29 de nov de 2016


[Resenha] Andurá - Lucas Benetti

Ficha Técnica

Título: Andurá
Autor: Lucas Benetti
Ilustração: Carol Borges
ISBN: 978-85-62705-59-5
Páginas: 24
Ano: 2015
Editora: Selo Off Flip
75"Você sabe por que está aqui? Sabe por que veio ao mundo? Sabe a razão de sua existência? Andurá também não sabia. Cria de Tupã, ela levou um tempo para descobrir por que o deus a criou e a colocou em meio às árvores de uma densa floresta. Também levou um bom tempo para aprender o motivo pelo qual seu criador permitiu que ela tivesse a habilidade de controlar o fogo. Em meio à devastação da floresta pelo homem branco, surgem respostas e a satisfação de saber que ninguém veio ao mundo por acaso -- nem Andurá, nem você."

Resenha


Quem já me conhece sabe que eu gosto bastante de mitologia e por isso já resenhei aqui livros que têm com base as mitologias grega, romana, egípcia, nórdica, mas confesso que quando Lucas me falou do livro dele, Andurá, não fazia a mínima ideia de que esse personagem, que intitula o livro fazia parte da mitologia ameríndia, tupi-guarani.

Acho que isso ainda é reflexo do preconceito que sei que ainda tenho com algumas coisas relativas ao meu país. Sei que é triste dizer isso, mas sempre que estudava a História do Brasil na escola eu odiava, tanta falcatrua, tantas pessoas querendo sempre tirara o máximo daqui, me deixava extremamente irritada, sempre preferi estudar a História de outros países, a mitologia deles, ler os seus livros, seus romances.

Graças ao blog, pude conhecer muitos autores nacionais que vêm mudando muito a minha opinião. Hoje em dia leio sempre leio nacionais, não fico mais com receio, dou chance a eles da mesma forma que aos novos autores internacionais. E fiquei muito feliz pelo Lucas ter me proporcionado essa leitura, não foi nada como eu imaginava.

Para quem não sabe (como eu, kkk), Andurá é uma árvore fantástica que, à noite, se inflama subitamente (valeu Wikipédia) e é a protagonista dessa estória. Agora imagine uma árvore que pode se inflamar, um perigo, não é mesmo? Ainda mais estando em uma floresta, rodeada por outras árvores e tantos seres vivos que poderiam se machucar por conta dela.

 

No início do livro, estamos no momento da chegada dos portugueses ao Brasil, com seus exploradores e jesuítas, que, assim como a própria Andurá, não entendiam o motivo de ter no meio da mata uma árvore desse tipo, tão incomum, essa cria de Tupã.
Durante todos esses anos de vida, se uma coisa eu posso afirmar com certeza é que vim de uma divindade. Sou cria de Tupã, que criou o oceano, as estrelas e os animais. Fui abençoada com a graça da liberdade de fazer escolhas e tomar minhas próprias decisões. Também me foi dada a fidelidade como presente. Jamais poderia abandonar a mãe-terra, que faz de seu seio alimento aos seus filhos, de seu colo o lar.
P. 07
O que achei incrível nesse livro tão curtinho são as reflexões que Andurá faz sobre si, sobre os outros e que nos leva a pensar também.
Apesar de estar claro que, com a minha habilidade, poderia manter visitantes indesejáveis longe de mim, ainda assim, às vezes, demoramos para entender o nosso dever, custamos a descobrir nosso dom ou como, de fato, ele nos serve e para onde pode nos levar. Mas nunca é tarde para um começo. Não importa o que os outros digam, tampouco importa o que vão pensar ou dizer sobre o futuro, suas dificuldades, sua incapacidade de fazer aquilo que deve ser feito.
P. 13
Mas não é apenas o texto que é incrível, as ilustrações da Carol dão um toque super especial ao livro, se completam perfeitamente.
"(...) O tempo passará, mas Andurá permanecerá como guardiã da floresta e seus iguais. O fogo dela, se um dia feriu, não mais vos queimareis, mas ele enaltecerá e alimentará o espírito guerreiro dentro de cada um aqui presente e de cada um que ainda nascerá nessa terra."
P. 19
Depois de ler esse livro é perfeitamente compreensível que tenha sido a obra vencedora do Prêmio Off Flip de Literatura de 2014!!!


Vocês não perderão a oportunidade de lê-lo também, não é?! Para adquirir o livro, é só entrar em contato com o Lucas através do e-mail hello@lucasbenetti.com e comprar com ele, ok?
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Não conhecia essa obra ainda. Mas gostei bastante do que conheci aqui.
    Achei super interessante a questão do personagem, desse envolvimento com a mitologia e com as reflexões que são transmitidas.
    Apesar de não ter o costume de ler esse tipo de livro, fiquei bem curiosa.
    Fiquei encantada pelas ilustrações também.
    E que bacana que a obra foi premiada. Deve ser muito boa mesmo.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Lay!
    é sempre bom darmos oportunidade aos novos escritores nacionais, porque também saímos ganhando a partir do momento que passamos a conhecer um pouco mais sobre a mitologia indígena, precursora da nossa colonização.
    Sucesso para o autor.
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu acredito que o ponto chave dessa leitura são as críticas e os ensinamentos que podemos tirar dela. Confesso que não gosto muito das obras nacionais, os filmes então, parece que só existe um tipo de gênero aqui. Mas os livros fogem um pouco dessa regra, e já li muitos nacionais. Realmente devemos dar chances a esses autores.
    Gostei bastante das imagens, bem ilustrativas e fofas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi Lay
    Interessante, mas não me chamou a atenção ao ponto de lê-lo!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa, Lay, eu até que conheço algumas histórias indígenas por morar no Norte, mas não conhecia essa de Andurá não! Gostei bastante dos quotes em que ela fala da própria existência, o que é algo bem incomum.
    E super concordo com você, as ilustrações ficaram lindas!

    ResponderExcluir
  6. Que amor.
    Eu também partilho de um certo preconceito por conta da literatura brasileira e também odiava a história do Brasil na escola (mas odeio história e qualquer coisa de humanas de qualquer forma kk'). Mas como você, ando lendo bastante livros nacionais e não tenho me decepcionado. Amo muito a Mari Scotti, ela é uma amorzinho e seus livros são maravilhosos. Achei muito interessante o livro ilustrado e com certeza deve ser uma delícia lê-lo após uma leitura mais longa e cansativa.

    ResponderExcluir
  7. Oi Layane, que bacana. Pra falar a verdade eu nunca parei pra pensar sobre mitologia aqui no Brasil, apesar de ser fã. Preciso conferir essa obra.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações