3 de jul de 2016


[Resenha] Uma Mulher Livre - Danielle Steel

Ficha Técnica

Título: Uma Mulher Livre
Título Original: A Good Woman
Autor: Danielle Steel
ISBN: 978-85-01-09662-3
Páginas: 294
Ano: 2016
Tradutor: Elaine Moreira
Editora: Record
42Dos deslumbrantes salões de baile de Manhattan para os horrores da Primeira Guerra Mundial, Danielle Steel nos leva para um mundo fascinante de uma jovem de espírito indomável. Nascida numa vida de luxo e glamour, Annabelle Worthington carrega o sobrenome, e a nobreza, de uma das famílias mais influentes de Nova Iorque. Até que, num dia cinzento de abril, o Titanic afunda, levando junto o seu mundo. Seus pais e seu irmão mais velho estavam na viagem inaugural do majestoso navio, e apenas sua mãe sobreviveu. Para tentar confortar seu coração, Annabelle se voluntaria para trabalhar em um hospital, ajudando a cuidar dos enfermos, onde descobre sua verdadeira vocação. E, quando um homem nobre a pede em casamento, ela acredita que, enfim, voltará a ter dias felizes. Porém, novamente, o destino lhe prega uma peça, colocando-a no centro de um escândalo. Para fugir da tristeza que sua vida se tornou, ela vai para a Europa trabalhar no front da Primeira Guerra Mundial, ajudando a salvar os feridos. Na França, no auge do conflito, Annabelle consegue realizar um grande sonho: estudar medicina. O problema é que, mais uma vez, sua fé é colocada à prova, e ela precisará tentar retirar forças de uma grande tragédia se quiser renascer para uma nova vida. Com uma narrativa de tirar o fôlego e repleta de detalhes históricos, Danielle Steel nos apresenta uma de suas personagens mais fascinantes e singulares, e sua história inspiradora de dignidade, coragem e amor pela vida.

Resenha


Depois de muito tempo ouvindo minha amiga Neyla, do Coisas de Meninas, falar o quanto ama a escrita da Danielle Steel agora que tive a oportunidade de ler um livro dela, não deixei ela passar.

GER_SELO_PARCEIROS_2016_GEREm Uma Mulher Livre Danielle nos apresenta a jovem Annabelle Worthington, que, nascida em uma família nobre e muito rica de Nova Iorque, sabe a sorte que tem por sua posição social e pela família amorosa que possuí. Mas mesmo essa certeza não impediu que seu mundo ruísse logo nas primeiras páginas do livro com o desastre do Titanic, onde estava toda a sua família e da qual apenas a mãe sobreviveu. O apoio da melhor amiga, Hortie, e o trabalho voluntário que ela e a mãe faziam em um hospital foi o que as ajudou a seguir em frente. Mas é nos momentos de dificuldade que encontramos quem realmente parece se importar conosco, e é assim que elas conhecem um dos funcionários do banco da família, que aproxima-se de Consuelo e Annabelle e se torna um grande amigo.
- Eu sabia o quanto éramos abençoados, e minha mãe também. Todos nós sabíamos. Sempre me considerei afortunada por ter os pais e o irmão que tive. Só não consigo acreditar que meu pai e meu irmão se foram - murmurou ela. Enquanto a fitava, Josiah pôs a mão sobre a de Annabelle.
- O destino às vezes tira algumas pessoas das nossas vidas, e quando menos esperamos, outras entram. Você tem de acreditar que as coisas voltarão a ser boas de agora em diante. Sua vida só está começando.
P. 50
Josiah Millbank se tornou um grande amigo delas e logo depois marido de Annabelle. Morar perto da mãe, com quem fazia refeições frequentemente, a amizade do marido, o casamento feliz, o apoio dele em seu trabalho como voluntária em outro hospital onde podia aplacar um pouco do seu sonho de ser médica, tudo a fazia acreditar que sua vida estava no caminho certo mais uma vez, mas é aí que uma nova tragédia se abate sobre ela e dessa vez num golpe duplo.

Decidida a se recuperar do golpe longe dos olhares e comentários acusadores, Annabelle se vê indo para a Europa em plena Primeira Guerra Mundial, para trabalhar como voluntária em um hospital na França criado por uma médica escocesa onde apenas mulheres trabalhavam lá.
Tudo o que qualquer um veria nela seriam rótulos impostos por outros, e sempre pensariam que ela era culpada. Estava convencida de que ninguém jamais acreditaria em sua inocência, que confiaria nela ou que a amaria, independente do que ela dissesse.
P. 253
Como eu disse lá no começo, nunca tinha lido um livro da Danielle e não sabia o que esperar a não ser o que li na sinopse de Uma Mulher Livre, mas o drama vivido por Annabelle é incrível, quando eu acreditava que a jovem teria enfim um momento de paz, algo vinha para abalar suas certezas. E o pior era quando isso vinha de personagens que a gente menos espera, mas nada mais faz do que refletir a realidade da vida, acredito que isso foi o que mais me abalou quando refleti sobre a estória como um todo.

Embora tenhamos certeza de que temos uma vida maravilhosa, nada impede que algo de ruim aconteça, e isso pode abrir portas para que realizemos algumas outras coisas. A cada rasteira que a vida dava em Annabelle ela se fechava para buscar forças e novamente se reerguer e isso mostra o quão forte era seu espírito. Sem dúvida um livro que mostrou o quanto a determinação de seguir em frente foi crucial para que Annabelle não desistisse de tudo por conta das adversidades e opiniões alheias. Incrível!
Enquanto admirava o oceano, tinha uma sensação incrível de liberdade, de finalmente ter se livrado das algemas. Não estava sobrecarregada pelas opiniões das outras pessoas, ou pelas mentiras ao seu respeito. Era uma mulher livre, uma mulher virtuosa, e sabia disso.
P. 292



Compare e Compre
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Oi Layane, não conhecia a obra também e me pareceu ser uma leitura um pouco intensa. Os quotes do livro chamaram minha atenção também.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lay.
    Confesso que a capa quase fez que eu desistisse da obra. Pareceu-me uma capa de livro água com açúcar, o que eu detesto. Felizmente, sua resenha mudou completamente a minha opinião. Por ter início em um acontecimento verdadeiro e pela força da protagonista, acredito que daria uma chance para a obra. Sem dúvidas, parece ser uma ótima pedida.
    Boa resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de julho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  3. Olá lay!

    Eu adoro livros dramáticos, como esse parece ser. Porém, não sei... Como você, também nunca tinha lido nada da Danielle, e ainda estou com um pé atrás... Minha mãe amava a escrita dela, então parece ser uma coisa que eu não vou gostar muito kkkk

    Beijos,
    Ana Martines

    ResponderExcluir
  4. Oi gata! Eu fiquei de olho nesse livro desde o mochilão da record,achei a história bem interessante além dos comentários super positivos. A capa também é bem bonita!
    Parabéns pela resenha!
    www.jornalizando.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Lay!
    Não conhecia esse livro..sua resenha me chamou a atenção,me pareceu ser uma leitura forte e intensa,a capa é muito bonita..gostei bastante.
    Ótima resenha.
    Bj.

    ResponderExcluir
  6. logo me apaixonei primeiro por ser da Steel (amo essa autora) e segundo por que essa capa é linda e sei muito bem como é a escrita da Danielle, ela sempre dá um jeito de mexer com nosso coraçãozinho e as personagens principais sempre sofrem muito, porém, são bem fortes, corajosas e conseguem superar as dificuldades da vida :)

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações