26 de abr de 2017


[Resenha] 11 Noites Com Você - Aline Sant'Ana

Ficha Técnica 

Título: 11 Noites Com Você
Autor: Aline Sant'Ana
ISBN: 978-85-68056-37-0
Páginas: 416
Ano: 2017
Editora: Charme
Zane D'Auvray é incapaz de dizer não às mulheres. O guitarrista da The M's aproveita-se da fama e nunca encontrou motivos para se estabilizar em um relacionamento. Todas as atitudes promíscuas que tomou durante a vida jamais foram questionadas. Exceto agora. Em uma mudança de gestão, troca-se de empresário, e o que Zane não esperava era que os bastidores seriam coordenados por uma linda mulher, prometendo consertar as pontas soltas. Kizzie Hastings, a empresária, passará por um teste de onze noites pela Europa com a The M's em turnê. Zane, fazendo pouco caso da situação, não vê grandiosidade nisso. No entanto, quando percebe que Kizzie é a única pessoa imune aos seus encantos, acaba por abraçar um desafio pessoal, sem saber que há muito mais em jogo do que somente a sedução.

Resenha


11 Noites Com Você é o segundo livro da série Viajando com Rockstars, da Aline Sant'Ana, que vem sendo publicada pela Editora Charme. Depois de ter nos apresentado a banda de rock The M's e a estória do Carter e da Erin em 7 Dias Com Você também tivemos 7 Dias Para Sempre, também tendo os dois como protagonistas. Então agora chegou a hora do nosso guitarrista, Zane D'Auvray

Zane é aquele cara que não quer saber de sentimentos, relacionamentos e nada que o aproxime muito de uma mulher. Ele só queria sexo e seu limite eram vinte e quatro horas com cada uma. Porém, Carter e Yan sempre lhe disseram que um dia apareceria uma mulher que conquistaria seu coração. Claro que Zane nunca deu muita importância à isso, para ele era suficiente amar a mãe, o pai, o irmão e os dois amigos. Certamente amor não era para ele.

Em 7 Dias Com Você vimos que os meninos procuravam um novo empresário por conta dos problemas que tiveram e é aí que conheceremos Keziah Hastings. Kizzie é uma empresária de um adolescente de muito sucesso, mas está cansada de ter que lidar com seus pitis de garoto mimado. Isso alinhado ao turbilhão que é sua vida sentimental no momento, tudo que ela precisa é mudar de emprego. Assim, Lyon (que era assistente do antigo empresário da The M's) a apresentou como uma possível candidata a assumir o cargo. Para Kizzie seria um grande desafio, afinal a banda precisava de muitas coisas, Yan e Carter estavam muito empolgados com o currículo dela, mas Zane logo ficou reticente por ter que trabalhar diariamente com uma mulher que ele não poderia se envolver para não prejudicar a banda.
Kizzie era linda. Ela era uma pessoa boa. Apesar das nossas brigas, porra, eu sabia que era. Em três meses observando-a de longe, nas raras reuniões que fui da banda, já peguei quatro características suas inquestionáveis: vi o quanto era responsável; sabia que tinha manias simples como morder a ponta da caneta e tomar café de cinco em cinco minutos; exigia cada vez mais dos seus resultados e preferia dessa forma a colocar as expectativas em outras pessoas; e também tinha visto a fé que depositava em si mesma.
P. 73
Mesmo com toda sua implicância, Zane aceitou e Kizzie passou a trabalhar com eles e ainda tinha a missão de planejar em apenas três meses uma turnê internacional de onze dias pela Europa. Ao contrário do que pode parecer, Aline passa rapidamente por esse período, mostrando apenas que Zane mal aparecia nas reuniões da banda, sempre irresponsável ainda que estivesse seguindo boa parte das orientações de Kizzie pelo bem da imagem do grupo, sem ir à muitas baladas, mostrando que estava com várias mulheres ao mesmo tempo, tudo isso se resumia agora a sua casa. Em paralelo, a gente vê que Kizzie está mergulhada de cabeça no trabalho, contando apenas com a presença de seu melhor amigo e confidente Oliver, pois é órfã de mãe e seu pai, que também é empresário, vive viajando com seus agenciados, raramente conseguindo ver a filha.
Zane era atraente, e eu estaria mentindo se dissesse que não me afetava. Ok, paguei com a língua. Embora nunca passasse pela minha cabeça que me interessaria por um homem com tatuagens, piercings, cabelo comprido e uma guitarra a tiracolo, eu sabia que ele mexia comigo.
P. 89
Enquanto os capítulos passam, nossa curiosidade é aguçada pelos telefonemas que Kizzie recebe, e não atende, do ex-namorado, deixando nossa imaginação correr solta em quais poderão ser os motivos e como o relacionamento entre eles terminou. O fato é que, é claro que Kizzie sofreu demais e está reticente quanto a se envolver novamente com outra pessoa, ainda que Zane tenha demonstrado que está atraído por ela, mas que não quer nada sério, apenas sexo e ponto final.

Kizzie e Zane são oposto no que se refere a relacionamentos. Enquanto Kizzie já sofreu e aprendeu muito, principalmente com Christopher (o ex-namorado) Zane nunca esteve em um relacionamento, não sabe como lidar com o que tem sentido por ela e fica muito confuso com tudo isso. Ao longo da turnê isso vai se desenrolando e Zane aprende como é estar com alguém por mais de um dia e Kizzie que pode contar com essa nova família que a The M's se transformou rapidamente para ela.
Kizzie era o meu agora e que meus sentimentos que se calassem, mas eu também queria que ela fosse o para sempre.
P. 208
Para nos ajudar a entender o que as personagens estão sentindo, Aline ainda nos guia por passeios rápidos nas cidades onde a banda está fazendo shows, além da sua já característica abertura dos capítulos com trechos de músicas, dando aquele clima à leitura.

Impossível não se apaixonar ainda mais por Zane - conhecendo-o melhor em seu próprio livro - e nem voltar a suspirar pelo Carter, mas confesso que desde o primeiro livro que o Yan roubou o meu coração e nesse livro ele o partiu em minúsculos pedaços, vê-lo sofrer foi triste demais. Espero que a Aline traga logo o livro dele para que ele possa ser novamente completamente feliz.

Compare e Compre
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Lay!
    Bom ver que Zane continua sendo aquele bom moço e tomara que no próximo livro venha uma história tão boa quanto essa para dar continuidade a série.
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  2. Não sou muito fã de ler romances, mas depois de dar uma chance ao "O Cobiçado" esse clima de romance e bandas de rock me seduziu um pouco e me vi tentada a ler outras obras do gênero.
    Fiquei curiosa com esta série e saber que já conta com 3 livros publicados me deixou mais animada em lê-la.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lay!!
    Ahh, essa série, amo de muitão, louca para lê-la. Amei o romance contado nela, misturando uma banda de rock no meio, bem diferente.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Não conheço a série, por isso não quis me aprofundar na resenha com medo de spoiler, gosto de séries nesse estilo acho que vou dar uma chance.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lay! Eu não sei o porquê, mas não consigo me ligar a essa série. Conheço algumas pessoas que amam com todas as forças, mas comigo isso não acontece. Vai ver não é o momento certo para essa leitura né.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações