8 de nov de 2015


[Resenha] A Espada do Verão - Rick Riordan

Ficha Técnica

Título: A Espada do Verão
Título Original: The Sword of Summer
Autor: Rick Riordan
ISBN: 978-85-8057-795-2
Páginas: 448
Ano: 2015
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
17Às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida... A vida de Magnus Chase nunca foi fácil. Desde a morte da mãe em um acidente misterioso, ele tem vivido nas ruas de Boston, lutando para sobreviver e ficar fora das vistas de policiais e assistentes sociais. Até que um dia ele reencontra tio Randolph - um homem que ele mal conhece e de quem a mãe o mandara manter distância. Randolph é perigoso, mas revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico. As lendas vikings são reais. Os deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo Magnus deve ir em uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos. A espada do verão é o primeiro livro de Magnus Chase e os deuses de Asgard, a nova trilogia de Rick Riordan, agora sobre mitologia nórdica.

Resenha


Ai gente, estava tão ansiosa por essa nova série do Tio Rick... Adoro a forma leve e divertida como ele fala de mitologia. Depois de uma série sobre mitologia grega, uma sobre mitologia egípcia e uma mesclando as mitologias grega e romana, dizer que eu estava empolgada é pouco, pois nas outras séries pelo menos eu conhecia um pouco da história, mas confesso que não conheço absolutamente nada de mitologia nórdica, a não ser alguns nomes conhecidos apenas dos filmes, kkkk.

SELO BLOGA Espada do Verão é o primeiro livro da série Magnus Chase e os Deuses de Asgard e, como diz o título da série, o protagonista é Magnus Chase, um adolescente que vive nas ruas de Boston. Há dois anos um incêndio no prédio onde morava com a mãe mudou completamente a vida dele: após fugir como a mãe mandou, ele descobriu que ela morreu e que estava sendo procurado para dar esclarecimentos à polícia e como não tinha aproximação com os tios, ele estava sozinho no mundo, ou seja, ainda tinha assistentes sociais à sua procura também.
Só para deixar claro, Magnus quer dizer grandioso. Minha mãe me deu esse nome porque nossa família descendia de reis suecos ou algo do tipo, um bilhão de anos antes. Além disso, ela falou que eu era a coisa mais incrível que já lhe aconteceu. Eu sei. Um, dois, três: Ownnnnn. Era um nome irritante. As pessoas costumavam escrever Mangus, que rima com Angus. Eu sempre corrigia. Não, é Magnus, que rima com húmus... E então, só ficavam olhando para mim sem entender nada.
Pág. 64

Morando na rua há dois anos, Magnus se vira como pode, pega roupas nos bazares, aproveita restos de comida e outras necessidades nos lixos de Boston, enfim, mas procurar o tio abastado não passa muito pela sua cabeça, afinal a mãe sempre o alertou para ficar afastado do tio Randolph desde que se desentenderam em uma festa de natal dez anos antes. Mas ele não vive tão sozinho, ele meio que tem dois amigos que estão sempre presentes: Hearth e Blitz.

O livro começa no dia do aniversário de dezesseis anos de Magnus, um dia crucial para o seu destino. Nesse dia ele acaba reencontrando o tio (não que ele queira muito isso) e descobrindo que o pai é na verdade um deus nórdico e que ele tem a missão de encontrar um artefato mágico que pertencia a ele, e que faz parte de uma profecia.
- Mitos nada mais são do que histórias sobre verdades que esquecemos.
Pág. 32
Mas como diz a sinopse "às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida" e acho que Magnus leva isso muito a sério (kkk). Incrível como ele consegue descobrir quem era o pai, achar a espada dele, perder a espada, descobrir que seus amigos mendigos na verdade são um anão e um elfo e morrer em apenas alguns minutos e tudo isso nas primeiras páginas. Daí você imagina, se as primeiras páginas são tão intensas, o que Rick reservará para os outros capítulos? Pode apostar que monotonia não haverá em A Espada do Verão.

Quando desperta, Magnus descobre que está em Valhala, um hotel para os bravos, que morreram de forma heroica e foram escolhidos pelas valquírias para servir no exército de Odin no Ragnarök, o Juízo Final da mitologia nórdica. 
Do outro lado, duas poltronas reclináveis em frente à lareira acesa e uma parede de livros.
Sim, eu gosto de ler. Sou estranho. Mesmo depois de largar a escola, passei bastante tempo na Biblioteca Pública de Boston, aprendendo coisas aleatórias só para passar o tempo em um lugar quente e seguro. Durante dois anos, senti falta da minha velha coleção de livros. Nunca achei que teria outra.
Pág. 65-66
A missão de Magnus é treinar diariamente para estar preparado quando chegar o Ragnarök, mas é claro que nada seria tão simples. A missão dele continua a mesma, achar (de novo) a espada do verão e atrasar o dia do Juízo Final. 
- Sim, mas isso foi escolha dos deuses, não minha. A questão do destino, Magnus, é a seguinte: mesmo que não possamos mudar o cenário, nossas escolhas podem alterar os detalhes. É assim que nos rebelamos contra o destino, como deixamos nossa marca.
Pág. 123
Os personagens construídos pelo Rick Riordan são muito bem  elaborados e eu adorei vários deles. O anão Blitz e sua habilidade para moda, o elfo Hearth com sua magia e muito carinho que tem em seu coração, a corajosa valquíria Samirah, além dos amigos que Magnus faz no Valhala: Mestiço Gunderson, Mallory Keen, X e Thomas Jefferson Jr. Claro que não posso deixar de falar do próprio Magnus, que é ainda mais divertido do que Percy (sorry querido, ainda gosto muito de você!), com seu sarcasmo, sua ironia, a forma com que lidou com as informações nada plausíveis que recebeu sobre sua origem. 

Também não dá para deixar de falar da ligação que Tio Rick faz com suas outras séries: ele cita Jason Grace, Percy Jackson e, é claro, o que todos já sabemos, o fato de Magnus ser primo de Annabeth Chase. Ela aparece nesse livro e pelo desenrolar da narrativa já sabemos que é provável que ela volte (quem sabe até o Cabeça de Alga também apareça?)
A espada não respondeu (dã), mas imaginei que estivesse zumbindo em um tom mais interrogativo, como: Tipo o quê?
- Sei lá. Alguma coisa que caiba no bolso e seja inofensiva. Uma caneta, talvez?
A espada pulsou, quase como se estivesse rindo. Imaginei-a dizendo: Uma caneta que vira uma espada. É a coisa mais idiota que já ouvi.
Pág. 221
Agora é esperar por O Martelo de Thor e descobrir o que nosso querido tio nos reservará nas próximas páginas!!!!

Compare e Compre
Comentários
14
Compartilhe

14 comentários:

  1. Oi Layane! Além da série original do Percy Jackson, nunca li mais nada do Rick Riordan. Fiquei curioso, pois mitologia é um tema que me interessa bastante. Essa nova série parece ser muito boa... Abraços! ;)

    ResponderExcluir
  2. Lay!
    Faz tempo que não leio um livro do Rick e esse me parece que é uma boa pedida para recomeçar.
    Gosto muito de toda fantasia que ele escreve.
    “Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz.” (Madre Teresa de Calcutá)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Layane!
    Mulher, tive de parar logo no começo da leitura porque precisava fazer outras mas, logo vou voltar.
    Esse livro promete ser como os outros: bem engraçado.
    Não sabia que já havia saido o nome do segundo livro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lay.
    Eu queria muito saber do livro, apesar de estar receoso de ser apenas mais um livro. Felizmente, isso não aconteceu. E sente aqui, vamos conversar: Magnus é melhor do que Percy? Preciso conferir isso, para ontem! Sem dúvidas, preciso ler essa obra. Sem falar que também quero conhecer esses novos personagens cativantes.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de novembro. Você pode ganhar um livro incrível!

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o autor..
    Não li nenhum de seus livros..
    Fiquei com vontade de ler esse Magnus..
    E também gostei da capa..




    ResponderExcluir
  6. Oii Layane, eu já tava com muita vontade de compra esse livro eu amei a capa e a sinopse e agora com sua resenha com certeza vou comprar bjs

    ResponderExcluir
  7. Esta nova série deste autor espero que seja tão boa quanto de Percy Jackson pois adoro aventuras mitologicas e que este seja uma nova fase de aventuras e emoções na leitura .

    ResponderExcluir
  8. Acabei de ler outra resenha do livro e tô me animando pra conhecer Magnus Chase, apesar de achar que nada, nunca, pode ocupar o lugar do Percy Jackson no meu coração de leitora!

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Tinha o lançamento desse livro aqui perto, mas não pude ir :( .
    Quero muito ler A Espada do Verão, gosto muito de livros desse estilo e achei interessante ser uma série.
    Sua resenha está muito boa, e foi bom conhecer um pouco mais sobre a história do livro, pretendo lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  10. Meu namorado é apaixonada por Rick Riordan. Esse livro parece muito bom, aposto que ele vai ler. HUAIHAUHAUAH

    ResponderExcluir
  11. A principio não me interessei, mas depois de ler várias resenhas, fiquei curiosa por esse livro, creio que vou poder comprar esse livro em breve.

    ResponderExcluir
  12. Olá!!
    É do Rick Riordan, então não precisa me dizer mais nada eu quero ler rsrs, gosto muito do autor porque sou apaixonada por Percy Jackson, e assim não posso acreditar que essa nova serie seja melhor, correr ler ligeiro pra conferir isso, mais mesmo não acreditando que eu vá achar melhor eu ja vi que é muito boa e vou me apaixonar também.
    Bjocas!!

    ResponderExcluir
  13. Não conheço o autor e nem o livro, não gosto muito de livros com mitologias e tal, mas a resenha desse me deixou um pouco curiosa pra ler, vou ver a possibilidade. Esse é o primeiro da série de quantos livros? Beijo Lay

    ResponderExcluir
  14. Tenho alguns livros da série Pearcy Jackson, mas ainda não li. Então não tive contato ainda com a escrita do autor.
    Acho que esse livro em questão deve ser mesmo muito legal, parece ter um ritmo alucinante de acontecimentos, o que não deixa o livro ficar arrastado.
    E o fato do personagem principal ser divertido e irônico é um q a mais.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações