[Resenha] O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

 

Ficha Técnica

Título: O Pequeno Príncipe
Título Original: Le Petit Prince
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
ISBN: 85-220-0505-2
Páginas: 96
Ano: 2001
Tradutor: Dom Marcos Barbosa
Editora: Agir


ppLivro de criança? Com certeza! Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi. O pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retorna os sonhos. Reaparece a lembrençade questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíves na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordaçoes. O reencontro, o homem-menino.

Resenha

“O Pequeno Príncipe” narra a história de um aviador que após a pane de seu avião, acaba parando no meio do deserto do Saara, na África. Perdido e tentando fazer com que seu avião volte a funcionar antes que sua reserva de água acabe, o aviador é surpreendido por um menininho com roupas estranhas, cabelo da cor de trigo e que lhe enche de perguntas. O aviador então o chama de Pequeno Príncipe.

O príncipezinho começa então uma amizade com o aviador. Aos poucos ele vai contando a sua história, da onde ele veio, aonde ele mora e de cara já somos conquistados pela inocência, ingenuidade e ao mesmo tempo sabedoria do pequeno príncipe. O aviador cada vez mais que fica na presença da criança se mostra curioso e afetuoso com a mesma, e nós leitores também.

Levantei-me num salto, como se tivesse sido atingido por um raio. Esfreguei bem os olhos. Olhei ao meu redo. E vi aquele homenzinho extraordinário que me observava seriamente. Eis o melhor retrato que, passado algum tempo, consegui fazer dele.
Pág. 12



“Eis o melhor retrato que, passado algum tempo, consegui fazer dele.”


Iremos descobrir através das histórias do príncipe, que ele veio de muito longe e até chegar no deserto e conhecer o aviador, participou de uma longa jornada. Nessa jornada o Pequeno Príncipe saiu de seu asteróide, lugar onde ele cria três vulcões - sendo um deles desativado - e uma rosa, em busca de uma aventura. Disposto a conhecer o que o universo poderia lhe proporcionar, o rapazinho viaja por outros asteróides conhecendo novas pessoas em cada um deles e aprendendo novas lições sobre a vida.

A sétima parada do jovem príncipe é exatamente no planeta Terra. Ao cair no mesmo deserto que se encontra agora, o Pequeno Príncipe descobre como solitário nosso planeta pode ser. Caminhando por dias a procura de alguém para com quem conversar, nosso pequeno herói irá passar por situações que irão lhe ensinar a ter uma nova visão sobre o mundo, principalmente com aquele que ele deixou para trás, em seu astéroide.

‘Que planeta engraçado!’, pensou então. “É completamente seco, pontudo e salgado. E os homens não têm imaginação. Repetem o que a gente diz… No meu planeta eu tinha uma flor; e era sempre ela que falava primeiro.
Pág. 64


“Esse planeta é completamente seco, pontudo e salgado.”


Com sua história simples mas ao mesmo tempo profunda e reflexiva, “O Pequeno Príncipe” conquistou durante seus 70 anos diversores admiradores pelo mundo. Sendo um livro rápido e fácil de ler, “O Pequeno Príncipe” é aquilo tipo de livro que fica na cabiçeira da cama, onde sempre podemos alcançá-lo para ler. Apesar de não ser uma obra de auto-ajuda, o livro contêm passagens belíssimas, além de trazer questionamentos e ensinamentos realmente válidos para nossa sociedade.

O livro é narrado pelo aviador, que reconta sob sua perspectiva a história de como ele conheceu o pequeno príncipe seis anos antes no Saara. Apesar da narração ficar a cargo do aviador, nas partes da história onde o príncepizinho está viajando pelos planetas, conseguimos obter uma descrição bastante detalhada, como se fosse o próprio príncipe responsável por narrá-las. O fato curioso é que o aviador não aparece em nenhuma das aquarelas do livro e ele também não possúi um nome, fazendo com que nós leitores o relacionemos automaticamente com o próprio autor, Saint-Exupéry.

Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo é dourado, fará com que eu me lembre de ti.
Pág. 69



“– Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz!”


Antoine de Saint-Exupéry é nada mais do que um grande gênio. Aliás, ele era um homem com uma alma de criança dentro de sí, e assim conseguiu escrever na história do tempo uma fábula que perdura os anos e ainda consegue continuar fresca e atual. Sua escrita é impecável e suas aquarelas levam a história do livro para uma atmosfera completamente diferente, imortalizando personagens icônicos como a raposa, a rosa e o próprio Pequeno Príncipe.

Seja você uma criança, um adolescente ou um adulto, isso realmente não importa, você deveria separar um tempo para ler “O Pequeno Príncipe” e caso você já tenha o feito, separe um tempo para relê-lo muitas e muitas vezes. Não nos cansamos de coisas boas, ainda mais quando elas nos fazem bem ao coração. “O Pequeno Príncipe” pode ser um livro curtinho mas suas palavras definitivamente possuem um grande poder sobre quem às lê.

Só as crianças sabem o que procuram – disse o principezinho. – perdem o tempo com uma boneca de pano, e a boneca se torna muito importante, e choram quando elas lhes é tomada…
– Elas são felizes… – disse o manobreiro.
Pág. 75



  
5-livros_thumb_thumb

Tácio

13 comentários:

  1. Esse livro é simplesmente encantador! Li há muitos anos mas com certeza vou reler e reler e reler....
    Muito bom

    Beijo
    http://heysisteraj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que resenha linda!
    Adoro o Pequeno Príncipe!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. Olá Lay!!
    Excelente resenha, fiquei com mais vontade de reler este livro. Parabéns!!!!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. O Pequeno Principe é um livro que nunca ficará desatualizado. Nunca envelhecerá.
    É lindo, meigo, fofo, um livro que em cada página encanta.

    ResponderExcluir
  5. O Pequeno Príncipe é um livro infantil que agrada pessoas de todas a idades, eu adoro.

    ResponderExcluir
  6. Sabe, já li o livro diversas vezes, mas não gostei. De tempos em tempos releio pra ver se a minha percepção muda pra ver se eu gosto. Mas não muda.


    Beijos, Rê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é preciso ler com o coração."O essencial é invisivel aos olhos."

      Excluir
  7. Esse é um dos melhores livros que todos deveriam ler.

    ResponderExcluir
  8. Awn, meu primeiro livro lido *-* E me orgulho muito disso, comecei bem, rs.
    Ótima resenha! Concordo com você, todos deveriam ler!
    Beijos,

    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Com o especial que você fez do livro e tudo o que eu já tinha ouvido falar dele me deu uma imensa curiosidade de ler. Um livro infantil que agrada até os adultos não deve ser ruim né?

    ResponderExcluir
  10. Fantástico o poder que esse livro tem de prender o leitor a cada instante!
    É um dos melhores livro que eu já le.
    Todos nós temos uma criança dentro de nóis, querendo se soltar a cada momento, querendo voltar no tempo da infância, querendo escalar as montanhas do medo e querendo sempre vencer os obstáculos da vida!
    Esse livro nos remete a isso a esse mundo cheio de fantasia e aventura.

    ResponderExcluir

Obrigada por acompanhar o blog, deixe seu comentário e volte sempre que tiver vontade!!
Bjus

 
Personalização por HR Personalização de Blogs