29 de jan de 2016


[Resenha] A Irmandade Perdida - Anne Fortier

Ficha Técnica

Título: A Irmandade Perdida
Título Original: Lost Sisterhood
Autor: Anne Fortier
ISBN: 978-85-8041-452-3
Páginas: 528
Ano: 2015
Tradutor: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro
16Diana Morgan é professora da renomada Universidade de Oxford. Especialista em mitologia grega, tem verdadeira obsessão pelo assunto desde a infância, quando sua excêntrica avó alegou ser uma amazona – e desapareceu sem deixar vestígios. No mundo acadêmico, a fixação de Diana pelas amazonas é motivo de piada, porém ela acaba recebendo uma oferta irrecusável de uma misteriosa instituição. Financiada pela Fundação Skolsky, a pesquisadora viaja para o norte da África, onde conhece Nick Barrán, um homem enigmático que a guia até um templo recém-encontrado, encoberto há 3 mil anos pela areia do deserto. Com a ajuda de um caderno deixado pela avó, Diana começa a decifrar as estranhas inscrições registradas no templo e logo encontra o nome de Mirina, a primeira rainha amazona. Na Idade do Bronze, ela atravessou o Mediterrâneo em uma tentativa heroica de libertar suas irmãs, sequestradas por piratas gregos. Seguindo os rastros dessas guerreiras, Diana e Nick se lançam em uma jornada em busca da verdade por trás do mito – algo capaz de mudar suas vidas, mas também de despertar a ganância de colecionadores de arte dispostos a tudo para pôr as mãos no lendário Tesouro das Amazonas. Entrelaçando passado e presente e percorrendo Inglaterra, Argélia, Grécia e as ruínas de Troia, A irmandade perdida é uma aventura apaixonante sobre duas mulheres separadas por milênios, mas com uma luta em comum: manter vivas as amazonas e preservar seu legado para a humanidade.

Resenha


Não é segredo para quem nos acompanha aqui no blog que eu amo mitologia: grega, romana, egípcia, nórdica, enfim, qualquer uma. Desde a época que estudava eram assuntos que eu mais gostava, então quando encontro livros que têm esse tema, sempre se tornam alvo do meu desejo de leitura.

A Irmandade Perdida é o primeiro livro que leio da Anne Fortier, mesmo sabendo que seu outro romance, Julieta, foi um sucesso sem tamanho por aqui, ele não despertou meu interesse como esse.

Arqueiro_parceria522Aos vinte e oito anos, Diana Morgan é uma jovem filóloga que leciona na renomada Universidade de Oxford, ainda que interinamente em substituição ao professor Larkin, que havia sido convidado a passar um ano em Yale. Desde criança Diana desenvolveu uma fixação no assunto Amazonas graças a convivência intensa e breve com sua avó paterna, que acreditava fazer parte da sociedade secreta de mulheres guerreiras. Porém, agora acadêmica, esse assunto é considerado motivo de piada entre seus pares. Os únicos que não menosprezam tanto esse assunto são sua orientadora Katherine Kent e o encantador lorde James Moselane, por quem Diana nutre uma paixão desde a infância.

Mas certo dia, após sair de uma aula, Diana é abordada por um homem que afirma ser da Fundação Skolsky, John Ludwig e que a convida para trabalhar em uma das escavações patrocinadas pela fundação, com o objetivo de ser a primeira a ter a chance de decifrar a linguagem das amazonas.
- Isso que está nas suas mãos é um alfabeto amazônico ainda não decifrado, e entenda o seguinte: nós estamos dando à senhora a oportunidade de ser a primeira especialista a tentar.
Pág. 16
Ainda que tenha todo o mistério por trás da proposta, o fato de ficar uma semana afastada, voltada exclusivamente para algo que verdadeiramente ama, motiva Diana a mandar a prudência e a razão para escanteio, afinal, quando haverá outra oportunidade como essa?

Paralelo a essa estória, narrada em primeira pessoa pela própria Diana, somos transportados à Idade do Bronze Tardia (em uma narrativa em terceira pessoa), no norte da África, onde conhecemos a jovem Mirina e sua irmã Lilli que, ao retornarem de uma caçada, descobrem que uma praga acometeu sua pequena aldeia e que não têm mais família, nem são bem-vindas pela maioria dos habitantes que restaram, pois alegam que o mal que estão sofrendo é consequência das "bruxarias" que a mãe delas fazia. Assim, elas iniciam uma dura jornada rumo à cidade "grande", próxima ao litoral, onde está o Templo da Deusa da Lua, o único lugar que sabiam que encontrariam abrigo devido a tudo que a mãe lhe havia dito ao longo dos anos. Mas ao longo do caminho as irmãs ficaram muito doentes e quase morreram e nesse ínterim Lilli ficou cega, tornando ainda mais crucial a necessidade de chegar ao templo da deusa. Mas quando finalmente chegam ao local, nada é como as irmãs imaginavam, e as provações continuam.

Enquanto Diana segue nos dias atuais sua jornada em busca das Amazonas, auxiliada por sua melhora amiga Rebecca, que é arqueóloga e seguida de perto por Nick Barrán, os capítulos de Mirina e Lilli nos mostram o início dessa sociedade matriarcal, envolvendo vários personagens já conhecidos da mitologia grega como Páris, Menelau, Helena, rei Príamo, Hércules entre outros mitos que já conhecemos.
- Nós somos as amazonas - repetiu ela com mais firmeza, enquanto os homens olhavam boquiabertos e incrédulos para a ave morta. - Somos as matadoras de animais e de homens. Somos selvagens e habitamos lugares igualmente selvagens. A liberdade corre em nosso sangue e a morte sussurra na ponta de nossas flechas. Nada tememos; é o medo que foge de nós. Quem tentar nos impedir sentirá nossa fúria.
Pág. 410
A narrativa de Anne é incrível, simplesmente não queremos parar a leitura de forma alguma. Quando o capítulo acaba já somos arremessados para outra época com situações tão turbulentas quanto as que deixamos na página anterior. E ela ainda colocou um pouco de romance nas duas estórias, mas que são consequências de toda a situação e não o foco principal, esse não divide o mérito, são as amazonas, sua fundação e a redescoberta por Diana.
(...) As pessoas tentam catalogar você em um ponto do mapa e pintar você de certa cor para simplificar as coisas. Só que o mundo está longe de ser simples, e seres humanos inteligentes não gostam de ser catalogados e pintados pela mão de ninguém, seja ele deus, padre ou político.
Pág. 232
Empolgante, envolvente, repleto de ação e aventura. Adore ter escolhido esse livro para encerrar o ano de 2015. Maravilhoso!!!

Compare e Compre
Comentários
17
Compartilhe

17 comentários:

  1. Oi Lay! Sou apaixonado por mitologia grega, as histórias de deuses, heróis e criaturas mitológicas me fascinam, desde muito antes de Percy Jackson, haha. Me interessei bastante por esse livro por abordar o tema, mesmo torcendo um pouco o nariz pra romances. Ótima resenha! Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Sou louco por livros com essa pitada histórica, e além do mais repleto de ação, aventura e uma ótima narrativa. Ansioso p/ ler Irmandade Perdida, parece uma ótima obra =D Abraços, adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  3. nao gosto mto da ideia de narrar paralelamente. porem devo dizer que to super ansiosa por este livro. parecce ser mtooo top! adorei a capa a sinopse e com tua resenha entao fiquei ainda mais animada....

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da resenha o que me deixou muito empolgada para ler o livro. Gosto muito de livros que contam histórias antigas, da um gostinho a mais.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Lay.
    Confesso que julguei pela capa e torci o nariz. Jurei que era um romance histórico meio meloso. Fiquei surpreso ao ler a sua resenha. Primeiro porque adoro mitologia e tudo que envolve deuses e culturas antigas. Em segundo lugar, as Amazonas me cativam.
    Tenho certeza que a mistura desses elementos irá me agradar, sem falar que o enredo é bem interessante.
    Ótima dica.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  6. Amei a resenha, um livro muito interessante, só acho que o título não tem muito a ver com a capa, mas nada que impeça a leitura.

    ResponderExcluir
  7. É um livro diferente pela mistura que há, nunca li nada parecido, e me interessei bastante, fiquei curiosa pra saber mais sobre ele.

    ResponderExcluir
  8. Gosto bastante de ler livros de mitologia, seja ela qual for, o livro já tinha me interessado anteriormente por causa do titulo, tenho curiosidade em ler.
    Não sabia que a autora também é dona do livro Julieta, foi bom saber.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Quando vi a esse livro fiquei muito curiosa e lendo a sinopse adorei saber que o livro tinha mitologia que é um tema que gosto muito e lendo a sinopse adorei a historia pareceu misteriosa e bem interessante e gostei das historias paralelas que o livro trás !!

    ResponderExcluir
  10. Olá Lay!!
    Mitologia não o tipo de leitura que atrai e não conheço essa escritora, mas eu gostei muito da capa e ao contrário do que dizem que "não se deva julgar o livro pela capa",eu sempre faço isso....e como sua resenha foi bem positiva também acho que vou incluir mais esse na minha listinha..rsrsrsr.

    ResponderExcluir
  11. Oi Lay,
    Bacana o tema desse livro, curto muito mitologia, muito bacana a autora inserir romance nas estórias sem tirar o mérito das estórias. Eu quero conhecer a escrita da autora.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  12. Oi Layane, esse livro já está na minha lista de leitura a muito tempo, eu gostei da sinopse achei a historia diferente alem da capa ser linda e a sua resenha está maravilhosa como sempre bjs.

    ResponderExcluir
  13. Olá, eu já tinha achado a capa desse livro linda, agora me encantei mais ainda por saber que envolve mitologia! E sua resenha foi realmente muito empolgante!

    ResponderExcluir
  14. Oi Lay!
    Não tinha lido nada desse livro ainda, a principio pela capa pensei que era um romance histórico, apesar de bastante história vejo que não é o caso, mais gostei muito da história do enredo, parece ser bem diferente!
    Obrigada pela dica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá, Layane.
    Eu também amo mitologia mas tenho uma quedinha maior pela egípcia hehe. Eu quero muito ler esse livro. Eu li o outro livro da autora e não foi um dos meus favoritos, achei os personagens deixaram a desejar, mas a história era muito boa. A capa desse é maravilhosa e espero gostar assim como você gostou.

    ResponderExcluir
  16. Olá, Layane.
    Eu também amo mitologia mas tenho uma quedinha maior pela egípcia hehe. Eu quero muito ler esse livro. Eu li o outro livro da autora e não foi um dos meus favoritos, achei os personagens deixaram a desejar, mas a história era muito boa. A capa desse é maravilhosa e espero gostar assim como você gostou.

    ResponderExcluir
  17. Oiiee Lay, tudo bom?
    Amei a resenha eu li Julieta da autora e amei, um de meus favoritos, achei perfeito hehehe, quero muito ler Irmandade perdida e pelo visto ele realmente é muito bom, em Julieta temos esse mesmo estilo de passado e presente, no qual o protagonista do presente vai descobrindo a historia que se passou, gostei muito da escrita dela, achei super envolvente.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações