8 de dez de 2015


[Resenha] Auggie & Eu - R. J. Palacio

Ficha Técnica

Título: Auggie & Eu
Título Original: Auggie & Me
Autor: R. J. Palacio
ISBN: 978-85-8057-841-6
Páginas: 326
Ano: 2015
Tradutor: Rachel Agavino
Editora: Intrínseca
17A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário. O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas. Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente.

Resenha


Gente, quando a Intrínseca disse que reuniria as três histórias de Extraodinário em um livro físico eu fiquei radiante, afinal, acredito que a essa altura vocês já tenham percebido que sou um pouco resistente a leitura de e-books, realmente não me sinto atraída.

SELO BLOGAuggie & Eu traz os e-books O Capítulo do Julian, Plutão e Shingaling, que foi lançado em e-book agora em novembro também, então, se você já tinha os outros e-books pode comprar Shingaling na mesma versão para completar a coleção ou fazer como eu e ter os três juntinhos ;)

Como eu falei, são três histórias reunidas e as divisões dentro do livro são separadas pelas capas deles mesmo, colorido e em papel couché, que dá um toque todo lindo ao livro. Uma outra coisa que gostaria de falar para vocês antes de falarmos propriamente das histórias, é o fato de que elas retratam como Auggie interfere na vida dessas crianças, então não é de forma nenhuma uma "sequência" de Extraodinário, até porque Palacio já disse que não a escreverá.
Algumas crianças me disseram que tinham certeza de que Auggie seria astronauta quando crescesse. Ou professor. Ou veterinário. Aliás, elas me contam isso com enorme autoridade - quase empírica. Sem rodeios. Sem achismo. Então, quem sou eu para discordar? E por que eu escreveria uma sequência que limitaria todas essas opções? Auggie, até onde sei, tem um futuro brilhante e maravilhoso, com infinitas possibilidades, todas igualmente grandiosas.
Pág. 13
Mas vamos às histórias. O primeiro é o mais controverso, afinal, Julian causou muita confusão em Extraodinário, então ficamos nos perguntando: o que ele poderá dizer em seu favor no seu capítulo? Quando Julian conhece Auggie tudo muda para ele, alguns fantasmas do passado retornam e compreendemos o que se passa em sua cabeça. Vemos a influência dos pais em suas ações e como isso vai construindo quem ele é.
Na primeira vez que vi August, bem, tive vontade de cobrir os olhos e sair correndo e gritando. Sei que isso soa cruel, e sinto muito. Mas é verdade. E qualquer um que diga que não teve a mesma reação quando viu Auggie Pullman pela primeira vez não está sendo honesto. Sério.
Pág. 31
O interessante de ver a história por esse ponto de vista é que entendemos que ninguém é totalmente bom ou mau, somos a junção dos dois, em doses iguais ou não. E, quando chega as férias e Julian vai para a casa da avó em Paris, percebemos mais claramente como o comportamento e as atitudes dos adultos ao redor de uma criança interferem nela. A avó de Julian o trata muito diferente dos pais dele e quando ela divide com o garoto uma das suas histórias da juventude, durante a Segunda Guerra Mundial isso de fato começa a mudar a forma como ele encara as situações que vem vivendo.
(...) Um erro não define quem você é, Julian. Entende? Você pode simplesmente fazer a coisa certa da próxima vez.
Pág. 99
Confesso que estava apreensiva por essa história, mas no final já entendia Julian, não concordava com suas atitudes, longe disso, mas o fato de compreendê-lo me trouxe certa tranquilidade. Essa é a maravilha, entender os diversos pontos de vista, afinal uma história sempre tem vários deles.
(...) Não existe um manual que nos diga como agir em todas as circunstâncias da vida, entendem? Então o que sempre digo é que é melhor pecar pela gentileza. Esse é o segredo. Quando você não sabe o que fazer, simplesmente seja gentil. Não tem como dar errado.
Pág. 29
Já em Plutão, voltamos um pouco mais no tempo para conhecermos Christopher, o melhor e mais antigo amigo de Auggie.
(...) Não podemos ser amigos só quando é conveniente para a gente. Boas amizades valem um esforcinho a mais!
Pág. 141
A história deles dois é incrível também, a amizade iniciou quando as mães deles estavam grávidas e desde o início eles eram inseparáveis, mas como nada na vida é exatamente igual para sempre, a amizade deles vai sofrendo alterações, até porque as crianças vão crescendo, tendo outros círculos de amizades, e quando Chris se muda do bairro as mudanças são ainda mais gritantes.

Como já havia comentado na resenha de Plutão, é fácil imaginar o quão complicado deve ser para uma criança lidar com tantas emoções, com a rejeição de seu melhor amigo apenas por conta de sua aparência. Se adultos muitas vezes não sabem lidar com tal situação, imaginem as crianças que ainda estão em formação de suas personalidades?!

Para finalizar, temos o conto Shingaling, que traz a visão da Charlotte Cody. Ela foi uma das crianças escolhidas para fazer parte do comitê de boas-vindas a Auggie na Beecher Prep, junto com Jack e Julian. Para quem já leu Extraodinário sabe que Jack se tornou amigo de Auggie ao tempo em que Julian foi antagonista da narrativa. Mas Charlotte praticamente estava em cima do muro. Não que ela não fosse legal com Auggie, ela acenava para ele, dava bom dia, mas não sentava com ele no almoço, nem fazia nada a mais para ajudá-lo a se enturmar ou para defendê-lo, a preocupação dela, como descobrimos em Shingaling é ser neutra. Ela não queria ficar mal com ninguém.

Perfeitamente compreensível afinal sabemos que os anos de colégio são difíceis e se você cria "inimigos" tudo se torna ainda pior. Já, querendo ou não, existem as panelinhas e sempre nos vemos encaixados em alguma delas, e Charlotte não está na das mais populares e quem não quer ser considerada legal pelos colegas?

Ela vê as amigas mudarem de grupo, enquanto tem uma seleção para uma apresentação de dança (algo que ela ama!), as interações sociais complexas da escola, grupos de amigas que não se misturam, enfim, muita coisa para a cabeça de crianças de dez e onze anos.
- Quando olho para Auggie e todos os desafios que ele tem que enfrentar diariamente - disse ele, dando tapinhas no coração. - Fico admirado de como ele consegue simplesmente vir todos os dias. Com um sorriso no rosto. E quero que ele receba a confirmação de que este ano foi uma vitória. Que ele causou impacto. Quer dizer, o modo como as crianças se reuniram em volta dele depois do terrível incidente na reserva natural? Foi por causa dele. Ele inspirou essa gentileza nelas.
- Entendo perfeitamente o que o senhor que dizer - falei.
- E quero que esse prêmio seja sobre gentileza - continuou ele. - A gentileza que oferecemos ao mundo.
Pág. 310
Uma das coisas que mais amo na escrita da Palacio é como ela usa as crianças para nos dar várias lições. Não tem uma só vez que eu termine uma de suas histórias sem lágrimas nos olhos. A reflexão que ela proporciona é intensa demais. Incrível como um garotinho interfere e muda tanto a vida de todos ao seu redor. Estou só imaginando como será a adaptação da sua história para o cinema, que eu quero logo por favor, mas não ouvi nenhuma novidade recente, mas sabemos que essas coisas demoram. Mas enquanto isso, a gente relê Extraodinário , Auggie & Eu e nos deliciamos com 365 Dias Extraordinários.
Não importa se é sobre Auggie e Julian, Auggie e Christopher ou Auggie e Charlotte; as três histórias de Auggie & Eu examinam as complexidades da amizade, lealdade e compaixão, e - acima de tudo - exploram os efeitos duradouros da bondade. (...) Acredito nas crianças e em sua capacidade ilimitada de cuidar, amar e querer salvar o mundo. Não tenho dúvidas de que elas nos levarão a um patamar de maior tolerância e aceitação para todos no universo.
Pág. 16
Comentários
15
Compartilhe

15 comentários:

  1. Olá Layane!
    Já li Extraordinário e sou completamente apaixonado pela história. O enredo é muito cativante, mostra a realidade que muitas pessoas que possuem alguma peculiaridade passam no dia a dia. É realmente triste constatar a existência de preconceito desse tipo ainda no século XXI. Como gostei da obra original, tenho certeza de que também irei amar esse livro e suas histórias. Já está em meus desejados. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha, são livros simplesmente incríveis. Ainda não li o Extraordinário, mas ele já está na minha estante só vou esperar as provas passarem para lê-lo. Todos já tinha me falado muito bem dele, agora que fiquei sabendo um pouco mais acho que realmente irei gostar, e com certeza completar a coleção comprando Auggie & eu *--*

    ResponderExcluir
  3. Oi Lay,
    Também tenho resistência aos e-books O.o
    Gostei muito da dica de ter os três contos juntinhos, principalmente por ser de um personagem que me conquistou <333, vou tentar lê-lo em breve.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  4. Oi, eu nunca li nada dessa autora, lendo a sinopse e a resenha o livro não me despertou vontade de le-lo não é o tipo de gênero literário que eu leio mas como sempre você faz ótimas resenhas bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena, Fernanda. Os livros da RJ são muito lindos, mas o interessante é iniciar com Extraordinário para entender a visão dos outros nesse livro.
      Beijos e obrigada!!

      Excluir
  5. Olá, Lay.
    Já li Extraordinário e amei; aliás, acho difícil não gostar do livro.
    Confesso que estava meio receoso em relação a essa obra, afinal, quando os autores querem ampliar um universo que já deu certo, nem sempre fica bom. Porém, fico feliz ao perceber que, nesse caso, funcionou perfeitamente. Aliás, fiquei até curioso para conhecer a visão do Julian.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de dezembro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  6. Lay!
    Acredita que ainda não tive oportunidade de ler nenhum dos livros Extraordinário?
    Esse livro seria uma grande oportunidade de conhecer um pouco mais do universo de toda essa trupe.
    “Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o Universo não tem ideias.” (Fernando Pessoa)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa ler, Rudy, tenho certeza de que irá amar!!!

      Excluir
  7. Adorei sua resenha, eu amei Extraordinário e 365 Dias extraordinários e tenho certeza que vou gostar mais ainda de Auggie e Eu. Gostei de você falar sobre os detalhes do livro do papel, é bem raro eu ler esses detalhes em uma resenha.
    Beijão :*

    ResponderExcluir
  8. Preciso urgente desse livro! Extraordinário foi um dos melhores livros que já li, pela linda mensagem que carrega, não me canso de indicar esse livro, e não posso deixar de ler esse, de maneira nenhuma! Amei a resenha, ta excelente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Paloma e também indico Extraordinário para TODO MUNDO!!!

      Excluir
  9. Desde que li Extraordinário que eu quero tudo que o R J Palacio lança da série.
    Bom que a editora mantve a arte pra nos fazer felizes e manter a coleção combinando.
    A ideia de ver a historia em outras perspectiva foi mto boa, historia mto linda e emocionante.
    Ainda vou ler e sei que vou chorar ao lembrar de tudo.
    Beijos

    Blog Livros e Sushi
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Suzzy, mas o meu Extraordinário não combina :( O meu é da primeira edição, que a capa é branca com vermelho.

      Sou como você, vejo que é da RJ e sobre Auggie: EU QUERO kkkkkk

      Excluir
  10. Ainda não tive a oportunidade de ler Extraordinário, mas todo mundo fala que é um livro incrível, então acho que ele e esse me agradariam bastante pelos ensinamentos que trazem e a forma como as narrativas são conduzidas. Só pela sua resenha já deu para ter certeza disso. Amei a capa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa ler, Cecília, é muitooooo lindo <3
      Todos são muito lindos ;)

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações