6 de mar de 2016


[Resenha] O Que Há de Estranho em Mim - Gayle Forman

Ficha Técnica

Título: O Que Há de Estranho em Mim
Título Original: Sisters in Sanity
Autor: Gayle Forman
ISBN: 978-85-8041-480-6
Páginas: 224
Ano: 2016
Tradutor: Marcelo Mendes
Editora: Arqueiro
16Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

Resenha


Gayle Forman já é muito conhecida do público brasileiro: quase todos seus livros lançados no país entraram na lista de mais vendidos. Alguns anos após o grande sucesso de “Se Eu Ficar”, chega às livrarias “O Que Há de Estranho em Mim”, o primeiro livro de ficção escrito pela Forman, há nove anos atrás. 

Arqueiro_parceria522Nessa obra iremos acompanhar a história de Brit Hemphill, uma adolescente que é internada por seu pai em uma clínica de reabilitação. Não que Brit tenha algum problema, ela é uma jovem normal enfrentando as fases da adolescência, e o fato dela ser colocada nessa instituição é um mistério, fazendo com que Brit realmente acredite que tudo é culpa de sua madrasta.
Que tipo de instituição educacional ia querer que a pessoa não tivesse amigos nem se divertisse pelo menos um pouco? Que tipo de lugar ia querer que a pessoa ficasse sozinha e triste, sentindo-se desprezada, só em nome da terapia?
Pág. 72
Nesse centro de reabilitação, Brit irá se deparar com uma realidade cruel e extremamente antiprofissional. Com métodos abusivos e violentos, os responsáveis por cuidar das meninas do instituto, se preocupam com tudo, menos com a recuperação dessas jovens, já que muitas delas, diferentemente de Brit, realmente passam por sérios problemas como automutilação, depressão e anorexia.

Sob olhares vigilantes e um “cotidiano” rigoroso, Brit irá encontrar aliadas que juntas tentarão quebrar o sistema imposto pela clínica. Com a ajuda de V, Bebe, Martha e Cassie, Brit irá construir um laço de amizade tão forte como de uma família, e em conjunto elas poderão encontrar a ‘cura’ para seus problemas.
[...] O que cada uma de nós havia feito para estar ali? Cassie gostava de meninas mais do que achavam que deveria. Bebe gostava de meninos mais do que deveria. V pensava na morte mais do que deveria. E eu? Por que é que estava ali? [...]
Pág. 157
“O Que Há de Estranho em Mim” é um bom livro, não o melhor de Forman, mas ainda assim muito consistente, principalmente levando em consideração que foi seu primeiro trabalho ficcional publicado. As personagens da história são extremamente carismáticas, e a obra consegue abordar temas de grande importância, que apesar de serem focados em adolescentes, valem como aviso e alerta para todos nós.

Em uma obra onde a amizade é o foco principal, não é tão difícil encontrar temáticas como drama e romance no decorrer das páginas. Gayle Forman sabe conduzir e balancear tanto suas personagens quando o próprio ambiente que elas se encontram, ambiente este que é tão importante para o desenrolar do livro que acaba se tornando mais um personagem indispensável desta narrativa.
– Que foi? - quis saber a V.
– É que a gente acha que a loucura e a sanidade ficam em lados opostos de um oceano, mas na verdade não passam de duas ilhas vizinhas.
Pág. 194
Falando rapidamente da capa, preciso dizer que gostei muito dela. Um tom sombrio que é quebrado com o título em rosa, meio que funcionou aqui. Infelizmente não sei se a tradução do título foi a melhor, já que “Sisters in Sanity” - ‘Irmãs em Sanidade’ em tradução livre– é um termo bastante utilizado no decorrer do livro, e que expressa bastante da atmosfera que as personagens se encontram.

No mais, eu gostei da leitura de “O Que Há de Estranho em Mim”, livro este que mostra uma Gayle Forman se descobrindo como autora, mas ainda assim competente e extremamente feliz em seu início de carreira. A temática da obra é excelente, e tenho certeza que irá agradar muitos fãs de sick-lit, apesar de eu particularmente não achar que este seja o caso do livro.

Compare e Compre
Comentários
10
Compartilhe

10 comentários:

  1. eu gostei bastante da mensagem que a trama passa, o sofrimento e a depressão são situações que merecem cuidados adequados e não serem situações para charlatões se aproveitarem como foi o acontecido com os donos da Red Rock, ou ponto é que a autora traz para seu livro temas atuais que alguns pais não conseguem lidar com diálogo e buscam erroneamente intervenção médica crendo naquilo como a solução, mas não são problemas que precisam de medicamentos ou tratamentos de choque, mas situações que requerem tempo e atenção dos progenitores, além de respeito e apoio!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Adorei a capa desse livro... E já tenho visto alguns comentários positivos sobre ele...
    Depois de ler sua resenha a ansiedade por eu ter de fazer essa leitura só aumentou...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá, Tácio.
    Fiquei interessado no livro, principalmente porque foge do padrão, mostra um lugar de internação pouco convencional e talvez até dê para pescar algumas críticas.
    Por ser o primeiro livro da autora, ela parece ter se saído muito bem.
    Ótima resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  4. A história parece passar mensagens importantes sobre esse tema tabu. Acho que só pelas resenhas extremamente positivas que leio -quase todos os dias- desse livro ,já o leria sem pensar duas vezes. Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Tenho muita curiosidade em ler esse livro da Gayle Forman. Na verdade não só esse, mas todos que ela publicou. Achei o enredo interessante, por tratar de problemas na adolescência e como eles não são bem acompanhados nessas clínicas.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante da trama e da sua resenha. Esse é o tipo de livro que inicialmente não me atrai, mas que consegue me envolver.

    Blog.
    Facebook.

    ResponderExcluir
  7. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto muito um sick-lite agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  8. Sua resenha me ganhou...Uma história forte que eu já queria,agora mais...
    Gosto muito da escrita da Gayle, desde Se eu ficar,esse livro já está nas minhas prioridades de leitura.

    ResponderExcluir
  9. achei esta uma historia bem fortee meio diferente. nao li nada ainda desta autor mas acho que deve ser bom. todos estao falando mto bem.. obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  10. Tácio!
    Já li os livros anteriores da autora e gostei muito.
    Aqui ela aborda um tema frte e que devemos mesmo debater, principalmente perceber os sintomas das pessoas ao nosso lado.
    “Saber amar não é amar. Amar não é saber.” (Marcel Jouhandeau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de março com 4 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações