16 de ago de 2015


[Resenha] A Batalha do Apocalipse - Eduardo Spohr

Ficha Técnica

Título: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Sphor
ISBN: 978-85-7686-076-1
Páginas: 569
Ano: 2010
Editora: Verus

16Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final. Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo. Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense.

Resenha


Literatura fantástica da melhor qualidade. A Batalha do Apocalipse, lançado pela Verus, é um livro que merece muito destaque. O paraíso sofreu um levante, um grupo de anjos rebelou-se contra os arcanjos e o seu poder inquestionável. Os anjos que buscavam por respostas e justiça não estavam mais tolerando as imposições dos arcanjos sem retrucar o que estava sendo feito e quando o Criador acordaria do seu longo sono. O livro retrata o fim do mundo sob a perspectiva dos seres celestiais e consegue nos apresentar um outro lado, pouco explorado na literatura, dos anjos.  

Ablon, um anjo rebelde, foi condenado junto com os outros anjos revoltosos a permanecer no mundo dos homens até o dia do Juízo Final. Ou seja, os anjos que questionaram o poder dos arcanjos e a sua tirania, acabaram exilados no mundo dos seres humanos, sem qualquer chance de defesa e, sobretudo, sem a verdade sobre o Criador. É importante lembrar que a organização para essa revolta foi toda feita por Lúcifer que planejava derrubar os arcanjos e portanto utilizou Ablon como joguete para conseguir sua vingança.
A expressão do Anjo Renegado encrespou-se. A emissão do novo divino lançou sobre ele novas preocupações (...)
Pág. 198
E a partir daí o desenvolvimento do livro é todo com base nesse fim do mundo que está próximo. Os anjos renegados começam a perceber o quanto foram ingênuos e que tudo não passou de um plano de tomada de poder e não em busca de verdades e mais direitos sobre tudo que acontecia no Paraíso. O livro por meio de flashbacks nos dá a dimensão do que é a grande batalha final que dá o título a obra.  
O exílio desses anjos é na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro e isso, em minha opinião, foi uma jogada muito interessante do autor, em escolher um cenário em que pudéssemos ter uma experiência já vivida, por se tratar de uma cidade brasileira. Não significa que histórias que não são ambientadas em lugares que o leitor tenha estado/vivenciado não são interessantes. Muito pleo contrário! Mas Spohr acertou em colocar como cidade exílio um local familiar ao leitor brasileiro.

A história é desenvolvida pelos flashbacks de Ablon e Shamira até chegarmos na parte do juízo final. É toda a preparação para o dia da batalha. Spohr criou uma história que prende atenção do leitor e o deixa com vontade de continuar seu livro até a página final. Com passagens muito descritivas, foi inevitável não lembrar de Tolkien e também as suas passagens altamente descritivas. É uma história entrelaçada, coerente e que não percebi furos que pudessem comprometer o enredo. E uma leitura atenta, percebe-se uma série de lições e valores. Livro mais do que recomendado.
Tudo o que vislumbramos são caminhos, trajetórias abertas. Cabe a cada um, homem ou anjo, deus ou demônio, escolher seu destino.
Pág. 468
Comentários
12
Compartilhe

12 comentários:

  1. Oi Auri!

    Acho que esse foi o melhor livro nacional que já li na vida. A história parece ser verdadeira demais, parece que realmente tudo o que está descrito no livro pode acontecer e eu também não consegui achar nenhum furo que pudesse contradizer a narração. Os flashbacks são muito bem colocados, em momento algum a leitura se torna confusa. É um livro que todos deveriam ler.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz por voce ter gostado. Eu tentei le-lo mas não consegui passar das 100 primeiras paginas e desisti, realmente não consegui me prender na história, achei cansativa e chata.

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre digo que leitura é um estado de espírito, kkkk, eu tentei ler o livro uma vez, mas desisti, não era o momento pra mim, depois de um tempo, peguei de novo e nooooossa, que livro, uma leitura sem vãos expostos, tudo muito bem colocado, uma história bem amarrada e sem sombra de dúvidas, super recomendo, quem tentou como eu, e acabou parando, quem sabe tentando de novo, não vai?

    ResponderExcluir
  4. Super indico esse livro... Um dos melhores nacionais que já li!

    ResponderExcluir
  5. Ahh quero muito ler esse livro, e depois dessa resenha super positiva não tem como não ter ficado ansiosa para começar a ler.
    Adorei sua resenha e adicionei o livro em minha lista de leitura, pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Auri.
    Spohr é um autor que eu admiro demais e é uma das minhas referências no mundo literário. Então, nem preciso dizer que já li a obra e adoro, né? rs
    Realmente ele sabe prender o leitor com facilidade. Na minha concepção, ele é o melhor autor nacional da atualidade.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  7. Gostei, não conhecia o autor, parece muito bom.

    ResponderExcluir
  8. Esse livro eu ja queria mtoooo ler! Vi sobre o livro em uma livraria e fiquei mtooo curiosa!
    A sua resenha me deixou ainda mais doida pra saber de toda trama e com certeza os personagens serem anjos me deixou bem surpresa, pq ainda tinha lido nda parecido.
    Mto bacana que a cidade seja do Rio!
    Com certeza vou ler e a capa está maravilhosa!
    Ameiiii o post e só aumentou a animação pra ler logo.
    Bjus

    ResponderExcluir
  9. Auri!
    Sou fascinada por tudo que se relaciona aos anjos e poder acompanhar uma batalha desse nível, deve ser um livro fabuloso.
    Gosto demais de ficção/fantasia.
    “A alegria evita mil males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  10. Sou LOOOOUCA para ler ess elivro!!!!
    faz anos já, rsrsrsrsrs só acabo deixando pra depois, mas a história é cativante! Amo livros sobrenaturais, e anjos, demônios, esses seres na literatura fica incrível!
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Já me recomendaram esse livro, mas também já vi muita gente falar que a escrita é meio arrastada e cansativa, o que acabou me fazendo deixar para lá. Por isso que corri logo para ver a resenha dele, o que me animou um bocado. Acho que vou deixar de corpo mole e fazer logo essa leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Gostei do mundo criado pelo autor, necessita mesmo de muita criatividade. Eu não tenho muito interesse no livro mesmo amando fantasia, só tenho minhas precauções com outros mais leria, se algum dia tiver oportunidade.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações