9 de jan de 2015


[Resenha] Simplesmente Acontece - Cecelia Ahern


Ficha Técnica

Título: Simplesmente Acontece
Título Original: Where rainbows end
Autor: Cecelia Ahern
ISBN: 978-85-8163-545-3
Páginas: 448
Ano: 2014
Tradutor:Amanda Moura da Silva Santos e Ivar Panazzolo Júnior
Editora: Novo Conceito
41O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.

Resenha

E lá vou eu para mais um livro da Cecelia. Para quem não conhece, o livro mais famoso da Cecelia é P.S. Eu Te Amo que a Auri resenhou aqui, mas ela também escreveu, O Presente, O Livro do Amanhã e o meu favorito A Vez da Minha Vida.

Selo-Parceiros-Novo-Conceito42222322Assim como P.S. Eu Te Amo, "Simplesmente Acontece" também virou filme e deve estrear nos cinemas ainda esse mês e eu pretendo assistir o quanto antes. O livro nos traz a história de Rosie e Alex contada de uma forma peculiar. Ao invés de termos narrativa precisamente, a história é contada através dos bilhetes, cartões-postais, cartas, e-mails, sms e chat entre eles. Morando em Dublin, Alex e Rosie se conhecem desde que tinham mais ou menos cinco anos e são melhores amigos desde sempre, unidos contra tudo. Mas, no último ano do colégio, a família de Alex acaba se mudando para os Estados Unidos por conta de uma promoção recebida pelo pai.

Mesmo comum oceano entre eles, os dois continuam se correspondendo direto e isso só reforça a crença de todos ao redor, de que eles são perfeitos juntos e que mais cedo ou mais tarde se tornariam um casal. Esse ano separados foi tanto que, na hora de candidatar-se à faculdade, Rosie decidiu estudar em Boston, perto de Alex que cursaria Medicina em Harvard. Porém, o destino resolve brincar com a vida deles, pois no dia da formatura de Rosie no colégio Alex não consegue embarcar para Dublin, o que a obriga a conseguir um par de última hora. Para seu azar ela acaba indo com alguém de quem não gosta e para aturar a noite bebe além da conta. Sim, o estrago está feito!!
Como a vida é engraçada, né? Bem na hora em que você pensa que está tudo resolvido, bem na hora em que você finalmente começa a planejar alguma coisa de verdade, se empolga e sente como se soubesse a direção em que está seguindo, o caminho muda, a sinalização muda, o vento sopra na direção contrária, o norte de repente vira sul, o leste vira oeste, e você fica perdido.
Pág. 45
Com um filho, Rosie se vê deixando seus projetos de lado. Com o apoio dos pais, ela consegue ir aos poucos se adaptando a nova realidade da sua vida. Claro que vemos também o apoio da irmã mais velha (que mora em Paris) e de Alex, mas eles não estão ali no dia-a-dia. Junto com o sonho de fazer faculdade nos Estados Unidos ou em qualquer outro lugar no momento, Rosie também vê seu sonho de trabalhar no ramo hoteleiro escapar por entre os dedos.
Engraçado, porque, quando você é criança, acredita que pode ser tudo o que quiser, ir para onde se tem vontade. Não há limites. Você espera o inesperado, acredita em mágica. Aí você cresce e a inocência acaba. A realidade da vida mostra a sua cara e você se sente golpeada quando constata que não pode ser tudo o que quer e que só precisa se conformar com um pouco menos do que aquilo que havia imaginado.
Pág. 183-184
Como diz o pai de Rosie em uma das cartas que manda pra ela, "a vida dá cartas diferentes a cada um de nós, e, entre nós todos, não há dúvida de que você recebeu a mão mais difícil" (Cap 43), mas ainda assim ela persiste. Cria a filha com o máximo que pode e a verdade é que Katie é uma mini Rosie, só que numa versão melhorada. Como Alex é o padrinho dela, eles também se correspondem bastante e podemos ver como o entrosamento entre os três é perfeito. É engraçado como vemos Alex e Rosie meio que ajudando e orientando Katie, pois assim como a mãe, ela também tem um melhor amigo do sexo masculino e vemos algumas coisas se repetindo.
Obrigada pela carta. Fico feliz que você gostou do meu vestido, mas se eu fosse você tinha usado um vestido mais bonito, que nem o que a minha mãe estava usando no dia do seu casamento. Todo mundo falou que o vestido dela combinou muito bem com a roupa do Alex. Os dois ficaram tão bonitos juntos, você não achou?
Pág. 80
Adorei o livro, mesmo torcendo a cada página que Alex e Rosie enfim percebessem que sim, eles deveriam ser um casal e fazer alguma coisa para que isso de fato acontecesse e sendo frustada constantemente por eles, por outros personagens que se metiam onde não deviam, enfim, não dando certo. Outra coisa que me fez amar o livro foi o fato de que nem mesmo a distância que os separavam fisicamente era capaz de separá-los emocionalmente. Vemos através das cartas, e-mails ou qualquer que seja o meio de comunicação escolhido, eles continuam se entendendo como nunca.
(...) você merece algo muito melhor. Merece alguém que te ame com todo o coração, alguém que pense em você a todo momento, alguém que passe cada minuto do dia se perguntando o que você deve estar fazendo, onde você está, com quem está e se está bem. Precisa de alguém que te ajude a realizar os seus sonhos e que possa protegê-la dos próprios medos. Alguém que te trate com respeito, que ame cada parte de você, especialmente os seus defeitos. Você deveria estar com uma pessoa que possa te fazer feliz, muito feliz, andando nas nuvens de tanta felicidade.
Pág. 142-143
Lindo e emocionante, o epílogo então, nem se fala! Agora estou torcendo para que não tenham alterado muita coisa no filme.



Comentários
10
Compartilhe

10 comentários:

  1. Que bonita a amizade deles! Tenho amigos que moram na mesma cidade que eu e mesmo assim eu não mantenho o contato e esses dois totalmente longe um do outro continuam se falando, muito legal isso. Parece ser um livro muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Nathalia, tenho alguns assim também!!!

      Excluir
  2. Lay, li esse livro, estava louca por ele, e me decepcionei. Amo a Cecelia Ahern como escritora, sou louca pelo A vez de minha vida, mas esse não gostei tanto. Parece que não ocorria o que tinha de ocorrer, demorou demais, pareceu para mim que passou do tempo. Outra coisa que não acostumei foi o livro ser escrito por e-mails, cartas e afins, creio que algo se perdeu, e eu me perdia também na leitura pois nada de diálogo, nada de uma resposta imediata. Isso me fez ficar chateada a ponto de quase abandonar o livro... eu sei, mas não abandonei, só que para mim não foi o melhor livro dela. E não leria de novo nem morta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também foi difícil me acostumar com esse tipo de escrita, mas depois eu curti. Sim, não posso negar que as coisas demoram de acontecer, mas acredito que era essa a intenção dela mesmo, para que vejamos que algumas vemos as coisas estão na nossa cara a vida toda e não percebemos.
      Não posso comparar ao meu preferido dela, A Vez da Minha Vida, mas gostei também numa intensidade menor.
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, Lay,
    Achei bem interessante, em primeiro lugar, a narrativa ser feita através de correspondências e não da forma tradicional. Outro ponto que me chama a atenção é o sentimento trabalhado durante muito tempo, que é bem melhor do que amor instantâneo.
    Não sabia que a premissa do livro era essa. Agora fiquei com vontade de ler.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de janeiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como eu disse pra Oliveira, não é fácil se acostumar com esse tipo de escrita, mas conseguimos ter uma noção dos sentimentos dos personagens e de como eles interagem entre si. É realmente muito interessante!

      Excluir
  4. Oi Layane! Ando ouvindo tantos elogios que estou até com medo de ler o livro e me decepcionar, de tão altas que estão as expectativas rs. Ele é o próximo da fila e pretendo começa-lo amanhã, tomara que eu goste! Afinal, um livro da Cecelia Ahern é difícil de eu não gostar. Também estou muito ansiosa para ver o filme, e torcendo para ser uma boa adaptação.

    Beijos,
    Adri Brust
    http://stolenights.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho essa constante de amor e ódio com os livros da Cecelia e quando os termino vejo que o ódio prevalece. Não vou mentir que algumas situações sempre me arrancam um sorriso, ou uma gargalhada, mas excepcionalmente não quero o ler o livro, mas sim assistir ao filme.

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante da resenha, li a sinopse recentemente na Amazon e vi o trailer do filme e me pareceu bem legal. Só não sabia que a narrativa era feita por meio de cartas e e-mails e esse tipo de leitura não me agrada muito,levo muito tempo para ler porque não sou acostumada,isso me desanimou bastante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nossa eu ainda não li ao livro, mas agora quero muito ler e ver ao filme é a primeira vez que vejo o trailer dele, eu ainda não li anda da autora, mas pretendo já vi ao filme P.S Eu te amo, mas não gostei muito, porém as pessoas falam muito bem do livro, pretendo dar uma chance a ele também.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações