27 de set de 2015


[Resenha] A Hora Mais Sombria - Meg Cabot

 

Ficha Técnica

Título: A Hora Mais Sombria
Título Original: The Darkest Hour
Autor: Meg Cabot
ISBN: 978-85-01-07347-1
Páginas: 271
Ano: 2005/2012
Tradutor: Alves Calado
Editora: Galera Record
arcanoEm A HORA MAIS SOMBRIA, quarto livro da série A mediadora, Suzannah sofre com sua paixão por Jesse – o fantasma “muito gato e com abdome de tanquinho”, que “vive” assombrando seu quarto. Entre a juventude platinada local, no melhor estilo de OC, a menina tenta se adaptar ao novo colégio e à nova família formada com o segundo casamento da mãe. Entre as recentes amizades e agitos naturais da idade, a menina resolve as pendências do mundo espiritual.

Resenha

Este livro faz parte da série “A Mediadora”, sua resenha pode ter spoilers.

Este é o quarto volume da série “A Mediadora” escrita pela já conhecida autora Meg Cabot. Nesta nova aventura de Suzannah, finalmente iremos poder ver seu ‘relacionamento’ com o fantasma Jesse tomar algum rumo. Por falar em Jesse, o rapaz pela primeira vez ocupará mais espaço na trama, tendo um papel fundamental no plot do livro. Este é sem dúvidas o melhor livro da série até o momento.

É verão e Suzannah está de férias, porém isso não lhe priva de ter que por em prática sua função como mediadora. Trabalhando em um hotel de luxo da cidade como babá, Suze irá tomar conta do estranho Jack, um menininho de apenas 8 anos que vê pessoas mortas. Bastante assustado e sem saber exatamente do que é capaz de fazer, Jack receberá a ajuda de Suzannah para poder conhecer melhor os seus dons.
Isso era estranho. Mas, afinal de contas, Jack era estranho. Revirei os olhos para Jorge e corri atrás do garoto, já que, afinal de contas, estou sendo paga para cuidar dos vivos. [...] Os fantasmas simplesmente precisam esperar. Quero dizer, não é como se eles estivessem me pagando. Ha! Bem que eu queria.
Pág. 24
Entre as manhãs como babá e as noites em casa esperando que Jesse mostre algum sinal de que gosta dela, Suzannah terá que enfrentar dois grandes problemas. O primeiro deles se chama Paul, irmão mais velho de Jack, que está dando em cima dela sem parar. O segundo problema é Maria da Silva, ex-namorada já morta de Jesse, que coloca não somente a vida de Suze em risco, mas também o seu confuso ‘relacionamento’ com Jesse.

Restará a jovem mediadora utilizar de todas suas armas para conseguir tirar Maria de seu caminho antes que a fantasma consiga colocá-la à sete palmos abaixo da terra. A ajuda do padre Dominic também será essencial neste livro, sendo um grande trunfo ter tanto sua participação quanto a de Jesse na resolução dos eventos de “A Hora Mais Sombria”.
Mas de que adianta? Quero dizer, ele ser tão bonito e coisa e tal? O cara é um fantasma. Sou a única que consegue vê-lo. Não posso apresentá-lo à minha mãe, nem levá-lo à festa de formatura, nem casar com ela, nem nada. Não temos futuro juntos.
Pág. 59/60
Como já dito anteriormente por mim, a escrita de Meg Cabot não é uma das minhas preferidas. A autora tem sua criatividade, porém ao meu gosto falta mais detalhes no desenrolar dos fatos. Apesar disto, “A Hora Mais Sombria” mantém o nível dos livros anteriores, e na verdade, consegue ser superior se tratando de enredo. A história deste quarto volume tem um mix de tudo, de romance à aventura com uma pitada de suspense, e Cabot foi bastante feliz em finalmente decidir utilizar melhor outros personagens além de Suzannah.

Faltam dois livros para a série ser finalizada, e espero poder ver neles mais participação de Jesse. De preferência tendo mais diálogo e de fato um impacto maior na vida da nossa heroína, que já deixou bem claro até este ponto que é apaixonada pelo fantasma, ao ponto de lhe chamar de ‘namorado’. Sei que as coisas prometem, pois o final do livro foi muito bom. Agora resta conferir “Assombrado” e ver qual é a da Meg Cabot ao tentar fazer uma menina e um fantasma darem certo como um casal. A ideia é boa… resta saber como será executada.
Jesse só me encarou com aqueles seus olhos escuros e líquidos. Se sabia alguma coisa, não iria me dizer. Pelo menos por enquanto.
– Ela… ela tentou machucar você?
Confirmei com a cabeça, e tive a satisfação de sentir que seu aperto em meus ombros ficou mais forte.
Pág. 98
A Hora Mais Sombria.jpg
Capa das primeiras edições, capa atual e a capa da edição exclusiva da Saraiva

Comentários
12
Compartilhe

12 comentários:

  1. Quero muito ler essa série da Meg. Tipo, MUITO! Por isso, tive de pular a resenha. Sou alérgica a spoilers hahhaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. achei bem interessante a resenha, ainda não li a serie da Meg Cabot A mediadora mas fiquei curiosa pra ler pois as pessoas que leram elogiam bastante a escrita da autora e a desenvoltura do enredo.

    ResponderExcluir
  3. Só li um livro da Meg até hoje, um que ela escreve com pseudônimo. Já ouvi falar muito bem dessa série, mas não li ainda por falta de planejamento mesmo. E também porque tô dando um pequeno tempo em séries, pelo menos por enquanto, não estou adicionando nenhuma as que estão em aberto. Eu gostei muito das sinopses dos livros, fui olhar os outros também, e com certeza leria.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Tácio.
    Confesso que não tenho muita curiosidade de ler a série e nem de conhecer a escrita da autora, principalmente porque a premissa não me chama tanto a atenção. Além disso, se apaixonar por um fantasma é bem estranho, na minha concepção. rs
    Ótima resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Eu não acompanho essa série mas pelo que você falou se trata de uma humana que é apaixonada por um vampiro,eu gosto de romances assim.E que bom que o livro foi satisfatório ,mas achei a série um pouco grande,fico imaginando o que aconteceu nos livros anteriores e o que vai rolar nos próximos.A escrita da Meg me agrada mas não está na minha lista de escritoras favoritas.E espero que o desfecho da história dela e do Jesse seja maravilhoso e que você goste.E essa capa esta maravilhosa.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tácio,
    Mesmo sabendo que esse livro tem um mix de tudo, não me interessou, ainda mais por ser uma série, além do Penadinho não gosto muito de fantasmas O.o
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nenhum livro dessa série, gosto muito da escrita da Meg Cabot, acho que vou espera sai os dois últimos livros da série para começar a ler.

    ResponderExcluir
  8. Hello!
    Gosto mto da escrita da Meg Cabot, eu sou fã do Diario da Princesa e ainda nao tinha lido nadinha dessa série Mediadora.
    Ja de cara gostei que a protagonista se chama Suzannah, haha..nunca achei ninguem com meu nome.
    Realmente a autora nao se prende em detalhes ao contar a historia, eu li qdo era mais nova e nao ligava mto pra isso... Nao sei como seria agora.
    Fiquei bem curiosa para saber como sera o destino do casal.
    Beijos

    https://fuxixiu.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu já li praticamente todos os livros da Meg menos essa série não sei porque nunca me interessei por ela eu nem sei sobre o que é, atualmente prefiro os livros dela que ela publica como Patricia Cabot, pois geralmente são romances e eu estou mais velha agora e os outros da meg são um pouco juvenis para mim, mas eu lembro que sempre adorei os livros dela.

    ResponderExcluir
  10. Tácio!
    Já eu gosto demais da Meg, embora não tenha lido nenhum dos livros dessa série dela.
    Pelo jeito é um dos melhores já que tem do romance à aventura, bem como mistério e isso atrai muito para fazer a leitura.
    “A vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.”(Soren Kierkegaard)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  11. Tive que pular por conta do alerta de spoilers, já que só li o primeiro livro dessa série até hoje. Eu amo a escrita da Meg desde sempre, então é claro que esses livros estão entre os meus desejados. A protagonista é doidinha, um amor, e o cara é perfeitamente apaixonante. Deu uma saudade enorme só de ver a resenha, porque já faz tempo que li o primeiro e até hoje ainda não peguei os outros. É uma pena que ela não seja uma das suas escritoras favoritas.

    ResponderExcluir
  12. Não li a resenha por não ter lido o primeiro. Apesar se não conhecer os livros, li as sinopses e achei muito interessante, parece realmente bons.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações