28 de set de 2013


[Resenha] Pirapato: O Menino Sem Alma - Chico Anes

 

Ficha Técnica

Título: Pirapato: O Menino Sem Alma
Autor: Chico Anes
ISBN: 978-85-366-0836-5
Páginas: 271
Ano: 2007
Editora: Scortecci

423Num tempo onde os alquimistas eram os mais respeitados homens de conhecimento, o maior entre eles, Bennu, consegue realizar a Quinta Obra da Alquimia - a criação do homúnculo, ou o homem artificial, uma técnica chamada em nosso tempo de clonagem. Pirapato é o resultado desse experimento. Perseguido por Corax, o alquimista negro, o herói parte numa jornada em busca de respostas para seu principal questionamento, que, em última análise, é o mesmo de todos nós seres humanos; tem o clone uma alma imortal? É facultada ao homem artificial a promessa da vida eterna após a morte do corpo material? A obra discute, através da história do 'menino sem alma', aspectos da clonagem humana sob a luz de certos mitos ou sistemas de crenças que compõem nossa cultura. A narrativa utiliza-se de várias alegorias alquímicas. Descobri-las é parte da viagem do leitor, que através delas poderá compreender a substância da alma de Pirapato. Das aves provêem as principais analogias, essencialmente por acreditar o autor serem os pássaros e seus vôos o símbolo máximo da liberdade, e o homem de asas, ou anjo, o mais próximo que nossa mitologia pôde nos deixar da Divindade.


Resenha


Queria ler esse livro já há algum tempo, e quando o Chico me proporcionou essa leitura aproveitei logo. A narrativa do Chico me conquistou quando li O Sonho de Eva e não foi diferente com Pirapato.

 

O livro já prende nossa atenção com o subtítulo “o menino sem alma”, afinal, como pode um menino não ter alma?

 

A narrativa se passa em uma época em que os alquimistas são os homens mais inteligentes e respeitados do reino. No início do livro conhecemos Bennu, o alquimista mais poderoso do reino de Cávea. Entrando nesse mundo alquímico, conhecemos quais são os cinco trabalhos primordiais da Arte Dourada: A Pedra Filosofal, Elixir da Longa Vida, Panacéia Universal, Alkahest e o Homúnculo ou Homem Artificial. Acredito que os dois primeiros são os mais conhecidos de uma forma geral. A Pedra Filososal é capaz de transformar qualquer metal em ouro; o Elixir da Longa Vida que estende a mocidade; a Panacéia Universal que é um remédio para todos os males e doenças; o Alkahest, que é um solvente absoluto, capaz de reduzir qualquer substância à sua forma liquída original; e o ponto central desse livro, o Homúnculo que é a criação de um ser humano sem a necessidade da união entre um homem e uma mulher. O ser criado a partir desse processo seria um “clone” do ser original.

 

Quando começamos nossa história, Pirapato, fruto da experiência de Bennu com o Homúnculo, está nascendo, porém, a vida dele, da mulher que o carregou no ventre durante a gestação, de Bennu e de seu aprendiz Otus estão em perigo por conta do bruxo Conax, atual conselheiro do rei Halietus. Conax, que também é alquimista, entretanto com estudos muito mais sombrios, usa o poder como conselheiro do rei para influenciá-lo e tirar de seu caminho os que podem atrapalhar seus planos. E no momento Bennu é uma pedra enorme no seu caminho.

 

Mas Pirapato nasce graças a força de vontade de sua “mãe”, dos conhecimentos de Bennu e da ajuda de Otus. No entanto, nem todos sobrevivem nesse dia e Pirapato se vê sozinho e criado pelo bruxo Corax como seu aprendiz e uma história falsa sobre seu passado.

 

Corajoso e audax, o jovem Pirapato, às vésperas de seu décimo sexto aniversário, decide entrar na torre de seu tutor para cumprir uma aposta, mas o que ele não sabia é que encontraria ali o que não estava procurando.

 

Descobrindo que pode não ter uma alma devido à forma como foi criado, o jovem Pirapato sai em busca de uma alma para si. E, a partir daí, temos uma aventura emocionante!

- Parabéns, caro Pirapato! – congratulou a si mesmo. – Começa o dia com um par de roupas novas! Belos presentes para cobrir seu corpo! Mas sai em busca de vestes mais sutis, apesar de não fazer a mínima ideia de como vestir o corpo com uma alma.

Pág. 63

Para começar sua busca, Pirapato só tem uma pista deixada por seu pai, procurar pelo alquimista Tito Alba. Mas, para encontrá-lo ele contará com a ajuda de vários estranhos pelo caminho, que se tornarão grandes amigos.

 

Amei o livro, e isso é um fato incontestável! A fibra e o desejo profundo de Pirapato em descobrir a forma de encontrar uma alma é emocionante e revigorante, ao passo em que a narrativa nos mostra alguns personagens que não importam-se com isso e maltratam, subjulgam, menosprezam, matam sem nenhum motivo aparente.

 

Não vemos furos na cronologia e nenhum fato fica sem explicação. Além de que, adorei o final reservado à Pirapato, que me levou às lágrimas.

 

Mais uma vez agradeço ao Chico pela oportunidade de ler esse livro, para quem não o conhece, vejam nossa coluna “Conhecendo o autor”, sem dúvida é uma leitura recomendada para todos!

 

Um beijo à todos e até a próxima!!!!

4-livros_thumb
Comentários
9
Compartilhe

9 comentários:

  1. O titulo chama bastante atenção mesmo, e a sinopse também não fica atrás. Com certeza espero algum dia poder ler ele, parece ser uma história muito interessante!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lay!
    Num momento em que a literatura nacional está em alta. Chico Anes é um nome forte e de referência super positiva! Amei sua resenha! A premissa é mto interessante: homem artificial, vida eterna, alma, alquimia!
    Emocionante e envolvente onde tudo é bem alinhavado e tudo tem uma explicação.
    Já está na lista de desejados, quero conhecer Pirapato, acompanhá-lo em sua trajetória e me emocionar com o final reservado ao protagonista.
    Ahhhh a capa está linda!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ja tinha ouvido falar muito bem do livro..e adorei sua resenha tbm. Ainda não li nada do autor..mas comprei O Sonho de Eva e espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece ser bom, diferente, original e interessante! Quando tiver oportunidade quero lê-lo.

    ResponderExcluir
  5. Sempre gostei desse papo de alquimia, essa coisa de Pedra Filosofal me chamou atenção desde Harry Potter. E vamos combinar que essa coisa de Homúnculo e tals, me chamou muita anteção. Quero ler esse livro um dia, e que esse dia chegue logo!

    ResponderExcluir
  6. O título chama muito a atenção mesmo, mas a história não me chamou a atenção, não é um assunto que me agrada.

    ResponderExcluir
  7. Interessante, mas não fez muito meu estilo. Porém indicarei as minhas amigas que compartilhamos nossas leituras.

    ResponderExcluir
  8. Oiiiiiiiiiiiiii
    n conhecia esse livro mas adorei a capa
    a história tb parece ser boa!
    Vou esperar terminar uns da listinha p poder lê-lo

    Bjoooooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha visto nem ouvido falar nesse livro, mas o título chama bastante atenção, acho que seria uma ótima leitura para mim, principalmente naqueles dias que foi tudo um desastre e tudo que mais quer é relaxar. Parece ser um livro muito bom, sem contar que amo livro que me faz chorar !
    Ah, ótima resenha.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações