18 de mai de 2015


[Resenha] O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase


Ficha Técnica

Título: O Príncipe dos Canalhas
Título Original: Lord of Scoundrels
Autor: Loretta Chase
ISBN: 978-85-8041-399-1
Páginas: 288
Ano: 2015
Tradutor: Ivar Panazzolo Junior
Editora: Arqueiro
16Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent... Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Resenha


Bem, esse é o primeiro livro que leio da Loretta Chase e como adoro um bom romance de época, não podia deixar de ler esse.

Arqueiro_parceria522Logo no prólogo podemos sentir que esse não será um livro comum. Lorde Dain (Dominick Edward Guy de Ath Ballister) no auge de seus 42 anos havia perdido sua esposa e quatro filhos para uma doença. Sozinho e precisando de dinheiro para manter suas terras acabou casando-se com a jovem florentina Lucia Usignuolo, de 17 anos. Mas viver com Lorde Dain não era fácil, o pouco que foi mostrado dele já me fez não simpatizar em nada com a cara dele.

Como uma boa descendente de sangue latino, Lucia tinha um comportamento que não agradava seu marido e ele só se relacionou com ela até conseguir produzir um herdeiro, mas quando Sebastian Leslie Guy de Ath Ballister nasceu afrontou ainda mais a ira de Lorde Dain, afinal o garoto herdou as características físicas e emocionais dos Usignuolos.

O relacionamento da família foi ficando cada vez mais instável e o pequeno Sebastian sempre presenciando as cenas de discussão entre os pais, até o dia em que sua mãe fugiu e o deixou com o pai sem nenhuma explicação.
Tremendo, o garoto obedeceu. Era tudo o quue conseguia fazer. Não era capaz de falar. Os pássaros batiam as asas com tanta força em seu estômago que ele teve que se esforçar muito para não vomitar.
- Você deve parar de pertubar os criados com perguntas sobre sua mãe - disse-lhe o pai. - Não fale dela novamente. Ela é uma criatura maligna e demoníaca. Seu nome é Jezebel, e "os cães devorarão Jezebel no campo de Jezreel". (...)
- Eu renuncio a ela, e meu coração se alegra ao perceber que a corrupção saiu da casa dos meus pais. Não tocaremos mais nesse assunto.
Pág. 08
Imaginem um pobre garotinho de oito anos ouvindo isso sobre a mãe da boca do pai, difícil não acham? Mas Lorde Dain não satisfeito, enviou o filho para estudar em Eton (escola/internato) para se afastar da aberração e lá Sebastian enfrentou o bullying dos garotos do colégio até que se rebelou.
Então, bastante maltratado e sangrando, Sebastian olhou para os outros garotos ao redor e deu um sorriso torto.
- Mais alguém? - perguntou ele, embora mal conseguisse reunir fôlego necessário para formar as palavras.
Ninguém emitiu um som. Ao se virar para ir embora, os outros abriram caminho para ele. (...)
Ele logo se tornou o melhor amigo de Wardell. E então, é claro, não houve mais nenhuma esperança para ele.
Pág. 12-13
Com um início desse dá para imaginar o homem que Sabastian Ballister se tornou. Avesso à relacionamentos, ele direciona sua energia em ganhar dinheiro e gastá-lo em suas festas depravadas regadas a muita bebida, jogos e mulheres. Sebastian aprendeu que com dinheiro ele tinha poder e as pessoas precisariam aceitá-lo querendo ou não.

É numa dessas "festas" que Bertie Trent conhece o novo Lorde Dain e deseja imitá-lo de todas as formas, mas sem o dinheiro e porte suficientes, ele se vê cada vez mais endividado. É aí que surge nossa protagonista. Jessica Trent é irmã de Bertie e uma solteirona assumida. À frente do seu tempo, Jessica dá pouca importância à algumas situações impostas pela sociedade da época. Seu maior desejo é abrir uma loja de "quinquilharias" como diz seu irmão, mas após anos vivendo na sociedade londrina, ela tem certeza de seu sucesso.

Por isso está decidida a ficar em Paris apenas tempo suficiente para convencer seu irmão à voltar para Londres e ficar longe desse Belzebu que está afundando ele. Mas assim que Jessica e Sebastian se conhecem a atração é evidente e recíproca.

Eu adorei a Jessica, uma mulher com seus 27 anos, solteira, linda, inteligente e decidida. O entrosamento dela e Sebastian é  incrível e ele não consegue compreender porque se sente tão atraído por ela e ela entende sim sua atração por ele, mas não quer, pois seu objetivo é afasta-lo de seu irmão.
Dain dirigiu seu olhar mal-humorado para ela.
- Agora, quanto a você, Srta. Megera Trent...
- Adoro esses apelidinhos carinhosos - disse ela, fitando-o. - Cabecinha de vento. Tontinha. Megera. Ah, fazem meu coração palpitar!
Pág. 121
Mas não é só romance que temos no livro, como já falei bullying também é um tema recorrente e como isso afetou o homem que Sebastian é hoje. Para mim a Loretta foi feliz na criação dos personagens e eles de fato convenceram, a escrita em terceira pessoa também me agrada bastante afinal é possível ver os fatos de uma maneira mais ampla.

Agora é esperar o próximo livro da série, pois já curti demais a Loretta Chase, que venham mais romances!!!
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Olá, Lay.
    Gostei bastante da dica de hoje. Apesar de ser um pouco averso a romances, gosto dos de época e a premissa desse me interessou bastante. Principalmente por apresenta temas como o bullying e pessoas que não se "encaixam" na sociedade por serem "diferentes".
    Excelente resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  2. Nossa estou doida pra ler esse livro, também curto muito um bom romance de época e esse parece ser excelente, essa resenha me deixou ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  3. OI Lay! Amo romances de época e me interessei bastante por esse, acho que é porque ele não se trata só de um romancezinho entre um homem e uma mulher, tem toda uma estória envolta dele e dela, as estórias sobre suas vidas, e eu gosto quando o autor da valor a isso também, ele a desenvolve mais.
    Além do bullying ser um assunto muito comentado atualmente, achei bacana o autor ter falado sobre isso também!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei ainda mais encantada!!! preciso ler! nao sabia q o livro retratava de bulling. Me encantei pela capa do livro antes q do resto, adorei tudo nela! Mas fiquei encantada com a resenha tbm! amei, estou louca para me envolver com esse romance! parece incrivel!!!!

    ResponderExcluir
  5. Nossa não sabia do que se tratava o livro apenas o ahava lindo pela a capa
    e por ser de época coisa que adooorooo, mais parece que ele e mto mais que isso
    ameeei mais um motivo para lê-lo logooo..

    ResponderExcluir
  6. Tô louca para ler esse livro. Louca! Também amo um bom romance de época e esse parece ser excelente. Não sabia desse tema abordado, mas é bom porque temos a oportunidade de ver como isso pode influenciar a vida da pessoa, não é? Amei a resenha. Quero ler o quanto antes!

    ResponderExcluir
  7. Pois é, ainda não tive nenhum contato com a autora, e me parece que com O Príncipe dos Canalhas é uma ótima maneira de começar. Não vi muitas resenhas sobre o livro, mas pelas poucas dá pra perceber que é mesmo um livro ótimo, principalmente pra quem gosta de romances de época, assim como eu *-* E até achei algo inovador a autora tratar de bulliyng em uma história do gênero.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações