12 de mai de 2015


[Resenha] Laços de Fogo - Nora Roberts


Ficha Técnica

Título: Laços de Fogo
Título Original: Born in Fire
Autor: Nora Roberts
ISBN: 978-85-286-1326-1
Páginas: 322
Ano: 2008
Tradutor: Vera Bandeira Medina
Editora: Bertrand Brasil
41Neste primeiro volume da Trilogia da Fraternidade, você conhecerá as irmãs Concannon: mulheres modernas, ligadas ao eterno e intempestivo espírito da terra. Laços de Fogo é a história de uma artista impetuosa que não pode fugir de seu passado... tampouco de um grande amor. Talentosa, solitária, teimosa e dona de um espírito libertário, Maggie Concannon é uma artista especializada na arte em vidro, cujos trabalhos sensíveis são muito mais do que meros objetos de beleza, mas reflexos de sua verdadeira natureza. Surge então um homem, o marchand Rogan Sweeney, que percebe a alma e a pureza de sua arte e se propõe a ajudá-la a construir uma carreira de sucesso. Quando Rogan chega ao isolado estúdio de Maggie, o coração dela se inflama com a arrebatadora atração que surge entre eles... e seu passado sombrio será iluminado por um amor tranqüilo, gentil e complacente

Resenha


Não sei dizer há quanto tempo quero ler essa trilogia. Havia decidido que só a leria quando tivesse os três livros, mas já tem quase uns dois anos que já estavam na minha estante esperando sua vez de serem lidos. E eis que que o momento chegou e, como sempre, a Nora arrebentou! Adorei conhecer as irmãs Concannon e suas raízes irlandesas.

No primeiro livro da trilogia, conhecemos a irmã mais velha Maggie Concannon, uma jovem independente e de natureza tempestiva que vive uma relação muito complicada com sua família. O amor que tem pelo pai, pela irmã e pelo seu trabalho contrasta com a difícil relação com a mãe, uma mulher amarga e intragável.

Com muita dificuldade, o pai de Maggie a enviou para Veneza para estudar a arte de trabalhar com vidro, pois sabia que isso faria a filha feliz, mesmo sabendo que não tinha condições financeiras de fazer esse sacrifício. De fato, isso é o que a mantem sã, seus momentos de isolamento em seu estúdio. Porém, ao perder o pai, Maggie se vê sozinha com a irmã tendo que cuidar da mãe, que além de amarga, vive alegando muitas doenças (sorry pessoal, mas não suporto a Maeve!).

Entretanto, financeiramente falando, as coisas podem melhorar para Maggie pois um grande empresário do ramo das artes está interessado em contratá-la, mas é claro que mesmo pensando que isso pode ser a solução dos seus problemas, Maggie não quer vender a sua arte, não dessa forma, comercializando-a para quem pagar mais em grandes galerias, isso seria errado com o seu dom, mas (graças a deus, kkkk) Rogan Sweeney é um homem decidido e obstinado.
O sorriso dela modificou-se, adquirindo um certo ar de escárnio. Sweeney, pensou. O homem que queria mandar em seu trabalho. "O tal", ela usou a expressão nada lisonjeira para um habitante de Dublin.
- Bem, o senhor é um homem teimoso, Sr. Sweeney, está é a verdade. Espero que tenha feito uma boa viagem, só assim não terá perdido seu tempo.
- Foi uma viagem miserável.
- Que pena...
Pág. 44
Adorei ver os embates entre Rogan e Maggie. A teimosia dela, a relação de amor com a irmã, Brianna, o desejo de protegê-la de tudo e de todos (principalmente da mãe), mas também de ver como tem seu lado frágil, inseguro, que não esquece a forma como o pai morreu e de como aquilo abalou sua vida. E ele, que sempre teve certeza do amor dos pai por ele, que sempre teve tudo que quis ou imaginou que queria, que sempre teve o conforto financeiro, mas que ainda assim é generoso e de coração puro.
- Estou feliz com as coisas como estão. Por que você tem que mudá-las?
- Porque quero mais do que apenas alguns dias do mês com você. Quero uma vida com você. Filhos com você. - Passou a mão pelos cabelos dela para tocar-lhe a nuca. - Porque você é a primeira e única mulher que amei. Não vou perdê-la, Maggie. E não vou deixar que você me perca.
Pág. 265
E, além disso, vemos as diferenças entre eles no que diz respeito ao mundo onde vivem, ela no pequeno Condado de Clare e ele em Dublin. Ele, um cavalheiro que não quer apenas ter um caso com ela, e ela por outro lado, não quer nada sério.

Mas enquanto eles tentam se entender no âmbito pessoal, profissionalmente a carreira de Maggie só cresce cada dia mais, ganhando outros países, ganhando literalmente o mundo. Também vemos o sonho de Brianna, de ter uma pousada onde era a casa delas tornar-se realidade.
- Achava que sim. Achava que sabia exatamente quem eu era e quem queria ser. Agora tudo se confundiu em minha cabeça.
- Quando a cabeça não nos dá a resposta, é melhor ouvir o coração.
Pág. 303
Ah, não posso esquecer de mencionar o Murphy Muldoon. Ele é vizinho de Maggie e Brianna e cresceu com elas. Muitos achavam que ele casaria com uma das duas, mas eles são mesmo grandes irmãos e a cumplicidade entre eles é perfeita, uma relação linda de amizade e amor. Adoro o Murphy.

Outro detalhe que não posso esquecer é o fato que a Nora queria escrever uma trilogia que mostrasse a cultura irlandesa e para mim ela conseguiu isso. Consegui me vez em Clare, com a comunidade sempre presente, os amigos sempre reunidos, uns ajudando aos outros, as tradições se misturando ao mundo moderno em sincronia. Enfim, acredito que ela foi feliz em todos os aspectos que se propôs.

Agora é ler o livro da Brianna....

Até a próxima queridos!!
Comentários
11
Compartilhe

11 comentários:

  1. Oi Lay

    Não conhecia esse livro.
    Vejo muitas obras de Roberts, mas nunca li nenhuma =(
    Apesar de gostar da sua resenha, não me empolguei muito por ser uma trilogia! Estou correndo de livros com continuação.
    Legal mostrar outras culturas através dos livros.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu super virei fã da Nora assim que li o primeiro dela, que foi da trilogia da magia. Até agora, gostei de todos que li dela!!!

      Excluir
  2. Olá Lay! Confesso que conheço a Nora a bastante tempo mas nunca tive a oportunidade de ler os livros dela.
    Adorei Laços de Fogo e fiquei super empolgada por se tratar de um trilogia, porque amo livros que tenham alguma continuação, assim fico menos preocupada com o que esperar no final.
    Esse romance entre Maggie e Rogan já vi em outros livros rs. Começam como se não quisessem nada, isso me deixa maluca rsrs.
    Espero conseguir lê-lo um dia!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lay.
    Conheço a Nora apenas de nome, pois vejo muitos elogios. E, para variar, leio mais um elogio sobre o livro dela.
    A premissa é interessante e eu gostei de a protagonista ser uma artista, ainda mais sendo tão obstinada quanto aos seus ideais.Acho que dará uma boa obra.
    Só achei a capa muito, mas muito estranha. Mas como não devemos julgar um livro pela capa...

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito dos livros da Nora Roberts, quero muito ler essa trilogia parece ser ótima, já está na lista de leitura e essa resenha me deixou ainda mais interessada em ler.

    ResponderExcluir
  5. Essa é outra autora que eu não consigo gostar dos livros dela, não é bem que eu não gosto, mas eles não conseguem me prender e eu acabo largando a leitura, então eu realmente fujo dos livros dela.

    ResponderExcluir
  6. Não sabia dessa série de livros da Nora. Na verdade, nem sei de onde essa mulher tira tanta ideia para fazer tanto livro. Mas enfim, parece ser interessante, acho que gostaria. Ainda não li nada dela, o Quarteto de Noivas está na minha lista há tempo e agora esse vai se juntar aos desejados também.
    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Quando vejo uma resenha de um livro da Nora, já sei que vem coisa boa :) Eu sou suspeita pra falar da moça, adoro essa mulher e a escrita dela, e estou pra começar a ler o Quarteto de Noivas. Infelizmente ainda não pude ler essas trilogia, mas tenho certeza que também vou gostar muito. O fato do livro ser embasado na cultura irlandesa o torna melhor ainda, eu sou encantada pela Irlanda e sonho em ir pra lá um dia.

    ResponderExcluir
  8. Ola
    Gente, essa autora é tao famosa, mas nunca tive vontade de ler qlqr livro dela. Mas adorei a premissa desse, é do tipo de livro que me envolveria do começo ao fim, fiquei bem curiosa para conehcer a cultura irlandesa, nao conheço muito de la! So achei mesmo foi a capa feia kkkkkk

    ResponderExcluir
  9. A Nora sempre com historias surpreendentes, amoo os livros delas, as series
    sao maravilhosa, ainda li essa triologia , mais ja esta na minha lista de desejados
    faz tempo... com a resenha so aumentou mais a curiosidade
    bjos

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia essa série e não me empolguei tanto assim, apesar de gostar bastante de livros que falam sobre vários membros da família, esta história não consegui chamar muito a minha atenção

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações