26 de ago de 2013


[Resenha] O Aprendiz de Assassino - Robin Hobb

 

Ficha Técnica

Título: O Aprendiz de Assassino
Título Original: Assassin’s Apprentice
Autor: Robin Hobb
ISBN: 978-85-8044-817-7
Páginas: 416
Ano: 2013
Tradutor: Orlando Moreira
Editora: LeYa

40O jovem Fitz é o filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e foi criado pelo cocheiro de seu pai, à sombra da corte real. Ele é tratado como um penetra por todos na realeza, com exceção do Rei Sagaz, que faz com que ele seja secretamente treinado na arte do assassinato. Porque nas veias de Fitz corre a mágica do Talento – e o conhecimento obscuro de um garoto criado em um estábulo, entre cães, e rejeitado por sua família. Quando assaltantes bárbaros invadem a costa, Fitz está se tornando um homem. Logo ele enfrentará sua primeira missão, perigosa e que despedaçará sua alma. E embora alguns o vejam como uma ameaça ao trono, ele pode ser a chave para a sobrevivência do reino.



Resenha


Esse é o primeiro livro da Robin Hobb que leio. Robin na verdade é o pseudônimo usado por Margaret Astrid Lindholm Ogden, que nasceu em 1952 na Califórnia. O Aprendiz de Assassino é o primeiro da Saga do Assassino, cujos próximos livros ainda não tem previsão de lançamento no Brasil, mas, pelo menos o próximo, já tem título em português, O Punhal do Soberano. Sabe-se que por enquanto, serão cinco livros compondo a saga.

Logo altaO personagem principal dessa história é o filho bastardo do Príncipe Herdeiro dos Seis Ducados, Príncipe Cavalaria, um homem nobre, honrado, forte, justo e muito querido pelo seu povo como herdeiro do Rei Sagaz. Sem nome, a criança é entregue por seu avô materno aos “cuidados” da família real quando tinha apenas seis  anos de idade. Como não sabem seu nome, passam a chamá-lo de Fitz (que significa bastardo), e ele fica aos cuidados de Bronco, homem de confiança de Cavalaria, enquanto este está em uma missão muito longe da Torre do Cervo (onde reside a família real, os Visionários, dos Seis Ducados). Porém, Fitz nunca chega a conhecer seu pai, que renuncia ao seu lugar de herdeiro em favor de seu irmão mais novo, Veracidade, e vai morar com sua esposa, Paciência, em um local muito distante, aparentemente por conta da vergonha de ter um filho ilegítimo.

 

Morando na Torre do cervo, ainda aos cuidados de Bronco, Fitz cresce e como Bronco é o mestre dos estábulos, ele se vê muito apegados aos animais com que convive. E é assim que Fitz descobre a Manha, que nada mais é do que a capacidade de dividir as emoções com um animal, entrando em sua mente. Porém, isso não é bem visto por Bronco, que o impede de utilizar esse “dom”.

É uma coisa inebriante ser subitamente proclamado o centro do mundo de alguém, mesmo que esse alguém seja um cãozinho de oito semanas de vida. Isso me fez perceber o quão profundamente sozinho eu me sentia, e há quanto tempo.

Pág. 213

O único poder que é aceitável nesse mundo aparentemente medieval criado por Robin é o Talento, que é um tipo de controle mental. Entretanto, apenas os portadores do sangue real podem usar esse poder, bem como aprender a controlá-lo. Mas, é claro que um bastardo nunca teria essa oportunidade.


Cresci sem pai nem mãe, numa corte onde todos me conheciam como um divisor de águas. E um divisor de águas me tornei.

Pág. 22

Tratado por todos como um estorvo, Fritz tenta viver o mais invisível possível, porém, um dia ele acaba chamando a atenção do Rei Sagaz, e esse o leva para morar na Torre do Cervo, ao invés de continuar vivendo nos estábulos e lhe propõe que, caso queira ser um homem do rei, deverá aprender lutas, escrita, leitura, e o principal, aprender a ser um assassino. Mas isso não é porque ele goste de Fritz, e sim pelo simples fato de que é sempre melhor ter um bastardo por perto do que afastá-lo e acabar criando um inimigo.


(…) Vou te ensinar maneiras sórdidas, discretas e delicadas de matar pessoas. E pode ser que venha a desenvolver um gosto por tais artes, mas também pode ser que não. Isso vai depender de você, e não é algo sobre o qual eu tenha algum controle. Mas te garanto que saberá como fazê-lo.

Pág. 76

O livro é narrado em primeira pessoa, na visão de Fitz, e tive que me acostumar com isso, visto que a maioria dos livros que vemos hoje em dia é na terceira pessoa. Mas enfim, posso dizer que a Robin conseguiu descrever com sucesso um cenário envolvente e detalhista, o que é um fator determinante nos livros de fantasia. Vimos também as fortes relações que Fitz forma com alguns personagens e os meus favoritos são Veracidade, Bronco, Breu, Bobo e Moli.

 

Agora é esperar pela sequência para descobrir o que irá acontecer com Fitz!!!

 

Beijos queridos e até a próxima!!!!


4-livros_thumb_thumb
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Oiiiiiiiiiiii, quando vi a capa não me interessei mas lendo sua resenha bateu a curiosidade!

    Bjoooooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito da capa desse livro! Mas não se se gosto muito da premissa dele... Enfim, não é um livro que eu compraria, mas se tivesse em mão iria ler.

    ResponderExcluir
  3. Uiiiii,só o título já me mete medo...é um tipo de livro que não me atrai.Bj.

    ResponderExcluir
  4. Esse livro não me chamou tanta atenção pela capa. Mas lendo a sua resenha fiquei mais curiosa. Ultimamente estou com um problema com os livros narrados em primeira pessoa. Fico querendo saber mais dos personagens e o que eles estão pensando e não temos isso, só de quem está narrando.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Lay!
    Não conhecia o livro e não me interessei mto.
    A não ser pelo fato de que sou apaixonada por animais e o protagonista tem o "dom" de entrar na mente deles, por um cenário detalhista e envolvente.
    Mas iria para o finalzinho da lista até pq é uma série e estou evitando iniciar uma nova :)
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei da sua resenha, MaS não leria o livro pois não gosto muito de livros assim, eu já li em alguns lugares que esse livro é como os do Martin, então não e pra mim, tentei ler os livros do Martin mas não deu certo achei muito confuso, narrativa chata e livro muito grande também kkkk
    Me perdi uma 10x ai desisti.
    Então livros assim pra mim não dá :/
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Quando eu via a capa desse livro ,eu achava ela tão estranha .Nunca tive vontade de lê-lo .Esse negócio de principe ,filho bastardo ,etc. nunca me interessou .
    Não quero lê-lo também pelo fato de que é uma série e eu já estou cheio de séries para ler ,e mais uma vai piorar mais ainda .

    ResponderExcluir
  8. ja peguei nesse livro tantas vezes mais nunca me interessei achei a capa feia #Fato mais depois da sua resenha vo olhar esse livro com melhores olhos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações