2 de ago de 2017


[Resenha] Esplendor da Honra - Julie Garwood

Ficha Técnica 

Título: Esplendor da Honra
Título Original: Honor's Splendor
Autor: Julie Garwood
ISBN: 978-85-503-0137-2
Páginas: 384
Ano: 2017
Tradutor: Cristina Calderini
Editora: Universo dos Livros
Na corte inglesa medieval, a amável lady Madelyne sofre com os caprichos de seu perverso irmão, o barão Louddon. Para se vingar de um crime revoltante, o barão Duncan ataca as terras de Louddon com seus guerreiros. Madelyne foi o prêmio que ele capturou, porém, ao contemplar a orgulhosa e bela dama, ele jura arriscar sua vida para protegê-la. Apesar de seu tosco castelo, Duncan demonstra ser um gentil cavalheiro. Mas quando, afinal, a nobre paixão domina a ambos, Madelyne se entrega com toda a alma. Agora, por amor, Madelyne enfrentará qualquer coisa, tão corajosamente quanto seu senhor, o poderoso e combativo Lobo.

Resenha


E aqui vou eu para o segundo livro da Julie Garwood. Depois que li Um Amor Para Lady Johanna, fiquei curiosa para ler Esplendor da Honra e ver o que os seus personagens me reservavam e mais uma vez eu adorei. Logo no início somos apresentados à Duncan, o Barão de Wexton, que está aprisionado nos domínios do Barão Louddon, seu inimigo, e ao que parece, terá uma morte lenta e dolorosa no frio da Inglaterra medieval. Tudo porque seu inimigo não quer deixar marcas em seu corpo, para não ser incriminado da morte dele. O que Louddon e Wexton não contavam era com a interferência de Madelyne, meia-irmã de Louddon, que retornou ao convívio com o irmão há dois meses e já não aguenta mais viver sob o mesmo teto.

Madelyne não sabia que ser capturado era parte do plano de Duncan e que seu objetivo na verdade era capturá-la. Sim! A vingança que Duncan buscava para o que Louddon fez com sua irmã caçula Adela, é capturar alguém muito importante para ele, sua irmã. Tantas pessoas enganadas em uma mesma história... Duncan lidera seu povo e sua família com justiça e honra, mas acredita que a obediência vem do medo, sendo assim, sua relação com os irmãos mais novos não tem tanta cumplicidade, mas ele certamente mataria qualquer um para protegê-los. Ao contrário de Louddon.

Depois da morte da mãe, Madelyne sofreu muito na mão do irmão e sempre foi ignorada pelo pai. Quando o pai morreu e Louddon assumiu a responsabilidade por ela, a enviou para uma visita ao tio Berton (irmão da mãe), visita essa que acabou durando longos anos, para sorte e prazer de Madelyne e Berton. Ter convivido com o irmão e depois passado tantos anos vivendo com um padre e seus amigos clérigos mais velhos, fez dela uma mestre em conter suas emoções. Quando retornou para casa do irmão, ela só queria fugir de lá e ir viver com sua prima na Escócia, agora ela só tinha um pequeno contratempo pelo caminho, salvar o Barão de Wexton da morte certa.
Mas caso pudesse salvar vidas inocentes antes da própria morte, esse ato de bondade não daria algum propósito à sua existência? Ah, Santo Deus, salvar a vida de uma pessoa não tornaria sua vida importante... para alguém?
P. 21
Quando se viu sendo resgatado por uma bela dama, Duncan percebeu que Madelyne era uma mulher singular, que estava disposta a enfrentar a fúria do irmão para salvar vidas inocentes. E quanto mais tempo ele passava com ela, mais percebia sua inteligência, sua determinação, sua altivez, todas características que ela escondia.

O que deveria ser um período de "cárcere" na verdade trouxe uma mudança significativa na família do Barão de Wexton. Sua prisioneira, com sua personalidade altiva e sua regra de não mentir, lhe mostrou que não precisava impor medo aos seus familiares e súditos para ser respeitado, ao tempo em que Duncan e seus pares mostravam diariamente como Madelyne era querida, algo que ela nunca sentiu a não ser com a mãe e o tio.
Ela lhe ensinara que medo e respeito não tinham que andar um ao lado do outro. Amor e respeito também trabalhavam bem juntos, talvez ainda melhor. Era irônico. Madelyne agradeceu Duncan por ele ter dado a ela um lugar em sua família, quando o inverso é que era, de fato, a verdade. Ela lhe dera um lugar em sua própria casa. Mostrara-lhe como ser um irmão para Gilard, Edmond e Adela. Sim, arrastara-o bem para o meio do Círculo familiar.
P. 273
O tempo que permanecem juntos leva Madelyne e Duncan a se apaixonarem, ainda que demorem para perceber tal sentimento. Mas, embora eu tenha falado bastante aqui do romance e dos protagonistas, o livro gira em torno de muita intriga política, do início ao fim, honra, justiça e amor, é claro. Muitos problemas surgem ao longo da narrativa em terceira pessoa, mas eles vão sendo resolvidos logo, não ficam sendo postergados para resolver tudo no final (e corrido) e os personagens não ficam de muita enrolação, o que faz com a história flua rapidamente.

Com personagens bem caracterizados, que dão um plano de fundo real para os protagonistas, Julie mais uma vez me envolveu em um livro com muitos ingredientes envolvidos: política, romance, amor, justiça, honra em uma Inglaterra do século XI, o que nos tira um pouco dos romances de época no século XIX que estávamos tão acostumados a ler recentemente, nos mostrando as particularidades da sociedade séculos antes.

Cultura | Saraiva | Livraria da Folha | Fnac
Comentários
7
Compartilhe

7 comentários:

  1. Oi Lay, eu gosto muito quando um autor faz uso de apresentar vários problemas que vão sendo resolvidos ao longo da história, tornando-a movimentada e fluida como você bem definiu esse livro e acho que essa é uma das razões pra eu ter amado a história, ela não é nem um pouco monótona ;) Madelyne é aquela personagem que é bem difícil de não se gostar, eu amei, ela e todos os personagens dessa história, até mesmo os secundários são cativantes e o vilão é aquele feito pra gente odiar e ter raiva do jeito que tem que ser :D Amei a resenha, a capa desse livro e o livro em si, que vale muito a pena <3

    ResponderExcluir
  2. Lay!
    Amo os romances históricos e se ainda posso dar boas risadas e aproveitar um enredo bem escrito, com dramas que serão superados e um grande amor no final, porque não ler, né?
    Quero demais.
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “A música é uma revelação superior a toda sabedoria e filosofia.” (Ludwig van Beethoven)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá !!
    Eu acabei de reler agorinha mesmo Um Amor Para Lady Johanna, tenho muito amor por esse livro ❤❤
    Já li também Esplendor de Honra e ele não decepcionou, é uma leitura maravilhosa.
    É mais que um simples romance de época, ele traz intrigas, guerras, brigas, superação e amor 💕
    Recomendo muito os livros da autora.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Hey,

    Nunca tinha ouvido falar do livro e nem da autora, e nunca li nenhum romance que se passava nesse tempo, então fiquei bem curiosa para ler, e adorei a regra de não mentir, acho que vai deixar as coisas interessantes.

    ResponderExcluir
  5. Eu amo livros de época e estava doida para ler esse livro quando o vi no skoob!
    Ainda não li o primeiro e estou curiosa para essa leitura.
    Esses personagens parecem muitos bem criados e essa coisa de castelos e coisas medievais são a minha paixão!

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro romances de época, é incrível mergulhar em outro século e ver o amor que nasce entre os personagens, as vezes, em situações não tão favoráveis.
    Eu ainda não li nada da autora, mas os livros dela soam muito interessantes e gostei do que pude captar da sua resenha. O modo como Madeleyne e o mocinho se envolvem, como um dá ao outro algum ensinamento ou algo que a muito tempo não sentiam é encantador.
    Os romances que li não eram exatamente medievais, normalmente são na época vitoriana, mas eu acho que seria interessante mergulhar em uma Inglaterra mais medieval e seus costumes.
    Colocarei esse livro na minha listinha nada curta de desejados.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Já li resenha desse livros e amei a trama dele, tem uma premissa maravilhosa. Além da historia ser super fofa, te faz viaja para épocas medieval é isso e maravilhoso. Não li nada da autora mas desejo muito conhecer as obra dela.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações