13 de jun de 2015


[Resenha] Objetos Cortantes - Gillian Flynn

Ficha Técnica

Título: Objetos Cortantes
Título Original: Sharp Objects
Autor: Gillian Flynn
ISBN: 978-85-80-57658-0
Páginas: 251
Ano: 2015
Tradutor: Alexandre Martins
Editora: Intrínseca

17Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Resenha


Surpreendente. Camille Preaker é uma jornalista recém-saída de um hospital psiquiátrico. Com tendência a automutilação, a personagem passou um período tentando se recuperar dessa vontade de achar alívio nos cortes. Nascida em Wind Gap, uma pequena cidade localizada no Missouri, Camille se mudou há 8 anos para Chicago com o intuito de esquecer todos os acontecimentos ruins que passou em Wind Gap.

SELO BLOGFrank Curry, editor-chefe do jornal em que Camille trabalha, pede a protagonista que vá cobrir um caso de assassinato e outro de desaparecimento em sua cidade natal. Esse pedido de retorno a Wind Gap é algo que mexe muito com Camille. Retornar é reviver todas as lembranças ruins do passado, é a obrigação de convívio com uma mãe que nunca se importou com seu bem-estar. Retornar significa relembrar a infância e adolescência.


Eu me corto, sabe? E pico, e fatio, e gravo e furo. Sou um caso muito especial. Eu tenho muita determinação. Minha pele grita, vê? Pág. 64

A família de Camille nunca foi um exemplo de amor. Para os habitantes da cidade eram uma família maravilhosa, Adora - mãe de Camille - uma mulher incrível e muito cuidadosa com a sua família e vizinhos. O que não bate com a realidade. Percebemos o quanto ela não suporta a filha mais velha e mima a mais nova, Amma, uma criança precoce e sem limites. E é nesse ambiente de falsidade familiar que Camille precisa conviver, já que por falta de dinheiro necessita ficar na casa de sua mãe.


Sempre me senti triste pela garota que eu era, porque nunca me ocorrera que minha mãe poderia me consolar. Pág. 101

Os habitantes de Wind Gap encaram a presença de Preaker como uma ofensa. Não acreditam que uma pessoa que nasceu no local pudesse estar se "aproveitando" da morte e desaparecimento de crianças. Mas ela está apenas escrevendo sobre o ocorrido. Ela é jornalista, está noticiando um acontecimento importante, já que duas crianças parecem ter sido vítimas da mesma pessoa. Nesse período, Camille começa a criar teorias sobre o caso, assume uma posição investigativa e descobre certos segredos familiares que assustariam qualquer cidadão de Wind Gap

Romance de estreia de Gillian Flynn é brilhante. Um livro que prende o leitor e surpreende. Não deixa brechas na história. Explica tudo nos mínimos detalhes.Quando achamos que já desvendamos o caso, Flynn mostra que não. Que a sua história não seria tão previsível, que a sua história teria que mostrar um requinte de crueldade que ela sabe muito bem descrever. Um romance policial com todos os ingredientes para um ótimo livro. Vale a pena fazer a leitura e ficar atento aos detalhes!


Uma criança criada com veneno considera dor um consolo. Pág. 251


Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Olá, Auri.
    Gostei bastante da premissa do livro. Esse sensação de desconforto da protagonista aliada a uma cobertura de assassinato certamente gerará um livro eletrizante.
    Vou ler, sem dúvidas!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é sensacional! Uma leitura que não decepciona.

      Excluir
  2. Oi Auri!
    Eu adoro a Gillian Flynn desde Garota Exemplar e tinha muita expectativa para ler outros livros da autora. Assim como você, também achei Objetos Cortantes brilhante. Eu tinha desconfianças que me levaram a cogitar aquela reviravolta do final, mas quando ela chegou, fiquei sem fôlego ;)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana!
      Adoro Gillian Flynn também haha Aquela reviravolta foi maravilhosa, que livro surpreendente!

      Excluir
  3. Garota exemplar não atrai muito o meu interesse, mas esse sim. E que bom saber que ele é tão bom quanto imaginei, porque mal vejo a hora de fazer a leitura. Adoro quando uma narrativa prende minha atenção e vai me deixando maluca para querer chegar ao final e ao mesmo tempo esperando que não acabe. Sem contar que adoro o gênero.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, fiquei meio chocada com tanta negatividade dessa estória!
    Não sei se leria o livro, pq eu sou dessas que entram na estória e fico com ela na cabeça por dias ou semanas.... Achei meio pesada a vida da protagonista, me senti com vontade de ajudá-la, serio!
    Bom, pelo menos a autora nao deixa pontas soltas e surpreendeu o leitor, ponto positivo para ela.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações