21 de jun de 2015


[Resenha] As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender - Leslye Walton

Ficha Técnica

Título: As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender 
Título Original: The Strange and Beautiful Sorrows of Ava Lavender
Autor: Leslye Walton
ISBN: 978-85-8163-594-1
Páginas: 303
Ano: 2014
Tradutor: Rafael Gustavo Spigel
Editora: Novo Conceito
41Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.

Resenha


O título é instigante, a capa é deslumbrante e a história não poderia ser diferente. A autora estreante Leslye Walton dá ao leitor um romance fresco, criativo e recheado de fantasia e drama. Uma família diferenciada é o assunto principal de As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender, onde iremos conhecer as mil formas e texturas que o amor pode exercer em nossas vidas.

Selo-Parceiros-Novo-Conceito42222322O livro se passa em meados dos anos 50 em um bairro de Seattle, porém seus eventos iniciais acontecem muito antes em uma Paris de 1904, onde iremos conhecer Emilienne Roux. Os primeiros capítulos são sobre ela, avó por parte de mãe de Ava – nossa personagem principal –, que narra a vida de Emilienne saíndo da França até chegar aos Estados Unidos. Nestes capítulos iremos conhecer os amores e desafetos de Emilienne, e também seu trágico passado.

Nos capítulos seguintes seremos apresentados à mãe de Ava, Viviane, e sua rotina com Emilienne, logo após o marido da segunda, Connor Lavender, morrer. E somente depois de alguns capítulos, mais exatamente no nono, que iremos presenciar o nascimento de Ava e de seu irmão gêmeo Henry. E assim se completa a família: a avó que é conhecida como a bruxa do bairro, a mãe solteira de duas crianças, e os filhos problemáticos: ela com asas e ele que não sabe falar.
Uma vez me disseram que as coisas acontecem como devem acontecer: minha avó se apaixonou três vezes antes de completar dezenove anos. Minha mãe descobriu o amor com o vizinho quando tinha seis anos. E eu, eu nasci com asas, uma criatura desajeitada que não ousava esperar algo tão grandioso como o amor.
Pág. 62
Daí em diante iremos acompanhar Ava e seus inúmeros questionamentos: por qual motivo ela possui asas? Seria ela um anjo? Uma aberração? Independente das respostas, sua mãe decididamente privou a jovem Ava da liberdade, trancando-a em casa, e fazendo o máximo que pudesse para proteger a menina de julgamentos por parte dos vizinhos.

Enquanto os anos vão passando e Ava vai crescendo, o leitor presencia uma criança se tornar em uma adolescente, tentando alcançar sua liberdade e descobrir seu lugar no mundo… e talvez assim, ser capaz de encontrar alguém que lhe aceite como ela realmente é. De geração em geração, sendo maldição, destino ou apenas coincidência, seremos expostos as mais estranhas e belas histórias desta família se tratando deste que é um tema universal: o amor.
Se pensasse em seu amor como algo, digamos, comestível, ele rechearia 4.745 tortas de cereja. Para armazená-lo, seriam necessários 23.725 potes de vidro e rótulos e um porão que se estendesse por toda a Pinnacle Lane.
Se fosse bebê-lo, ela se afogaria.
Pág. 113
As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender é poesia pura. Um livro extremamente visual, onde as palavras são muito bem escolhidas, fazendo com que o leitor tenha em frente de sí um universo amplo e colorido, capaz de transpor as páginas da obra. Me senti lendo uma versão alternativa de “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” (2001), o elogiado e premiado filme francês com participação de Audrey Tautou.

A escrita de Walton me lembrou um pouco a da querida J.K. Rowling, que presa bastante por detalhes e que opta por criar seus livros com base nas personagens. As Belas Mágoas (apelido carinhoso) são os personagens, eles que dão vida à obra, eles que me prenderam à leitura, eles que dão sentido a esta mirabolante história de amor. Não é atoa que acho que o título do livro limita demais a um personagem somente, quando na verdade todos exercem uma função ímpar à narrativa. Talvez a escolha do título seja pelo fato de Ava ser a narradora, e também àquela que irá mudar de vez o destino deste grupo familiar.
Para simplificar, minha mãe se preocupava. Preocupava-se com a reação de nossos vizinhos. Será que eles iriam me censurar com seus olhares depreciativos, com sua cruel intolerância? [...] Preocupava-se por não ser capaz de me proteger de todas as coisas que haviam lhe magoado: a perda e o medo, a dor e o amor.
Principalmente o amor.
Pág. 159
Uma obra deste nível merece seu reconhecimento. Não é todo dia que podemos nos deparar com uma narrativa de tão alto padrão, principalmente vindo de uma autora iniciante. As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender tem tudo para aquecer seu coração, pois trata de um romance moderno, que mistura ficção, folclore e fantasia de uma forma inovadora e bastante peculiar. Prevejo ver o nome de Leslye Walton bastante no futuro, essa jovem tem um futuro promissor… assim como o seu livro.
Achei irônico o fato de eu ter sido abençoada com asas e, mesmo assim, ainda me sentir tão coagida, tão aprisionada. Por causa de minha condição, creio, percebia um pouco mais as ironias da vida do que uma pessoa normal e as colecionava: como o amor chegava quando você menos espera, como alguém que diz que não quer magoá-lo acaba por fazê-lo.
Pág. 176
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Nossa, que bom que você gostou tanto. Vi muitas resenhas negativas deste livro. Mas as opiniões são sempre diferentes mesmo.
    Sem dúvida, gostaria de ler um dia.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tácio.
    Pela capa eu já levaria o livro, pois é lindíssima. Quanto ao livro, não esperava tanto. Na verdade, sua resenha me surpreendeu. Esperava algo bem clichê e perceber que o livro possui uma linguagem bem trabalhada e um enredo diferente me anima bastante. Vai para a minha lista de desejados, sem dúvidas.
    Excelente dica.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tinha visto nenhuma resenha sobre esse livro. Não que eu me lembre, ao menos. Realmente não esperava isso tudo dele, mas depois do que você disse tenho certeza de que é inesquecível e tocante. Foi para a listinha de desejados.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações