25 de mar de 2016


[Resenha] A Cor Púrpura - Alice Walker


Ficha Técnica

Título: A Cor Púrpura
Título Original: The Color Purple
Autor: Alice Walker
ISBN: 978-85-03-01031-3
Páginas: 335
Ano: 2016
Tradutor: Betúlia Machado, Maria José Silveira e Peg Bodelson
Editora: José Olympio
16Vencedor do Prêmio Pulitzer em 1983 e inspiração para a obra-prima cinematográfica homônima dirigida por Steven Spielberg, o romance A cor púrpura retrata a dura vida de Celie, uma mulher negra no sul dos Estados Unidos da primeira metade do século XX. Pobre e praticamente analfabeta, Celie foi abusada, física e psicologicamente, desde a infância pelo padrasto e depois pelo marido. Um universo delicado, no entanto, é construído a partir das cartas que Celie escreve e das experiências de amizade e amor, sobretudo com a inesquecível Shug Avery. Apesar da dramaticidade de seu enredo, A cor púrpura se mostra muito atual e nos faz refletir sobre as relações de amor, ódio e poder, em uma sociedade ainda marcada pelas desigualdades de gêneros, etnias e classes sociais.

Resenha


A Cor Púrpura, de Alice Walker, é um livro que nos faz abrir os olhos diante de tantos obstáculos vividos pela protagonista. Um livro vencedor do prêmio Pulitzer, um dos mais importantes, e conta com uma adaptação cinematográfica dirigida por Steven Spielberg.

A história é ambientada no sul dos Estados Unidos, entre o período de 1900 a 1940, momentos complicados devido as guerras e, também, uma vida difícil de Celie. Desde os 14 anos ela sabe e convive com os mais diversos tipos de violência. Estuprada pelo padrasto, logo após sua mãe dar a luz, Celie acaba sem muitas perspectivas na vida e é punida pelo padrasto que não permite que a garota frequente mais o colégio.
Teve dois filhos retirados brutalmente de seus braços e nunca pode educá-los e amá-los como uma mãe faria. Celie, uma mulher negra, pobre  e semi alfabetizada não tem muito com quem conversar e desabafar sobre as coisas terríveis que acontecem em sua vida. Desde muito cedo cuidando de seus irmãos e zelando pela honra de Nettie - sua irmã que acreditava ter um belo futuro pela frente.

Celie, diferente de nós e de tantas outras crianças, não teve infância, não teve uma adolescência e até então nunca tinha sido verdadeiramente feliz. Sempre com muitas obrigações, sofrendo com o descaso e violência de seu padrasto, foi forçada a se casar com um homem tão violento quanto o homem que a tinha estuprado. Seu marido a tratava como sua serviçal e acreditava que ela tinha obrigação em fazer tudo aquilo sem reclamar. Em abdicar da sua vida para satisfazer as vontades de um homem que a oprimia.
Num deixa eles dominarem você, a Nettie fala. Você tem de mostrar pra eles quem é que manda.
Eles é que mandam, eu digo.
Mas ela cuntinua. Você tem de brigar. Você tem de brigar.
Mas eu num sei como brigar. Tudo o que sei é cuntinuar viva.
P. 31
Não bastasse os castigos físicos sofridos, a protagonista ainda tinha que aceitar a traição do marido. E o mais contraditório que foi justamente a amante que fez com que Celie enxergasse uma luz, que tivesse esperança para mudar a sua situação. Shug Avery é uma mulher independente para sua época, mas que ainda esbarra na desigualdade de gênero que  é tão presente em A Cor Púrpura. Shug mostra a Celie que ela pode ser quem ela quiser e pode mudar a sua própria história.

O livro é todo feito em cartas escritas - em sua maioria - por Celie para Deus e para Nettie, a sua irmã que conseguiu ter um destino um pouco melhor que ela. Algumas cartas são escritas por Nettie para Celie, cartas que a protagonista só toma conhecimento muito depois, já que seu marido escondia tudo que ligasse a vida de sua mulher com o seu passado.

Já que o livro são cartas escritas por Celie, a linguagem utilizada é coloquial e algumas palavras estão com a grafia incorreta. A protagonista não teve a possibilidade de concluir os seus estudos  e as cartas nos mostram isso.

Alice Walker escreveu uma história que é um verdadeiro "soco no estômago". Das pequenas privações de Celie até as variadas violências sofridas percebemos como ela é uma personagem forte e corajosa. Uma sociedade que a oprime por ser negra, mulher, pobre e sem estudo, uma mulher que nunca se sentiu verdadeiramente amada até Shug aparecer e mostrar que ela podia ser e ter tudo que desejasse. Uma mulher que mesmo quando submissa tenta mudar o quadro de opressão. Um livro muito atual, uma alusão a nossa sociedade desigual, racista e machista. Celie é o retrato de muitas mulheres que sofrem violência tanto física quanto psicológica, uma realidade que precisa ser mudada. Uma leitura que nos permite refletir sobre as nossas atitudes, que nos faz pensar em como as vezes reclamamos sem nenhuma necessidade real. Sem dúvida foi o melhor livro que li nesses três meses, um livro mais do que recomendado.
Eu num lembro de ter sido a primeira em nenhum vistido meu. Agora ter um feito só pra mim. Eu tentei falar pra Kate o que isso significava. Fiquei com a cara quente e gaguejei.
Ela falou. Tá bem Celie. Você merece mais;
Quem sabe. Eu penso.
P. 35
Compare e Compre
Comentários
3
Compartilhe

3 comentários:

  1. Olá, Auri.
    O livro me interessou demais. Adoro o tipo de literatura que nos soca, que nos faz refletir e que acaba por nos tornar pessoas mais conscientes depois da leitura.
    Apesar de querer muito conhecer a protagonista, fiquei também curioso para conhecer Shug. Gosto de personagens femininas que "avançadas" em relação ao seu tempo.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Esse tipo de leitura que nos faz refletir sobre determinados temas ou situações fazem meu etilo... Gostei bastante da resenha e com certeza esse livro já entrou para a minha lista de leituras...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito desse tipo de leitura,uma leitura dramática e forte e que apesar de ser ambientada no século passado conta a realidade de muitas meninas/mulheres nos dias de hoje....sem dúvida tenho que ler esse livro.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações