19 de set de 2013


[Resenha] Perdão, Leonard Peacock - Matthew Quick


Ficha Técnica

Título: Perdão, Leonard Peacock
Título Original: Forgive Me, Leonard Peacock
Autor: Matthew Quick
ISBN: 978-85-8057-395-4
Páginas: 223
Ano: 2013
Tradutor: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca

PERDAON_LEONARD_PEACOCK_1375464387P3Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Talvez no futuro ele conseguisse acreditar que ser diferente é bom, até importante. Mas não hoje. Antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida e encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.


Resenha

O que esperar de um livro escrito por um dos autores que mais venderam exemplares até agora no ano de 2013? O que esperar desse autor que cujo livro virou adaptação cinematográfica e levou um Oscar para casa? O que esperar do sucessor de um best-seller do The New York Times? Sinceramente eu não sei o que eu estava esperando, só sei que estou encantado com o que me deparei.

Matthew Quick acaba de lançar na Bienal do Rio seu mais novo livro “Perdão, Leonard Peacock”, um romance que trata sobre a vida, a solidão, a adolescência, as incertezas, os medos, as amizades, as decepções, os desejos e a morte. Tudo isso muito bem amarrado e trabalhado de uma forma belíssima, mostrando como Quick evoluiu com sua escrita, prometendo conquistar e emocionar novamente os milhões de leitores que se deliciaram com o seu aclamado “O Lado Bom da Vida”.
Mas, falando sério, por que algumas pessoas postam na Internet o jeito correto de cometer suicídio? Será que querem que gente estranha e triste como eu se vá para sempre? [...] Procurei no Google, mas não encontrei nada de concreto. Apenas maneiras de completar a missão. Nenhuma justificativa.
Pág. 15
Leonard Peacock está completando 18 anos e para “comemorar” essa data especial ele decide matar seu ex-melhor amigo e logo após cometer suicídio, e para isso ele irá utilizar a antiga P-38 que foi de seu avô. Antes de realizar seu compromisso mortal, Leonard quer passar seu último dia vivo agradecendo aos seus poucos amigos, àqueles que durante sua curta e infeliz vida tiveram de alguma forma importância para ele.

selo_blogparceiro_2013.1_thumb132122[1]Assim, Leonard passa o dia entregando a cada um desses amigos um presente, que na visão dele possuem um significado para àqueles que os receberão. Ao todo são quatro amigos, desde seu vizinho até mesmo à um de seus professores. A entrega desses presentes é importante para a história, pois através deles iremos conhecer melhor o passado de Leonard e aos poucos entenderemos o porque dele estar decidido a realizar o homicídio/suicídio.
Isso já aconteceu com você? Considerar alguém realmente importante e diferente, mas então você começa a conhecer a pessoa e isso estraga tudo?
Pág. 79
Desde o início do livro iremos perceber o quão solitário Leonard é. Com uma mãe ausente e um pai desaparecido, restou ao garoto sobreviver as dificuldades do mundo por si só, chegando ao ponto dele realmente morar sozinho, enquanto sua mãe se dedica ao trabalho em outra cidade. Leonard é um personagem ímpar, bem escrito, bem humanizado, bem real. É possível enxergar nele um pouco das pessoas que conhecemos, aliás… é possível perceber em sua história, um pouco de nós mesmos.

“Perdão, Leonard Peacock” é destruidor e é narrado apenas em 24 horas. Com personagens profundos e um desenvolvimento cruel, é quase impossível não nos sensibilizarmos com sua narrativa. Todos nós já fomos jovens, alguns ainda são, e ler relatos tão reais sobre a infelicidade, impotência e solidão de um rapaz de apenas 18 anos me faz perguntar quantos Leonard Peacocks estão ao nosso redor todos os dias e não conseguimos ver seu sofrimento e angústia.
–Por que está sendo tão legal comigo? – pergunto.
– As pessoas deviam ser legais com você, Leonard. Você é um ser humano. Você deve esperar que as pessoas sejam legais.
Pág. 105
Matthew Quick prova-se um autor de sensibilidade. Tanto em “O Lado Bom da Vida” quanto em “Perdão, Leonard Peacock” ele trata de aspectos do ser humano que são repugnantes para a maioria, mas que fazem desses seres “diferenciados” pessoas especiais. “Perdão, Leonard Peacock” é maravilhoso, confesso que é também um pouco triste, mas essa tristeza infelizmente é proveniente somente da capacidade do ser humano em ferir o próximo. Quick pode até escrever romances, mas seus livros dizem muitas verdades.
Você já fez coisas que não quis fazer apenas para manter um amigo?
Pág. 156
Confiram um vídeo do autor apresentando sua obra (sem legendas)

 
5-livros_thumb 

Tácio

Comentários
10
Compartilhe

10 comentários:

  1. Nossa preciso ler!!! Só pela sinopse já dar pra ter certeza que é um ótimo livro. Depois de ler sua resenha e os trechos que você colocou, entrou pro topo da lista de desejados!

    ResponderExcluir
  2. Oi Tácio, juro que só pela capa não me interessei mas depois dessa sua resenha fiquei curiosa! Deve ser bem interessante mesmo!

    Bjooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa parece ser muito bom. Eu ainda não li O lado bom da vida, mas acho que vou dar uma chance para o autor e ler os dois :D
    Obrigada pela dica, e ótima resenha

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Quero ler! Tive oportunidade de conhecer o autor (Tirei foto e claro peguei autógrafo RSRrs)
    Novidade, meu livro "Feitiço" foi publicado pela editora Novo Conceito! Espero que goste da leitura!

    Bjs

    Liza Jones

    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    http://lizajoneslivros.wix.com/lizajones

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza, também estive lá, kkkkk, a gente deve ter se visto né?!

      Ah, vi seu livro no site da NC mesmo, mas não sabia que era nacional, que maravilha!!

      Espero poder lê-lo em breve! Boa sorte!

      Um beijão!

      Excluir
  5. Oi Tácio!
    resenha maravilhosa!
    Um livro super interessante de um super autor e com temas tão complexos e envolventes como vida, morte, solidão, amizade, incertezas, desejos e bem aamarrado sem deixar pontas soltas.
    Um autor que escreveu com tanta sensibilidade O Lado bom da vida nos presenteia com mais um livro reflexivo.
    Parabéns pela resenha.
    O livro já vai para a lista dos desejados.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro devido o tema. Saber o que o levou a pensar a fazer algo assim, ou a fazer.

    ResponderExcluir
  7. Ufa, que resenha. Adorei essa resenha, me deixou com uma vontade imensa de ler, realmente existe muitas pessoas que passam pelo mesmo que o personagem está passando, imagino o final e quero ler imediatamente.

    ResponderExcluir
  8. Eu ia comprar esse livro na bienal,mas acabei nem comprando, mas não perdi a vontade ler não !
    Pelo que eu já ouvir dizer e pela sua resenha é um livro incrivelmente ótimo e muito emocionante, se o livro for tão bom quanto "O lado bom da vida", é um livro perfeito !Amei sua resenha...também fiquei imaginando quantos Leonard Peacocks estão ao nosso redor e nem percebemos, as vezes só percebemos quando ele faz a "burrada".

    ResponderExcluir
  9. A capa não tem nada a ver, é muito fraca. Mas a história até que é interessante. Vou comprar para ver se é legal mesmo.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações