8 de nov de 2016


[Resenha] Nimona - Noelle Stevenson

Ficha Técnica

Título: Nimona 
Título Original: Nimona
Autor: Noelle Stevenson
ISBN: 978-85-8057-902-4 
Páginas: 272
Ano: 2016
Tradutor: Flora Pinheiro
Editora: Intrínseca  
49Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão. Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo. Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão – entre uma batalha e outra, é claro.

Resenha

Com seu jeito irreverente e sua postura decidida, a jovem Nimona, uma metamorfa, se candidata para ser o braço direito do vilão Lorde Ballister Coração-Negro, que há muito tempo trama um plano de vingança contra o seu arqui-inimigo, Sir Ouropelvis.

SELO_BLOGSPARCEIROS_2016Juntos, Nimona e Lorde Ballister irão formar uma dupla poderosa, apesar dos dois serem totalmentes diferentes. Enquanto o vilão é mais voltado para uma maldade mais dita do que feita, Nimona se prova uma rebelde nata, sedenta por sangue e encarregada de destruir através de seu poder, qualquer um que cruze o seu caminho e o de seu novo mentor.
DSC_0924.JPG

Ganhador do Eisner Award, uma das premiações voltadas ao mercado de quadrinhos, “Nimona” é uma obra excepcional, fresca, extremamente divertida e questionadora, criada pela talentosa Noelle Stevenson. Através da personagem que dá nome ao quadrinho, Stevenson criou uma anti-heroína capaz de conquistar o leitor, sem necessariamente representar a imagem frágil que muitos ainda insistem em relacionar as mulheres.

Colocando Nimona em uma posição de empoderamento, e dando à ela a liberdade de fazer bem o que entender, mesmo que seja atos maldosos e cruéis, a autora permitiu que sua personagem se tornasse um símbolo de vários questionamentos sociais, principalmente aqueles voltados ao público feminino, desde o jeito de se vestir, pentear os cabelos ou como se comportar perante a sociedade.
DSC_0926.JPG

Além das questões claramente feministas, a autora não se permite ficar presa somente aos ideais que sua personagem carrega. Com muito humor, aventura, fantasia e até mesmo espaço para o romance, Noelle Stevenson deixa sua mente, caneta e papel viajarem por inúmeras situações, todas elas em páginas coloridas e com muitos diálogos, estes que enriquecem mais ainda seus belos traços.

Eu amei muito “Nimona”, e indico para qualquer tipo de leitor e de qualquer idade. O desenho de Stevenson é muito bonito, e a história por sí só é fresca e bastante criativa. A Intrínseca também caprichou lançando esta edição, que conta com um papel de boa qualidade, este que realça muito bem o desenho e a gama de cores usadas pela artista. Minha única crítica fica nos balões de diálogos, pois em alguns deles achei que a letra ficou muito pequena para ler. Mas tirando esse pequeno – de fato pequeno mesmo rs – detalhe, “Nimona” é um deleite do começo ao fim.
DSC_0932.JPG

Compare e Compre
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. Ao contrário de você, eu não gostei muito do desenho, acho que eu sou do tipo que prefere traços mais realistas. Aliás, nem sou muito chegada em hqs, mas acho que pela história eu posso até arriscar qualquer dia desses.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ah que delicinha a sinopse, já fiquei com uma super vontade de ler só por ela.
    Gostei bastante da capa também <3
    A história parece ser incrível, com essa pitada de humor, fantasia e até romance, gostei bastante.
    Espero conhecer a obra em breve :)
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Olá Tácio, esse tipo de obra foge um pouco do meu estilo literário, mas já estou me acostumando com a ideia de cair dentro nesse mundo diferente. A partir de 2017 quero estar por dentro de tudo.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  4. Oi Tácio, esse tipo de leitura não me representa. Ate gosto de ler quando são bem rapidinhas, uma tirinha ali outra ca, mas quando passa para uma historia completa, não combina comigo.
    Que bom que você gostou. O que importa é a alegria de se estar lendo ne?!
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Apesar de não ler frequentemente esse tipo de livro, acho uma gracinha e são rápidas de serem lidos, eu vejo o snap da Intrínseca e conheci o livro por lá.

    ResponderExcluir
  6. Não leio muitas hqs mas já ouvir falar tão bem de Nimona (antes mesmo de lançar aqui) que estou bem curiosa para ler. Acho que o fato dela ser uma metamorfa e mais malvada do que o próprio vilão da história deixa tudo mais legal. Não vejo a hora de ter a oportunidade de ler

    ResponderExcluir
  7. Tácio!
    suas indicações são sempre muito boas e não tem como não deixar anotado aqui para uma leitura futura.
    Gostei também dos traços do desenhista.
    “Capacidade de saber cada vez mais sobre cada vez menos, até saber tudo sobre nada.” (Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Adorei o trocadilho do "pequeno detalhe", haha'
    Desde pequena sempre adorei histórias em quadrinhos e esse amor cresceu comigo, evoluindo para os livros. Mas não deixei de lado mangás nem quadrinhos. Ainda leio bastante, principalmente no término de uma leitura, antes de iniciar outra. Meu namorado tem muitos mangás e sempre pego emprestado com ele.
    A história de Nimona me lembrou um pouco a história do casal protagonista de O Príncipe dos Canalhas (de Loretta Chase), não só pelo sobrenome do protagonista (Ballister) ser o mesmo, mas também pela protagonista ter me lembrado bastante o par romântico de Sebastian Ballister, a Jessica. As duas se parecem muito, principalmente por causa desse espírito de durona e de "sai da minha frente, eu vou fazer o que eu quero"! Pelo menos foi isso que capitei da personagem kk'
    Adorei ler a resenha e acho que amaria muito o livro se lesse.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações