23 de jun de 2017


[Resenha] Rainbow - M.S. Fayes

Ficha Técnica 

Título: Rainbow
Autor: M.S. Fayes
ISBN: 978-85-8442-204-3
Páginas: 288
Ano: 2017
Editora: Pandorga
Rainbow Walker sempre se sentiu diferente das garotas da sua idade. Com um nome peculiar e uma família estranha, ela nunca conseguiu estabelecer vínculos ou manter muitas amizades. Agora, em uma nova cidade, ela terá que se adaptar a uma nova escola e rotina, ao mesmo tempo em que precisa deixar sua introspecção de lado. Mas Rainbow não está sozinha nessa jornada, já que uma pessoa inesperada entra em seu caminho, fazendo com que ela precise rever todos os velhos preconceitos em relação aos outros, se obrigando a deixar as pessoas entrarem na sua vida. Reviravoltas, conflitos familiares e toda espécie de desventuras típicas de uma adolescente no Ensino Médio não podem competir com o que ela menos esperava encontrar: o amor e a autodescoberta.

Resenha


Quando a Martinha avisa que tem livro novo eu já fico ansiosa para ler, porque tem risos certos e uma leitura deliciosa sempre. Não foi diferente com Rainbow, embora sua protagonista dessa vez seja mais jovem do que nos outros livro que li dela.

Rainbow Walker é uma garota de dezessete anos que está concluindo o ensino médio. Mas vocês devem estar se perguntando: que nome diferente dessa garota, por que será? Os pais da Rain são hippies e viveram intensamente essa vibe nos anos 1970 e quando ela nasceu, eles estavam passando por uma viagem de autoconhecimento em Rainbow City, Alabama. Para completar, com menos de um ano de diferença, tem seus irmãos gêmeos Sunshine (brilho do sol) e Thunder Storm (tempestade de trovão). Mas os pais de Rain não deixaram essa que os anos alterassem suas crenças e por isso são hippies até hoje e fazem de tudo para mostrar aos seus filhos o quão maravilhoso é estar aberto às possibilidades, à liberdade que a vida proporciona. Para isso, eles estão sempre se mudando, sempre em busca de uma comunidade que seja ideal para que os filhos cresçam e sejam verdadeiramente livres e é assim que a família chega à Westwood.

Para Rainbow isso é um verdadeiro martírio. Ao contrário de seus irmãos mais novos, Rain é muito reclusa e prefere sempre ficar isolada à fazer amigos onde chega e isso faz com que seu círculo de amizade restrinja-se apenas à sua família. Também diferente de sua família, Rain é muito certinha em uma família liberal, ela gosta de rotina e regras e isso passa longe de sua casa. Assim, ela é sempre um peixe fora d'água: em casa ou na escola.
Tinha vezes em que me sentia um alienígena. Sentia-me um peixe fora d'água. Um ser anômalo em meio a espécimes tão distintos e belos. Sunshine era uma força da natureza. Sua exuberância sobrepujava todos ao nosso redor. Storm fazia jus ao nome que carregava. Sua energia era como uma tempestade de emoções. Ele transparecia como uma placa de vidro.
Nossos pais nos criaram para sermos espíritos livres. Eu já disse isso? Para amarmos o mundo e a natureza, as fontes da vida e toda a energia impactante que delas procede. Para olharmos o universo e nos conectarmos com o cosmos. E quando você olha para si mesma no espelho e pensa: quem é você, afinal? Qual é a razão de estar aqui? Ou uma pergunta mais áspera e ácida: o que você faz aqui, no meio de pessoas tão distintas?
P. 95-96
Mas a vida de Rain muda quando ela chega em Westwood Garden High School e algumas pessoas estão decididas a fazer amizade com a garota nova. Em menos de uma semana Sunny já tem amigos e Storm já está no time de futebol, enquanto Rebecca, uma garota da turma de Rain tenta quebrar a barreira que ela criou e tornar-se sua amiga.
- Você também está sendo isolada? - ela perguntou de pronto.
Parei o que estava fazendo e olhei atentamente para a interlocutora.
- Rebecca, certo? - repeti sua abordagem.
Ela riu.
- É.
Estendi a mão e ela me cumprimentou.
- Já estou acostumada a ser isolada. Mudo de escola quase tanto quanto mudo de roupas - falei com sinceridade.
- Uau. Isso deve ser péssimo - ela disse. - Ter que passar por toda essa merda de ser apresentada na turma e blá-blá-blá...
- É. Também acho um saco.
(...)
- Cara! Você é meu ídolo agora!
P. 16-17
Mas não é só ela que está decidida a quebrar a redoma que Rain criou, Thomas também está. Thomas Reynard também está no final do ensino médio, tem dezessete anos, é o quarterback do time, o garoto mais popular da escola e lindo de morrer. Não que Rain saiba disso tudo, afinal, ela procura ficar o mais afastada possível das fofocas que rondam os corredores da escola, bem como longe do radar dos fofoqueiros de plantão, já era assunto suficiente com seus irmãos por conta dos seus nomes diferentes e excentricidades de seus pais.

Thomas faz algumas aulas com Rain e tenta ao máximo se aproximar dela, sentando ao seu lado para que possa fazer as atividade em dupla, trabalhos, qualquer pretexto possível.
- Olha, você é nova aqui. Até aí, tudo bem. Sua chegada trouxe um frescor bacana à escola e certa curiosidade sobre você - ele falou e eu apenas fiquei esperando que pérola de sabedoria sairia dali. - Porém, desde que chegou, não foram muitas as pessoas que conseguiram realmente se aproximar. Você simplesmente as isola.
- O que? - Ri sem achar graça alguma. Eu fazia aquilo realmente, e daí?
- Não quero me intrometer, mas você deveria ser mais expansiva com novas possibilidades de amizade, sabe?
P. 29
Aos poucos, Rain percebe que está cansada de se encolher e de se esconder e eu fiquei muito feliz em vê-la dando-se a chance de ser feliz, de fazer amigos, de entender a si mesma. O livro traz muitas questões a serem tratadas: bullying, conflitos familiares, desavenças, ciúmes. Assuntos que fazem parte do nosso cotidiano e muito deles nos permitem crescer como seres humanos.

A Martinha trabalhou brilhantemente esses assuntos, de forma que a gente se sente conectado com os personagens. Embora a Rain tenha dezessete anos e eu já esteja na casa dos trinta, consigo entendê-la perfeitamente em seus questionamentos emocionais, e sei que não é nada fácil ser uma jovem com cabeça de adulta, parece que não conseguimos nos entender com as pessoas de nossa própria idade e isso faz com que nos afastemos das pessoas, que muitas vezes tentarão quebrar essa barreira que nos impomos por medo de ser rejeitados ou de sofrer. A Rain quando se permite aceitar ter amigos, que o amor faça parte de sua vida, simplesmente brilha, como um arco-íris e eu fique fascinada, assim como o Thomas, por essa personagem tão cativante. Mais uma vez, obrigada Martinha, por me proporcionar essa leitura!
A garota novata, Rainbow Walker, estava mexendo com a minha cabeça. Não sei dizer a razão para estar tão fascinado, ou quando precisamente aconteceu, mas lá estava eu. Completamente encantado em tentar entender aquela cabeça tão diferente das garotas da escola.
Ela era linda, e o mais engraçado de tudo era que parecia não se dar conta disso. (...)
Rainbow era uma garota séria e completamente alheia ao fato de que todos ao seu redor queriam uma parcela da sua amizade. Eu, ao menos.
P. 31
Saraiva | Cultura 
Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Lay!
    Também entendo bem o que Rain passa, pois aos 16 já estava na faculdade e só mantinha contato com pessoas mais velhas, porém com mentes adolescentes e já havia passado dessa época...
    Deve ser um livro delícia de ler e ver que Rain se permitiu viver um pouco do que a vida proporciona.
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado, né Rudy?! Minhas amizades sempre foram mais velhas e a gente até se sente diferente, sem entender o que as pessoas da nossa idade pensam... Mas enfim kkkk o livro é uma delícia ;)

      Excluir
  2. Hey,

    Gostei da premissa do livro parece ser uma história bem interessante principalmente por ser tratar de um livro que tem bullying no meio. Além de ter uma capa maravilhosa.

    ResponderExcluir
  3. oi
    nao li ainda mais so por ver a capa ja da para perceber que e otimo rsrs principalmente porque parece que tem um romancezinho no meio ne rrsrs e eu amo muito romance parece ser muito bom mesmo. Deve ser um otimo livro
    adicionei na lista ja rrsrs
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Quando vi o lançamento desse livro, fiquei bastante encantada com a capa, ela e super linda. A trama do livro realmente e bem interessante, e o nome da personagem realmente e bem diferente e com certeza unica. Gostei de como a historia e contada, de como a personagem se dá a oportunidade de ser feliz.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações