2 de jan de 2016


[Resenha] Desejo Proibido - Sophie Jackson

Ficha Técnica

Título: Desejo Proibido
Título Original: A Pound of Flesh
Autor: Sophie Jackson
ISBN: 978-85-8041-450-9
Páginas: 416
Ano: 2015
Tradutor: Thalita Uba
Editora: Arqueiro
16Primeiro livro de uma trilogia, Desejo Proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora. Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado. Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim pela crescente atração entre os dois. Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.

Resenha


Quando li a sinopse desse livro a curiosidade tomou conta de mim. Como a autora faria para unir um casal aparentemente tão diferente? Uma filha de senadores. Um detento. Confesso que em nenhum momento pensei no que a Sophie escolheu, mas digo: ela foi muito feliz na escolha do enredo e na maneira como o desenvolveu.

Arqueiro_parceria522Katherine Lane vem de uma família imponente, de várias gerações de senadores. Sua família sempre imaginou um futuro esplêndido para ela, com muitas conquistas e pessoas influentes. Mas quando a jovem de vinte e cinco anos, após se formar em Literatura Inglesa, resolveu dar aulas em um presídio, a mãe e os amigos não a compreenderam, afinal, o que a poderia levar a trabalhar com pessoas perigosas, do mesmo tipo que tinham matado seu pai?

Desde a noite em que viu seu pai morrer, dezesseis anos atrás, a vida de Kat não tem sido fácil. Ela viu a mãe se abater com a ausência do companheiro, viu suas noites serem cada vez mais tempestuosas devido aos pesadelos, passou por muitos terapeutas para ajudá-la a superar o trauma, mas para ela, conseguirá fazer isso encarando seus medos e nada melhor do que dando aulas no presídio de Arthur Kill.

Na verdade, esse presídio é mais ameno (se é que isso existe), os detentos de lá não cometeram assassinatos nem nada tão pesado. É lá que ela conhecerá Wesley Carter, um detento problemático, que está cumprindo pena por porte de drogas, mas sua ficha é longa, com direito a porte de amar, vandalismo entre outras coisas.

Carter teve um início de vida bastante complicado e desde cedo acabou vagando pelo crime. Nunca se importou muito com o amanhã, mas agora, aos vinte e sete anos e mais uma vez preso, a perspectiva de passar os próximos anos preso não lhe parece mais tão convidativa. Por esse motivo está tentando conseguir a liberdade condicional. Mas para isso ele precisa se mostrar disposto a mudar de atitude e por isso seu conselheiro o instrui a participar das aulas de literatura, uma vez que ele é muito inteligente e gosta muito de ler.

Desde o primeiro instante Carter mexe com Kat, ela não sabe explicar o motivo, mas ele parece despertar o pior nela, sua vontade de revidar os comentários irônicos e sarcásticos dele. Porém, da mesma forma, ela percebe o potencial que ele tem, sua sagacidade, sua inteligência e ela como educadora, se sente no dever de ajudá-lo a se desenvolver mais. Claro que nós sabemos que há muito mais por debaixo dessa fachada. Kat está completamente atraída por Carter.
- Eu sei que não é a situação perfeita. - Ele apontou para si mesmo. - Sou só um... E você é... Mas, estou falando sério, vou ficar feliz com qualquer coisa que você esteja disposta a me dar a essa altura. Só ficar sentado aqui com você  já seria suficiente.
Pág. 171
O desejo é recíproco e, após a condicional de Carter, as aulas particulares de literatura devem continuar, como demonstração de seu objetivo de se reabilitar e aí as coisas mudam de figura, afinal, não têm mais guardas vigiando as aulas, são apenas os dois em uma sala particular da biblioteca municipal.

Com o passar das aulas, vamos conhecendo mais sobre Carter, seu passado e enfim nos apegando cada vez mais a ele. Quando descobrimos enfim o segredo que Carter traz, que na verdade revela a verdadeira identidade de Kat, já estamos completamente ligados aos dois.
Era ela. Pêssegos. A garota com quem ele sonhava havia dezesseis anos.
A garota que ele tinha salvado...
Pág. 58-59
Sabemos também o clichê que é o relacionamento entre professora e aluno, mas não é apenas esse o motivo que faz com que Kat tente manter-se afastada de Carter, afinal, ao aceitar o emprego no presídio ela assinou um termo de não confraternização com os detentos e se envolver com Carter poderá lhe trazer inúmeros problemas.
Carter não fazia ideia do que era um gesto romântico ou íntimo, ele só queria devolver o sorriso ao rosto dela. Teria que se virar ao longo do caminho e rezar para que o que quer que ele achasse legal e perfeito fosse perfeito para ela também.
Pág. 219
Além dos problemas que precisa enfrentar nessa possível relação com Carter, Kat também precisa resolver seus problemas de relacionamento com a mãe, que pioram a cada dia desde que começou no novo emprego. Como se não bastasse isso, seu apoio incondicional, os amigos Ben e Beth já não está mais tão firme: Beth vem questionando cada vez mais as decisões da amiga, ficando sempre ao lado da mãe dela na defesa de que ela deve deixar o emprego e as aulas particulares para Carter.
- Eu nasci para os seus braços, Carter - disse ela, o ardor de volta à sua voz. - Senti falta deles. Senti falta de você. - Ela sussurrou ao ouvido dele. - Senti sua falta a vida toda.
Pág. 239
Alguns outros personagens entram em cena e agregam muito ao enredo, nos ajudando a entender melhor os protagonistas. Nanny Boo, avó de Kat é uma delas. Quando a conhecemos entendemos os medos de Eva (a mãe de Kat) com relação a proteção e ao futuro da filha com o envolvimento com Carter, entendemos o passado das duas, a relação entre mãe e filha antes e depois da morte de Daniel Lane. Por outro lado, conhecemos Max O'Hare, melhor amigo de Carter, seu confidente e amigo mais antigo. Claro que também tiveram personagens que por mim podiam ter desaparecido logo, me engaram nas primeiras páginas, mas quando descobri sua real intenção eu queria que morresse logo só para sumir da estória (estou má mesmo, não gosto dele, mas não posso dizer o nome!!!!)
- Você é tudo para mim, Pêssegos. Sempre foi. Sempre. Você é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida. - Ele a beijou. - Você é meu tudo.
Pág. 313
Como eu já disse, a Sophie foi muito feliz na condução da narrativa. A quebra de esteriótipos, o questionamento que nos levar a fazer como por exemplo: o que faria no lugar de Kat ao se ver atraída por um detento em condicional? E antes mesmo disso: a opção de dar aulas em um ambiente hostil, ainda mais sem o apoio incondicional da família.

Agora estou ansiosa para saber dos próximos livros, sei que o segundo trará a estória do Max e que tem um conto que será para matar um pouco da saudade de Kat e Carter. Espero que sejam lançados logo, pois a escrita da Sophie nos deixa presos ao livro, a curiosidade aguçada logo nas primeiras páginas nos conduz rapidamente ao desfecho da narrativa.
O amor deles estava além das palavras, além da razão, além até deles dois. Era indescritível, inexplicável, mas inquebrável e inabalável. Sua conexão, o laço que compartilhavam, tinha levado dezesseis anos para ser construído. Mesmo que eles não tivessem se reencontrado, se houvessem seguido a vida, um dia monótono após o outro, ainda assim teriam sido parte um do outro, uma parte silenciosa e integral que sempre existiria, enquanto ambos vivessem.
Pág. 357
Compare e Compre
Comentários
39
Compartilhe

39 comentários:

  1. Oi Layane!! A premissa não explica muita coisa, mas confesso que depois de ler sua resenha essa história me interessou bastante. É realmente instigante como o amor pode tocar e aproximar pessoas de mundos tão diferentes. Uma moça que tem tudo para ser bem-sucedida e um presidiário de ficha longa? Às vezes é difícil de compreender os caminhos do amor. Fiquei super curioso para ler, mesmo não sendo de um gênero que eu aprecie muito. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato Arthur, o que mais instiga nesse livro é a diferença entre os protagonistas e nos faz questionar mesmo os caminhos do amor.

      Excluir
  2. Oi Lay! Confesso que se estivesse em uma livraria e visse esse livro provavelmente eu não me interessaria tanto! A capa apesar de muito bonita demonstra que talvez seja um livro bem clichê de romance, e como o nome mesmo diz, de um romance proibido!
    Fico feliz que tenho a oportunidade de mudar de ideia ao ler uma resenha! Com certeza é um livro que passou a chamar minha atenção! Entendo sim que tenha lá seus clichês, mas quem é que não ama uma história de amor?! E além do mais, me parece que vai muito além disso! A questão do mistério e dos segredos é o que mais me atraiu.
    Com certeza pretendo ler!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Amanda, clichês a parte, é difícil não gostar de uma história de amor. Eu sinceramente não me importo do livro ser clichê, contanto que seja bem escrito e com personagens bem desenvolvidos.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Layane quando eu li a sinopse desse livro ele não me despertou vontade de le-lo mas lendo a sua resenha ele parece ser romântico parece daqueles livros que te prendem do começo ao fim com certeza vou le-lo obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa também só na hora que li uma filha de senadores e um detento hahaha
    De início pensei que seria um daqueles livros que tantos saem por aí, mas é bem melhor do que parece, só sua resenha já me surpreendeu e me deixou muito curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que ficou animada para ler, Rita. Só esse início já dá aquela curiosidade, não é verdade?

      Excluir
  5. Olá, Lay.
    Confesso que a premissa meio clichê me afastou em um primeiro momento, mas o livro parece ser muito bem escrito e, como há uma quebra de esteriótipos, talvez eu acabe lendo.
    Sua resenha esta incrível, como sempre.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marcos! Sei que não curte muito clichês, mas como você mesmo disse, existem muitas quebras de esteriótipos e sem dúvida vale a leitura.

      Excluir
  6. Olá, Layane.
    Já li algumas resenhas desse livro e infelizmente ele não me interessou. Achei a premissa bem mais do mesmo e lembrou muito Prison Break, uma série que eu amei. Mas entendo o que você disse sobre a quebra de esteriótipos, eu não sei se me colocaria numa situação dessas, ainda mais sem o apoio da minha família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não assisti essa série, Sil, então nem posso dar minha opinião, mas a Kat sem dúvida está em uma posição complicada mesmo, ainda mais sem o apoio da família. Pensar em como agiríamos é extremamente difícil.

      Excluir
  7. Ai gente, mais um bad boy pra lista kkkk já vi essa capa por aí, mas como dei uma abandonada em romances desse tipo não cheguei a procurar ele, gostei da sua resenha e acho q o Carter deve ser esses pedaço de mal caminho apaixonantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Jéss... O que dizer do Carter???? Melhor deixar você ler, kkkkk

      Excluir
  8. Lay!
    Concordo que o enredo é bem original e para mim, sui generis, porque ainda não li nenhum romance que envolve uma protagonista da alta sociedade com um presidiário, não em livro pelo menos, vi apenas em filmes.
    Bem curiosa pela leitura.
    “Um brinde cheio de entusiasmo e sensibilidade com aquele brilho nos olhos de criança descobrindo o mundo por todos os bons sentimentos que fazem bem a alma ,um brinde exatamente aquelas emoções mágicas que nos tornam melhores,um brinde a beleza de ser um eterno aprendiz .” (Giovanni Dulor Chagas)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amei mesmo, Rudy, e estou ansiosa pelos próximos pela forma como a Sophie soube desenvolver a estória.

      Excluir
  9. A ideia do livro é muito boa e o desenvolvimento parece condizer com ela! A escrita da autora parece ser boa, cheia de intensidade, o que eu gosto muito. Como sempre, existem personagens que a gente odeia e os que a gente gosta :P
    Adorei a resenha, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, Igor, sempre tem aquele personagem que odiamos com todas as nossas forças para equilibrar ao que amamos incondicionalmente!!!!!

      Excluir
  10. Oi Lay!
    Confesso que tbm fiquei curiosa lendo a sinopse. E pensando tbm, a minha lista de lisvros para ler esta tão grande :P Fiquei na duvida lendo a resenha se o livro é erótico. Pelo nome e capa parecem, mas pelo que você escreveu não rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivian!

      Quando vi a capa também tinha pensado que seria erótico, mas não mesmo. É um romance maravilhoso!!

      Excluir
    2. Agora já sei, li pelo menos uns 5 livros indicados por esse blog esse mês! A maioria dos que li foi resenhado por você :)

      Excluir
  11. Olá lay. confesso que quando vi achei meio cliche e mto estilo cinquenta tons de cinza.. hahah a capa parece mto isso... vamos ver talvez eu acabe lendo, mas gostei dos personagens. nao parece ser tao cliches

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayane!

      Eu li Cinquenta Tons de Cinza e não achei parecido não, viu, bem longe disso na verdade.
      Mas leia e depois me fale sua opinião ;)

      Excluir
  12. Olá lay. confesso que quando vi achei meio cliche e mto estilo cinquenta tons de cinza.. hahah a capa parece mto isso... vamos ver talvez eu acabe lendo, mas gostei dos personagens. nao parece ser tao cliches

    ResponderExcluir
  13. Oi Lay!!!
    Gostei muito da sinopse e principalmente da capa..achei maravilhosa,envolvente..
    Amo romances mas minha lista de leitura está tão atrasada que nem sei...ando sem tempo e um tanto desanimada...gostei bastante mas não sei se lerei...um bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eva minha linda, nem me fale em lista de leitura atrasada, porque nem entro mais nesse mérito, kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  14. Quero muito ler esse livro, desde a primeira vez que li a resenha, me apaixonei. Preciso comprar esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compre mesmo, Ana. Vamos tricotar sobre ele depois, kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  15. Olá Layane!!
    Amei sua resenha, e me interessei muito pelo livro por se tratar disso de amor proibido, que é um tema que gosto muito, já conhecia o livro pela capa, mas nunca tinha lido a sinopse e nem nenhuma resenha, mas confesso que gostei muito e agora quero muito ler!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha, Samira!!!!!
      Eu amo muito um bom romance, então acho que sou suspeita, kkkkkkkkkkk

      Excluir
  16. Nossa que livro hein, eu já tinha visto a capa, mas não tinha lido nenhuma resenha e muito menos a sinopse do livro, porém gostei muito, ainda não li nada em que a nossa protagonista se apaixona por um detento, isso é um grande diferencial na minha opinião, amei saber que ela preferiu estudar literatura hehehe, creio que o livro irá me agradar muito, e pelo visto a escrita da autora realmente nos prende, gostei muito dos quotes citados, e espero ter a oportunidade de ler.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também nunca tinha lido algo assim, Camila, por isso acredito que chamou tanto minha atenção.
      Espero que tenha a oportunidade de ler.

      Excluir
  17. Oi!
    Faz um tempo que estou interessada nesse livro, gostei muito da historia principalmente os temas que a autora aborda no livro e o Carter foi me conquistando ao longo da resenha e com certeza vou ler esse livro !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carter é demais mesmo, Suzana. Quanto mais você conhece ele, mais se encanta. A Sophie foi mesmo muito feliz com esses personagens e a estória.

      Excluir
  18. Olá Layane,

    Bom... Não costumo ler esse tipo de livro,(concordando com alguns,acho um pouco clichê haha) mas confesso que sua resenha fez com que eu sentisse curiosidade em lê-lo, certamente colocarei na minha meta de leitura pra 2016, e assim que eu tiver oportunidade vou adquiri-lo. bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui despertar sua curiosidade, Jéssica, mesmo não gostando de clichês. Espero que tenha a oportunidade de lê-lo e que ame a leitura.

      Excluir
  19. Me interessei muito pela sinopse e sua resenha me fez querer ler ainda mais, parece um livro envolvente, vou tentar ler!

    ResponderExcluir
  20. Essa relação professor- aluno me lembrou um pouco Sr. Daniels mas as semelhanças param por aqui. Desejo Proibido não foi um livro que me interessou logo de cara, tive que ler umas várias resenhas para me convencer, gosto dessa coisa de romance proibido, que torna a leitura bem instigante.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações