19 de out de 2014


[Resenha] A Menina Submersa: Memórias - Caitlín R. Kiernan


Ficha Técnica

Título: A Menina Submersa: Memórias
Título Original: The Drowning Girl
Autor: Caitlín R. Kiernan
ISBN: 978-85-66636-25-3
Páginas: 317
Ano: 2014
Tradutor: Ana Resende & Carolina Caires Coelho
Editora: DarkSide® Books
13'A Menina Submersa - Memórias' é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.

Resenha

darksideVencedor do prêmio Bram Stoker, “A Menina Submersa: Memórias” é mais um romance aclamado e premiado da autora Caitlín R. Kiernan. Nesta obra ela trabalha com a fantasia, a escrita e a mente humana. Muitas vezes ela refere-se ao livro como uma ‘história de fantasmas’, que de assustadora não tem nada, apesar do conteúdo perturbador que envolve a atmosfera dele.

Imp é uma jovem adulta que está ao ponto de “explodir” caso não compartilhe sua história. E “A Menina Submersa: Memórias” irá contar exatamente a trajetória de Imp, que através de um livro, permitirá ao leitor conhecer seu passado, seu presente e futuro, tudo isto carregado de metáforas e subjetivismo.
A loucura da minha família se alinha de modo ordenado, feito vagões: avó, filha, filha da filha, além da minha tia-bisavó. Talvez a Maldição vá ainda mais além, mas não sou muito fã de genealogia. Fossem quais fossem os segredos que minhas bisavós e trisavós pudessem esconder e levar para o túmulo, vou deixá-los em paz.
Pág. 17
Para lhe situar melhor do que se trata o livro, irei explicar. A personagem principal certo dia encontra uma moça no meio da rua, e a convida para ficar na sua casa. Abalyn, a tal jovem, acaba iniciando um romance com Imp, que no momento está passando por vários conflitos internos. Tais conflitos serão o principal fator das reviravoltas que acontecem em “A Menina Submersa”.

Por sinal, o nome do livro é derivado de uma pintura em um museu, que possui o mesmo nome. Imp tem uma estranha conexão com este quadro desde pequena, e quando mais velha acaba encontrando no meio da estrada uma mulher nua e encharcada de água, assim como na famosa pintura, e tal mulher se revelará um ponto de mudança na vida de Imp, que começaraá a ter sonhos estranhos e visões, pondo em risco seu relacionamento com Abalyn e também colocando em teste sua sanidade.
Sou impaciente demais para permitir que esses eventos se desenrolem de maneira verdadeiramente linear. O presente daquela tarde se tornou o passado do meu momento presente, o precipício a partir do qual eu examino a paisagem enroscada de todos os momentos que conduziram àquela época e até agora.
Pág. 102
“A Menina Submersa: Memórias” é um livro muito denso e que requer muita atenção ao ser lido. A autora possui uma escrita detalhista e bastante criativa, ao ponto de me fazer acreditar que o quadro que dá nome ao livro é real, porém o mesmo não passa de uma criação especialmente para o livro. A personagem principal é muito bem construída e repleta de realismo, conseguindo transpor o que se passa na mente perturbada de alguém de uma maneira fascinante, e até um pouco bizarra.

O livro é mais um belo lançamento da DarkSide® Books, apesar de eu ter achado desnecessário essa tag imensa na capa, mostrando ao leitor a opinião de Neil Gaiman sobre a obra. Se fosse eu, teria prezado esta bela arte de capa, uma das mais bonitas da editora, e optaria por diminuir o selo rosa ou até mesmo colocar na parte detrás do livro, onde consta opiniões de outros autores como Holly Black e Peter Straub.
Meu cabelo flutuou ao redor dos ombros, sobre os meus seios e barriga como algas-marinhas em uma piscina natural. Enquanto eu afundava cada vez mais, a banheira começou a transbordar e molhar o chão.
Pág. 191
No mais, “A Menina Submersa” é uma leitura que me tomou um pouco de tempo. Até agora não tenho muita certeza se captei a essência da obra, que realmente é trabalhada de uma maneira bem única e artística. O fato dos capítulos normalmente terem mais de 40 páginas, também não me ajudou muito, mas é interessante ressaltar que a personagem Imp diz no livro que odeia capítulos, e por ela, eles não existiriam. Ou seja, os capítulos longos, foram uma forma da autora ressaltar a ideia de um livro dentro do livro.

Para os fãs de uma leitura mais poética e fora dos moldes literários atuais, a obra de Kiernan é uma boa pedida, principalmente se você curte fantasia, folclore e psicologia. A autora não estaria recebendo tantos elogios e prêmios caso seu livro não fosse de um patmar de genialidade fora do comum, e não é atoa que para muitos, a leitura poderá ser complexa, mas de nenhuma forma isto retira o mérito da autora. Resta somente à você saber se “A Menina Submersa” se encaixará ou não em seu tipo de leitura.
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Bom, já vi algumas resenhas desse livro, e todas que li colocam em questão o fato de ser uma leitura diferenciada do atual, como disse uma "leitura mais poética". E também por ser uma leitura difícil. Esses foram fatores que me fizeram não querer como leitura agora, acho que uma leitura assim, requer tempo, atenção e até dedicação, para voltar a cada página que não ficou bem entendida.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de fantasia, história densa e leitura poética, livro bem diferenciado, parece ótimo, fiquei bastante interessada em ler.

    ResponderExcluir
  3. Nossa Tácio, não sei se leria, não por não ter achado interessante, isso achei até demais, mas essa escrita não tão fácil de ser lida, com metáforas... não sei se entenderia tão bem. Desanimei por causa disso. Se ele um dia chegar em minhas mãos, leio. Caso contrário não será um livro que vou correr atrás dele, apesar de amar fantasia, livros psicológicos, ou com psicologia.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho a capa linda e tinha interesse em ler, mas depois de algumas reseneu mudei de ideia, eu gosto de capitulos curtos ,me cansa menos rs, e acho que nã oia curtir este enredo,
    ele parece ser legal, mas acho que comigo não vai funcionar, gosto de livros mais 'ageis' mais rapidos e este não parece ser assim,
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Por ser um livro muito denso e requer muita atenção para ler eu nao optaria em lê-lo agora, estou procurando livros mais leves no momento...rsrs
    Mas achei bacana a resenha e me deixou curioso.
    Tbm achei desnecessario aquele negocio rosa com a opinição do Neil Gaiman, concordo que poderia estar atras do livro.

    ResponderExcluir
  6. Este gênero não é o meu favorito, mas alguma coisa me atrai e tenho vontade de conferir este livro.
    Um pouco de mistério é bom e essa edição da DarkSide mais uma vez parece sensacional!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações