15 de dez de 2015


[Resenha] Zac & Mia - A.J. Betts

Ficha Técnica

Título:  Zac & Mia
Título Original:  Zac and Mia
Autor: A.J. Betts
ISBN: 978-85-8163-774-7
Páginas: 288
Ano: 2015
Tradutor: Sylvio Monteiro Deutsch
Editora: Novo Conceito
41A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso. No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela. Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente. Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro? Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.

Resenha


Zac está internado em um hospital para um tratamento de leucemia. Cansado de ficar preso em um quarto de hotel, o jovem garoto não vê a hora de se livrar de vez desta maldita doença e poder ser novamente um garoto ‘normal’.

Selo-Parceiros-Novo-Conceito42222322Porém, certo dia, uma nova paciente chega na ala de tratamento em que Zac se encontra. Mia é rebelde, o oposto de Zac, e inconformada com o diagnostico que tem, a moça não colabora com os médicos e faz de tudo para se auto-sabotar.

É assim que a amizade entre Zac e Mia se inicia. Enquanto um está preso dentro de um quarto sem poder sair, pois já está quase tratado da leucemia, a outra está livre para espiá-lo através da janela deste mesmo quarto, mas prestes a iniciar um tratamento contra câncer. As vezes a nossa prisão é mais ampla do que a gente espera que ela de fato fosse.
– E por que a Emma Watson? – questiona mamãe mais tarde. Até minha mãe é mais corajosa que eu. Ela escolheu passar por isso.
De todos, eu sou o menos corajoso. Nunca me alistei para essa guerra. A leucemia me convocou, essa filha da puta.
Pág. 51
“Zac & Mia” é mais um sick-lit, mais uma história que aborda o câncer como tantas outras que surgiram nos últimos anos. Porém, isso não faz com que a obra escrita pela australiana A.J. Betts seja datada ou até mesmo repetitiva. A autora cria personagens fortes e distintos que conseguem se complementar e criar um livro cheio de drama, mas ao mesmo tempo com pitadas de humor e romance, sendo este último apenas uma pequena brecha no denso enredo criado por Betts.

Uma das coisas que mais me chamou atenção durante a leitura, foi a consciência de Zac sobre sua doença. Ele é um rapaz alegre, engraçado e principalmente esperançoso perante sua condição, mas ao mesmo tempo ele se martiriza ao pesquisar tudo sobre o câncer, nos fornecendo dados que chocam, que faz o leitor ficar incomodado… afinal, como ele mesmo diz, “uma em cada duas pessoas no mundo terá câncer”. A verdade é assustadora, e ela me deu vontade de fechar esse livro e atirá-lo na parede.
Na semana que vem, 846 vão morrer de câncer: 156 de câncer de pulmão, 56 de câncer de mama, 30 de melanoma, 25 de tumores no cérebro como o do Cam. E 34 vão morrer por causa da leucemia, como eu tenho.
O Google me conta tudo o que preciso saber a respeito da morte, exceto o que vem depois.
Pág. 76
Mas ao invés de interromper a leitura, eu segui em frente, já que a verdade precisa ser enfrentada, e ela ajuda bastante ao leitor a se colocar no lugar das personagens principais, e é talvez por isso que elas, para mim, tenham se mostrado tão reais e cativantes.

Ver o desenrolar do curto período das vidas de Zac e Mia foi uma ótima surpresa. A autora divide o livro em três partes: a primeira sendo narrada pela visão de Zac, a segunda alternando os capítulos entre os dois, e a última narrada por Mia. Isso faz com que o leitor tenha uma opinião inicial sobre Mia, que muda completamente quando chegamos aos seus capítulos, e descobrimos detalhes de sua história que Zac não podia nos fornecer. Sensacional.
Disseram pra eu não pensar em morte, porém não é fácil. O folheto recomenda que eu: Recite afirmações positivas. Fique no presente. Faça planos para o futuro. Mantenha-se ocupado. Chacoalho a cerca só para ouvir o barulho.
Estou bem, digo a mim mesmo. Estou bem. E ela também.
Pág. 122
“Zac & Mia” pode ser mais um livro com câncer, apesar deste não ser o personagem principal da obra. Aqui vamos observar dois jovens lutadores, que têm uma longa vida pela frente, mas que também têm uma grande batalha a travar. Eu gostei bastante da leitura, e a indicaria com todo o prazer. Mesmo com as verdades cruas e dolorosas, mesmo com todo o drama, no final “Zac & Mia” traz muitas mensagens que todos nós precisamos carregar conosco, e a principal delas é de que a vida foi feita para ser vivida.





Compare e Compre
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Vou confessar que quando vi que era um romance adolescente que começou em um hospital por causa do câncer fiquei pensando se não seria igual A culpa é das estrelas, um livro que achei muito bom, mas muito clichê.
    Pela resenha esse livro parece ser diferente sim, principalmente pela consciência que o Zac tem, isso que me deixou mais curiosa sobre o livro.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tácio.
    Sua resenha ficou muito boa, mas confesso que não leria o livro nesse momento. Há tantas obras com uma premissa tão parecida com essa que, muitas vezes, me parece ser apenas mais um produto comercial e não literatura.
    Pela resenha, vejo que há alguns pontos fora do padrão, mas isso não é o suficiente para me ganhar.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de dezembro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  3. Oi Layane! Como você disse, romances "sick-lit" parecem estar em alta no mercado editorial. Depois do sucesso estrondoso que foi "A Culpa é das Estrelas", parece que o número de obras do gênero só cresceu. Esse livro me interessou bastante, principalmente pelo fato de o protagonista Zac ter me lembrado muito o Gus (de ACEDE). Excelente resenha e obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
  4. Oi Tácio eu li a resenha desse livro em outro blog eu amei a sinopse e a sua resenha o livro parece ser lindo emocionante ele já está na minha lista de leituras bjs.

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto de sick lit e quando vi que a Novo Conceito ia lançar o Zac e Mia fiquei toda animada.
    Achei a capa simples e mto bonita e a sinopse nos deixa com gosto de quero mais.
    A luta desses dois jovens é simplesmente uma lição, pra gente que é saudavel e reclama, acho que é tapa na cara.
    Recomendo demais!
    Beijos

    Blog Livros e Sushi
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Parece um lindo livro, porém não aguentaria ler, pois trata de um mesmo problema de saúde que faço tratamento, e por isso evito esse tipo de leitura. Obrigada pela sugestão!

    ResponderExcluir
  7. Tácio!
    Mais um sick lit...
    Um dos poucos livros da NC que não pedi, apenas pelo fato de estar me afastando de obras do tipo no momento.
    Quem sabe mais para frente leia?!...

    “Não esqueça que Natal não é do Papai Noel tão pouco para ganhar presentes materiais, mas é a data que recebemos o melhor presente para nossa existência, Jesus!” (Rogério Stankewski)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente não me chamou tanta atenção assim porque não é o meu gênero favorito, então por enquanto vou acabar deixando passar, mas a capa é lindinha. Pode ser que depois eu faça a leitura.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações