13 de dez de 2016


[Resenha] O Martelo de Thor - Rick Riordan

Ficha Técnica 

Título: O Martelo de Thor
Título Original: The Hammer of Thor
Autor: Rick Riordan
ISBN: 978-85-510-0070-0
Páginas: 400
Ano: 2016
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Em A Espada do Verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina. Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking. Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano.

Resenha


Estamos de volta ao Hotel Valhala, onde encontraremos o einherjar Magnus Chase, filho do deus nórdico Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina, só por esse motivo Magnus não é muito famoso no hotel, afinal seu pai não é nenhum deus da guerra ou algo do tipo, mas ainda assim parece que tudo cai em cima dele. 

Bem, O Martelo de Thor inicia pouco tempo depois de A Espada do Verão, mas não tivemos muitas mudanças, o que podemos acrescentar aqui é que Magnus tem tentado entender um pouco mais da mitologia nórdica agora que descobriu que faz parte de sua vida e tem treinado muito, afinal, é necessário que o exército de einherjar de Odin esteja preparado para o Ragnarök. 

Porém, ao ser chamado pela valquíria Samirah, que lhe levou ao pós-vida nórdico, ele percebeu que as coisas podem ter piorado um pouquinho nas últimas semanas. Se deu conta de que a loja de seu amigo anão Blitz está fechada e que tem muitos dias que ele não o vê e nem o elfo Hearth. Além disso, Samirah traz a informação de que eles precisam encontrar Mjölnir, o martelo de Thor que já estava desaparecido desde o início da série, mas agora é crucial encontrá-lo, pois os gigantes estão começando a perceber que talvez o deus protetor de Midgard não esteja de posse de sua arma mais poderosa e que é um momento oportuno para invadir esse mundo. 

Claro que como já conhecemos da estórias de Rick Riordan, o trabalho fica todo a cargo dos semideuses, einherjar e afins, porque os deuses mesmo não ligam muito para o que está acontecendo no mundo ou são inúteis mesmo, kkkk
Odin era imprevisível. Quando aparecia, ficava mais interessado em dar palestras motivacionais com apresentações de PowerPoint do que em lutar. Eu nem conhecia Tyr, o deus da coragem e do combate. Quanto a Frey... meu pai era o deus do verão e da fertilidade. Se você queria que flores desabrochassem, plantações vingassem ou um corte de papel fosse curado, ele era o deus ideal. Afastar as hordas de Jötunheim? Talvez não.
P. 30-31
Loki está manipulando um grande plano que envolve o casamento de Samirah com o gigante da terra Thrym e o resgate de uma nova espada, a Skofnung e claro Mjölnir. Para essa nova missão Magnus e Samirah irão contar com o apoio de Blitz, Hearth e da mais nova einherjar de Valhala, Alex Fierro, um argr, filha de Loki assim como Samirah. Argr é uma pessoa de gênero fluido, assim como o próprio Loki, que em momentos é homem e em outros é mulher. Mas irei me referir a Alex aqui no feminino, que é o gênero mais constante dela.
- Olha alguns preferem a neutralidade - disse Alex. - São pessoas não binárias ou de espectro neutro, sei lá. Se elas não querem identificação de gênero na fala, é isso que devem fazer. Mas, no meu caso, eu não quero usar os mesmos pronomes o tempo todo, porque eu não sou assim. Eu mudo muito. Essa é a questão. Quando sou ela, eu sou ela. Quando sou ele, eu sou ele. Não sou elx. Entendeu?
- Se eu disser que não, você vai me bater?
- Não.
- Então não, não entendi muito bem.
Ela deu de ombros.
- Você não precisa entender. Só, sabe, respeitar.
P. 238
Assim como em A Espada do Verão conhecemos mais sobre o passado de Blitzen quando passamos por Nídavellir, em O Martelo de Thor teremos a oportunidade de conhecer um pouco mais de Hearthstone quando passamos por Álfaheim e digo para vocês, odiei o pai dele com todas as minhas forças, incrível como ele consegue ser cruel com Hearth, que é tão gentil com todos que estão ao seu redor. Mas o pior é saber que certamente iremos revê-lo em O Navio dos Mortos, o último livro dessa trilogia, pois Hearth ainda tem assuntos a resolver com o pai.

Não dá para deixar de fora Jacques, a espada do verão, companheira de Magnus, que tem vontade própria em momentos inusitados, os companheiros do décimo nono andar do Hotel Valhala, Mallory Keen, T.J.(Thomas Jefferson Jr.) e Mestiço Gunderson que aparecem menos em O Martelo de Thor, mas não deixam de ter importância nessa missão, dando o apoio de que Magnus precisará. Também preciso falar que a presença de Amir, noivo de Sam, no livro dá um toque muito especial (adoro ele ) e Randolph, tio de Magnus, mais uma vez terá um papel importante nessa missão.

O livro tem muita ação, conheceremos mais deuses como Heimdall (mais conhecido como o deus das selfies e o inventor de pau de selfie), Sif (esposa de Thor) e Vidar (deus da vingança) e o meu deus preferido até o momento, o que parecia ser um pouco mais sensato em suas atitudes, pena que só apareceu no final :(
O problema dos deuses é que não dá para simplesmente estapeá-los quando eles agem como idiotas.
Eles só vão revidar com outro tapa e matar você.
P. 368
Eu gostei muito de O Martelo de Thor, mas mesmo com tantas cenas de ação, senti que a estória se amarrou um pouco, só senti deslanchar mesmo depois da metade do livro. E a cena final nos promete talvez um crossover, pois Magnus foi atrás da prima, Annabeth, para pedir conselhos sobre a próxima etapa da sua missão para evitar o Ragnarök, que pode contar com a presença de Percy Jackson (aqui torcendo). Além disso, estou curiosa pelo último livro também porque estou super shippando Magnus e Alex, será?

Compare e Compre
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Já tive a oportunidade de ler outras opiniões sobre esse livro e de fato, todas concordam no fato de que a história prendeu pouco no inicio. Nunca li nada desse autor, mas tenho muita vontade, principalmente Percy Jackson, uma vez que virou uma febre. Adorei saber que esse tem bastante ação, parece ser bom mesmo.
    um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
    Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

    ResponderExcluir
  2. Quero muito conhecer essa nova série do tio Rick :)
    Parece ser incrível, assim como os outros trabalhos dele.
    AMO a forma de escrita do autor, um dos meus favoritos, sério.
    Espero ler em breve esses livros, estou bem curiosa.
    Apesar de alguns pontos negativos nesse livro, minhas expectativas continuam as mesmas.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Lay!
    Gosto muito da fantasia criada pelo Rick e aqui inserir toda mitologia nórdica, incluindo o Martelo de Thor, um dos meus personagens favoritos, me deixou com muita vontade de acompanhar toda a aventura vivida pelo Magnus.
    “O verdadeiro sentido do Natal não está nos presentes e nem no papai noel, mas sim no nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para nos libertar do pecado e ser o nosso único salvador!” (Andréia Godoi)
    Boas Festas!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Eu tô doida pra comprar esse livro, o Rick foi o meu autor favorito da infância, amo demais esse cara. <3
    http://ddromomania.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Huum, só consigo imaginar que eu gostaria muito de ter esse livro em mãos. Adoro esse mundo de heróis, filhos de deuses e tudo mais !
    Entendo que a leitura demorou um pouco para pegar no ritmo, muitas são assim, mas acabamos sendo recompensados, espero que assim tenha sido.
    Adorei a dica, bem minha cara 😉

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada do Rick Riordan e pra dizer bem a verdade, não tenho vontade. Minha melhor amiga é super fã dele, já leu todos, inclusive O Martelo de Thor, e ela tá surtando também com a possibilidade do Percy aparecer no próximo livro. Achei bem legal esse canal que o autor tá fazendo.
    Tive uma experiência bem parecida essa semana, peguei um livro e ele começou a deslanchar só a partir da metade... é puxado chegar lá, mas quando chega, lemos super rápido né? Rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito ligada em super heróis, só vejo os filmes e olho lá. Gosto muito do Rick Riordan e acho que até vou ler o livro, mas só depois, já que ainda não li o primeiro. A possibilidade do Percy aparecer e essa relação entre os personagens vai ser muito bacana, acho.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações