3 de abr de 2017


[Cinema] A Bela e a Fera



Existem dois tipos de remakes live action de clássicos da Disney:

  • Aqueles que não acrescentam nada à narrativa (sim, eu estou olhando pra você, Cinderella) 
  • Aqueles que oferecem uma perspectiva completamente nova da mesma história (como Malévola). 

A Bela e a Fera consegue ser um filme excelente apesar de se encaixar na primeira categoria.

um clássico é um clássico
O filme responde algumas perguntas que a animação deixou, como por que os serviçais também foram enfeitiçados, o que aconteceu com os pais da Fera e como ninguém na cidade lembra da existência do castelo e dos seus habitantes. Nesse ponto, o roteiro é bem redondinho, com uma cena desnecessária aqui e outra ali, mas muito próximo do original. 

Existe também um esforço pra tornar o roteiro mais adequado à nossa época. A animação foi lançada há mais de vinte anos e a Disney sabe que os tempos são outros, que a gente precisa de outro tipo de heroína. A Bela do filme continua sendo a mocinha por quem a gente se encantou em 1991, mas agora não é só a filha do inventor. Ela é que é a inventora, que desafia a autoridade local quando tenta ensinar uma menina a ler, que tenta fugir assim que é capturada no castelo. Ela é uma personagem que sabe que está encrencada e começa a fazer planos pra resolver o problema, ao invés de ficar no canto chorando e esperando que a solução caia do céu. 

“Sou uma donzela. Estou em perigo. Consigo lidar com isso. Tenha um bom dia.”
Cada uma das outras mulheres do castelo tem personalidade própria. Desde Mrs. Potts, a senhorinha solícita e bondosa que tenta não se deixar corroer pelo arrependimento, à Madame Garderobe, uma ária completamente apaixonada pelo marido e que está transformada num guarda-roupa com narcolepsia(!!). Junto com Lumière e o Maestro (Cogsworth é covarde demais pra essas coisas), eles formam uma rede de apoio pra Bela, tentando fazer com que a estadia dela seja menos terrível, trazendo um pouco de conforto explicando a situação dos habitantes. 

Aqui eu vou fazer uma pausa pra fazer o que eu faço de melhor, que é problematizar. Alguns dos maiores problemas da animação foram mantidos no filme: a síndrome de Estocolmo, a romantização do relacionamento agressivo (o cara extremamente violento que “se transforma” por amor - não comprem essa) e o amor romântico como única recompensa pra protagonista. A Bela e a Fera é um dos meus filmes favoritos, mas dá pra gostar de uma obra e admitir que ela tem defeitos. Já que a Disney estava disposta a fazer alterações na história, podia ter mudado isso também. 

O design dos objetos também pareceu meio engessado. Como eles foram feitos pra parecerem objetos de verdade, acabaram perdendo expressão facial. As emoções ficam por conta das vozes, maravilhosas, diga-se de passagem. O elenco inteiro é impecável e dava pra fazer uma resenha inteira só elogiando os atores um por um. Além dos objetos, o design foi meio falho na Fera também. Eu fiquei com a impressão de que tentaram deixar ele mais bonito e não funcionou. Ele já era gatíssimo na forma bestial (foi meu primeiro crush), não precisava mudar nada. 


Sobre o elenco, eu acho que a Emma Watson foi escalada mais pelo perfil de ativista do que pelas capacidades de atuação. E eu esperava alguém beeeeeeeeeem mais bonito que o Dan Stevens pro papel da Fera (antes que vocês reclamem que eu sou muito exigente, vocês já viram o Alexander Skarsgård em A lenda de Tarzan? Era aquilo que eu esperava). O elenco de coadjuvantes é tão bom e competente que o casal de protagonistas fica meio sem graça perto deles. Quem é Dan Stevens perto de Ewan McGregor (crush eterno e universal desde Moulin Rouge)? 

A polêmica toda a respeito do filme ter um personagem abertamente gay foi bem desnecessária. Foi um alarde tão grande, boicote, treta na internet, e no final das contas a “grande cena gay” do LeFou dura meio segundo. Juro, é uma piscadela e acabou. Não tem nada de mais. Talvez com isso a Disney aprenda a manter as coisas em segredo. Se ninguém tivesse comentado nada a respeito do personagem, teria sido uma boa surpresa; mas o furor foi tanto que a cena ficou só decepcionante mesmo. 

Resultado de imagem para drag race michelle visage yas
eu, trouxa, quando soube da cena do LeFou
O figurino e os cenários são deslumbrantes e o filme conta com umas duas músicas novas, que não fazem muita diferença, mas são interessantes. Além disso ele estende algumas cenas com os coadjuvantes, criando mais empatia com eles. É como se fosse uma versão em blu-ray da animação: tem cenas extras, tem mais explicação e melhora em algumas coisas. Mas fazer uma “versão estendida” ainda é uma justificativa fraca pra um remake. (Ainda tenho esperanças de ver um remake de A Pequena Sereia com Úrsula como mocinha).

Numa escala de um a cinco crushes da Disney, o quanto eu gostei do filme:

Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Oi Tamy
    Morri de rir com a resenha!
    Eu ainda n vi o filme, qd tenho dinheiro n tenho tempo, se tenho tempo, cadê money?
    hahahahahahaahaha
    Mas achei o mocinho 'Fera' feio tb kkkkkk
    Na vdd n feio, mas menos bonito que o esperado.
    N posso opinar mais pq n vi né?!

    Bjoooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Hey,

    A Bela é com certeza minha princesa favorita, infelizmente concordo com a sua "problematização" acredito que podiam acrescentar mais coisas no final pra única recompensa da Bela no final não ser "apenas" o amor, tipo o crescimento da Bela devido tudo isso mas não podemos ter tudo né kkk, tô louca pra assistir nos cinemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Milena.
      Eu esperava mais. Imaginei uma recompensa maior pra ela, tipo ela montar uma escola no final é ensinar as meninas dá vila a ler, por exemplo. Achei meio sem graça.

      Excluir
  3. Olá, Tamy!!
    Amei a postagem, pois está falando dessa história de A bela e a fera. Eu assisti ao filme três dias depois da estreia (não precisava falar isso rsrs), e amei o filme, é muito lindo, o cenário, os personagens, as músicas, a biblioteca (melhor parte), enfim tudo. Melhor filme!!
    Amei a resenha, bem divertida.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Tamy!
    Nem posso concordar ou discordar de suas observações, pelo simples fato de ainda não ter assistido ainda...
    Mas posso dizer que entre dezenas de resenhas que li, e não foram poucas, muitas até do gênero masculino, a única que li até agora criticando mais ferozmente alguns pontos, foi a sua...embora use o humor para fazê-la...
    Desejo um mês repleto de realizações e uma semana de luz e paz!
    “ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  5. Amei conhecer sua impressão sobre o filme. Ainda não fui conferir e provavelmente só vou assistir quando sair em Blue Ray. Só de ter a Emma no elenco, podemos saber o quanto o filme está incrível.
    Gostei de saber que a mocinha não é apenas uma donzela indefesa e que os roteiristas tiveram esse capricho de trazer a mulher forte dos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tammy, tudo bem?
    Desde pequena eu sou absurdamente apaixonada por essa história. Minha mãe tinha que mandar eu parar de falar porque meu assunto era só "Bela isso, Fera aquilo". Eu tinha marcado de ir no cinema assistir ao filme mas acabou dando errado. Eu até gosto da atuação da Emma sabe, mas sei lá, ainda não estou segura sobre ela me agradar nesse papel.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações