8 de mar de 2014


[Resenha] O Livro da Loucura e das Curas - Regina O'Melveny


Ficha Técnica

Título: O Livro da Loucura e das Curas
Título Original: The Book of Madness and Cures                                                                                       Autor: Regina O'Melveny
ISBN: 978-85-8163-042-7
Páginas: 352
Ano: 2013
Tradutor: Rosana Watson
Editora: Novo Conceito
53Meu pai se fora, meu marido morrera e meu coração silenciara. Gabriella Mondini é uma médica com estranhos poderes de cura, poderes que vão além de seus conhecimentos científicos. No fim do século 16, uma mulher médica — e tão sensível quanto ela — é praticamente uma heresia. Assim, se quiser continuar praticando a medicina, deverá ter o aconselhamento de um homem. Seu pai, também médico, seria o conselheiro ideal, mas ele a abandonou há dez anos: saiu em busca de curas inimagináveis por uma Europa cheia de crendices e magias. E, agora, por meio de suas poucas cartas, é possível perceber que sua sanidade mental está desaparecendo. Disposta a reencontrar o pai e, quem sabe, salvá-lo a tempo de continuar praticando a medicina, ela atravessa os Alpes da Suíça e os campos da Alemanha, encontra-se com os maiores médicos da Europa e caminha por cidades e vilarejos estranhos até chegar ao Marrocos. A jovem médica enfrentará caminhos que lhe ensinarão o que é viver no mundo dos clínicos e herboristas daquela época; um mundo onde as praças públicas exalam cheiro de corpos queimados, onde ervas exóticas destroem todos os desejos e onde doenças como a Inveja (“um verme invisível”) saem do corpo dos mortos para destruir os vivos... Até o fim de sua aventura, ela tentará conquistar a sabedoria tão desejada, mas também terá que lidar com o conhecimento dos segredos de sua família, que são, afinal, os seus próprios segredos.

Resenha 

Uma médica no final do XVI, em Veneza, era quase uma heresia. Esse cenário hostil e machista é o qual vive Gabriella Mondini, uma jovem médica que se destaca dentre tantos homens médicos. Homens estes que relutam em admitir que as mulheres podem sim ocupar funções dadas somente a eles. Devido a esse motivo, Gabriella precisa de um mentor para continuar exercendo a medicina, sem a supervisão de um homem médico, ela perderá o direito de continuar sendo médica e persistindo em não abandonar a função sofreria punição.
Não é fácil quando tenho de me provar dez vezes mais para ser levada a sério por ser jovem e mulher.
Pág. 81
O pai de Gabriella, também médico, era o seu mentor. Só que este saiu em busca de doenças e curas por algumas cidades, há exatos 10 anos e desde então não voltou mais para casa. A necessidade de não perder seu posto de médica e a vontade/saudade de reencontrar seu pai, a protagonista vai em busca dele com seus dois fiéis empregados. O "guia" de Gabriella são as cartas mandadas por seu pai. Sempre quando estava em determinado local, ele mandava uma carta para filha. 
Foi então que percebi que deveria colocar minha vida em movimento, caso contrário, eu desapareceria.
Pág. 17 
Antes de decidir partir em busca de seu pai, Gabriella vivia com sua mãe, uma mulher um tanto ríspida e submissa as condições daquela época. A protagonista era completamente diferente, uma mulher que não abaixava a cabeça para ninguém que quisesse menosprezá-la só por ser mulher. Isso foi um ponto que adorei no livro. Gabriella não é submissa e está sempre "subvertendo" as regras (no século XVI isso era subversão). 

Ao longo de sua jornada se vê em situações perigosas, aprende novas curas, conhece e entende um pouco mais sobre os lugares em que seu pai visitou, e não desiste de achá-lo. Sempre acompanhada de seus empregados. 

Romance de estreia de Regina O'Melveny, com uma capa linda, diagramação muito boa, enredo que tinha tudo para cativar e não correspondeu as expectativas. A autora tinha uma ideia muito boa que não foi bem executada. Ela levantou questionamentos presentes, ainda que a história se passe no séc. XVI, em nossa sociedade. Mas não os desenvolveu, ficou tudo muito na superfície. Esperava mais profundidade. E em assuntos sem grande relevância na história, a autora se alonga e até perde um pouco do ritmo. 
Aquilo que nos fere é aquilo que nos cura. - Atribuído ao Oráculo de Apolo

Comentários
9
Compartilhe

9 comentários:

  1. Parece ser muito Bom esse Liivro , A capa é muito fofa , Me interessei bastante por esse Livro !! entrou Pra lista de Desejados !!

    ResponderExcluir
  2. A capa do livro é muito linda! Eu a transformaria num quadro se isso não destruísse o livro. rsrsrs
    Acredito que a resenha desse livro é perfeita para o dia de hoje. Uma história com uma protagonista determinada e que enfrenta todos os preconceitos possíveis para realizar aquilo que deseja. Gostei bastante do enredo. Preciso ler esse livro. =)

    Beijooos

    ResponderExcluir
  3. Ahh muito obrigado por postar a resenha do livro estava muito ansiosa para ler alguma coisa falando sobre ele, pois ganhei esse livro essa semana e estou querendo começar a leitura ^^
    Estou muito interessada e curiosa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro. Confesso que a capa não me chamou a mínima atenção, mas a sinopse sim. A sua resenha diz que a autora não se aprofunda tanto quanto deveria, mas não sei, acho que mesmo assim me arriscarei na leitura. A premissa me agradou.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  5. Esse livro parece um pouco emotivo de mais, ultimamente estou evitando livros assim. Mas a história parece bem interessante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Régia! Ja estou cansado dessas capas (sério). Mesmo que a história parece ser linda e tudo mais enjoei um pouco desse estilo repetitivo da Novo Conceito. Bjs, leemporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Morte e abandono...
    Parece uma estória bem dramática, só espero que não seja uma dramalhão mexicano... hehe
    Gostei do dom de cura diferente da protagonista...
    Pretendo ler uma hora.
    Adorei a frase: "Foi então que percebi que deveria colocar minha vida em movimento, caso contrário, eu desapareceria".
    Acho que a partir dai é superação... ou tentativa de.

    ResponderExcluir
  8. Capa muito lindo, essa flor no cabelo da um toque perfeito na foto.
    A história parece ser legal, mas não chamou muito minha atenção.

    ResponderExcluir
  9. Olá Auri...Quando comecei a ler sua resenha que esta historia completamente diferente deveria ser super interessantes, mas realmente uma pena que a historia a não seja "tudo aquilo", pois com certeza é um livro com uma proposta bem instigante, mas apesar de você não ter gostado tanto da leitura, confesso que ainda tenho curiosidade em ler.
    Beijos!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações