5 de jun de 2016


[Resenha] A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard

Ficha Técnica

Título: A Rainha Vermelha
Título Original: Red Queen
Autor: Victoria Aveyard
ISBN: 978-85-65765-48-0
Páginas: 419
Ano: 2015
Tradutor: Cristian Clemente
Editora: Seguinte
32O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso. Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.

Resenha


A sociedade é dividida pelo sangue: vermelho e prateado. Os vermelhos são responsáveis por trabalhar e produzir bens, logo são a parte mais pobre da população. Os prateados são a elite, aqueles que governam o país, e ainda por cima, são dotados de super poderes, como o dom de controlar o fogo, ler mentes e manipular metais.

O povo de Norta está em guerra com os reinos vizinhos. Prestes a completar dezoito anos, Mare Barrow terá que ser enviada para o Exército, assim como seus irmãos já foram. Morando em uma cidadezinha pobre, a única coisa que Mare pode fazer para ajudar sua família é roubar, mas certo dia, um de seus roubos acaba dando errado, e da noite pro dia, Mare Barrow é convocada para trabalhar no palácio do rei.
– Vocês se consideram os donos do mundo, reis, deuses. Mas seu império está no fim. Enquanto não nos reconhecerem como humanos, como iguais, a guerra baterá à porta das suas casas. Não nos campos de batalha, mas nas suas cidades. Nas suas ruas. Onde vocês moram. Vocês não nos veem, e por isso já estamos em todo lugar.
P. 43
O primeiro dia de trabalho de Mare coincide com a Prova Real, evento onde dezenas de casas prateadas oferecem suas damas para um show de demonstração de poderes. A moça que mais se destacar, irá se casar com o príncipe, sendo assim, a futura rainha de Norta. Porém, um grave acidente acontece com Mare, e diante dos olhos de toda a sociedade a jovem descobre que tem poderes elétricos. Mas como isso seria possível, se a mesma não passa de uma pobre vermelha?

Assustada e sem saber o que está acontecendo, Mare sofrerá nas mãos da elite. A menina, sob ordens reais, terá que mentir e fingir que é uma prateada, além de se tornar a noiva do príncipe mais jovem. Sem escapatória e no meio de um ninho de cobras, Mare Barrow precisará descobrir quem realmente é, e porque a realeza faz questão de esconder sua verdadeira identidade… tudo isso enquanto uma guerra entre prateados e vermelhos começa a tomar conta de Norta.
Em vez disso, estou presa num salão cheio de gente que me mataria se descobrisse a verdade. E com a família real, claro, que me mataria se pudesse, e que provavelmente vai me matar um dia. Viraram-me do avesso, trocaram Mare por Mareena, a ladra pela coroa, trapos por seda, vermelho por prateado. Esta manhã, eu era uma criada; à noite, sou princesa. O que mais mudará? O que mais perderei?
P. 115
“A Rainha Vermelha” é o primeiro livro de uma série escrita pela jovem autora Victoria Aveyard. Com uma atmosfera clássica de livros de fantasia, Aveyard utiliza de diversas referências para construir seu universo. Conseguindo transformar o clichê muitas vezes em algo novo e fresco, a autora acaba entregando aos seus leitores um livro recheado de surpresas, romance e política. 

Narrado sob a perspectiva da personagem principal, o livro se desenrola de uma forma que prende, principalmente por sempre estar colocando em dúvida o leitor. É bastante difícil pôr a mão no fogo por qualquer personagem, há horas que elas se parecem boas, enquanto em outros momentos mudam complemente de imagem, fator que acaba sendo responsável por muitas reviravoltas e indignações durante a leitura. Sendo uma grande fã declarada de Game of Thrones, parece que Victoria aprendeu certinho com seu ídolo literário, George R. R. Martin.
– Não sei como – ela sussurra –, mas tomara que um dia você seja rainha. Imagine o que poderia fazer. A rainha vermelha.
P. 293
Contando com uma bela edição e diagramação, “A Rainha Vermelha” possui uma capa toda prateada e com detalhes em alto relevo. Seus capítulos não são necessariamente curtos, porém o conteúdo é tão bem esquematizado que você acaba não percebendo a quantidade de páginas. Para fechar com chave de ouro, na orelha do livro vem um marca páginas, com o mesmo tratamento prateado da capa.

Com muitos livros voltados para o público jovem se destacando nos últimos anos, Victoria Aveyard é bastante feliz ao criar algo novo sem necessariamente precisar inovar. Com personagens fortes e um enredo cheio de intrigas, “A Rainha Vermelha” é um prato cheio para vários tipos de leitores, exatamente por condensar diversos segmentos literários. Tendo sido uma grande surpresa para mim, não vejo a hora de conferir o segundo volume da série, “Espada de Vidro”.



Compare e Compre
Comentários
12
Compartilhe

12 comentários:

  1. Esse livro tem bastante crítica negativa, pelo que eu leio nos blogs amigos. Principalmente por não ser original, muitos dizem que é muito parecido com outros livros bem conhecidos.
    Mas eu gosto bastante da fantasia, no inicio não gostei dele. Mas aos poucos ele foi chamando minha atenção, e hoje tenho muita vontade de ler, essa historia de dois "tipos" de pessoas e bem legal!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tácio.
    A premissa é meio parecida com o de muitos livros juvenis por aí, o que me deixa um pouco desanimado. Contudo, ter certo foco na área política me agrada. Gosto de livros que seguem por esse lado.
    Daria uma chance, sem dúvidas.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  3. Logo que lançaram eu estava ansiosa para ler,mas como faz parte de uma série resolvi esperar um pouco, e a cada resenha que leio a vontade só aumenta,pretendo ler em breve.
    A capa é linda e por ser exatamente o genero que eu mais gosto não poderei deixar de ler e tenho certeza de que irei gostar.

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi diversas pessoas falando desse livro,ele me lembra um pouco A Seleção não sei pq mas tudo bem. A capa em si é um show á parte muito linda. Acho que nas férias vou dar uma chance a essa história.

    Beijos
    www.jornalizando.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Tacio!
    Estou esperando meu livro chegar para poder lê-lo, realmente a editora caprichou da edição! Gosto de livro que não sejam muito previsíveis e recheados de reviravoltas como esse.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tácio.
    Amei a resenha. E se já estava louca pelo livro após ver a capa e ler a sinopse, sua resenha me deixou ainda mais interessada.
    Adoro livros de fantasia e como fã do gênero, não poderia deixar de ficar curiosa com essa obra. Gostei bastante do enredo e quero saber como a autora desenrolou a trama, ainda mais depois de saber que ela é fã do Martim. Só espero que ela não tenha o gosto dele pra matar personagens, haha.

    ResponderExcluir
  7. Olá Tacio!
    Sinceramente,a sinopse não me chamou a atenção...não sou muito fã de livros de fantasia,a capa é muito bonita e sua resenha está muito bem escrita.
    bj.

    ResponderExcluir
  8. meu Deus, sinto como se eu fosse a unica pessoa que ainda nao leu esta serie... hahah nao leio mto livros de fantasia pq prefiro romances e policial! então acho q vai continuar assim...

    ResponderExcluir
  9. Essa foi a minha primeira leitura do ano e eu fiquei simplesmente apaixonada tanto pela história quanto pela escrita da autora, por ser muito fluida. Consegui lê-lo em apenas 1 dia. O que me deu um gás imenso de vontade de ler outros livros. Fiquei louca com o final e assim que Espada de vidro entrou em pré-venda corri e comprei. Mas acredita que ainda não li? Kkkk e o pior é que não sei porque ainda não comecei logo a lê-lo. Acho que vou ler ainda esse mês. Relembrar a história de A rainha vermelha me deu saudade de voltar a esse mundo!

    ResponderExcluir
  10. Oi Tácio!
    Essa foi uma leitura que realmente me surpreendeu. Achei a trama muito envolvente e empolgante. Repleto de mistérios e intrigas políticas que nos surpreendem do inicio ao fim e não nos deixam largar o livro. Gostei muito da personalidade da Mare, apesar de cometer alguns erros de julgamento, da trama política complexa e do clima de tensão que permeia toda a leitura. Espero que a continuação esteja a altura.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho esse livro, mas ainda não fiz a leitura e nem sei o motivo, porque a cada resenha que vejo tenho mais certeza que vou gostar bastante. Há todas essas intrigas e mistérios que prendem o leitor até a última página. Sem contar que ainda não vi uma pessoa sequer falar mal dele. Acho que vai ser o próximo que lerei.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Tenho um certo interesse em ler esse livro, mas tenho receio de ser muito parecido com outros do mesmo gênero. Mas ela parece ser um pouco diferente nê, tem uma certa inovação aí. Talvez eu leia.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações