2 de ago de 2016


[Resenha] O Quarto Dia - Sarah Lotz

Ficha Técnica

Título: O Quarto Dia
Título Original: Day Four
Autor: Sarah Lotz
ISBN: 978-85-8041-538-4
Páginas: 352
Ano: 2016
Tradutor: Alves Calado
Editora: Arqueiro
32Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro. As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.

Resenha


“O Quarto Dia” é uma obra que vai construindo seu mistério, capítulo após capítulo. Iremos acompanhar uma história agonizante e recheada de personagens com um caráter o tanto quanto duvidoso, enquanto nos deleitamos com a boa escrita da autora Sarah Lotz. E, mesmo que o livro não finalize exatamente como o leitor provavelmente está esperando, a leitura vale muito a pena.

Blog parceiro ArqueiroÉ quase ano novo, e o cruzeiro O Belo Sonhador acaba sofrendo um pequeno acidente interno no quarto dia de viagem, fazendo com que seus motores sejam impossibilitados de funcionarem. Enquanto acompanhamos diversos personagens durante esses momentos à deriva, iremos perceber que coisas estranhas estão acontecendo no navio.

Um desses fatos estranhos, é a morte de uma jovem moça, que é encontrada coberta por um lençol em sua cabine. Junto a isto, um vírus começa a tomar conta do navio e diversos passageiros sofrem com as consequências dele. Para finalizar, muitas pessoas alegam estar tendo visões, e enxergando coisas - e pessoas -, que não deveriam ser vistas.
Havia alguém atrás dela - um homem -, dava para ver o reflexo no vidro da porta. Alto, de ombros largos, o rosto era um borrão. Lentamente, com o coração na boca, ela se virou.
P. 57-58
A história criada por Sarah Lotz é muito boa. A ideia de utilizar um cruzeiro ambientado em pleno 2016, deixa toda a atmosfera mais real ainda. Para mim, o mais legal de Lotz é a sua escrita viciante e inteligente, que consegue ser dividida em mais ou menos 8 personagens, e mesmo assim, não perder o foco da narrativa, interligando e unificando todos eles de uma maneira maestral.

Além disso, cada final de capítulo traz aquela pitada de mistério e dúvida, que faz com que toda a atmosfera de suspense do livro vá inflando e se acumulando, deixando o leitor agoniado e curioso para saber o que está de fato acontecendo dentro do navio.

Infelizmente, o final do livro deixa um pouco a desejar. Não chega a desqualificar todos os pontos positivos da obra, porém, é como se até certo ponto estivéssemos lendo uma coisa, e sem aviso prévio, mudássemos a leitura para algo completamente distinto. Acredito que o maior culpado dessa decepção é a própria sinopse do livro, que acaba entregando muito mais do que é necessário, e assim prejudicando o desfecho da obra.
Mesmo contra a vontade, Jesse abriu do zíper o saco. O fedor de decomposição saltou sobre ele. O rosto da mulher estava flácido, os olhos brancos. A boca aberta, devido à rigidez, revelando uma fileira de obturações antiquadas e baratas nos molares inferiores. [...]
– Estão vendo? Morta.
P. 140
Apesar dessa deslize com a sinopse e com a conclusão de “O Quarto Dia”, há outros três fatores que não posso deixar de citar. O primeiro deles é o fato da capa do livro ser muito bonita e impressa em um papel diferenciado e de textura especial, além do mesmo contar com um projeto gráfico lindíssimo, fazendo com que toda lateral das páginas seja em azul marinho, na mesma tonalidade escura da capa.

Os outros dois pontos que queria ressaltar, são: Sarah Lotz – como já disse – é muito inteligente, e ela não perde a oportunidade de fazer inúmeras conexões entre “O Quarto Dia” e “Os Três”, seu livro anterior. E pra fechar, a obra foi elogiada por ninguém menos que Stephen King, que falou: “um livro excelente. Esse cruzeiro veio direto do inferno”. Se já não bastasse os diversos pontos positivos, esse por si só já seria um bom motivo para conferir essa leitura.
– Estamos perdidos? É isso?
Os olhos do capitão endureceram.
– Não estamos perdidos.
– Então por que ninguém veio nos procurar?
P. 199
Compare e Compre
Comentários
9
Compartilhe

9 comentários:

  1. Quando vi o lançamento desse livro fiquei bem interessada, pois adoro histórias cheias de mistérios e suspense. Como não li ainda nenhum livro da autora, fiquei curiosa para conhecer esse estilo de narrativa bem peculiar.

    ResponderExcluir
  2. fui ler o livro numa ansiedade tremenda por conta da sinopse... me decepcionei legal. abandonei o livro no meio. e olhe que raramente faço isso.

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto bastante de histórias com mistério, e o enredo desse livro me deu curiosíssima. Mas você disse que o final não é tão bom quanto o restante do livro e isso me decepciona e me tira a vontade de ler. Talvez eu venha a lê-lo um dia, mas por enquanto não é uma prioridade.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  4. Sou fã de livros de mistérios/suspense e até hoje não li os livros da Lotz. (#shameonme!). e depois de sua escrita ter sido elogiada por ninguém mais, ninguém menos que Stephen King, acho que preciso correr para as livrarias online e encomendar logo o meu exemplar.
    Acredito que o final não seja suficiente para ofuscar a maestria do livro, e eu gosto quando os autores deixam o final em aberto. Só torna a obra ainda mais inteligente.

    Confissões de uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  5. A sinopse do livro parece interessante, mas como vc disse que ela entrega muito do livro, já li atenção redobrada rs, o fato de vc ter dito que o final deixa um pouco a desejar me faz ficar com um pé atrás. A capa já me parece bonita pela tela do PC e depois de sua descrição acho que deve ser realmente linda.

    ResponderExcluir
  6. A sinopse me parece bem interessante,gostei bastante.
    Não tive a oportunidade de ler nenhum trabalho da autora,não conheço o trabalho dela e espero poder ler esse livro em breve.

    ResponderExcluir
  7. O que aconteceu com as pessoas desse navio??
    Oh céus, me interessei muito pelo livro.
    A capa remete ao livro anterior mesmo, mas também não li =/

    Convido você para conhecer o meu cantinho!
    http://colecionadoresdelivross.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá...
    Até hoje confesso que não li nada da autora Sarah Lotz, mas sou fã de um bom suspense... A ideia desta obra se passar num cruzeiro, faz realmente com que tudo pareça mais real. E agora, sabendo que King deu um aval bem positivo para esse livro, acredito que estará na minha lista das próximas leituras.
    Abraços...

    ResponderExcluir
  9. Ja li um livro da Sarah Lotz e achei perfeito. Quero muito ler O quarto dia, parece bem eletrizante e curioso ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações