3 de jun de 2016


[Resenha] O Bangalô - Sarah Jio

Ficha Técnica

Título: O Bangalô
Título Original: The bungalow
Autor: Sarah Jio
ISBN: 978-85-8163-803-4
Páginas: 314
Ano: 2015
Tradutor: Ana Paula Costa Doherty
Editora: Novo Conceito
32Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos. No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora. Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso. O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história. A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.

Resenha

Um livro de como o tempo e as circunstâncias podem afetar a vida das pessoas. Publicado pela Editora Novo Conceito, O Bangalô é o terceiro livro de Sarah Jio que os brasileiros são apresentados. A editora publicou outros dois livros da autora: As violetas de março e Neve na Primavera.

Conhecemos Anne, uma jovem recém-formada em enfermagem, com uma vida - aparentemente - perfeita. Família estruturada e um noivado com um homem que a ama, tinha duas coisas importantíssimas para a época. A história se passa nos dias atuais, onde Anne relembra e conta o que viveu no verão de 1942 para a sua neta.

Para a protagonista existe uma sensação de vazio, mesmo com uma vida que toda mulher da época pediria a Deus. Ela se sente infeliz e não sabe se realmente é apaixonada por Gerard, seu noivo, principalmente quando descobre que este foi cortado das listas de alistamento para servir o país porque sua família tem dinheiro. Isso causa um desconforto em Anne e repensa se é isso mesmo que deseja para sua vida.

É nesse mundo devastado pelos horrores da Segunda Grande Guerra que Anne decide se alistar para servir seu país em Bora Bora. Junto com a sua amiga Kitty, quem sempre confiou e quem primeiro tomou a decisão de se alistar, partem para uma realidade completamente diferente a qual estavam acostumadas. Kitty começa a mostrar um lado até então desconhecido para Anne. Sempre com um "espírito livre", Kitty passa por situações em Bora Bora que despertam a dúvida em Anne sobre a amizade das duas.
Tudo o que estou dizendo é que este lugar tem uma maneira de revelar a verdade sobre as pessoas, descobrindo as camadas que carregamos e expondo nosso eu verdadeiro.
P. 70
Em Bora Bora, como era de se esperar, Anne conhece um homem que faz seu coração bater mais forte e se questionar se de fato ama Gerard. O nome do livro representa o local onde Westry - o soldado pelo qual a protagonista se apaixona - e Anne se encontram, um bangalô abandonado e distante do acampamento. E é nesse cenário de guerra e de conflitos internos que Anne começa a decidir o que deve ser prioridade em sua vida.

O Bangalô é um livro bom, que procura mostrar em suas páginas o que o ser humano é capaz de fazer em situações limites, um livro com uma pitada de misticismo também. Não é uma história de amor com um final feliz, longe disso. Apresenta aos leitores tudo aquilo que Anne vai passando ao longo de sua jornada, principalmente a mudança de comportamento de sua melhor amiga Kitty. Talvez, por ter descoberto como a história se desenvolveria, isso tenha acabado um pouco com a expectativa criada para o livro, já que algumas coisas me pareceram previsíveis. Entretanto, a escrita envolvente de Sarah Jio continua não deixando a desejar e por isso vale a pena conferir mais um livro da autora.
Nosso amor floresceu. Um bebê nasceu. E talvez tenhamos encontrado uma das maiores descobertas artísticas do nosso século. É isso o que a velha senhora chama de maldição?
P.189
Comentários
14
Compartilhe

14 comentários:

  1. Já é o terceiro livro da autora no Brasil e eu não me lembro de já ter visto algo sobre ela.
    Ele não me chamou tanta atenção,mas seria um que eu poderia dar uma chance por se tratar do que o ser humano é capaz de faz no seu limite,e o bom é que a escrita da autora nos envolve, acho que eu até poderia gostar.

    ResponderExcluir
  2. Auri!
    Foi um dos melhores livros que li ano passado.
    Gosto demais de livros ambientados na guerra e o romance foi tão bem elaborado que fiquei enamorada.
    “Não há lugar para a sabedoria onde não há paciência.” (Santo Agostinho)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não tenho certeza, mas acho que tenho Neve na Primavera na estante de livros que deixei na casa da mamãe.
    Sou fissurada em histórias que se passam na época da segunda guerra, ou tem este fato histórico como elemento, então o livro despertou meu interesse desde que vi a data na sinopse.
    Fiquei curiosa pra saber como a autora desenrolou os fatos, principalmente por mostrar uma mulher real em um mundo devastado, não as ilusões do amor como foco principal. É um livro que vou adorar por as mãos.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Auri.
    Apesar de um enredo um pouco previsível, eu leria a obra. Até porque ao menos já foge daquele padrão de romance meloso com final feliz. Ademais, por ter passagens em períodos de guerra, algo que me agrada, deve trazer algumas críticas interessantes. Nem que seja sobre a tristeza da vida diante das catástrofes causadas pelo homem.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  5. Essa sinopse é bem marcante e convida o leitor fortemente a ler.
    Ela tomou uma decisão muito timportante e que teve um peso enorme em sua vida, essa personagem é mesmo diferente e valente !
    Eu gostei bastante desse livro, mostra bem a situação de horror da guerra.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Não bem o estilo de livro que gosto,mas fiquei com vontade de ler. Ainda mais por se tratar de uma situação de guerra,sem falar que o marcador é uma coisa linda <3

    ResponderExcluir
  7. Oie...
    Tenho muita curiosidade a respeito desse livro.
    Essa temática me atrai muito, sempre leio livros e que se passam em épocas de guerras, pois, eles sempre fazem um estudo muito interessante sobre as atitudes do ser humano.
    Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  8. Oi Auri!
    Achei o enredo desse livro bem interessante e cativante, porem fiquei triste por ele não ter um final feliz, apesar de que já era esperado devido ao fato de ocorrer durante a segunda guerra. Acabar um pouco com a expectativa do livro tira pra mim um pouco da magia dele, ainda não sei se o leria.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Auri!
    Sinceramente,naõ achei o enredo tão chamativo,mas é interessante..gosto de leituras que envolvem comportamentos humanos em situações diversas.
    Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  10. Uma pena que algumas coisas do livro tenham sido previsíveis para você. Eu gosto muito de temas que abordem a segunda guerra, mas esse não me chamou tanta atenção assim, então acredito que, por enquanto, vou continuar deixando passar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. este livro nao me chama atenção nao sei pq... sempre fico deixando passar apesar de achar a capa linda e mta gnt flar mto bem

    ResponderExcluir
  12. Confesso que até o momento não conhecia nem esse livro, nem essa autora.
    Mas essa não foi uma história que me chamou a atenção. Gosto mais de livros no presente. E como livros com plano de fundo da Segunda guerra não me chamam mais tanta atenção, deixarei esse passar! Acho que já li livros demais com esse tema rs

    ResponderExcluir
  13. Oi Auri!
    Estava com muita expectativas nesse livro. Adoro leituras com essa temática. Essas passagens no período de guerra é o que mais me agrada nesse tipo de leitura. E todos que li com essa temática, se tornaram minhas melhores leituras.
    É uma pena que não tenha um final feliz e seja um tanto previsível :/
    Fiquei curiosa pra saber o que levou a mudança de comportamento da Kitty.
    Mais um pra minha lista.
    abraço!

    ResponderExcluir
  14. Eu nunca tinha lido nada a respeito do livro e não achei tão interessante. Creio que não leria :/
    Mas a capa está bem bonita!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações