2 de dez de 2014


[Resenha] Leviatã: A Missão Secreta - Scott Westerfeld


Ficha Técnica

Título: Leviatã: A Missão Secreta
Título Original: Leviathan
Autor: Scott Westerfeld
ISBN: 978-85-01-09758-3
Páginas: 365
Ano: 2012
Tradutor: André Gordirro
Ilustrações: Keith Thompson
Editora: Galera Record
12
Scott Westerfeld, autor da série Feios, reinventa aqui a Primeira Guerra Mundial em uma narrativa steampunk. Em lados opostos, mekanistas lutam com aparatos mecânicos movidos à combustível e darwinistas usam imensos animais geneticamente fabricados, e adaptados para a batalha. Alek Ferdinand, príncipe do império austro-húngaro, está sem saída. Perdeu seu título e o apoio do povo, restando apenas um imenso ciclope Stormwalker e um grupo leal de homens. Por outro lado, Deryn Sharp é uma jovem plebeia que se disfarça de homem para ingressar na Força Aérea Britânica. Os caminhos dela e de Alek se cruzarão de maneira inesperada, levando-os a bordo do Leviatã para uma viagem que mudará suas vidas.

Resenha

Com uma ideia inteligente, personagens cativantes e uma narrativa detalhista e envolvente, “Leviatã: A Missão Secreta” leva o leitor para décadas atrás, mas precisamente para a Primeira Guerra Mundial, misturando realidade e ficção, neste que talvez seja o maior - e melhor - exemplo de literatura Steampunk para o público jovem-adulto na atualidade.

Galera-Pq122Para quem não sabe, Steampunk é um subgênero da ficção científica, onde a narrativa aborda fatos históricos, adicionando a eles elementos futuristas, criados e desenvolvidos através da ciência. Por exemplo, em “Leviatã” enquanto observamos o estopim da Grande Guerra, iremos ser apresentados a uma nova realidade, onde máquinas e criaturas animalescas, são o principal desencadeador e combatente de tal evento sangrento.
O Leviatã foi o primeiro dos grandes respiradores a hidrogênio fabricados para rivalizar com os zepelins do kaiser. Alguns poucos monstros cresceram mais desde então; no entanto, nenhum outro havia feito a viagem de ida e volta à Índia ainda e quebrado os recordes das aeronaves alemãs durante todo o percurso.
Pág. 64
Vamos então entrar em maiores detalhes do enredo do livro. Em “Leviatã” iremos acompanhar a aventura de dois jovens durante o tenebroso início da guerra, em meados de 1914. O primeiro deles se chama Aleksandar, ou simplesmente Alek, príncipe do império Austro-Húngaro, que precisa fugir do seu reino as escondidas após seus pais terem sido assassinados, tal fato que é o precursor da batalha que irá dividir as nações europeias.

Nossa outra personagem principal se chama Deryn, uma menina apaixonada pela aviação, mas que pelo fato de ser mulher, precisará se disfarçar de garoto para realizar seu grande sonho. Com seu talento e inteligência rapidamente a menina, sob o codinome de Dylan, chama a atenção de seus superiores e acaba a bordo do Leviatã, uma das maiores criações do homem, que mistura animal e máquina.

Através de Alek e Deryn iremos acompanhar dois lados distintos da guerra: as potências darwinistas, que defendem a ideia de gerar e utilizar animais criados em laborátorio - com o exemplo da Inglaterra -, e as potências mekanistas, que desprezam as criaturas darwinistas e se baseiam em equipamentos completamente mecânicos, como zeppelins e ciclopes - este seria o caso de Estados como Alemanha e Áustria-Hungria.

Porém, mais cedo ou mais tarde, o caminho destes jovens irá se cruzar, e os dois lados do conflito terão que descobrir uma forma de unir suas forças, caso queiram sair ilesos das consequências que somente uma guerra é capaz de fazer.

leviatã mapa.jpg
Mapa da Grande Guerra, desenhado por Keith Thompson, especialmente para o livro 
Ele se perguntou o que seria pior, ser visto ou ficar parado ali, como um coelho esperando o rasante de um gavião. Ele se inclinou para a escotilha e protegeu os olhos. Algo metálico brilhou na escuridão e, em seguida, ele ouviu um tiro.
Pág. 147
Pode parecer um pouco confuso entender as definições de darwinista e mekanista, quem eles realmente são e as ideias que defendem na batalha. Porém, ao ler o livro, as informações são nos oferecidas aos poucos, facilitando gradualmente a compreensão do leitor sobre esse grandioso e complexo universo.

A escrita fica a cargo de Scott Westerfeld, mesmo autor da série “Feios”, e apesar de nunca ter lido nada dele, gostei bastante da sua narrativa descritiva e dinâmica, que alterna os capítulos nas visões de Alek e Deryn. “Leviatã: A Missão Secreta”, apesar de possuir quase 400 páginas é uma leitura bastante rápida, pelo fato desta ambientação histórica por si só gerar fôlego e agilidade a estória.
– Pelas chagas de Deus – praguejou. Não era uma máquina de maneira alguma, mas uma criação darwinista!
Ele já tinha visto monstros antes, é claro – lagartos falantes nos salões badalados de Praga, um animal de carga sendo exibido em um circo itinerante –, mas nada tão gigantesco quanto aquilo. Era como se um de seus brinquedos de guerra tivesse ganhado vida, milhares de vezes maior e mais incrível.
Pág. 190
Em adição a gostosa escrita de Westerfeld, o leitor ainda irá se deparar com belas ilustrações de Keith Thompson, que enriquecem e dão vida a imaginação de quem está lendo o livro. O book trailer abaixo, conta com desenhos de Thompson, e apesar de estar em inglês, vale muito a pena ser conferido.

Só tenho elogios a dar para “Leviatã”, desde sua escrita até os desenhos. É aquilo tipo de livro que é completo do começo ao fim. Não posso deixar de parabenizar também a Galera Record, pelo excelente trabalho na capa da obra, que é toda em alto relevo, deixando-a muito mais bonita do que já é.
Alek estremeceu. Tinha ouvido histórias horríveis sobre as criações darwinistas: híbridos de tigres e lobos, monstros mitológicos que ganhavam vida, animais que falavam e até mesmo raciocinavam como humanos, mas não possuíam almas. Contaram para Alek que, qundo os monstros hereges eram criados, eram ocupados por espíritos de demônios – pura maldade em carne e osso.
Pág. 194
Não tenho como negar, que “Leviatã” foi uma ótima surpresa para mim, pelo fato de já ter o livro há quase dos anos na estante, e sempre ter adiado sua leitura. Para quem ainda não conhece o livro, eu indico de coração, principalmente se você é um amante da História. Não querendo comparar, mas já comparando, “Leviatã” me lembrou levemente de “Fronteiras do Universo”, então fica aí a dica pra quem gosta. Eu me apaixonei, e não vejo a hora de devorar “Beemote: A Revolução”, segundo volume da trilogia.

leviata-tile.jpg
  Capas de “Leviatã” e “Beemote”, ambos publicados pela Galera




Comentários
12
Compartilhe

12 comentários:

  1. Olá Tácio,
    não conhecia o que era Steampunk, mas adorei. Você citou que é uma leitura rápida, porém acho que se eu ler vai ser ao contrário, o livro me pareceu bem complexo. Mas mesmo assim, gostei da ideia de mekanistas e darwinistas. Esse último quote é instigante!
    E ainda por cima, conta com ilustrações... Quero ler essa trilogia <3
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa,
      Pode parecer complexo, e realmente é um pouco em relação ao que são darwinistas e mekanistas, porém tudo isso é explicado e vamos entendendo ao ponto que vamos imergindo cada vez na história. =D
      Pode ler, que até agora só tenho elogios a dar.
      Abraços

      Excluir
  2. Nunca li nada do autor, nem a série feios.
    Achei bem legal o livro ser relacionado com batalhas, povos e ciclopes.
    Bem legal a forma que o autor adapta a série da 1 guerra de um modo para o lado fictício.
    Adorei a ilustração, ficou bem legal com animais nele.
    Tem bastante páginas e eu gosto de livros bem gordinhos c:
    Espero poder ler daqui um tempo, as capas são bem bonitas e o booktrailer novo ficou muito bem feito e dá uma breve descrição do livro.
    Abraços Tácio,
    ThayQ.

    ResponderExcluir
  3. Tácio, esse é outro autor que tenho um certo receio... li Midnighters. Você chegou a ler essa trilogia? Pois é, o final foi tão ilógico e ridículo para mim que queria morrer só de pensar que perdi tempo lendo os três livros. Mas, é um ótimo autor, escreve maravilhosamente bem, sabe criar um mundo, ambiente e personagens de tal forma que basicamente o vê na mente. Depois de Midnighters não li mais nada do autor, vou esperar você chegar no último livro, e ler sua resenha, e quem sabe não animo ler essa trilogia dele. Estou te usando de cobaia! Desculpa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li a série "Midnighters" e conheço gente que não gostou da série "Feios" também. Por enquanto, está tudo lindo, e espero que continue assim. Já estou no finalzinho de "Beemote" e está bom também. Hahahahahaha pode usar de cobaia sim, até o final do mês a resenha de Golias deve sair aqui no blog! =]

      Excluir
  4. Já li algumas resenhas sobre essa série e cada vez mais minha vontade de lê-la aumenta. Eu adoro ficção científica e adoro ainda mais livros que envolvem guerras. Preciso dizer que esse livro é uma combinação perfeita para mim? rs
    A premissa é muito boa e achei bem legal o fato dele separar em dois grupos que usam a tecnologia de forma diferente. E acredito que vá gostar mais dos darwinistas.
    Adorei sua resenha, Ficou ótima.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de dezembro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! =]
      Eu prefiro os darwinistas hahaha

      Excluir
  5. Tácio!
    Já li alguns livros no gênero ficção Steampunk e gostei demais por conta das descrições de máquinas inimagináveis, pelo menos para mim.
    Sou fã do gênero ficção e fiquei daqui imaginando como seriam esses animais criados, fabricados e adaptados para batalhas?!!
    E como se nada disso bastasse para aguçar minha curiosidade, ainda tem o acréscimo das ilustrações que pelo visto são um show a parte.
    Obrigada por sua resenha detalhada.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Rudy.
      Se você gosta de ficção, acho que não irá se arrepender caso leia Leviatã.
      Beijos

      Excluir
  6. Esse foi o primeiro livro Steampunk que li e devo dizer que fiquei apaixonada. Assim que terminei já procurei pelo segundo (e pensar que ainda não deu para o ler)
    Fiquei muito surpresa ao ver depois quem era o autor (não tinha notado haha) pq li Feios e sinceramente não gostei. Só do primeiro, depois dele fica horrivel. Mas em Leviatã, ele realmente surpreende.
    E não conhecia Fronteiras do Universo, mas dei uma pesquisada e entrou pra minha lista!

    ResponderExcluir
  7. Apesar de muito bem escrita a resenha, não gostei muito do livro, já li várias resenhas dele, mas não despertou ainda o interesse.

    ResponderExcluir
  8. Eu nao conhecia o genero... que mistura realidade com ficçao, pelo que eu entendi... e confesso, que se nao fosse pela sua resenha, eu passaria direto se visse numa loja... achei a capa bem de um jeito q nao me atrai, e acabaria perdendo uma grande historia!! lerei sem duvida.. parece muito bom!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações