16 de jun de 2013


[Resenha] O Coração dos Heróis - David Malouf


Ficha Técnica

Título: O Coração dos Heróis
Título Original: Ransom
Autor: David Malouf
ISBN: 97-85-8044-292-2
Páginas: 254
Ano: 2011
Tradutor: Paulo Polzonoff
Editora: LeYa

coracaoA batalha entre gregos e troianos não termina em chamas. Existe sofrimento, tristeza e redenção no coração dos guerreiros. Quando todos acreditavam que as chamas que engoliam Troia eram o pior a se esperar, eis que Aquiles, possuído pelo desejo de vingar a morte de seu tão estimado Pátroclo, mata Heitor e arrasta seu corpo durante onze dias em sua carruagem, perto das muralhas da cidade. Nenhum grego - ou troiano ousa impedir o feito, a não ser o pai de Heitor, Príamo, rei de Troia, que precisa se despir de seu orgulho e grandeza e se dirigir ao território inimigo a fim de resgatar o corpo do filho. Um poderoso romance sobre a guerra de Troia, em que os humanos são muito mais que joguetes nas mãos dos deuses e no qual os sentimentos disputam acirradamente o domínio sobre o coração de cada grande guerreiro em campo de batalha.


Resenha

“O Coração dos Heróis” conta a história de Príamo, o rei da famosa Troia, e sua luta em tentar conquistar muito mais do que terras e povos. Dando uma nova roupagem a obra de Homero, “Ilíada”, David Malouf nos leva à Grécia Antiga para narrar a batalha de um pai na tentativa de reaver o corpo de seu filho, morto pelos rivais.

Heitor, filho de Príamo, mata Pátroclo, amigo de Aquiles, este que vai e mata Heitor como forma de vingança. Nisso, Aquiles amarra o corpo de Heitor em sua carruagem e o vai arrastando durante dias. Príamo ao saber que seu filho foi assasinado e seu corpo tratado como lixo, decide ir atrás de Aquiles para poder ter a chance de enterrar seu filho de uma maneira respeitável.
Mas, em outra parte de si mesmo, o jovem que ele ainda é resiste, e é a ira contida dessa resistência que o leva a caminhar até o litoral todas as manhãs. Não exatamente sozinho. Com seus fantasmas.
Pág. 18
Príamo ao invés de pegar todo o seu exército e mandar que batessem na porta de Aquiles para que conseguissem obter o falecido Heitor na marra, decide se jogar em uma missão suicida. Após um sonho/visão/presságio/aviso dos deuses, Príamo decide arranjar uma carruagem aos pedaços e ir sozinho com a ajuda somente do carroceiro, buscar ele mesmo o corpo de seu filho, mesmo sabendo que suas chances de retornar são mínimas.

Com isso, Príamo vive uma pequena jornada onde ele irá descobrir, ou começar a enxergar, coisas que antes não sabia/via. Tudo isso logicamente envolto nessa atmosfera greco-romana, repleta de proverbios e pensamentos sobre deuses, glória, poder, etc.
Tudo me foi prometido pelos poetas da corte do meu pai, quando eles citaram os nomes dos meus ancestrais e cantaram suas ladainhas para os deuses, tudo o que os próprios deuses prometeram me fora roubado, cancelado...
Pág. 86
“O Coração dos Heróis” promete mas não cumpre. O livro é arrastado, parado e cheio de partes inúteis. Esperei até o final um desfecho descente, com uma batalha épica, bem no estilo que estamos acostumados a ver em filmes com essa temática grega, mas nem isso nos é entregue. Fiquei super desapontado, não irei mentir, pois tudo nesse livro grita que ele é (deveria ser) “épico”.

A capa do livro é linda, a sinopse do livro é encantadora, o autor, apesar de nunca ter lido nada dele, é respeitado e recebeu boas crítcas por essa obra em questão, sem contar na nota do livro na Amazon que é alta e os comentários repletos de elógios. Não sei se o culpado sou eu que não entendi a essência que o Malouf quis abordar ou se o livro é chato mesmo. Pra quem leu ou pretende ler, depois me diz aí qual das duas opções é a mais próxima do real.

 2 livros

Tácio
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Poxa,
    Que pena que o livro não agradou. Pela sinopse, eu tbm imaginei que no final, teriam aquelas batalhas epicas que fazem o coração acelerar e talz;
    A capa realmente é linda.

    Bjok

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente, pela capa eu compraria o livro, porque é linda, e o livro fala dos deuses, e depois das obras do tio Rick, eu passei a amar esse assunto, por isso com certeza compraria o livro. Eu também nunca ouvi sobre o autor, talvez quem sabe algum dia eu chegue a ler uma obra dele? Bom, o livro me parece lindo, mas a história me pareceu chata. Pena, pois tinha tudo pra ser legal.

    ResponderExcluir
  3. Oi Tácio,concordo também que pena que não gostou do livro mas cada leitor depois de ler pode tirar melhores conclusões.
    Achei interessante a sinopse e a capa e daria uma chance por ser um livro que envolve Troia,gregos e troianos,personagens da história antiga e batalhas emocionantes.O problema é que não podemos criar tantas expectativas principalmente se considerarmos o mundo de Hollywood e seus filmes épicos grandiosos.
    P.S.:Um conselho sincero, sua resenha deveria primar mais pela imparcialidade,mesmo que o livro não tenha conquistado VC como leitor,pode conquistar outros que lerem sua resenha,então cuidado com opiniões particulares e ainda chamando o livro de chato?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa, você não compreendeu muito bem minha colocação. O ponto não é chamar ou não o livro de chato, pelo contrário, o que eu fiz foi um questionamento sincero, uma forma de realmente saber se o livro não agrada ou se foi culpa minha de não ter entendido sua essência, o tanto que finalizei a resenha pedindo opiniões de quem já leu, para ter visões diferentes da obra. Sou tão imparcial que chego a discorrer sobre as qualidades do mesmo, e a grande receptividade e elogios que livro em questão recebeu. Porém resenhas são assim, são reflexo do ponto de vista de quem está escrevendo/leu, e como enalteço algo bom em livros que me agradam, tenho que falar quando é o contrário. De qualquer forma, conselho recebido =]

      Excluir
  4. É o que o todos esperam, uma batalha épica quando se fala em gregos e troianos, mas na verdade o autor monstra a batalha interna que se passa no coração dos heróis. De uma lado o Rei e suas aflições ao ver o seu filho morto e a ansiedade de lhe prestar as honras fúnebres e do doutro Aquiles com a sua fúria e tomado pela vingança por seu "amigo" Pátroclo ter sido assassinado por Heitor.

    ResponderExcluir
  5. Tácio, sinto por não ter gostado do livro, terminei de ler hoje e achei muito interessante, pois traz uma visão completamente diferente com relação a Gregos e Troianos. Para mim o altor quis mostrar que dentro dos Heróis também há um coração e ainda por cima cheios de conflitos internos principalmente o de Príamo - Rei de Tróia que teve de se despir de todo o luxo, riqueza e orgulho de um rei para ir em busca do corpo do seu filho, mas também do coração do carroceiro que mesmo sendo humilde com relação a Príamo também tem um conflito interno. Coisas que nenhum deles podem demonstrar para ninguém, nem mesmo para seus familiares. Por isso que os dois mesmo com diferenças tão gritantes, durante toda a jornada se deram bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima forma de ver a história Gerlayne! =] Não tinha visto desta forma!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações