é avaliada de todas as formas para que o governo ache um par que possa pareá-lo à ela e decidir sobre seu futuro profissional) ela conhece Alex, e sua vida vira de cabeça para baixo. Infectada pelo amor deliria nervosa. Lena decide fugir para Selva com Alex, mas isso não será tão simples assim. Delírio termina com Lena chegando na Selva, porém ela vê os reguladores pegarem Alex, e ela tem certeza de que ele morreu.
Antes de conhecer Alex, vivi quase dezoito anos acreditando piamente no sistema, acreditando cem por cento que o amor era uma doença, que precisamos nos proteger, que garotas e garotos devem ficar rigorosamente separados para impedir o contágio. Olhares, toques, abraços: tudo isso carregava o risco de contaminação.
Pág. 19
selo_blogparceiro_2013.1_thumb1Sozinha e ferida na Selva. Assim iniciamos Pandemônio. Sem Alex, Lena não faz ideia do que fazer, para onde ir, o que procurar e ainda por cima está ferida. Resgatada por um grupo de Inválidos (não curados, que vivem à margem da sociedade) Lena tem que se superar a cada dia para viver sem Alex (após descobrir o que é o amor), sem família, sem moradia decente (afinal viver na selva não oferece nem um pouco de conforto com o qual ela estava acostumada – mesmo que fosse pouco), alimento completamente racionado para todo o grupo, ajudar nas atividades diárias (cada um deve fazer sua parte, contribuindo para o grupo) e um fato muito importante, Lena descobriu que sua mãe, que ela achava que estava morta desde que tinha seis anos de idade, está viva e estava presa nas Criptas em Portland, porém fugiu e não sabe nenhuma notícia dela e provavelmente nem terá.
Em Pandemônio, a narrativa é dividida em duas fases, intituladas “antes” e “depois”. Nos capítulos de título “antes” são narrados os fatos que ocorreram imediatamente após Lena ter chegado na Selva e sua tentaiva de adaptação. Nos capítulos intitulados “depois” conta o momento atual, onde Lena faz parte da resistência e tenta cumprir a missão que lhe foi designada, infiltrar-se na ASD e se ficar de olho em Julian, líder da ala jovem da instituição. Acontece que durante um ataque dos Saqueadores, os dois acabam sendo colocados juntos como prisioneiros.
Aqui somos apresentados à muitos personagens novos, que mesmo quando secundários tiveram sua parcela de importância na história e deram sua contribuição, não é como se estivessem lá só para compor o cenário. Achei a entrada deles bastante plausível e a forma como foi feita me fez gostar de muitos deles como Prego, Julian e Graúna. Prego e Graúna fazem parte da resistência, e são os mais próximos de Lena. Adorei a dinâmica deles dois, que me parece são um casal, embora não fique claro. Julian é um detalhe à parte. Amei-o de cara e me senti traindo o pobre do Alex.
Assim como Delírio, Pandemônio termina de forma abrupta e, embora eu esperasse o que aconteceu no final, a forma como aconteceu me surpreendeu, principalmente o fato de que terei que esperar Deus sabe quanto tempo até que Requiem seja lançado aqui no Brasil. Pelo menos existe a certeza de que serão três livros mesmo, ou seja, a Lauren não vai me aprontar deixando um final desse, né gente, em cólicas esperando o próximo livro, isso não se faz, rs.

Então é isso, beijinhos e até a próxima!!!!



4-livros_thumb
Comentários
11
Compartilhe

11 comentários:

  1. Eu detestei o primeiro, mas logo vou me render e ler o segundo, eu lembrei muito da série Feios ao ler essa resenha.
    Fiquei sem saber o que sentir a respeito.

    ResponderExcluir
  2. Estou morrendo de vontade de ler Pandemônio! Tbm adorei Delírio e fiquei triste com a possível morte do Alex =(
    Gostei bastante dessa divisão de "antes" e depois. Acho que ajuda bastante a separar o que está acontecendo.
    É mto bom saber que os personagens secundários são importantes e que esse volume tem bastante ação! ^^
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não sei se quero ler esse livro, eu gostava tanto do Alex, acho que ler a sequencia sem ele não vai ser a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li esse livro, nem Delírio, mas eles parecem ser bem escritos. Só ouço elogios sobre eles. A estória parece ser bem interessante, sobre uma doença chamada 'amor deliria nervosa'. Gosto de livros com ação onde a estória flui tão facilmente. Espero lê-los algum dia se tiver oportunidade :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Quando comprei Delírio pra ler confesso que não sabia se tratar de uma trilogia.
    Gostei muito do livro, o ruim é continuar sem um personagem querido.
    Adorei sua resenha e fiquei mais curiosa para continuidade da história, o difícil realmente é a espera pelo terceiro livro.

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não li o primeiro livro Delírio, mas sou louca pra ler, pois parece ser um livro muito bom sem contar que a capa é linda esse segundo livro Pandemônio também parece ser muito legal e eu to louca pra começar a ler a série.

    ResponderExcluir
  7. Estou evitando séries, pois demoram muito de lançar os outros volumes e isso me irrita, :\
    Li bons comentários dos 2 volumes, :)

    ResponderExcluir
  8. Não li toda a resenha, pois não gosto muito de spoilers, prefiro ir me surpreendendo a medida que vou lendo! Já faz algum tempo que tenho interesse nessa série, e a resenha só me deixou mais curiosa!!

    ResponderExcluir
  9. Meu Deus, necessito deste livro, o final de Delírio foi simplesmente desesperador! Adorei sua resenha me deixou bem curiosa em relação ao livro.

    ResponderExcluir
  10. Estava aguardando anciosamente essa resenha já faz muito tempo que quero esse livro, ainda não li o primeiro da série então tive que pular algumas partes da resenha para não ler os spoilers, o que só serviu para me deixar mais curiosa, espero que até conseguir ler os dois livros da trilogia, ja tenham lançado o ultimo, ninguém merece ter que esperar as continuações da séries é muito sofrimentos para nós leitores.

    ResponderExcluir
  11. Eu ainda não li Delírio,mas vou ler nas férias,já tenho o livro e também na expectativa para ler Pandemônio,gostei do livro a começar pelas capas criativas e bonitas pela sinopse,personagens marcantes e resenhas que li.
    Acompanhar Lena deve ser emocionante,as aventuras de quando fugiu e o momento que vai viver na selva.Principalmente agora quando se junta ao grupo da resistência e também a chegada de novos personagens na trama

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações