17 de set de 2017


[Resenha] Os 27 Crushes de Molly - Becky Albertalli

Ficha Técnica 

Título: Os 27 Crushes de Molly
Título Original: The Upside of Unrequited
Autor: Becky Albertalli
ISBN: 978-85-510-0236-0
Páginas: 318
Ano: 2017
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas. Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã. Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo? Em Os 27 Crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.

Resenha

Becky Albertalli foi aclamada por sua obra de estreia, “Simon vs. a Agenda Homo Sapiens”, porém, é o seu segundo trabalho que realmente prova a competência e versatilidade da autora, que ao criar distintos personagens e núcleos, consegue entregar ao leitor uma história que vai além de um romance. 

Molly é uma jovem apaixonada e sonhadora, que na menor das oportunidades já começa a fantasiar com um romance arrebatador de conto de fadas. Mas ela nunca beijou na vida, e sua lista de crushes já contabiliza 26 rapazes. Insegura, principalmente devido ao seu peso, Molly fica ainda mais tensa ao ver sua irmã gêmea, Cassie, encontrar uma namorada, ficando com medo de perder a pessoa que mais lhe passa confiança na vida.

Mas o coração de Molly não perde tempo, e assim que Cassie começa a namorar, o universo lhe entrega não um, mas dois novos crushes. O primeiro deles se chama Will, e é o melhor amigo de Mina, a namorada de sua irmã, e o segundo é Reid, colega de trabalho da nossa protagonista. Com muita cautela, e com as confusões e questionamentos que sempre lhe impedem de investir em seus crushes, Molly terá que mudar suas ações e escolher um dos dois para ser o seu vigésimo sétimo crush, e se tudo der certo, será com ele com quem Molly dará o seu tão esperado primeiro beijo. 

Isso não entra na minha cabeça. Como as pessoas têm certeza de que seu amor será correspondido? Como isso automaticamente vira uma suposição?
P. 65

Com muita fofura e graça, “Os 27 Crushes de Molly” conquista o leitor já no primeiro capítulo. O humor da escrita de Albertalli ajuda a suavizar o drama que a personagem principal lida, sem necessariamente torná-lo forçado ou desvalidando e simplificando o enredo e os problemas. Pelo contrário, a autora, assim como disse no começo da resenha, consegue transformar um hipotético simples romance infanto-juvenil, em uma obra rica e elaborada. 

Além de trabalhar a já citada insegurança de Molly por ser gorda e nunca ter beijado, Becky potencializa a diversidade de suas personagens ao optar por criar uma família bem diversificada. Para começo de conversa, Molly possui duas mães, uma delas gerou através de um doador Molly e Cassie (que diferentemente da primeira, é magra), a segunda mãe gerou anos depois através do mesmo doador, um irmãozinho, o Xavier. 

Portanto, eu devia estar acostumada. Mesmo assim, sempre fico meio desconcertada quando as pessoas falam coisas sobre o meu corpo. Acho que quero acreditar que ninguém repara que sou gorda. Ou que sou bonita e gorda ao mesmo tempo, como uma modelo plus size. Sei lá.
P. 123/124

Para enlouquecer ainda mais os conservadores de plantão, Albertalli opta por definir uma mãe sendo branca e a outra negra, e a família tendo como base religiosa o judaísmo. Claramente, ainda temos o fato de uma das integrantes, a Cassie, assim como as mães, ser homossexual e ter uma namorada. Todos esses detalhes são tratados com muita naturalidade na narrativa da autora, afinal, essa é a realidade desta família.

Porém, sem muito alarde, já que esse não é o plot principal da obra, em alguns momentos existem sim, questionamentos e julgamentos de personagens externos à esta realidade familiar. Desde a avó que não se preocupa em ter uma filha homossexual, mas se incomoda com o peso da neta, ou pessoas que não conseguem compreender como Molly tem integrantes negros em sua família. Esses detalhes mostram muito bem diversas vertentes da nossa sociedade atual, e até mesmo como a ausência de certos preconceitos em determinadas pessoas, não eliminam as mesmas de terem outros. 

– Porque eu não quero ser a garota que precisa de um namorado – respondo.
– Ah, mas é claro que você não precisa de um – diz Nadine. – Mas não tem nada de errado em querer um.
P. 294

“Os 27 Crushes de Molly” pode até ser um young-adult, mas um do tipo maduro, mais para adulto do que adolescente, assim por dizer. Becky Albertalli tem uma escrita cativante e questionamentos válidos e atuais, tratados de uma forma séria, mas sem perder a diversão. A riqueza das personagens é só mais um delicioso fator, que de tão bem escritas e autênticas, chegam a dar a sensação de serem reais e próximas de nós. Não acho que tenha como alguém odiar Molly, e querendo ou não, acho que esse livro será o maior crush de quem o ler.

Comentários
5
Compartilhe

5 comentários:

  1. Tácio!
    Acredito que o livro é de fácil identificação para os leitores, pois como falou, quem nunca passou pelo que ela passou aos 17 anos: dúvidas, receios e medos... e ainda tem a família, né?
    Achei o enredo um amorzinho e fiquei bem curiosa pela leitura.
    Desejo uma semana de muito amor no coração!
    “Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Oi Tácio, a protagonista parece ser bem cativante, ao ponto de me fazer torcer pra ela ficar os dois e incluir mais 2 crushes na lista haha. Achei a resenha muito boa e a história parece abordar temas considerados polêmicos com naturalidade e isso é bem positivo e tem também o fato de falar que mesmo que algumas pessoas pareçam ter a mente mais aberta e sem preconceitos pra determinados temas, pode ser o inverso com outros, tendo sim preconceitos, o que é interessante e fiquei bem curiosa pra ver como tudo isso se encaixa na história. Ótima resenha, espero ter a oportunidade e ler futuramente *__*

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Já tinha visto esse livro e fiquei pensando muito sobre ele e estava aguardando uma resenha. Ao ler a resenha sobre ele, fiquei bastante pensativa sobre a trama, realmente a autora abordo vários tabus no livros, onde sofremos na atualidade, vemos que a autora fez uma família totalmente diferente e que é igual a todos e ficou super maravilhosa. A Molly me conquistou com o jeitinho dela, já que nessa idade todos adolescente sofre com seus receios, medos, amores, desamores, primeiro beijo e etc. Realmente um livro que será uma leitura bastante agradável..

    ResponderExcluir
  4. Oi Tacio, tudo bem?
    Eu fiquei bem intrigada com este livro porque ouvi bastante alarde dos booktubers gringos, mas ao mesmo tempo pensei que seria mais um YA bobinho. Ainda bem que ele está mais para adulto do que adolescente, porque eu fiquei super curiosa para conhecer a Moly e os outros personagens. A autora arrasou os preconceitos escolhendo essas caracteristicas dos personagens.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem?
    Difícil eu não me identificar com Molly, ela é muito eu haha.
    Interessei-me muito pela a premissa e parece ser uma leitura bem divertida.
    Adorei mesmo e já adicionei na minha lista.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por e-mail.
Obrigada!

 
imagem-logo
De Tudo um Pouquinho - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
Layout e Programação HR Criações