3 de out de 2013


[Resenha] Paperboy - Pete Dexter


Ficha Técnica

Título: Paperboy
Título Original: The Paperboy
Autor: Pete Dexter
ISBN: 978-85-8163-218-6
Páginas: 333
Ano: 2013
Tradutor: Ivar Panazzolo Júnior
Editora: Novo Conceito

paperboyHillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James. As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes. Best-seller do The New York Times, Paperboy é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética.


Resenha

Escrito em 1995, “Paperboy” ganhou este ano um lançamento no país através da Novo Conceito. Em 2012 o livro foi transformado em um filme indicado à Palma de Ouro em Cannes e inclusive recebeu também uma indicação ao Globo de Ouro deste ano na categoria de melhor atriz coadjuvante.

Selo-Parceiros-Novo-Conceito42222O livro conta a história de um assassinato na Flórida na década de 60 onde o xerife da cidade foi a vítima. O culpado, Hillary Van Wetter, foi capturado e se encontra preso aguardando a data de sua execução. Porém, surge Charlotte Bless, uma quarentona que tem a mania de enviar cartas para detentos, e que acaba se apaixonando por Hillary, decidindo se casar com ele. O problema para a realização deste sonho é que Van Wetter está na prisão, cabendo a Charlotte arranjar um jeito de tirá-lo da lá.
Ele era mais puro que os outros assassinos, mas ela havia sentido isso desde o início. Não sofrera a influência da cadeia e dos advogados. Um homem intacto. Ainda assim, mesmo reconhecendo certo mal-entendido no centro do relacionamento que se desenvolvia com Hillary Van Watter, ninguém que houvesse conhecido Hillary em pessoa poderia dizer que Charlotte Bless não tinha razão.
Pág. 56
Bless recorre à dois repórteres investigativos de Miami, acreditando que caso a história do assassinato seja revisada, novos fatos aparecerão e comprovarão a inocência de Hillary Van Wetter. Os jornalistas são Yardley Acheman e Ward James, uma dupla nova no ramo que tem se mostrado bastante competente no que faz. O segundo é filho de um jornaleiro e cresceu envolto nessa profissão, fazendo dele um profissional super dedicado.

Ward James possui um irmão mais novo que ainda mora com seu pai na mesma região onde aconteceu o assassinato do xerife. Quando decide participar da investigação na tentativa de escrever uma matéria sobre Hillary e sua possível inocência, Ward reencontra seu irmão Jack James e o convida para ajudá-lo na apuração de fatos, deixando à ele o cargo de motorista.
– Diga-me uma coisa – começou Yardley Acheman. – O que você quer com eles?
Charlotte não respondeu.
– Todos esses caras no corredor da morte, escrevendo todas aquelas cartas – disse ele. – O que você quer?
– Eu quero ajudá-los – disse ela, e ele soltou uma gargalhada.
Pág. 79
No desenrolar iremos nos deparar com essa tal investigação que incluem visitas à Hillary na prisão, sondagem com a polícia, entrevista com os parentes do suposto assassino, checagem de possíveis testemunhas, etc. Ward está decidido em mergulhar de cabeça nessa história e se entrega de corpo e alma para conseguir obter todos os detalhes possíveis. Já Yardley se mostra um jornalísta o tanto quanto antípatico, ausente e repleto de segredos.

Jack acompanha seu irmão em todos os lugares que ele vai e de longe é a personagem que mantêm mais contato com Charlotte, já que os outros dois rapazes estão bastantes ocupados fazendo pesquisas e entrevistas por todo o condado. Essa relação com Chartlotte é interessante, pois fica óbvio que existe um clima sexual no ar, uma fantasia talvez, mas que de nenhuma maneira os torna próximos o suficiente ao ponto de se tornarem um casal de fato.
– Às vezes – disse ele, carinhosamente, como se estivesse se lembrando de alguma história – a única maneira de saber que está pronto é perceber que, quando tem que estar pronto, você está.
Pág. 178
Em 1996 “Paperboy” ganhou o prêmio PEN Center USA, além de ter sido um best-seller do The New York Times. Sua escrita tem um tom bem clássico e a divisão dos capítulos é através de quadradinhos no meio das páginas, algo que não me agrada muito. Toda história é narrada pelo jovem Jack, fazendo dele na maioria dos momentos um espectador sem falas ou ações significantes, porém ele vai crescendo durante o livro, mesmo que sua presença ainda seja na maior parte como um mero observador.

O filme baseado no livro ganhou no Brasil o título de “Obsessão”, mas até hoje sua estréia nos cinemas não aconteceu, tendo sempre suas datas adiadas (no momento a data para o filme chegar aos cinemas é 04/10). Se continuar assim ele provavelmente será lançado diretamente em DVD. No elenco temos Zac Efron (“17 Outra Vez”), Matthew McConaughey (“Magic Mike”), John Cusack (“Quero Ser John Malkovich”) e a ganhadora do Oscar - e diga-se de passagem minha atriz favorita - Nicole Kidman (“Moulin Rouge: Amor em Vermelho”).
– Há algo triste que acontece quando você chega perto da morte – eu disse. – Você vai perceber depois.
E, unidos daquela maneira, Ward e eu, por algum tempo naquela tarde, nunca nos sentimos tao proximos em toda a vida.
Pág. 201
Na minha opinião “Paperboy” começa confuso, muitos detalhes que acabam enrolando o leitor, mas quando a personagem Charlotte aparece explicando o que ela quer fazer, o livro ganha rumo e força. A obra de Pete Dexter é bem escrita, se desenrola bem e vai crescendo, sem falar dos personagens que são super bem construídos. O livro não tem romance – chegando a ter passagens bem brutais –, ele se desenvolve basicamente ao redor de suas personagens, e são elas que fazem desta uma boa leitura.

Apesar de no trailer de “Obsessão” dizer que a história é baseada em fatos reais, não encontrei nenhum relato sobre isso, a única coisa que chegou mais próximo disto foi o fato de Dexter ter sido colunista de jornais. O livro só não ganhou nota máxima devido ao seu começo desconexo e ao seu final, que é corrido e me deixou a desejar. Porém não tenho dúvidas da qualidade de “Paperboy”, com certeza ele poderá ser um dos clássicos norte-americanos no futuro.



4 livros  

Tácio

Comentários
29
Compartilhe

29 comentários:

  1. Não fui com a cara desse livro, rs. Desde a primeira vez que ouvi falar sobre ele, simplesmente não gostei. A capa também não é das melhores. Acho que a NC podia ter feito alguma coisa melhor. A sinopse também não me chama a atenção. Uma pena, quem sabe eu não leia só pra ver se estou errada? Parece que muita gente tem gostado. Parece que vale a pena arriscar.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não tinha me interessado, mas agora com sua resenha fiquei com um gostinho de quero mais ( e nem sabia que tinha filme :X) hahahaha
    Valeu pela dica, e parabéns pela resenha!

    Beijo
    http://heysisteraj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Tácio, vi esse livro na livraria mas nem me interessei em ler a sinopse, mas parece que ele é bem interessante apesar de meio confuso no começo cm vc disse.
    Vou anotar p lê-lo algum dia

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Lay!! Tudo bem??
    Estou louca para ler esse livro desde que soube sobre a existência dele. Confesso que a capa me chamou muito a atenção. Mas a história parece ser realmente boa. Espero ter a oportunidade de lê-lo logo!
    Beijos....

    ResponderExcluir
  5. Socorrooooooo Paperboy (Zac coisa linda). Eu estou louca para ler esse livro, já me disseram que é maravilhoso, precisando dele urgentemente.

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha foi muito boa para mostrar o que é o livro. Gostei do que foi apresentado, e apesar de não ser uma das minhas leituras primordiais agradeço a dica.

    ResponderExcluir
  7. Não chamou muito a minha atenção esse livro, mas a resenha me deixou curiosa para ler o livro. Agora não sei(risos).

    ResponderExcluir
  8. Esse é o livro que eu estou lendo no momento, realmente o começo é um pouco lento mas nada que desanime a continuar, eu sí descobri que havia um filme baseado no livro quando prestei mais atenção à capa mas não sabia que ele não tinha sido lançado noss cinema brasileiros.

    ResponderExcluir
  9. Me interessei pelo livro achei um tema bem diferente dos livros que costumo ler e tem filme então irei ler o livro e assisitr o filme senão não consigo ler.

    ResponderExcluir
  10. Muito legal, tem uma boa história. A resenha ficou ótima, dando para ter uma ideia do conteúdo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Lay! Oi Tácio!
    Um livro com a premissa de investigações, segredos, suspense. Um thriller policial que deve ser interessante e prender a atenção.
    Mas agora não leria, vai para o finalzinho da listinha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Não é o meu estilo de leitura e o livro não me agradou u.u
    Não compraria, mas se caso ganhasse leria (rimou).
    Passa longe da minha lista u.u

    ResponderExcluir
  13. eu não gostei, minha mãe ganhou esse livro, li só as primeiras páginas, nao me interessei pelo resto.

    ResponderExcluir
  14. Lay!
    Li o livro e realmente no início também fiquei um pouco desnorteada, mas depois tudo se encaixou e entrou em um ritmo alucinante.
    Não assisti o filme ainda.
    Muito boa resenha.
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!
    “Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.”(Martha Medeiros)

    ResponderExcluir
  15. Tenho visto opiniões negativas e positivas desse livro, mas pela sua resenha eu fiquei curiosa pela leitura!

    ResponderExcluir
  16. Nada neste livro me chama a atenção. Nem a capa, nem a sinopse, nem as resenhas que tenho lido por aí. Com taaaaaaannntos lançamentos bons que vêm surgindo todo mês, acho que não perderia tempo lendo esta história.

    ResponderExcluir
  17. O livro me chamou muita atenção!! Ansiosa para ler e tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  18. Ainda não conhecia este livro, mas me interessou bastante! Ando lendo muitos romances e estava mesmo procurando alguma dica de livro sem romance, este me deixou bem curiosa e parece ser uma leitura mesmo muito tensa mas bem interessante. Acho muito ruim os livros que começam confusos, mas gostei de saber que ao longo da leitura tudo vai se encaixando e que os personagens são bem construídos! :)

    ResponderExcluir
  19. Gostei da resenha, ganhei até esse livro mas dei a minha irmã, acho que não gostei dele, mas lendo a resenha estou com muitas duvidas agora, se leio ou não leio.
    :D

    ResponderExcluir
  20. Adicionar à lista de livro pra ler...o problema é encontrar tempo pra ler todos

    ResponderExcluir
  21. Muito lento, muito simples, por conta gênero esperava algo mais surpreendente , mais elaborado, caiu na mesma armadilha de muito autores, detalhes demais, trama de menos, uma pena.

    ResponderExcluir
  22. mais um pra minha meta de leitura de 2014! Acho que so vou cumprir a meta de 2014 em 2050 hahha

    ResponderExcluir
  23. contenteza se eu ganha eu vou escolher este livro

    ResponderExcluir
  24. Gostei da sua resenha, ficou bastante sincera. Não sei se lerei o livro, no momento não o darei prioridade, mas que sabe um dia?

    ResponderExcluir
  25. Amo historia que falam sobre corredor da morte, presidio, investigação de crimes e etc.
    Me interessei MUITO pela historia. parabens pela resenha

    ResponderExcluir
  26. Amo esse tipo de história, com certeza vou ler!

    ResponderExcluir
  27. Adorei a resenha, vou ler com certeza!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  28. Confesso que livros com um início um pouco confuso me incomodam profundamente. Ainda bem que as coisas começam a melhorar com o passar do tempo. Acho legal quando as personagens são bem construídas assim, pois, muitas vezes, elas seguram os leitores. Enfim, quero muito ler/assistir "Paperboy".

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  29. Esse livro parece ser bom... Romances góticos é bem a minha praia...

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações