28 de jun de 2017


[Resenha] Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir - Sarah MacLean

Ficha Técnica 

Título: Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir
Título Original: Eleven Scandals to Start to Win a Duke's Heart
Autor: Sarah MacLean
ISBN: 978-85-8041-531-5
Páginas: 336
Ano: 2017
Tradutor: Fabiana Colasanti
Editora: Arqueiro
Juliana Fiori é uma jovem ousada e impulsiva, que fala o que pensa, não faz a menor questão de ter a aprovação dos outros e, se necessário, é capaz de desferir um soco com notável precisão. Sozinha após a morte do pai, ela precisa deixar a Itália para viver com seus meios-irmãos na Inglaterra. Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton. O poderoso nobre não admite nenhum tipo de escândalo e defende o título e a reputação da família com unhas e dentes. Sua arrogância acaba despertando em Juliana uma irresistível vontade de desafiá-lo e ela decide provar a ele que qualquer um – até mesmo um duque aparentemente imperturbável – pode ser levado a desobedecer as regras sociais em nome da paixão.

Resenha


Terminando a trilogia Os Números do Amor, Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir concluiu divinamente a série.

No primeiro livro da trilogia, Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar, Juliana Fiori chegou de repente e causou ainda mais escândalo à família St. John. Com a morte do pai, Juliana se viu na Itália sozinha, mas a orientação de seu pai, um mercador, em testamento era que ela fosse encaminhada para os irmãos que viviam em Londres, irmãos esses que ela nem sabia da existência, filhos do primeiro casamento de sua mãe.

Imagina que, depois de anos do sumiço da então Marquesa de Ralston, surge uma filha dela, fruto de uma relação em um país estrangeiro, depois que ela abandonou o Marquês de Ralston e seus dois filhos gêmeos, Gabriel e Nicholas St. John. Um prato cheio para a sociedade voltar seus olhos novamente para os escândalos proporcionados pela família. Mas, enquanto vemos Gabriel encontrar a sua felicidade ao lado de Callie em Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar e Nick com Isabel em Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter, vemos como a relação entre os irmãos tem evoluído, como Gabriel e Nick, até então unidos contra os falatórios, aceitaram de coração aberto uma irmã criada longe das regras da etiqueta, principalmente a que regia a rígida sociedade londrina.

Com todo o escândalo em volta da família, o objetivo da família é casar Juliana o quanto antes, o problema é que ao que lhe parece ela deverá se contentar em ter um casamento razoável, com alguém que não possua títulos importantes ainda que seu irmão tenha lhe garantido um bom dote. Mas Juliana quer mais, ainda que tenha certeza de que não casará por amor e sim por conveniência, ela quer experimentar a paixão. E aqui entra o outro lado dessa equação: Simon Pearson, o duque de Leighton.

Simon foi criado para ser o retrato da aristocracia. Quando criança era o Marquês de Hastings e depois assumiu o ducado de Leighton, sempre importante, sempre o símbolo de um título de gerações de duques de ilibada reputação. Mas o fardo que isso significa, apenas ele sabia e agora ele precisa se casar com uma dama que agregue ainda mais reputação ao seu título para que, quando o escândalo que se abaterá sobre sua família chegue ao conhecimento de todos, eles possam sobreviver.
Se alguém lhe tivesse dito, quatro meses atrás, que ele estaria agora em busca de casamento para proteger a reputação da família, ele teria rido, longa e soberbamente, e mandado a pessoa embora.
É claro que, quatro meses atrás, as coisas eram diferentes.
Quatro meses atrás, Simon era o solteiro mais cobiçado da Grã-Bretanha, e não havia qualquer perspectiva de mudança nesta condição.
Quatro meses atrás nada poderia atingi-lo.
P. 75
A gente viu que desde que pôs os olhos em Juliana, Simon se interessou por ela, entretanto, quando soube quem ela era, afastou-se. Mas Juliana, como eu já disse, queria paixão e ela queria com Simon, que também lhe despertou desejo e assim eles se veem em uma aposta de duas semanas, período em que ela iria mostrar que todo mundo precisa de paixão na vida e ele lhe provaria que a reputação sempre vem acima de qualquer coisa.

Para Simon é claro que Juliana gosta dos escândalos, que ela os provoca, mas, mal sabe ele o fardo que é para ela, conviver com os olhares que a aristocracia lhe dirige, as palavras sussurradas, sempre esperando pelo próximo deslize dela.
Mas, parado naquele estábulo escuro, observando-a escovar seu cavalo enorme, usando um vestido devastadoramente lindo e desesperada por alguma forma de escapar dos acontecimentos da noite, Simon finalmente percebeu.
O escândalo não era sua escolha.
Era seu fardo.
Suas palavras ousadas e seu rosto corajoso não advinham do prazer, mas da autopreservação.
P. 150-151
Juliana está longe de ser o que se espera da esposa do duque de Leighton, mas é certamente a dose de paixão que sua vida precisa. Os personagens que compõem o enredo são tão cativantes quanto os protagonistas e muitos deles nós já vimos nos livros anteriores da série, como os irmãos de Juliana e suas esposas assim como o duque e a duquesa de Rivington e o Conde de Allendale, também membros da família. Outro fator positivo foi ter conhecido a história de Penélope de outro ângulo, afinal, para quem não se lembra, ela é a protagonista de Entre o Amor e a Vingança, primeiro livro da série O Clube dos Canalhas, também conhecer o começo da história da Georgiana, protagonista de Nunca Julgue uma Dama pela Aparência, o último livro da mesma série e ver um pouquinho do West também, que ninguém é de ferro, né?!

Embora eu saiba que é o final da trilogia, eu queria muito que o Benedick, o Conde de Allendale, tivesse um livro dele, mas como a Sarah costuma brincar muito com seus personagens, migrando-os de uma série para outra, tenho esperança de vê-lo protagonizando algum livro de outra série.

Um desfecho lindo para a série, mostrando que até o mais frio dos corações merece e consegue encontrar o seu grande amor. Obrigada mais uma vez Sarah Preto de copas (cartas)

Saraiva | Cultura | Fnac | Livraria da Folha
Comentários
8
Compartilhe

8 comentários:

  1. nossa que blog maravilhoso ,amei esse livro acredita que faz um tempinho que não leio?mas acho que vou retomar viu amei demais!!! bjs
    te seguindo!
    http://unhasdaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, espero que volte sempre aqui, sempre temos muitas dicas de livros, filmes, séries, lugares para conhecer ;)
      Beijos

      Excluir
  2. Lay!
    Tive oportunidade de ler o primeiro livro dessa série e já gostei muito de Juliana, porque somos um pouco parecidas, não me importo com as regras sociais e tenho descendência italiana, então já viu, né? Tá no pensamento, logo sai bela boca...kkkkkkk
    Bom que a série termina a contento.
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eta, olha aí?! kkkkk
      Agora imagina ser assim em pleno século XIX? Só confusão, né?! huashausa

      Excluir
  3. oi
    nao li ainda mais ja ta adicionado na lista pois alem de gostar muito de romance, pricipalmente quandoe de epoca cho a capa tambem muito linda e maravilhosicima
    pela resenha achei o livro muito fofo rsrs e eu amo
    beijos amei a resenha

    ResponderExcluir
  4. Hey,

    Sou louca pra ler essa série, mas ainda não tive a oportunidade fiquei até com receio de ler a resenha por medo de spoiler por menor que seja.

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Eu sou louca por conhecer essa serie, de todo os livros que já li a resenha, eu gostei mas desse por causa da personagem, ela tem uma personalidade unica, onde ela quer ser o que ela é sem se preocupar com que os outros vão pensar com certeza será um romance bem incrivel e apaixonante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Juliana é bem diferente mesmo e muito vem não apenas de sua personalidade, mas da forma e da cultura onde foi criada, é uma contradição aos costumes da Inglaterra do século XIX, mas ela é incrível!!!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações