29 de set de 2015


[Resenha] Perdido em Marte - Andy Weir

Ficha Técnica

Título: Perdido em Marte
Título Original: The Martian
Autor: Andy Weir
ISBN: 978-85-8041-335-9
Páginas: 336
Ano: 2014
Tradutor: Marcello Lino
Editora: Arqueiro
16Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Resenha


Mark Watney acaba de chegar à Marte fazendo parte da missão Ares 3. Porém, seis dias após aterrissar no planeta vermelho, a missão precisa ser abortada rapidamente. Uma imprevista tempestade de areia atinge o local onde a espaçonave terrestre pousou, fazendo com que o único jeito de todos saírem vivos dela é deixando o planeta. Infelizmente durante esse processo, o astronauta Mark acaba morrendo.

Arqueiro_parceria522Pelo menos é isso que os colegas de tripulação acreditam que aconteceu. Sofrendo um acidente terrível que o deixara inconsciente, Mark é dado como morto, e todos seus colegas acabam decidindo abandonar seu “corpo” em Marte, pela dificuldade de recuperá-lo devido as condições climáticas. Quando desperta, Mark percebe que está sozinho no quarto planeta do sistema solar, sem poder se comunicar com a Terra e com a certeza que em poucos dias estará de fato morto.
Então, esta é a situação: estou perdido em Marte. Não tenho como me comunicar com a Hermes ou com a Terra. [...]
Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome.
Então, é isso mesmo. Estou ferrado.
Pág. 14
Com uma história fantástica, “Perdido em Marte” irá causar ao leitor muitos momentos agonizantes e colocar em prova sua inteligência. Andy Weir escreve um livro ágil, complexo e extremamente cinematográfico, recheado de descrições e reviravoltas.

Não é à toa que o mesmo será adaptado para os cinemas, tendo seus direitos comprados por Hollywood logo que fora lançado nos EUA. Sob a direção do genioso Ridley Scott (Blade Runner, O Caçador de Andróides; Alien, o Oitavo Passageiro e Gladiador) chega às telonas esta semana a adaptação de “Perdido em Marte”, que ainda conta no elenco com Matt Damon no papel principal, e as excelentes atrizes Jessica Chastain e Kristen Wiig.

De volta ao livro, Weir constrói sua narrativa de uma forma bastante dinâmica: os capítulos são narrados por Mark através de diários de bordo de acordo com os dias em que ele se encontra em Marte. O autor é feliz em vários aspectos, como a construção do ambiente, o desenvolvimento das personagens e a riqueza de detalhes, porém, talvez, sua melhor qualidade é o conhecimento que tem sobre o tema que escreve. Tudo isso com uma boa dose de humor e sarcasmo.
[...] – Ele está perdido lá. Acha que está totalmente sozinho e que desistimos dele. [...] – Fico me perguntando o que ele está pensando neste instante.
DIÁRIO DE BORDO: SOL 61
Por que o Aquaman consegue controlar baleias? Elas são mamíferos! Não faz sentido.
Pág. 64
Em muitos momentos o leitor irá se deparar com situações que provavelmente irão soar estranhas e bastante improváveis de acontecer. Mark consegue plantar batatas no espaço, modificar a atmosfera do local, gerar energia, se comunicar com a NASA e muito mais; de formas que lembram bastante as técnicas do agente secreto MacGyver, do seriado de mesmo nome, famoso em meados da década de 80.

Daí você pode me perguntar se isso me incomoda, e eu lhes digo com a maior verdade que ‘de maneira alguma’. Como eu disse anteriormente, Andy Weir sabe do que está escrevendo, e essa segurança e bagagem faz com que o leitor acredite e compre qualquer ideia que ele queira passar no livro. Plantar batatas em Marte parece loucura? Sim! Mas se esse processo for envolto com referências de biólogia, química e física, assuntos que eu não domino por sinal, eu irei acreditar, sim. Vale ressaltar que Weir é orgulhoso em se autodenominar nerd, sendo ele um amante de assuntos como física relativista, mecânica orbital e a história de voos espaciais tripulados. Se ele diz, então eu acredito! =P
À minha volta, não há nada, apenas poeira, pedras e um deserto infinito em todas as direções. A famosa coloração vermelha do planeta em do óxido de ferro que cobre tudo. Portanto, não se trata apenas de um deserto, mas de um deserto tão velho que está literalmente enferrujado.
Pág. 74
Para os amantes de ficção científica “Perdido em Marte” é a pedida certa. Este é um livro inteligente e recheado de ação do começo ao fim, que dificilmente irá decepcionar quem ousar desbravá-lo. É bastante raro para mim encontrar um livro tão agonizante como este, e não vejo a hora de ver toda esta carga emotiva e descritiva nas telonas.



PS: O livro foi relançado recentemente no Brasil com uma capa baseada no pôster do filme. Esse pôster é muito bonito, e acho que conseguiu ser transformado em uma capa tão bonita quanto a original, naquele caso raro de capas/pôsters que funcionam. Eu só tiraria esse selinho amarelo…

PS 2: Caso você tenha gostado mais da capa original, é melhor correr. Ela já se encontra esgotada na maioria das lojas. 



Comentários
11
Compartilhe

11 comentários:

  1. A divulgação do filme Perdido em Marte está bem forte, que eu fiquei com mta vontade de ler antes o livro.
    Hahaha...achei ótimo comparar Mark ao MacGyver, mas no espaço! Acho que o autor quis deixar o livro mais interessante e acho que tudo é possivel na literatura.
    Me animei mto de conhecer a escrita do Andy Weir e como ele consegue transformar essa isolação em marte em algo que a gente fica viciado para saber de tudo.
    Eu sou mais de ver filme de ficção, mas esse livro me chamou a atenção demais.
    Beijos

    https://fuxixiu.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Perdido em Marte parece ser um livro incrível. A premissa é muito boa e eu adoro tudo que envolve ficção científica. Além disso, essa luta pela sobrevivência parece dar um tom de ação ótimo para a narrativa.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha ouvido falar do livro, mas não tinha me interessado por ela, não é meu estilo de leitura, depois vi que ia ter um filme dele, mas não queria ver pois achei que ia ter alienigena sei lá ser meio suspense já teve um filme que assisti e era assim, mas eu nem tinha visto o trailer nem nada ai eu vi o trailer e percebi que não tinha nada disso e achei o filme interessante e quero vê-lo

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Eu tenho vontade de ler esse livro desde a primeira vez que a editora o lançou,ano passado eu acho,mas acabei me esquecendo e agora com todo o fervor por causa do filme o desejo de fazer essa leitura voltou.E plantas batatas em Marte é bem estranho mas se tiver boas explicações é bem fácil mesmo crer que isso é verdade.E o autor domina mesmo o assunto,as chances de eu me decepcionar com o livro são bem baixas então.Eu gostei da capa mas também acho que ficaria mil vezes melhor sem esse logo amarelo.

    ResponderExcluir
  5. Oi Tácio,
    Gostei muito de saber da parte científica <33, principalmente a parte da mecânica orbital haha. Mesmo sabendo que a chance de me decepcionar com a leitura desse livro é baixíssima, não pretendo lê-lo agora.
    P.S.: Independente se tiver ou não o logo amarelo, não curti a capa do pôster O.o

    ResponderExcluir
  6. Tácio!
    Como boa fã de ficção, quero demais ler esse livro e claro, assistir o filme também porque é uma situação muito diferente você ter que viver em Marte sem recursos nenhum. Quero saber como ele vai se virar...
    “A vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.”(Soren Kierkegaard)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto a capacapa deste livro antes, só não sabia do que se tratava, mesmo o título sendo bastante sugestivo, e também não sabia que iria virar filme, e eu amei a capa original, mas a do filme é muito mais bonita.

    ResponderExcluir
  8. uau, não sabia que tinha um livro desse filme, se eu já estava curiosa pra assistir o filme agora eu to curiosa pra ler o livro, adorei a resenha,bem interessante o tema do livro.

    ResponderExcluir
  9. Ai, tô louca para ler esse livro desde o ano passado, quando vi o lançamento, e pirei ao saber que iria ter filme. Ainda bem que está agradando, né? Mas confesso que prefiro a capa original, acho que por ser a que "conheci" a história. Tô louca para ler. Louca!

    ResponderExcluir
  10. Já tinha visto esse livro, achei incrível toda a ação envolvida, depois da sua resenha fiquei com mais vontade ainda de ler!

    ResponderExcluir
  11. Tenho esse livro com a capa original, amei a história é ótima, curto muito ficção científica, estou super ansiosa para conferi o filme, só pelo trailer parece ser ótimo.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações