14 de jul de 2015


[Resenha] A Transformação de Raven - Sylvain Reynard

Ficha Técnica

Título: A Transformação de Raven
Título Original: The Raven
Autor: Sylvain Reynard
ISBN: 978-85-8041-386-1
Páginas: 448
Ano: 2015
Tradutor: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro
16Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas. Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus. Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia. Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam. A transformação de Raven marca o início da série Noites em Florença, cujos personagens foram apresentados em O príncipe das sombras.

Resenha


Depois de termos lido o prequel O Príncipe das Sombras, chegou a hora de iniciarmos de fato a série Noites em Florença. Em O Príncipe das Sombras tivemos a transição da série O Inferno de Gabriel, com a presença de Gabriel e Julianne Emerson cedendo suas preciosas ilustrações de Botticelli sobre A Divina Comédia, de Dante Alighieri para exposição na Galleria degli Uffizi. Mas a gente percebe que na realidade essas ilustrações pertencem ao Príncipe de Florença, um ser do submundo, que foram roubadas séculos atrás.

Diferente de O Inferno de GabrielNoites em Florença é uma série sobrenatural, com a presença de vampiros (ainda não sei se haverão outros seres sobrenaturais) e já fazia muito tempo que eu não lia nada do gênero (e eu adoro!).

Arqueiro_parceria522A narrativa tem início dois anos após O Príncipe das Sombras, e vemos de volta o Príncipe de Florença, o vampiro líder dos principados de Florença e Veneza. William é conhecido como um "antigo", que são os vampiros mais poderosos, pois, quanto maior o tempo de transformado, maior o poder dele. Embora seus liderados não tenham noção de quantos anos ele tem, todos sabem que não devem subestimar seus poderes.
Do outro lado, conhecemos Raven, uma jovem forte e de personalidade marcante. Ela deixou para trás sua vida nos Estados Unidos e começou praticamente do zero em Florença. Ela trabalha como restauradora na Galleria degli Uffizi e sua vida se resume a isso, ela tem - ao que parece - apenas dois amigos, mal tem contato com a família, não tem namorado e acredita que não foi feita para o amor.

A forma como os caminhos de William e Raven se cruzam é incrível (vocês já leram a sinopse, não é?!). O que eu logo me perguntei foi: por que o príncipe vai ajudar uma pessoa que está sendo atacada e que não fará nenhuma diferença em sua vida? A pergunta seguinte foi: essa mulher é louca de se arriscar dessa forma? Enfim, quando passamos a conhecer mais os personagens entendemos um pouco de suas motivações para agirem de tal forma.
Raven acreditava na ciência, no testemunho dos sentidos, no poder da razão humana e na veracidade das próprias percepções. Não acreditava em religião, textos sagrados, no sobrenatural ou na vida após a morte.
Por isso achava que o intruso fazia parte de uma facção de crime organizado (...)
Pág. 152
William não consegue se afastar de Raven e parece que todos os últimos acontecimentos os levam para próximo um do outro. Sendo assim, ele acaba revelando em dado momento que é um vampiro, mas convenhamos, quem em sã consciência iria acreditar nisso nos dias atuais? Difícil, não é?! Pois bem, Raven, mesmo não acreditando na explicação de William, mas tendo ciência de que ele é um homem poderoso e perigoso, sente-se atraída por ele, e não é para menos. Pela descrição, William é um homem lindo, charmoso, atraente e está claramente e expressamente interessado nela, que não está acostumada a receber atenção dos homens.
Sabia como deveria ser a sua imagem: feia, acima do peso, com uma perna que não funcionava direito.
Pág. 23
Raven tem plena consciência de que sua aparência e deficiência a deixam de fora dos atuais padrões da sociedade, mas ela se aceita como é. Mesmo assim, logo percebemos que ela resistirá o quanto puder a William. Claro que ele também tem suas restrições, mas é o primeiro a ceder a essa atração.
- Não entendo dessas coisas nem vou fingir que entendo. Tudo que posso dizer é que acho que ninguém é perfeito, humano ou não humano. Se a perfeição for o padrão da normalidade, todos nós somos um fracasso.
Pág. 361
Eu sinceramente adorei a relação dos dois, William não é aquele homem em busca de redenção, ele sabe de suas responsabilidades como líder dos principados e assume as consequências disso. A mão firme para governar é essencial e a crueldade muitas vezes vem lado a lado em diversas situações. Raven sabe o que quer e não se deixará influenciar se isso não for o que ela quer. Resumindo, os dois juntos é garantia de cenas com embates de opiniões e uma atração física imensa.
- Sob muitos aspectos, somos um par perfeito. Vemos um ao outro como realmente somos, mas nenhum dos dois considera o outro defeituoso.
Pág. 361
Estou muito ansiosa pelos próximos livros da série (principalmente no próximo, quero saber como Raven reagirá ao presente que ganhou!!!), para ver se os personagens seguirão com suas personalidades firmes, para ver se Gabriel e Julianne ainda aparecerão, ou se a participação deles se encerrou aqui, enfim, curiosidade a mil.

Dúvidas sobre a recomendação? Não, não é?!

Até a próxima galera!

Comentários
9
Compartilhe

9 comentários:

  1. Lai, eu amo o Inferno de Gabriel e estou ainda um pouco com o pé atrás em relação a este livro, por não curtir muito o gênero de zumbis e afins, mas você consegue escrever de uma forma tão incrível que consegue chamar a atenção. Mas, ainda preciso deixar de lado um pouco essa cisma que tenho em livros desse gênero. Você teria um livro que conseguisse quebrar essa barreira para indicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, essa série é completamente diferente de O Inferno de Gabriel. Mas como eu também gosto de sobrenatural... Um livro que posso te indicar é Insaciável, da Meg Cabot (tem resenha dele aqui), acho que vai te ajudar a quebrar essa barreira.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá, Lay.
    O Inferno de Gabriel não me chama tanto a atenção, mas esse me pareceu melhor principalmente por causa do elemento sobrenatural. E sendo os seres sobrenaturais os vampiros, seres que eu gosto muito (os de verdade, não os que parecem fadas), a possibilidade de leitura aumenta muito. rs
    Sem falar que esses personagens me parecem bem interessantes e trabalhados, o que eu também adoro.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk esse não parece nem um pouco fada, tenho certeza de que desse você irá gostar, afinal é muito diferente de O Inferno de Gabriel.

      Excluir
  3. Confesso que terminei de ler a resenha intrigada, se eu leria ou não. Pois passei um tempo com medo de ler tramas vampirescas, depois que essas caíram na moda e tava surgindo vampiro de tudo quanto era jeito. Mas a sua resenha me ganhou e me fez ficar curiosa, no final das contas acho que leria sim. Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é esse medo Alessandra, mas gostei muito desse aqui, viu, sério mesmo!! Dê uma chance para ele ;)

      Excluir
  4. Esse eu não conhecia! Li a trilogia de O inferno de Gabriel e gostei bastante da forma de escrever da autora.
    Esse não é um gênero que leio com frequência (sobrenatural) mas pode ser que eu dê uma chance lá pra frente pra esse livro!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E os personagens aparecem um pouco na estória, mas são coadjuvantes. Muito bom mesmoooo

      Excluir
  5. Uma história que se passa em Florença já tem tudo pra ser maravilhosa,e eu também não acreditaria caso alguém revelasse ser um vampiro kk.Esses personagens poderosos são mesmo uma delicia de se acompanhar.E espero que no próximo eles continuem assim com suas personalidades intrigantes para não decepcionar os fãs.
    beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações