6 de mar de 2014


[Resenha] Um Perfeito Cavalheiro - Julia Quinn


Ficha Técnica

Título: Um Perfeito Cavalheiro
Título Original: An offer from a gentleman
Autor: Julia Quinn
ISBN: 978-85-8041-238-3
Páginas: 304
Ano: 2014
Tradutor: Cássia Zanon 
Editora: Arqueiro
16Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.

Resenha

Como eu já falei para vocês, estou cada dia mais apaixonada pela série Os Bridgertons, escrita pela Julia Quinn. Iniciada com “O Duque e Eu” e seguida por “O visconde que me amava”, agora somos envolvidos pela história de Benedict Bridgerton em uma releitura de Cinderela.

Arqueiro_parceria522Bem, como diz a sinopse, o livro é uma releitura de Cinderela, então, precisamos da Gata Borralheira, que aqui é Sophia Maria Beckett, ou simplesmente Sophie. A garota foi deixada na porta da casa do pai quando tinha apenas 3 anos, e, embora todos soubessem que ela era uma filha ilegítima do conde Penwood, ninguém questionou quando o mesmo a tomou como pupila. Porém, a vida de Sophie mudou quando o conde resolveu casar-se novamente. Araminta, a nova esposa não aceitava o fato de uma filha bastarda do conde viver debaixo do mesmo teto que ela e suas duas filhas, Rosamund e Posy. Mas não tinha como argumentar, e foi obrigada a aguentar a garota, até que a morte prematura do conde mudou as coisas. Com 14 anos, Sophie passou a ser a empregada da casa, trabalhando apenas para ter um lugar para morar, algo para comer e trapos para vestir.
Agora, com 21 anos, Sophie está em Londres para a temporada de bailes de 1815, em que Rosamund e Posy estão se apresentando. Mas o sonho dela é participar ao menos uma vez de um desses bailes glamorosos da sociedade londrina, mas é apenas isso, um sonho.

Porém, com a ajuda dos criados da casa onde trabalha, Sophie consegue entrar de penetra no baile de máscaras de Lady Bridgerton e é lá que conhece Benedict.
Mas havia algo naquela mulher que o deixou hipnotizado. Era o sorriso dela, o formato dos olhos, a forma como se portava e olhava ao redor do salão de baile como se nunca tivesse visto nada mais glorioso do que os tolos membros da sociedade vestindo fantasias ridículas.
A beleza dela vinha de dentro.
Ela brilhava. Cintilava.
Pág. 36
Mas Sophie sabe que isso não pode durar mais do que algumas horas, então ela irá aproveitar o máximo que puder e guardar as memórias desse momento para sempre.
- O que está sentindo? – quis saber Benedict.
- Tudo! – retrucou ela, com uma risada.
- E o que está ouvindo?
- A música. – Sophie arregalou os olhos de empolgação. – Estou escutando a música de uma forma que nunca tinha experimentado antes.
Ele puxou-a mais um pouco e o espaço entre os dois diminuiu vários centímetros.
- O que está vendo? – indagou.
Sophie tropeçou, mas não tirou os olhos dos dele em nenhum momento.
- Minha alma – sussurrou. – Estou vendo minha alma.
Ele parou.
- O que disse? – sussurrou.
Pág. 53
Mas chega a meia-noite e Sophie vai embora, deixando para traz apenas uma luva com um brasão com Benedict, que passará a procurá-la em todos os lugares possíveis.

Porém, após dois anos, ele praticamente já deixou sua busca de lado e é aí que ele encontra Sophie novamente, mesmo que não saiba que é a mesma pessoa.
Ela o encarou direto nos olhos. E foi nesse momento que soube.
Ele não iria reconhecê-la.
Não fazia ideia de quem ela era.
Sophie não sabia se ria ou se chorava.
Pág. 87
Mas se pararmos para analisar bem, seria pedir demais que Benedict reconhecesse Sophie, afinal, ela agora não está usando máscara, está com roupa de empregada, mais magra e com o cabelo mais curto. Como o coitado iria reconhecer?

Entretanto, a química entre os dois está lá, mais forte do que nunca e Benedict até se surpreende por estar sentindo tudo isso novamente, afinal, acreditava que esse tipo de sentimento apenas seria sentido uma vez na vida, e ele já perdeu “Ela” há dois anos e não tem a menor noção de como encontrá-la.

Mas como estamos falando de uma sociedade aristocrata, do século XIX, não era concebível que uma pessoa da alta sociedade tivesse um relacionamento digno e sacramentado com alguém de baixo, uma empregada, uma camareira. O máximo que ela poderia ser era sua amante, e isso, Sophie nunca aceitaria, pois, sempre existiriam os filhos e ela não poderia nunca impor a um filho seu o status de bastardo, que tanto lhe assombrou a vida.

Uma coisa é certa, quando lemos na sinopse que o livro é uma releitura de Cinderela, pensamos, tá, já sei tudo que vai acontecer. Mas a Julia nos surpreende nos detalhes, em como conduz a história e não há como não se encantar com sua escrita, com seus personagens, com essa família.

Sem dúvida já estou ansiosa pelo próximo livro “Os Segredos de Colin Bridgerton”, que pelo pouquinho que li já vi que vai ser ótimo!!!!!!!!!!!

Um beijão para todos e até a próxima!!!
Comentários
10
Compartilhe

10 comentários:

  1. Nossa , Bela resenha , me interessei bastante Por esse livro , quero muito ler ele , essa resenha me lembra um Livro muito lindo , o meu favorito , Que fala tbm De um romance dificil , mais nao impossivel , amei muito essa resenha , espero ter oportunidade de ler ele !!
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Lay! Todo mundo fala muito bem desta série, principalmente você. Quero muito começar a Lê-la mas não gosto das capas. Essa semelhança com a Cinderela também não ajudou, mas como você disse, a autora nos surpreende. Bjs, leemporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. eu quero muito ler algum livro da julia quinn.. queria mais ler esse pq vejo q o protagonista combina com o tipo de homem q eu admiro *-* mas vou começar pelo começo dos livros dela :) vou colocar logo no skoob se n esqueço de novo kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Os livros que já li e que também se ambientavam em séculos passados foram histórias interessantes, mas confesso que em algumas eu tive que me "arrastar" na leitura. Este livro parece ser muito interessante, por ser uma releitura e ter esse toque de amor proibido. Talvez um dia eu chegue a lê-lo. =)

    ResponderExcluir
  5. Tem muita gente falando do livro mas ainda não sei se leria ele neste momento, parece ser muito bom mas não para este momento.

    Espero um dia poder ler

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Confesso que não gosto muito de romances e a capa não me agradou. Porém, pelo fato de ser um livro de época (o que eu gosto), talvez eu leria.
    Gosto de livros de épocas porque permitem um conhecimento do passado e uma boa ambientação.
    Adorei a sua resenha.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  7. Adoro essas readaptações, é vastante interessante esse tipo de historia. Gostei bastante, já entrou para lista de desejados >.<

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Adoro romances históricos.
    E a estória sendo ambientada em Londres, ai sim eu preciso ler.
    Gostei da trama. Filha ilegítima que praticamente vira uma Cinderela...
    mas dai é expulsa, precisa deixar Londres (snif, snif)...
    Ahhhh, este livro lembra muito o filme "Para sempre Cinderela" ... que eu adoroooo.
    Eu adoro a Cinderela e se a autora surpreende com os detalhes, melhor ainda... preciso ler este livro.
    Adorei a resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia essa série, mas como sou apaixonada pela Cinderella, fiquei morrendo de vontade de ler. Curto muito releituras!!

    ResponderExcluir
  10. Olá Lay, tudo bem??
    Eu ainda não li nenhum livro da Julia Quinn, mas tenho muita vontade, essa série parece ser muito boa mesmo, e eu curto romances de época, Um perfeito cavalheiro parece ser muito bom, e eu achei bem bacana ele ser uma releitura de Cinderela.
    Beijos!!! Espero poder conferir em breve!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações