12 de jun de 2013


[Resenha] Destino - Ally Condie


Ficha Técnica

Título: Destino
Título Original: Matched
Autor: Ally Condie
ISBN: 978-85-60280-81-0
Páginas: 239
Ano: 2011
Tradutor: Lívia de Almeida
Editora: Suma de Letras

destinoCassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade. Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.


Resenha

O que você ia achar se sua vida fosse controlada por uma “força” maior, responsável por decidir o que você come, com quem você casa, quantos filhos você pode ter, o que você lê, as músicas que você ouve, onde você trabalha... E quando você deve morrer? Certamente uma sociedade assim seria o tanto quanto chata e completamente sob um regime ditatorial nada interessante.

Essa descrição acima existe no mundo literário. Em “Destino” livro de Ally Condie, um governo/país intitulado Sociedade controla tudo e todos em um futuro dos Estados Unidos, na região onde hoje é o Colorado. Sendo mais uma distopia de grande sucesso, “Destino” é o primeiro de uma trilogia que permeou a lista dos mais vendidos do New York Times e que teve seus direitos para ser adaptado ao cinema pelos estúdios Disney.
Rio de mim mesma, da minha imaginação boba. Pessoas não podem voar, embora, antes da Sociedade, existissem mitos sobre aqueles que podiam.
Pág. 7
No livro iremos conhecer Cassia Reyes uma jovem que ao completar 17 anos precisa comparecer ao seu Banquete do Par, evento onde irá conhecer seu futuro namorado - e posteriormente marido - que pode morar em qualquer uma das cidades espalhadas pela Sociedade. Porém, na vez de Cassia a tela fica apagada por muito tempo e quando ela liga o rapaz que aparece na tela é Xander Carrow, seu melhor amigo e morador do Bairro, surpreendendo a todos.

Após o Banquete, cada adolescente recebe um microcartão com os dados de seu Par, já que o certo era que os casais não se conhecessem. Ao inserir o seu microcartão no terminal para ver tudo aquilo que já sabe sobre Xander, Cassia toma um susto, pois o sistema se reinicia e no lugar do rosto de seu amigo reaparece o de outro rapaz, o de Ky Markham.
A tela permanece vazia, e eu também me sinto vazia. Isso é milhares de vezes pior do que a tela apagada da noite passada. Eu sabia o que aquilo queria dizer. Não ideia do que isso queira dizer. Nunca ouvi falar que isso pudesse acontecer.
Pág. 27
Cassia não entende o que aconteceu e fica surpresa. Ela conhece Ky de vista, ele frequentou a mesma escola que ela e mora no mesmo bairro, mas eles não são amigos. Mais na frente Cassia irá descobrir que Ky não é igual aos outros moradores de sua cidade e intrigada pelo aparecimento do rosto dele em seu microcartão, ela tentará buscar respostas. Mas essas respostas terão um preço, um preço alto que talvez Cassia não esteja pronta para pagar, e a Sociedade nem um pouco apta à receber.

Então, isso é ⅓ da história. “Destino” engloba MUITA coisa legal além desse triângulo amoroso e caso eu fale o resto aqui, creio que vai estragar a emoção para quem for lê-lo. Por alto posso dizer alguns fatos interessantes, como por exemplo: a Sociedade disponibiliza 3 comprimidos diferentes para cada cidadão; cada comprimido possuí uma cor (verde, azul e vermelho) e têm uma função, porém a população não faz ideia do que o comprimido vermelho faz e eles só podem tomá-lo se a Sociedade mandar. As capas dos livros possuem a cor dos comprimidos, e elas são extremamente inteligentes, pois em conjunto com seus devidos nomes, essas capas dizem bastante de cada obra.
 
Capas de “Destino”, “Travessia” e “Conquista”

Eu realmente não sei mais o que falar, temo dizer detalhes que irão fazer com que a graça se perca, mas ao mesmo tempo sinto que não estou fazendo jûs a magnitude do livro. Ally Condie se mostra uma autora muito boa, sua história têm força e de todas Distopias que já li, essa é a que mais se aproxima de uma sociedade atual. Em algumas partes têm muito enrola-enrola, mas nada que prejudique a leitura. Para quem se interessar, a terceira e última parte chega em Novembro aqui no Brasil.
Depois de um momento, abro os olhos e olho para Ky. Ele não retribui, mas eu sei que sabe que estou olhando para ele. A música é suave, lenta. Seu peito sobe e desce com a respiração. [...] Ky tem razão. Nunca mais vou ouvir esta canção do mesmo jeito.
Pág. 101




 
4 livros

Tácio
Comentários
9
Compartilhe

9 comentários:

  1. Estou super curiosa em relação a essa série, já está na minha listinha de leitura faz um tempo mas sempre acabo passando alguém na frente, tenho que arranhar um tempinho para lê-lo. Sua resenha só me deixou ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Morro de vontade de ler essa serie!
    Está na fila!
    Feliz Dia dos Namorados!
    Beijos
    Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. eu já tinha ouvido falar muito desse livro desde que ele foi lançado, mas confesso que nunca parei pra realmente ler uma resenha antes da sua. e UAU. parece muito bacana! uma mistura de tudo aquilo que a gente já cansou de ver em distopias, mas com um toque de alguma coisa nova e chamativa! Me lembrou Matrix, e 1984, e mais um monte de coisas. Parece ótimo :D um livro que definitivamente vou procurar pra ler!

    beijão
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu curti bastante esse livro! Li esse e Travessia, e é uma trilogia que acho que vale a pena conferir. Achei a história bem diferente e leve, mas acho que o segundo deixou um pouco a desejar, ficou enrolando muito... Quero ler o terceiro pra saber como termina essa história, mas não é o livro que mais desejo ler não, acho que o segundo não conseguiu me prender tanto quanto o primeiro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a sua resenha.
    Destino, foi a primeira história de distopia que eu li e simplesmente amei. Achei incrivel tudo o que acontece, a relação dos personagens. Tudome encantou.
    Ainda não li os 2 livros seguintes, mas imagino que devam ser do mesmo nível.

    Bjok

    ResponderExcluir
  6. Que bacana que vai ser adaptada para o cinema. Talvez essa seja uma série que eu prefira ver o filme antes de ler o livro (ainda que demore um pouquinho). Como ainda não li nada de distopia, fico nesse impasse. hehe Acho muito bonitas as capas dos livros. Parece até uma evolução da personagem, ou algo do tipo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Vale muito a pena, a narrativa é envolvente e interessante, uma das melhores trilogias que já li, e tenha certeza que você ficará no mesmo impasse que a Cassia fica pelo Ky e Xander

    ResponderExcluir
  8. Oi Tácio,parabéns pela resenha,no momento estou lendo Travessia,o livro me chamou a atenção pela sinopse,capa e Autora.
    Realmente,não deve ser fácil viver em uma sociedade "controladora",o melhor que poderia acontecer e uma rebelião contra todo o sistema e Cassia confiava nas "escolhas" da Sociedade,mas no momento em que surgiu a possibilidade de escolha as coisas mudaram de rumo e tudo em que ela acreditava não existia mais.
    Uma série com reflexões interessantes.

    ResponderExcluir
  9. Ah, mais uma distopia! Ultimamente, venho vendo muitas distopias, desde uma das mais famosas (Jogos Vorazes, Delírio etc) até as menos conhecidas. Até então eu não sabia da existência de "Destino", mas parabéns para Ally, pois busquei muitas outras resenhas na internet, e realmente, esse parece um ótimo livro distópico, pode se considerar até mesmo um dos melhores, pois a criatividade e o realismo, se misturam e o resultado é esse história extremamente boa.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações