18 de ago de 2017


[Resenha] Submissa - Maya Banks

Ficha Técnica

Título: Submissa
Título Original: Mastered
Autor: Maya Banks
ISBN: 978-85-8235-448-3
Páginas: 288
Ano: 2017
Tradutor: Isabela Noronha
Editora: Gutenberg
Eles não seguem as regras. Eles FAZEM as regras. Uma nova série que vai mexer com você da cabeça aos pés. Poder, sedução, dinheiro, submissão, dominação, dor e prazer… Nesse jogo que está prestes a começar, o amor não entra nas regras. Será que você está preparada? Evangeline nunca soube o que é viver no luxo, pois sempre teve que trabalhar duro para ajudar os pais e conseguir sobreviver em Nova York. Típica garota do interior, sente-se deslocada em meio à metrópole e percebe que ingenuidade e sinceridade, que sempre foram suas características mais marcantes, são vistas como defeitos pelos nova-iorquinos e, principalmente, por seu ex-namorado que a seduziu e a abandonou. Ele se apossa do que quer, sem remorso e sem culpa. Drake Donovan é um magnata do entretenimento e um dos milionários mais cobiçados do mundo. Ele e seus “irmãos” ergueram um império em Nova York, e o seu maior empreendimento é a badaladíssima Impulse, a casa noturna mais exclusiva da cidade. Acostumado a ter todos na palma da mão, Drake sente seu inabalável mundo balançar quando vê uma jovem com ar angelical e inocente perdida em sua boate. Quem era aquela garota? Ele não tem ideia, mas de uma coisa tem certeza: ela será dele! Ela não sabe se é capaz de dar o que ele deseja. Incentivada pelas amigas, ir sozinha à Impulse parece o plano perfeito para Evangeline se vingar do ex-namorado canalha. Mas o que está prestes a acontecer vai mudar sua vida para sempre. Uma proposta… Uma tentadora oportunidade de ter tudo aquilo que nem em sonhos ela imaginaria possível. O preço? Submissão total e completa.

Resenha


E aqui vou eu em mais um livro da Maya Banks, mas dessa vez numa série erótica contemporânea. Submissa é o primeiro livro da série Enforcers e nos traz a história de Evangeline e Drake.

Evangeline Hawthorn nasceu e cresceu em uma pequena cidade no Mississipi, mas com a doença da mãe e o acidente do pai - que o impossibilitou que prover sua família, Evangeline - filha única - se viu obrigada a trabalhar desde cedo para manter seus pais e a si mesma, mas mesmo deixando os estudos e trabalhando em dois locais, na pequena cidade o salário que conseguia era muito pouco, então, quando suas amigas que haviam deixado a cidade para morarem em Nova Iorque lhe disseram que poderia morar com elas em um pequeno apartamento e trabalhar em um pub, onde conseguiria juntar um bom dinheiro e enviar para seus pais. Assim, com vinte e três anos ela se vê trabalhando muito e seu único objetivo é cuidar de seus pais, mas na única vez que deu uma chance para um homem se aproximar, ela foi ferida emocionalmente. E é assim que iniciamos a história em Submissa. Com a autoestima ainda mais abalada por conta dos absurdos que Eddie (o ex-namorado) lhe disse depois de lhe tirar a virgindade, suas colegas de apartamento Steph, Lana e Nikki conseguem para ela uma entrada VIP para a boate Impulse, um local super badalado e altamente restrito, mas o lugar certo para Evangeline ir e encontrar o ex e, segundo as amigas, esfregar na cara dele o que está perdendo - não que ela de fato acredite nisso.

Do outro lado dessa história temos Drake Donovan, dono da boate Impulse e um magnata que assim que pôs os olhos em Evangeline percebeu que ela era inocente demais para estar naquele território, mas que, quando percebeu que ela precisava de ajuda por conta de um idiota na boate (leia-se, Eddie, o ex) ele a levou diretamente à um de seus lugares "sagrados", seu escritório, um lugar onde apenas eles e seus "irmãos" entravam. Após questionar Evangeline sobre o motivo de quase ter sido agredida e ter ouvido TODA a história dela (sim pessoal, ela tem um problema e não consegue mentir nem segurar as informações para si mesma, quando vê, já despejou tudo) ele está decido a tê-la como sua submissa e em menos de vinte quatro horas é o que acontece.

O que a gente vê é que Evangeline sempre pensa nos outros em primeiro lugar: sua família, suas amigas, pessoas em menos condições do que ela e quando ela percebe o interesse de um homem poderoso e bonito como Drake, não entende seu interesse, porque sua autoestima é muito frágil, então ela se abala facilmente com as situações ao seu redor, ela sempre acha que estão lhe julgando, lhe menosprezando, então, o que fazer? Aceitar o interesse desse homem, pensar em si antes dos outros, é algo completamente novo para ela.

Entretanto essa história me incomodou em vários pontos e vamos falar um pouco sobre eles. Primeiro que eu não curto BDSM, então quando tem nos livros já é algo que não me agrada. Outra situação é a rapidez com que o relacionamento foi construído, afinal, em menos de quarenta e oito horas Evangeline estava morando com Drake em seu apartamento e já tinha brigado com as amigas que, com toda razão, estavam preocupadas com a atitude inesperada da amiga, que já estava morando com um completo desconhecido. Terceiro é o fato de apresentar para Evangeline vários dos homens que trabalham para Drake, que ele considera "irmãos" e não mostrar um motivo real para estarem ali, não fica claro quão obscuro são os negócios de Drake, só fala que certamente é algo muito perigoso e que esse é o motivo dele sempre querer que ela saia acompanhada por um de seus homens. E, por fim, não é algo de todo ruim, até porque muitos autores e editoras têm feito isso, o livro não termina, a história de Drake e Evangeline continua no livro Dominated e só após esse teremos os outros dois livros da série, com Justice e Silas (dois dos homens de Drake).

Embora seja um erótico, para mim houveram muitas cenas de sexo e pouco conteúdo, sem mostrar que acidente foi que o pai de Evangeline sofreu, qual a doença da mãe dela, o que houve no passado de Drake e quais são os negócios dele, afinal, se for algo que ainda vai tratar no próximo livro, acredito que será muita coisa para abordar e quase sempre quando isso acontece algo fica sem explicação.

Infelizmente dessa vez não estou nem um pouco empolgada para continuar uma série, o que é muito triste para mim, afinal, adorei os outros livros da Maya que li, principalmente os romances de época. Para quem leu Submissa e gostou, só desejo que Dominated seja publicado logo e continue agradando vocês ;)

Saraiva | Cultura | Livraria da Folha
Comentários
6
Compartilhe

6 comentários:

  1. Hey *-*
    Como você,fui super empolgada ler esse livro mas também me decepcionei.
    Gosto dos livros da Maya mas esse não foi tão legal..
    Achei o Drake muito dominador e que a achava o dono da verdade e já a Evangeline era muito inocente e ingênua..

    Enfim, não vou continuar a ler a série também..

    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi Lay, eu tenho problema com os contemporâneos da Maya, eu amo os de época, mas não consigo me conectar com as histórias mais atuais. Acho que se resolvesse ler esse livro, iria ter os mesmos problemas que você, BDSM pra mim tá saturado (pelo menos comigo) e a personalidade da mocinha submissa demais, por mais que esse seja o nome do livro, não me empolga, e ainda tem continuação com muitas perguntas em aberto :/ Acho que não vou me arriscar com esse livro por enquanto.

    ResponderExcluir
  3. Lay!
    Essa série tem o que e o nome de outra série da mesma autora.
    Achei ótimo o entrosamento dos protagonistas e até Evangeline tentou não se entregar totalmente para Drake, porém, quem resiste, né?
    Muito bom!
    Bom final de semana!
    "...Aceite com sabedoria o fato de que o caminho está cheio de contradições. Há momentos de alegria e desespero, confiança e falta de fé, mas vale a pena seguir adiante..."(Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Bom, não tinha conhecimento dessa autora mas um livro me pareceu bem interessante pela trama, mas a forma que falou me deixou bem receosa por querer ler. A capa e super linda, tem uma historia incrivél mas como você diz que deixa questões em aberto e meio difícil se anima com a proxima leitura né!

    ResponderExcluir
  5. Eu não curto livros eróticos, exatamente porque os que tive contato focavam demais nas cenas de sexo ou a história não engatilhava. Acho que Submissa vai mais ou menos nessa onda, então não pretendo dar uma chance.
    BDSM é algo que já se tornou tão comum nos livros do gênero, que se tornou um clichê. Nada contra os clichês em geral, eu gosto de alguns, mas outros não me atraem e esse acaba sendo um, fora que nem todos autores apresentam ele de forma, digamos, saudável. Acho uma pena também que a maioria das mocinhas que acabem assumindo o papel de submissa, sejam assim não apenas na cama, mas na vida em geral delas. Não sei... as vezes, mesmo não curtinho o gênero, acho que seria bom variar um pouco nisso ao ler as sinopses.
    É uma pena que a leitura não tenha te agradado, mas assim como você, para quem gostou do livro, espero que a continuação logo seja publicada e dê um bom desfecho a história.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Hey,

    Parece ser um ótimo livro, mas não costumo ler esse gênero pois não gosto mas para quem gosta é uma ótima indicação.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações